0

CPI que vai investigar contratos de Braide deve começar a trabalhar semana que vem…

Formada pelos vereadores Álvaro Pires, Astro de Ogum, Daniel Oliveira, Pavão Filho, Ribeiro Neto e Thyago Freitas comissão  terá 90 dias para investigar os motivos que levaram o prefeito a fazer, desde o início de sua gestão, sucessivos contratos emergenciais

 

Álvaro Pires, que já vinha propondo investigação nas licitações da prefeitura, vai compor a CPI que investigará os contratos da gestão Braide

A Câmara Municipal deve instalar na próxima semana a Comissão Parlamentar de Inquérito que vai investigar a gestão do prefeito Eduardo Braide (PSD).

Formada a partir de requerimento do vereador licenciado Beto Castro (Avante), a comissão tem como membros os vereadores Álvaro Pires (PSB), Astro de Ogum (PCdoB), Daniel Oliveira (PSD), Pavão Filho (PSB), Ribeiro Neto (PSB) e Thyago Freitas (PRD).

Na primeira reunião a CPI deve definir presidente, vice e relator; o prazo para apresentar relatório é de 90 dias.

A comissão de inquérito tem o objetivo de esclarecer por que Eduardo Braide firma contratos de forma emergencial desde o início de sua gestão, prática que se tornou praticamente a forma prioritária como a prefeitura contrata serviços e obras a partir de 2021.

A instalação foi determinada pelo presidente da Casa, Paulo Victor (PSB), na última quinta-feira, 16.

3

Juiz diz que ações contra eleitos aprimoram o processo eleitoral…

Titular da 10ª Zona Eleitoral de São Luís, José Ribamar D’Oliveira Costa Júnior frisou que os questionamentos ao resultado do pleito são “desdobramentos” naturais das eleições

 

Diplomação dos eleitos foi realizada no Centro de Convenções Pedro Neiva de Santana

O juiz da 10ª Zona Eleitoral de São Luís, José Ribamar D’Oliveira Costa júnior ressaltou, durante solenidade de diplomação dos eleitos em São Luís, que o Tribunal Regional Eleitoral fez sua parte para que a vontade do eleitor fosse respeitada.

– É verdade que vivemos tempos difíceis com o país atravessando uma das piores crises econômica, política e social, como certa instabilidade entre os poderes da República, mas, apesar de tudo, inclusive com contingenciamento de recursos, conseguimos atravessar esse mar revolto com a normalidade necessária para assegurar que a legítima vontade popular dentro do devido processo legal fosse respeitada – declarou, em discurso.

Costa Júnior frisou, porém que o desdobramento natural desse processo eleitoral são os questionamentos do resultado, “através das representações e ações judiciais que também servem para aprimorá-lo”.

Edivaldo Júnior usou a máquina para comprar votos,s segundo provas apresentadas por Braide

O deputado Eduardo Braide (PMN), segundo colocado na disputa em São Luís, apresentou no início da semana ação de cassação do prefeito reeleito Edivaldo Júnior (PDT), exatamente por entender que o pedetista manipulou a vontade popular.

A ação de Braide elenca uma série de provas de que Holandinha comprou votos e usou a máquina administrativa para influenciar a vontade do eleitor. (Releia aqui, aqui e aqui)

Além da ação do deputado contra o prefeito, o próprio TRE ainda vai ter que analisar a situação dos vereadores Aldir Júnior (PR), Nato Júnior (PP) e Beto Castro (PROS), cujas prestações de contas foram rejeitadas pela Justiça Eleitoral.

O juiz Costa Júnior presidiu a solenidade de diplomação dos eleitos, representando a Corte Eleitoral maranhense…