8

Conversa sobre liberdade…

O blog republica como post o debate que teve na área de comentários do post “O Brasil já está sob tutela militar…”, com o leitor Emanoel de Jesus,  para quem a ideia de liberdade tem a ver com “os ensinamentos dos velhos sargentos”

 

TORTURA PÚBLICA. Era assim, no pau-de-arara, que eram tratados, não marginais, mais todos os que se opunham aos desmandos da ditadura; e só não via quem também batia continência

Primeiro o comentário do leitor:

Há amigo marcos! Trocaria eu tudo em que confio nessa tal “liberdade” que vcs falam. Que que isso? Que há tempos não veio por aqui; pra ser mais exato, há 52 anos que tenho vivido e não sei dessa tal liberdade.

Se ela existir deve ser só para os políticos e apadrinhados dos mesmos, porque para o povo a escravidão continua.

Dá ânsia de ver essas quadrilhas de bandidos se aposentando das riquezas do nosso país, desviando dinheiro e mais dinheiro, mais até do que podem gastar, pois quardam em apartamentos buracos e sabe-se lá mais onde.

As escolas abandonadas. As públicas no caso. Os pobres sendo alimentados com migalhas. Restos onde muitos tem provisões, mas não há empregos. As empresas do Estado deixam muitos capacitados para dar lugar a apadrinhados dos políticos que muitos nem vão por lá, só recebem o dinheiro final de mês.

Isso sem falar dos jovens morrendo todos os dias, os bons e os maus, não há distinção. Que liberdade é essa?

Acho que essa liberdade tanto falada que tão com medo de acabar é a dos bandidos. Ladrões, corruptos e mais, pois somente eles durante a minha vida toda eu vi fazendo o que queriam.

Realmente, eu quero que acabe essa liberdade. Eu ainda espero ver nos meus dias de vida o trabalhador sendo remunerado de maneira justa, o empresário correto tendo a ajuda certa pra poder pagar suas contas. O filho, o pai, a mãe, a família sendo respeitada como nos velhos tempos em que meu avô relatava os ensinos dos velhos sargentos.

Se for assim eu quero, espero e do torcendo pra que essa tal liberdade acabe…

ORDEM UNIDA. Criança eram perfiladas em escolas para inspeções nos moldes militares: imposição de valores e castração de pensamentos

Agora, a resposta ao que ele entende por liberdade:

Até o fato de muitos “loucos” estarem hoje defendendo que um outro louco assuma o comando do país, é resultado da liberdade democrática em que vivemos.

Acusar o PT de corrupção, apontar que nele só tenha corruptos, também é resultado desta liberdade de expressão em que vivemos.

Liberdade que perdemos por 21 anos (entre 1964 e 1985) quando os militares – por intermédio de um golpe – cassaram os direitos dos cidadãos.

Claro, é verdade que há muitos que viveram nos tempos da Ditadura e dizem que “não foi tão ruim assim”.

Mas basta analisar a vida destes para se saber porque pensam assim: são sempre os que baixaram a cabeça para os militares, que aceitavam caladinhos toda a opressão que os militares impuseram a todos os cidadãos.

Esses que seguiram caladinhos, faziam a ordem unida exigida, evitavam contrariar os militares, não questionavam sequer a própria vida.

É claro que esses não sentiram os efeitos, porque, também, não lutavam contra as injustiças.

E quando viam um vizinho apanhar dos militares, ao invés de denunciar, botavam a culpa no vizinho, que era chamado – você lembra? – subversivos.

Os militares também desviavam dinheiro a torto e a direito. Muitos enriqueceram às custas da Ditadura.

A Odebrecht, a Mendes Júnior, as empresas todas que você vê hoje denunciadas por corrupção, começaram a roubar a Petrobras e desviar dinheiro de obras exatamente com os militares.

Sabe porque você não via isso? porque era proibido fazer denúncias contra os militares.

Porque nós, Emanoel, nós jornalistas, convivíamos com soldados dentro das redações, para que os jornais só dissessem o que os militares achassem que era bom.

Por isso você nunca viu.

E nunca viu, repito: porque também batia continência para os soldados.

Botava a mão no peito para cantar o hino nacional, obrigado, nas escolas, mesmo que seus pais, seus tios, irmãos, primos ou vizinhos tivessem sido “desaparecidos”.

Mas muito lutaram, Emanoel.

Muitos derramaram sangue, muitos morreram para que eu, você, e mesmo aqueles que se calaram diante das atrocidades dos militares, pudessem estar hoje debatendo desta forma, livre, questionando governos, criticando lideranças.

E isso jamais, meu caro, será possível em um governo autoritário, um governo perseguidor, um governo em que as liberdades estarão suspensas.

É disso que falo…

2

Maura Jorge denuncia perseguição de Flávio Dino…

Em vídeo divulgado nas suas redes sociais, candidata do PSL ao governo diz que teve seu horário suspenso pelo comunista; e afirma que responderá a todos os ataques “deste grupo que insiste em querer nos calar”

 

A ex-prefeita Maura Jorge, candidata do PSL a governadora, acusou diretamente o governador comunista Flávio Dino de perseguição.

Maura, que já tem tempo insignificante na propaganda eleitoral, teve seu programa suspenso por ação de Flávio Dino.

– O Maranhão conhece a minha história e é sabedor de que há anos venho sendo perseguida por ataques, mentiras e difamações por parte desse grupo que insiste em querer nos calar – desabafou a candidata.

Ela pretende, a partir de agora, rebater a todos os ataques proferidos pelos comunistas.

– A partir de agora, vou responder a todos esses ataques e continuar nossa campanha limpa e sem baixaria. Os poderosos terão que me enfrentar e conhecerão de perto a força do povo maranhense! Avante! – afirmou.

Veja o vídeo acima…

0

Major preso por Flávio Dino critica “coronéis comunistas” da PM…

Janilson Lindoso foi preso e humilhado em Imperatriz, em 2016, por se recusar a fazer campanha para a candidata do governador, que agora usa os principais oficiais da Polícia Militar em seu próprio benefício eleitoral

 

Em um vídeo publicado desde o fim de semana nas redes sociais e aplicativos de troca de mensagens, o major PM Janilson Lindoso, critica fortemente o uso de oficiais da PMMA na campanha política do governador Flávio Dino (PCdoB).

Em 2016, o major Janilson chegou a ser preso, por ordem de Flávio Dino, por se recusar a fazer campanha para a então candidata comunista à Prefeitura de Imperatriz, Rosângela Curado (PDT). (Relembre aqui e aqui)

– E agora, governador?!? O que vai ser feito com esses oficiais? Quem vai transferir esses coronéis? É o presidente? o STF? É estranho de mais o senhor chamar agora esses coronéis para fazer acordo, falar de salário e outras demandas; fica o alerta aí – questiona Janilson, em um vídeo gravado em frente ao Batalhão de Imperatriz.

Os oficiais da PM 65 de Flávio Dino; dois pesos e duas medidas, segundo major perseguido em Imperatriz

A imagem em que um grupo de coronéis dos mais altos postos da polícia posam com adesivos do “65” vazou no final de semana, e foi divulgada neste blog – e somente por este blog – como alerta para os que se posicionam contra o governador. (Releia aqui)

Os oficiais que fazem campanha para Dino têm todos posições de comando em batalhões e companhia da Polícia Militar.

E o major Janilson sabe do que o comunista é capaz…

Leia também:

PM mandou espionar até juízes e promotores…

De como Flávio Dino já usou a polícia em seus interesses políticos…

A “Milícia 36” e os atos criminosos de 2014…

0

Sabatina O Estado: Maranhão desenhado…

E o que ficou nesses seis dias de programa é a visão de um Maranhão que não avançou e precisa ser recolocado nos trilhos do diálogo, dentro de um ambiente de liberdade, para voltar a ter perspectivas de desenvolvimento

 

Ramon Zapata classificou de “farsa” co programa Escola Digna

Encerrada ontem com todo o sucesso esperado, a Sabatina O Estado com os candidatos a governador do Maranhão apontou o norte que deverá ser tema de debates no decorrer da campanha eleitoral.

Do início – com Ramon Zapata (PSTU) – ao desfecho – com Roseana Sarney (MDB) – as entrevistas conseguiram revisitar o passado, analisar o presente e projetar o futuro político do Maranhão em todas as suas nuances políticas, o que nem mesmo o hiato da fuga do governador Flávio Dino (PCdoB) conseguiu impedir que saltassem aos olhos.

Odívio Neto revelou que 40% dos professores têm contrato precário

E o que ficou nesses seis dias de programa é uma visão de um Maranhão que não avançou e precisa ser recolocado nos trilhos do diálogo, dentro de um ambiente de liberdade, para voltar a ter perspectivas de desenvolvimento.

A cadeira vazia de Flávio Dino expressa o momento do Maranhão: sem diálogo e com autoritarismo

Os candidatos Ramon Zapata e Odívio Netto (PSOL) optaram por analisar o Maranhão pelo aspecto da Educação.

Roberto Rocha desenhou um Maranhão pelo viés econômico; “indústria do medo” se sobressaiu

E tiveram a contribuição da emedebista Roseana para um diagnóstico sombrio: o projeto atual “é uma farsa” – palavras de Zapata -, apenas 20% dos professores têm salário considerado de nível nacional e 40% da categoria vive com contratos precários e salários reduzidos.

O senador Roberto Rocha buscou o elemento econômico para estabelecer que “a única indústria que cresceu no Maranhão foi a do medo”.

Maura Jorge desenhou o governo Flávio Dino como “um grande engodo” no Maranhão

Neste aspecto, Maura Jorge (PSL) apontou o atual governo como “um grande engodo”.

Roseana também contribuiu nesse discurso ao desenhar um governo “perseguidor” não apenas de políticos, mas de empresários, comerciantes e trabalhadores.

Roseana : “fim dos programas sociais” aumentou número de pobres

Para rebater esses argumentos e contrapor os números apresentados, ao comunista que ora ocupa o Palácio dos Leões foi oferecido o mesmo espaço de tempo, com as mesmas regras e o mesmo tom, mas ele preferiu ignorar, dar de ombros, fugir.

Perdeu, portanto, a chance de convencer, o que se torna mais difícil quando se vê cinco argumentos contrários.

E esquivar-se não vai adiantar…

Da coluna Estado Maior

1

Roseana lamenta fim dos programas sociais no Maranhão e garante que vai retomá-los…

Durante a Sabatina O Estado, nesta segunda-feira, 27, ex-governadora lembrou ainda que vai retomar o programa “Saúde é Vida”, interrompido por Flávio Dino, e devolver o brilho do Turismo e da Cultura do Maranhão

 

A ex-governadora e candidata do MDB ao governo, Roseana Sarney, lamentou nesta segunda-feira, 27, que o governo Flávio Dino (PCdoB) tenha interrompido todos os os programas sociais de seu governo.

Ela citou o programa Viva Luz, que assegurava a quitação da conta de energia elétrica do cidadão de baixa renda, falou sobre o programa Saúde é Vida – que construiu 72 novos hospitais em todas as regiões do estado – e anunciou que pretende criar o Viva Gás.

– Na minha gestão eu consegui tirar cerca de 500 mil pessoas da linha de pobreza. E agora os dados oficiais mostram que pelo menos 300 mil pessoas voltaram para a linha de pobreza. Isso é preocupante – afirmou a ex-governadora

Na avaliação da ex-governadora, o governo comunista aumentou o desemprego no estado. Esse, na avaliação da emedebista, é um dos motivos que a fizeram voltar a disputar o governo.

– A crise financeira no país e no Maranhão é muito forte. O sistema de saúde do Maranhão está falindo. O desemprego aumentou. Por isso eu decidi colocar meu nome à disposição para o Governo. Para tentar mudar esse quadro – disse.

Perseguição

Para a ex-governadora, o maior legado de Flávio Dino é a perseguição, tanto à classe política quanto aos empresários, pequenos comerciantes e ao trabalhador.

Ela citou nominalmente os exemplos dos prefeitos de Imperatriz e São Pedro dos Crentes, que fazem oposição ao Palácio dos Leões.

– O prefeito de São Pedro dos Crentes, por exemplo, que está sempre nas redes sociais, é perseguido. O prefeito de Imperatriz também é perseguido, porque você não mandar recursos para a saúde do município, é perseguição – concluiu.

A sabatina de Roseana encerrou o projeto do jornal O EstadoMaranhão para o primeiro turno.

As entrevistas devem ser retomadas em um eventual segundo turno.

1

Flávio Dino bem mais do que perseguidor….

Governador usa resposta afetada para desmerecer acusação levantada pela Folha de S. Paulo de que persegue adversários, mas os números apenas contra o titular deste blog mostram o tamanho da sanha persecutória do comunista

 

De perfil autoritário, Dino persegue quem se opõe ao eu pensamento

Editorial

Numa resposta debochada e afetada, o governador Flávio Dino (PCdoB) tentou-se desfazer da pecha de perseguidor, levantada pelo jornal Folha de S. Paulo nesta terça-feira, 31.

– Imagina euzinho perseguir alguém? – ironizou o comunista maranhense.

Mas este blog faz questão de desmentir publicamente o governador com números oficiais.

Dino persegue adversários, jornalistas e qualquer um que se oponha ao seu projeto de poder com ações de todo tipo, mas foca, sobretudo na intimidação judicial.

O titular deste blog é uma de suas vítimas, desde 2015.

As ações na Justiça comum contra o blog versam sobre calúnia, difamação e injúria, todas julgadas improcedentes pela Justiça. (Releia aqui)

E é exatamente a improcedência dos argumentos de Dino a prova de que ele persegue e ocupa a Justiça com o único objetivo de intimidar.

Quadro com ações de Flávio Dino contra este blog arquivadas no TSE por improcedência

No âmbito eleitoral, em 2014, foram nada menos que 20 ações na Justiça Eleitoral, na tentativa de calar e amordaçar este blog.

O comunista acaba sempre vencendo aqui nas instâncias inferiores, onde a leitura e o conhecimento do Direito não parecem ser marca dos julgadores.

Mas todas as ações – todas, sem exceção – foram arquivadas no Tribunal Superior Eleitoral por carência de argumentos. (Veja quadro acima)

A sanha persecutória de Flávio Dino não atinge apenas o titular deste blog, mas toda a classe de jornalistas e qualquer outro tipo de cidadão que  ouse contestar as suas “verdades”.

Não há na história do Maranhão nenhum outro político – de qualquer cargo ou posto – que tenha processado tantos jornalistas ao mesmo tempo quanto Flávio Dino.

Flávio Dino vai continuar afetado e debochado quando perguntado sobre perseguição.

Afinal, não tem como questionar os números…

Leia também:

O estado policialesco de Flávio Dino…

Ditador, Flávio Dino não quer ser chamado de ditador…

Ditador é quem prefere ser temido a ser amado, diz Edilázio…

7

Flávio Dino pode se transformar na maior mentira do Maranhão…

Com o governo marcado pela corrupção e pela falta de investimentos, comunista se mostra, ao mesmo tempo, incompetente, autoritário e perseguidor, o que pode transformá-lo em uma espécie de tirano tupiniquim

 

Flávio Dino decepcionou os que acreditaram sinceramente nas suas promessas: uma mentira histórica

Editorial

A expressão acima foi tomada de um post do jornalista Robert Lobato, para confirmar uma sentença estabelecida por ele. (Leia aqui)

O Maranhão pode ter cometido o maior erro de sua história ao eleger, em 2014, o governador comunista Flávio Dino.

Ao longo dos seus quatro anos de mandato, o ex-juiz federal, tido como sumidade na área do Direito e um estudioso compulsivo, transformou-se em um déspota com ares de totalitarismo que poderia levar o Maranhão a se transformar em um enclave típico da ditaduras de esquerda.

O mandato de Flávio Dino revelou ao mundo um ditador autoritário e perseguidor.

A manipulação aberta da mídia – com compra de espaços pseudojornalísticos – o controle quase onipotente do Ministério Público e a tentativa de manipulação das instâncias da Justiça, é algo nunca visto na história do Maranhão.

Felizmente, falta ao governador o carisma necessário aos líderes absolutistas, seu principal ponto fraco.

E é justamente nesse ponto fraco que devem focar os que sonham com um Maranhão novamente livre.

A história vai agradecer…

6

A pedido de Flávio Dino, TRE censura este blog; e o blog irá ao Supremo…

Recurso ao STF, com pedido de Liminar contra a decisão dos juízes eleitorais Cleones Cunha e Eduardo Moreira, busca garantir o direito de expressão e de opinião, cassado no Maranhão sob o signo do comunismo

 

O titular deste blog recebeu na tarde desta terça-feira, 18, duas notificações do Tribunal Regional Eleitoral, com determinação – atendendo a pedido do governador Flávio Dino (PCdoB) – para retirar posts sobre o processo eleitoral maranhense.

E o blog atendeu às decisões, mas já prepara Reclamação Direta ao Supremo Tribunal Federal, com pedido de Liminar para que os posts sejam repostos em seus devidos lugares, em nome da liberdade de expressão.

A Reclamação já havia, inclusive sido anunciada pelo blog, como se pode reler aqui e aqui.

Uma das decisões é do próprio Corregedor Eleitoral, desembargador Cleones Cunha – que, aliás, deve ter que se afastar de suas funções, para não tornar sua cunhada inelegível no processo eleitoral.

Ele determina a retirada do post [base de Flávio Dino] fazendo água…, publicado em 14 de junho, que mostra aliados de Dino aderindo à ex-governadora Roseana Sarney (MDB).

O post já foi retirado da internet, como se pode ver no print acima e aqui.

A outra decisão é do juiz eleitoral Eduardo Moreira, que determina a retirada do post “Vídeo e imagem do dia: a mulher e o mito…”, que fala da visita de Jair Bolsonaro a São Luís.

Este post também já foi retirado, como prova o print acima e pode ser visto aqui.

As duas decisões preveem multa diária de R$ 5 mil em caso de descumprimento.

O blog vai ao STF porque entende não ter descumprido nenhum dos princípios da Lei Eleitoral e por estar exercendo seu papel de imprensa.

O objetivo é garantir a liberdade de expressão.

E corrigir decisões de censura, típicas da ditadura…

0

ANJ sai em defesa do jornal O Estado…

Associação Nacional dos Jornais disse, em nota, que espera que a instâncias superiores do Poder Judiciário reformem as decisões que atentam contra a liberdade de expressão em ações de censura do governo Flávio Dino

 

Capas do jornal O Estado: investigação diária para mostrar os malfeitos do comunismo que assola o Maranhão

A Associação Nacional de Jornais (ANJ) se manifestou a respeito da tentativa de censura interposta contra o jornal O Estado pelo governo de Flávio Dino (PCdoB). Para a entidade, é preocupante a ação da gestão estadual contra o jornal, o que para a ANJ, configura uma afronta a liberdade de expressão e também à sociedade.

Levantamento da assessoria jurídica de O Estado mostra que desde o ano passado, o governo de Flávio Dino vem entrando com ações assinadas pela Procuradoria Geral do Estado (PGE) pedindo indenizações por danos morais e direito de respostas devido a reportagens publicadas no jornal que faz críticas a gestão comunista.

Diante da tentativa recorrente de censura, O Estado buscou a ANJ para denunciar o abuso contra a liberdade de expressão feito pela gestão comunista.

Em resposta a manifestação do jornal, a entidade enviou nota se mostrando preocupada com este tipo de ação, caracteriza pela associação como golpe na liberdade de expressão.

“A Associação Nacional de Jornais (ANJ) vê com grande preocupação as decisões judiciais contrárias ao jornal O Estado do Maranhão, resultantes de ações decorrentes de matérias do jornal a respeito do governo estadual”, diz trecho da nota.

Diante desta tentativa, a associação disse ainda que espera que as decisões judiciais daqui do Maranhão sejam revistas pelas instâncias superiores do Poder Judiciário.

“A ANJ espera que as decisões judiciais que proíbem a divulgação de informações pelo jornal O Estado do Maranhão sejam revistas por instâncias superiores do próprio Poder Judiciário, restabelecendo a plena liberdade de imprensa”, manifestou-se a entidade.

Ações

No total, o governo estadual impetrou 18 ações contra o jornal O Estado e também contra o site Imirante, que pertence ao mesmo grupo de comunicação do matutino.

Deste total, oito dizem respeito especificamente ao episódio do aluguel da Clínica Eldorado, que passou por uma reforma de um ano – com todas as despesas pagas pela gestão – e ainda recebeu regularmente o aluguel de R$ 90 mil mensais mesmo a clínica estando fechada devido a reforma.

E das oito ações relacionadas ao aluguel camarada da Eldorado, quatro são com pedido de direito e resposta e outras quatro são por danos morais com pedido de indenização no valor de R$ 200 mil cada.

Abaixo, a íntegra  da nota da ANJ

“A Associação Nacional de Jornais (ANJ) vê com grande preocupação as decisões judiciais contrárias ao jornal O Estado do Maranhão, resultantes de ações decorrentes de matérias do jornal a respeito do governo estadual.

A ANJ assinala que a censura é proibida pela Constituição Federal e que o impedimento da livre circulação de informações, mais do que atingir veículos de comunicação, afronta um direito de toda a sociedade.

A ANJ espera que as decisões judiciais que proíbem a divulgação de informações pelo jornal O Estado do Maranhão sejam revistas por instâncias superiores do próprio Poder Judiciário, restabelecendo a plena liberdade de imprensa”.

Brasília, 18 de junho de 2018

Associação Nacional de Jornais