0

As mil vidas perdidas no Maranhão para a coVID-19…

Estado tem cerca de 3% do total de mortos no Brasil e chega ao patamar superior a 1,5 mil casos por dia, com alastramento do coronavírus pelo interior

 

São 1.028 perdas no Maranhão.

Mais de mil vidas vencidas pela coVID-19, número jamais atingido por nenhuma tragédia conhecida no estado.

E os casos seguem crescendo, sobretudo no interior, que se transformou no novo epicentro da doença no Maranhão.

Os riscos de colapso são cada vez maiores, diante de uma flexibilização generalizada em todos os municípios.

o número de mortes no estado representa algo em torno de 3% do total de mortes no Brasil, que ontem superou o patamar de 31 mil.

Também no Brasil, a flexibilização tem gerado aumento no número de casos…

1

Volta do comércio é teste, admite Flávio Dino…

Governador revelou em entrevista coletiva que o retorno de algumas atividades comerciais a partir da próxima segunda-feira, 25, faz parte de uma tentativa de dar seguimento à vida normal, mas não detalhou os riscos deste experimento

 

Flávio Dino não tem garantias – ou pelo menos não as apresentou – de que a abertura do comércio será sem riscos para a contaminação de coVID-19

Trata-se de um experimento a tentativa do governador Flávio Dino (PCdoB) de voltar à normalidade a partir da próxima segunda-feira, 25, com a reabertura de algumas atividades comerciais.

O teste foi admitido pelo próprio governador em sua entrevista coletiva da tarde desta quinta-feira, 21.

Dino autorizou a abertura de pequenas empresas, de porte familiar, em que trabalham apenas o dono e seus parentes.

 “Se a experiência não funcionar”, o governador recuará, admitiu ele durante a entrevista.

Mas Flávio Dino, em momento algum, apresentou qualquer estudo que estimasse número de vidas que poderiam se perder em caso de um recrudescimento no número de casos da coVID-19 durante o período de abertura comercial.

Em outras palavras, o “experimento” comunista pode ser a a primeira fase da volta ao normal no Maranhão.

Mas pode levar a novas mortes no estado…

1

Eduardo Braide cobra nomeação de policiais em formação…

Deputado federal diz que governo Bolsonaro já enviou ajuda financeira para compensar perdas causadas pela pandemia, que poderá ser usada no pagamento dos novos agentes de segurança

 

Eduardo Braide tem sido uma das voes políticas mais efetivas na defesa da categoria dos policiais e bombeiros militares

O deputado federal Eduardo Braide (Podemos) cobrou hoje do governo Flávio Dino (PCdoB) a nomeação dos policiais militares que estão em formação no Maranhão.

Segundo ele, muitos PMs estão fora de combate por causa da pandemia de coronavírus, o que reforça a importância de ter mais homens nas forças policiais.

– No Congresso, já aprovamos a ajuda financeira ao Maranhão para compensar as perdas causadas pela pandemia. Não há mais o que esperar – ressaltou o parlamentar.

Policiais militares que já perderam a vida durante a pandemia de coronavírus para a coVID-19; outros cinco morreram depois deste mosaico

Na semana passada, o blog Marco Aurélio D’Eça publicou post revelando o total de policiais militares que já perderam a vida durante a pandemia de coVId-19. (Relembre aqui)

De lá para cá, pelo menos outros cinco já tiveram óbito por causa da doença.

Flávio Dino tem agido para compensar as perdas de profissionais no setor da Saúde, com contratação de novos médicos, enfermeiros e técnicos; e também tentando atrair estrangeiros. (Saiba mais aqui) 

Mas não há nenhuma ação para reforçar as forças de segurança, cujos membros vêm reclamando de rotinas estafantes e sem a devida proteção contra o coronavírus. 

2

Morre o jornalista Alfredo Menezes…

Ex-editor de Esportes do jornal O EstadoMaranhão faleceu na manhã desta segunda-feira, 27, segundo familiares; ainda não há informações oficiais sobre a causa da morte, suspeita de CoVID-19

 

Alfredo Menezes. Mais de 40 anos dedicado ao jornalismo esportivo no Maranhão

Morreu na manhã desta segunda-feira, 27, o jornalista Alfredo Menezes.

Vascaino apaixonado, Menezes foi editor de esportes do jornal O EstadoMaranhão e editor da coluna Esporte Amador, por mais de 30 anos.

– Comunico com tristeza que o meu tio Alfredo acabou de falecer – disse uma das sobrinhas do jornalista, em contato com o blog.

Aposentado há cinco anos, Menezes mantinha contato com os colegas de profissão, sempre falando da sua paixão pelo Vasco.

O blog Marco Aurélio D’Eça sente mais esta perda na imprensa maranhense…

2

Abandonado, Coroado registra mortes suspeitas de CoVID-19…

Uma profusão de doentes com suspeita de contaminação pelo coronavírus foram registradas nos últimos dias, em meio a um crescente número de pessoas acamadas sem acesso a hospitais e sem poder fazer testes

 

Além das dificuldades de estruturam, moradores do Coroado agora têm que conviver, sozinhos, com os riscos do coronavírus

Uma das comunidades mais abandonadas pelo poder público maranhense, o Coroado – muitas vezes confundido com o Coroadinho – se transformou nos últimos dias em um foco de suspeitas de CoVID-19.

Em meio a uma série de pessoas doentes, com sintomas da contaminação por coronavírus, pelo menos duas mortes foram registradas nesta quinta-feira, 23, sem que as famílias pudessem, ao menos, ter a certeza de que foram vítimas da pandemia.

O blog Marco Aurélio D’Eça denunciou ontem o descaso com pacientes oriundos do Coroado, que enfrentam dificuldades de atendimento e até para fazer testes de CoVID-19.

Exatamente um desses pacientes acabou perdendo a vida no final da tarde.

Praticamente não há nenhuma rua do bairro em que não haja pelo menos um morador acamado com os sintomas da contaminação por coronavírus.

Em algumas ruas são três ou quatro casos suspeitos, muitos dos quais foram diversas vezes aos postos de atendimento e foram mandados de volta pra casa.

A realidade das ruas no Coroado – provavelmente a mesma em diversas outras comunidades carentes – não condiz com a propaganda do poder público, que fala de aumento de leitos, de compra de respiradores e de testes, sem que isso alcance quem de fato necessita.

E as mortes começam a proliferar em meio ao abandono…

6

Governo inclui já enterrados em lista de mortos pelo coronavírus no MA

Mortes anunciadas nas últimas 24 horas são de pessoas já sepultadas há pelo menos uma semana, mas a forma da divulgação dá a impressão de uma escalada da coVID-19 e apavora a população em isolamento social

 

Alguns dos mortos anunciados pelo governo maranhense como vítimas da coVID-19 já estavam enterrados há dias quando a lista saiu (imagem meramente ilustrativa)

O governo do Maranhão tem adotado uma prática confusa na divulgação das mortes por coVID-19, o que acaba levando a um pânico desnecessário à população, que já vive a ansiedade do isolamento social.

Dentre as últimas sete mortes anunciadas entre a segunda e a terça-feira, por exemplo, boa parte já estava enterrada há semanas.

Mas a forma como a Secretaria de Saúde – e o próprio governador Flávio Dino (PCdoB)  – fizeram o anúncio, deu a impressão de que as mortes aconteceram nas últimas 24 horas.

E passou a ideia de uma escalada nos casos de coVID-19. 

O problema ocorre por que há duas situações não devidamente esclarecidas pelas autoridades de saúde do Maranhão;

 1 – quantos pacientes estão sendo monitorados – no hospital ou em casa – já com o diagnóstico oficial para coVID-19?

2 – quantos pacientes morreram com suspeita de contaminação pelo coronavírus e sem que o resultado do exame para coVID-19 tenha sido divulgado antes do enterro?

Em outras palavras, nem todas as mortes anunciadas pelo governo ocorreram exatamente no período em que foram anunciadas. 

O governo maranhense precisa encontrar formas de separar essas informações e as divulgar claramente, sob pena de gerar ainda mais pânico na população confinada.

A menos que seja esse o objetivo das autoridades…

0

Andrea denuncia Flávio Dino na Procuradoria Geral da República…

Andrea Murad: denúncia contra Flávio Dino

A deputada estadual Andrea Murad protocolou nesta quarta-feira (18) uma representação denunciando o governador Flávio Dino no envolvimento do esquema de desvios de recursos da saúde, revelado por Mariano de Castro Silva. A denúncia foi direcionada à Procuradoria Geral da República.

“Entrei com uma representação na Procuradoria Geral da República, para a procuradora geral Raquel Dodge, em Brasília, contra o governador Flávio Dino para que ele seja investigado e seja apurada a sua responsabilidade como chefe do esquema de desvios na SES que resultou no suicídio do médico. Esse caso do Mariano, foram fatos gravíssimos, ele deixou claro que o governador faz parte desse esquema como figura maior. Não podemos restringir esse escândalo em torno dos funcionários apenas da saúde. Não foram atos isolados e a carta de Mariano demonstra isso claramente. A carta cita Flávio Dino, Carlos Lula e sua esposa, a carta cita Marcos Pacheco e cita Karla Trindade, a adjunta e militante do PCdoB”, disse a deputada.

Na Representação, a deputada narra os acontecimentos dos últimos dias, em decorrência da publicação das cartas de Mariano, que culminaram na morte do ex-assessor do governo, e apontado pela Polícia Federal, na Operação Pegadores, como o operador do esquema de desvios na saúde. 

“Como Vossa Excelência pode perceber o caso é muito sério, envolve diretamente um governador de Estado (que tem foro no STJ), há provas e indícios de organização criminosa, peculato e lavagem de dinheiro, afora outros ilícitos que estão ocultos na gigantesca engrenagem criminosa que o representado-governador montou no Maranhão. É urgente que Vossa Excelência adote as medidas cabíveis e necessárias para fazer cessar os ilícitos e, para tanto, requer que seja pedida a abertura de inquérito junto ao STJ ou abertura de procedimento para ensejar rápida e eficaz apuração de todos os fatos e pessoas mencionadas nos documentos (relatório e carta) produzidos por Mariano de Castro Silva”, cita a representação. 

A parlamentar fez a leitura completa da Representação para registro nos anais da Assembleia Legislativa e discorreu sobre o caos em que se encontra a Saúde Pública no Maranhão, fruto da má gestão do governador Flávio Dino e reflexo das irregularidades e desvios denunciados na carta de Mariano, divulgada pela imprensa.

“É por isso a péssima prestação de serviços nas unidades do estado.  Demonstrando uma completa desorganização, má gestão da saúde pública. Sistema capenga, irregular, hospitais com falta de materiais, falta de medicamentos, médicos com salários atrasados, enfermeiros sem receber o salário da convenção coletiva de trabalho. Empregados sem décimo terceiro, sem direito a férias, com todos os direitos trabalhistas e constitucionais desrespeitados. É retirado o pouco que os trabalhadores já têm para outras finalidades. E tira dos médicos, dos enfermeiros, dos medicamentos, dos serviços dos pacientes. E esse caos que está na saúde é reflexo de todos esses acontecimentos que ocorrem na gestão de Flávio Dino, de 2015 pra cá. Hoje a saúde estadual no maranhão está completamente falida”, discursou Andrea.

4

Há outro morto na conta do comunismo maranhense…

Ao relacionar as mortes violentas resultantes de ações diretas de agentes do governo – ou por influência de situações envolvendo a própria gestão – blog foi alertado por leitor sobre o caso envolvendo o delegado Alex Aragão, que se matou após ser transferido sem explicações

 

O delegado Alex Aragão: mais um suicídio com ligação, ainda que indireta, com as ações do governo comunista

Este blog relacionou na segunda-feira, 16, pelo menos quatro mortes de cidadãos maranhenses resultantes de ação direta de agentes do governo comunista de Flávio Dino ou por influência de situações criadas pela gestão.

Foram citados, além do médico Mariano de Castro – encontrado morto na semana passada, após revelação de uma carta em que ele denúncia auxiliares do governador com a corrupção que desviou R$ 18 milhões dos cofres da Saúde – também o mecânico Irialdo Batalha, o empresário Francisco Edinei Lima e o estudante Fagner dos Santos. (Releia aqui)

Mas um leitor atento alertou para o fato de existir pelo menos mais uma morte relacionada ao governo comunista, inclusive já relatada pelo próprio blog.

No dia 11 de janeiro de 2016, este blog publicou o post “A carta do delegado…”.

Tratava-se de uma análise da morte do delegado Alex Aragão, que se matou em Teresina, após ser transferido de Coroatá para o município de São Raimundo das Mangabeiras.

Aragão também deixou uma carta – a exemplo do médico Mariano de Castro –  cujo conteúdo jamais foi divulgado pela polícia maranhense.

E em uma troca de mensagens com um colega – também publicada no blog – ele revela sua depressão com o governo que o transferiu: “Fui muito prejudicado por esse pessoal”, disse ele.

Com o caso de Alex Aragão sobem para cinco os cadáveres resultantes de ações diretas ou indiretas do governo comunista.

E o Maranhão segue assolado por eles…

4

Os cadáveres do governo Flávio Dino…

Comunistas e atrelados tentam jogar uma cortina de fumaça sobre a cobertura da imprensa, e escondem o fato de que o médico Mariano de Castro é só mais um dos mortos produzidos, de uma forma ou de outra, durante este mandato

 

Mariano de Castro foi o mais recente cadáver produzido no mandato do comunista Flávio Dino no Maranhão. Há vários outros

Editorial

O Palácio dos Leões insiste em desviar o assunto da morte do médico Mariano de Castro e Silva – inclusive com questionamentos tolos à cobertura da imprensa independente – sem assumir o principal.

O que não há como Flávio Dino negar é que seu governo, sua estrutura política, os esquemas de corrupção encontrados pela polícia em seu governo, levaram à morte de Mariano de Castro.

Mas este não é o único cadáver na sala do comunismo maranhense.

O governo de Flávio Dino já produziu, de uma forma ou de outra, inúmeras mortes, seja por incompetência de seus agentes, seja pela corrupção pura e simples.

Irialdo Batalha foi executado em praça pública, com direito a vídeos do momento do crime

Quem não se lembra do mecânico Irialdo Batalha, executado em praça pública por um vigilante que fazia as vezes de policial, com cobertura dos próprios policiais militares de Arari? (Relembre aqui)

Não há como negar que esta tenha sido uma morte estatal, típica dos regimes totalitários.

Jaula onde morreu o empresário Francisco Edinei, preso por dirigir bêbado e morto ao ser exposto ao sol inclemente

E o empresário Francisco Edinei Lima e Silva, de Barra do Corda, preso e exposto em uma jaula a sol a pino nos fundos da delegacia do município – e sob protestos de familiares e amigos? (Releia aqui)

Outra morte estatal.

Corpo do jovem Fagner dos Santos, exposto após ação truculenta, desastrada e mal organizada da Polícia Militar, hoje aparelhada pelos comunistas

O caso envolvendo o jovem Fagner Barros dos Santos, assassinado durante uma desocupação truculenta promovida pela Polícia Militar, numa aula de tudo o que não se deve fazer em um evento como este, é outra morte estatal. (Relembre aqui)

Todos esses casos guardam um efeito comum: o ataque violento do governo comunista à imprensa, diante da falta de explicação para os fatos.

Flávio Dino e seu comunismo assolam o Maranhão há quase quatro anos.

E os cadáveres deste período vão se amontoando na história…

3

Respeite o Maranhão Flávio Dino!!!

Governo comunista insiste em manter presos no gaiolão de Barra do Corda, mesmo depois da morte de empresário, em um exemplo de desprezo à opinião pública e à comoção popular

 

DESRESPEITO. Imagem da TV Mirante mostram os presos no gaiolão recebendo visitas, um desdém de Flávio Dino

Quase duas semanas depois da morte de um empresário na “gaiola humana” da Delegacia de Barra do Corda, o governo Flávio Dino (PCdoB) mantém presos na mesma jaula a céu aberto.

É um desrespeito à dor da família, um desrespeito à comoção popular e um desrespeito à opinião pública maranhense.

Na manhã desta quinta-feira, 19, em nota encaminhada à TV Mirante, a Secretaria de Administração Penitenciária insistiu na versão de que a jaula serve apenas para o banho de sol dos presos.

Mas as imagens gravadas pela Mirante mostram que os presos continuavam na jaula, ontem, por volta das 15h, a um sol de 40°. E era no local que os presos recebiam a visita de familiares, sob a guarda de um vigilante.

A gaiola de Barra do Corda – cuja interdição já foi pedida pelo Ministério Público – é mais um acinte do governo comunista ao povo maranhense.

Como ocorre também em outros setores…