3

Praça inaugurada às pressas por Flávio Dino já começa a se desmontar inteira na Lagoa da Jansén…

Além de dois graves acidentes com crianças, em menos de uma semana, logradouro começa a apresentar defeitos, brinquedos se desmontam ao menor toque e até o piso já começa a se desfazer

 

Mal projetado, brinquedo instalado por Flávio Dino já causou dois acidentes em menos de uma semana...

Mal projetado, brinquedo instalado por Flávio Dino já causou dois acidentes em menos de uma semana…

A Praça da Lagoa da Jansén, construída a toque-de-caixa pelo governador Flávio Dino (PCdoB) – em meio ao abandono de toda a área – foi entregue às pressas, na semana passada, para seguir o cronograma de obras eleitorais feitas na capital para catapultar os índices de intenção de votos do prefeito Edivaldo Júnior (PDT).

Mas a praça, como tudo o que tem sido feito, às pressas pelo governo comunista, já começa a se deteriorar sozinha, em menos de uma semana.

Desde a inauguração, já foram dois os acidentes graves com crianças, em brinquedos mal planejados e mal instalados.

E a reportagem da TV Mirante, nesta sexta-feira, 1º, mostrou que outros brinquedos podem também causar acidentes, e muitos se desmontam ao menor toque.

Até o piso da praça nova já começa a se desmontar pela má qualidade da obra.

De péssima qualidade, asfalto jogado por Dino no Barramar, virou lama com as infiltrações

De péssima qualidade, asfalto jogado por Dino no Barramar, virou lama com as infiltrações

Obra sonrisal

Principal fiador do prefeito Edivaldo Júnior, Flávio Dino tem se desdobrado para evitar que a rejeição ao prefeito atinja seu governo. E para isso resolveu investir em obras meteóricas, inauguradas a toque-de-caixa, para criar a impressão de trabalho intenso em São Luís.

Mas as obras bancadas pelo governo são de péssima qualidade, a exemplo da praça da Lagoa.

Este blog já mostrou aqui a tentativa de pavimentação que a parceira governo/prefeitura iniciou na região do Barramar, pelo programa Interbairros.

Entregue em dezembro, também às pressas e sem planejamento, o asfalto desmanchou-se inteiro em menos de dois meses. E hoje, o que se vê na região são avenidas inteiras cortadas pela deterioração do asfalto sonrisal usado pela Edeconsil, empresa responsável pelo interbairros. (Releia aqui)

Obras como a da Lagoa, do Barramar, e a mais recente delas, o do retorno da Forquilha,  são claramente projetos do governo Flávio Dino para fortalecer Holandinha eleitoralmente.

Mas a péssima qualidade dos serviços pode ter efeito contrário ao esperado pelos aliados do prefeito.

É aguardar e conferir…

7

E quem vai sanar a dor da família?!?

A pequena Laura: impossível medir a dor da família…

A perda da pequena Laura Burnett Marão, de apenas 8 anos, é mais um episódio envolvendo as consequências de uma noite de bebedeira, combinada com as esdrúxulas leis brasileiras.

Laura morreu após ser vítima de uma acidente de carro quando seguia com a família para buscar a mãe no aeroporto. O caro em que estava foi atingido em cheioo por outro, dirigido por Carlos Diego Araújo Almeida, de 22 anos.

No Brasil das ONGs e dos Movimentos Sociais com poder de pressão, a vida de uma arara, por exemplo, acaba por ter mais valor que a de uma pessoa.

Qualquer cidadão que capture, explore ou venda um animais silvestres responderá na cadeia por um crime inafiançável.

Já o homem que causou o acidente que matou Laura pagou R$ 850,00 de fiança e está livre para – quem sabe? – causar mais acidentes.

Este blog sempre defendeu, defende e continuará a defender a qualidade de vida também para os animais. E continuará a denunciar atrocidades e maus tratos cometidos contra estes seres.

Mas não entende que as leis para humanos criminosos possam ser tão brandas – sobretudo no caso de alcool ao volante.

A própria Segurança Pública confirma que Diego dirigia sob efeito de alcool.

Mas, nestes casos, há sempre alguém para interpretar a lei e cumpri-la “no exercício do dever legal”.

E a dor dos pais, como sanar?!?

37

Duas vidas por R$ 10,8 mil…

Demócrito: doloso ou culposo?

Os três eram Silva.

As vítimas, Edinaldo da Silva Filho e Mairon José da Silva Torres, estavam na casa dos 20 anos, cheio de planos.

O matador era Silva duas vezes – Demócrito Silva e Silva.

Rico e bem relacionado, pagou R$ 10,8 mil pelas vidas dos dois que matou e foi liberado da delegacia onde estava “preso”. 

Segundo as notícias, policiais que atenderam a ocorrência relataram sinais de embriaguêz, tentativa de fuga, carteira de motorista vencida e documentos do veículo com pagamento atrasado.

Bebeu muito, Demócrito, constataram os policiais que atenderam ao caso. Gente simples, também, mas com a fé pública que a letra da lei simplesmente ignorou diante do poder econômico.

Como este, há muitos sobrenomes pujantes já envolvidos em crimes de trânsito esquecidos pelos “pauta zero” da vida.

Regadas, Medeiros, Cutrim, Rocha, Noronha…

Frequentadores da velha burguesia quatrocentona e dos novos ricos ludovicenses, protegidos em suas confrarias pela força do dinheiro, pelos amigos ricos e pela morosidade da Justiça que podem pagar.

Pajero, após batida que matou os motociclistas

Pelas mortes, o empresário, especialista em vinhos e reuniões da burguesia – frequentadas por bons vivants, advogados influentes, juízes de peso, políticos conhecidos e chefões da mídia – pagou R$ 10,8 mil, dinheiro levantado em menos de três horas.

É pouco provável que pague mais, se depender da Justiça.

Isto se o inquérito pelos menos chegar a ser concluído.

Se chegar a ser julgado, quem sabe um dia, terá aumentado o valor das vidas que tirou.

Doando umas cestas básicas a entidades preparadas para recebê-las nestas circunstâncias.

É o destino mais comum dos asssassinos de trânsito…

1

O lado ruim da festa….

A parcial divulgada pela Polícia Rodoviária Federal, nesta segunda-feira, apo0nta 129 mortos nas estradas federais no feriadão de carnaval.

No Maranhão, o balanço registra apenas uma morte, em 50 acidentes registrados.

O acidente fatal ocorreu na cidade de Porto Franco, no Sul do Maranhão.

O número no estado é menor que o registrado no ano passado, quando ocorreram três mortes em 58 acidentes relacionados ao carnaval.

Ainda não há levantamentos sobre o número de ocorrências policiais – assaltos, roubos e assassinatos.

É o lado ruim da festa, que também precisa ser mostrado…