0

Flávio Dino usa polícia contra adversários e deixa Pedrinhas a mercê de bandidos…

Governador tem sitiado o interior com uma “penca” de delegados e oficiais da PM para intimidar oposicionistas, enquanto a bandidagem transforma o complexo penitenciário em inferno e já ameaça voltar às ruas em São Luís

 

Homens armados até os dentes invadiram Coroatá a serviço do candidato do governo

Homens armados até os dentes invadiram Coroatá a serviço do candidato do governo

 

A cúpula da Segurança Pública do Maranhão invadiu sexta-feira, 23, o município de Coroatá para ajudar o candidato do governo Flávio Dino, Luiz da Amovelar Filho (ambos do PCdoB) na disputa contra a peemedebista Teresa Murad.

Com o município sitiado, delegados escoltam o aliados do governador, oficiais da PM impedem a movimentação da adversária e máquinas tentam comprar votos com obras de última hora. (Releia aqui)

E o uso das forças de segurança na campanha eleitoral tende a se repetir em Pinheiro, Caxias, Balsas e outros municípios.

Sem ameaça policial, bandidos tocaram o terror em Pedrinhas

Sem ameaça policial, bandidos tocaram o terror em Pedrinhas

Enquanto a cúpula da Segurança fazia política a mando de Flávio Dino, o Complexo Penitenciário de Pedrinhas, largado à própria sorte, virou novamente praça de guerra na tarde de sábado, 24.

Sem segurança adequada no presídio, bandidos fizeram motim, atearam fogo em colchões e ameaçaram, inclusive, tocar o terror nas ruas de São Luís.

E assim segue o governo da mudança de Flávio Dino e seus aliados – em São Luís e no interior…

0

A ameaça islâmica ao mundo…

quatro-decapitado-siriaOito irmãos com explosivos na cintura e fuzis fizeram vítimas em lugares escolhidos previamente e que foram escolhidos minunciosamente no coração de Paris, no estádio da França, na hora do jogo dos dois países França e Alemanha, que eram assistidos pelo imbecil François Hollande, o Bataclan onde se estavam reunidos centenas de idolatras em uma festa de perversidade assim como outros alvos no 10º arrondissement e isso tudo simultaneamente. Paris tremou sob seus pés e as ruas se tornaram estreitas para eles. O resultado é de no mínimo 200 mortos e muitos mais feridos. A gloria e mérito pertencem a Alá”, comunicado ao Mundo do Estado Ilsâmico, associação terrorista que mata em nome de Alah

9

É pelo medo que Dino se impõe…

Incapaz de convencer pelas ideias, o governador maranhense impõe a condição de ex-juiz – com irmão procurador da República – para subjugar, sobretudo, a classe política de pé em falso; e se impor, inclusive, em segmentos obscuros do Judiciário para fazer valer sua vontade

 

Flávio Dino: sem carisma, impõe o terror...

Flávio Dino: sem carisma, impõe o terror…

Editorial

Autoritário, o governador Flávio Dino (PCdoB) dá mostras cada vez mais inequívocas de que vai usar toda a sua força  – e de todos os seus instrumentos na política e no Judiciário – para calar aqueles que ousam mostrar as verdades do seu “governo da mudança”.

Dino é incapaz de conviver com o contraditório, incapaz de admitir erros; incapaz de reconhecer a crítica.

E usa o medo para constranger, intimidar e subjugar quem tenta contrapor seu discurso.

Incapaz de liderar pela admiração ao seu projeto ou suas ideias, é pelo medo que ele subjuga, intimida e constrange a classe política, principalmente.

E a classe política – prefeitos, ex-prefeitos, deputados, vereadores e lideranças partidárias – quase sempre de pé em falso em algum momento da história, morre de medo de ser pega de calças curtas.

Ex-juiz federal, ex-presidente da Associação de Magistrados e ex-secretário-geral do Conselho Nacional de Justiça, o comunista sabe bem percorrer os corredores do Judiciário e abrir portas, sobretudo no Maranhão.

E ainda conta com a força do irmão sub-procurador-geral da República.

Com toda esta força, quem ousa contrariar o imperador?

E assim, prefeitos morrem de medo, deputados morrem de medo e até magistrados e membros do TCE acabam por morrer de medo.

Não bastasse esta intimidação natural de quem se sente inseguro com a própria história, Dino quer dobrar agora aqueles que – por razões ideológicas, políticas ou simplesmente pessoais – não aceitam suas ideias, seus projetos e sua forma de ver o Maranhão.

Como não pode dobrar quem não lhe serve, ele apela também para segmentos obscuros dos demais poderes para perseguir, achincalhar, ridicularizar e intimidar homens livres.

É pelo medo que Flávio Dino se impõe na política maranhense.

Mas felizmente, o medo não ataca a todos…

Texto publicado originalmente em 14/05/2015