0

Andrea denuncia Flávio Dino na Procuradoria Geral da República…

Andrea Murad: denúncia contra Flávio Dino

A deputada estadual Andrea Murad protocolou nesta quarta-feira (18) uma representação denunciando o governador Flávio Dino no envolvimento do esquema de desvios de recursos da saúde, revelado por Mariano de Castro Silva. A denúncia foi direcionada à Procuradoria Geral da República.

“Entrei com uma representação na Procuradoria Geral da República, para a procuradora geral Raquel Dodge, em Brasília, contra o governador Flávio Dino para que ele seja investigado e seja apurada a sua responsabilidade como chefe do esquema de desvios na SES que resultou no suicídio do médico. Esse caso do Mariano, foram fatos gravíssimos, ele deixou claro que o governador faz parte desse esquema como figura maior. Não podemos restringir esse escândalo em torno dos funcionários apenas da saúde. Não foram atos isolados e a carta de Mariano demonstra isso claramente. A carta cita Flávio Dino, Carlos Lula e sua esposa, a carta cita Marcos Pacheco e cita Karla Trindade, a adjunta e militante do PCdoB”, disse a deputada.

Na Representação, a deputada narra os acontecimentos dos últimos dias, em decorrência da publicação das cartas de Mariano, que culminaram na morte do ex-assessor do governo, e apontado pela Polícia Federal, na Operação Pegadores, como o operador do esquema de desvios na saúde. 

“Como Vossa Excelência pode perceber o caso é muito sério, envolve diretamente um governador de Estado (que tem foro no STJ), há provas e indícios de organização criminosa, peculato e lavagem de dinheiro, afora outros ilícitos que estão ocultos na gigantesca engrenagem criminosa que o representado-governador montou no Maranhão. É urgente que Vossa Excelência adote as medidas cabíveis e necessárias para fazer cessar os ilícitos e, para tanto, requer que seja pedida a abertura de inquérito junto ao STJ ou abertura de procedimento para ensejar rápida e eficaz apuração de todos os fatos e pessoas mencionadas nos documentos (relatório e carta) produzidos por Mariano de Castro Silva”, cita a representação. 

A parlamentar fez a leitura completa da Representação para registro nos anais da Assembleia Legislativa e discorreu sobre o caos em que se encontra a Saúde Pública no Maranhão, fruto da má gestão do governador Flávio Dino e reflexo das irregularidades e desvios denunciados na carta de Mariano, divulgada pela imprensa.

“É por isso a péssima prestação de serviços nas unidades do estado.  Demonstrando uma completa desorganização, má gestão da saúde pública. Sistema capenga, irregular, hospitais com falta de materiais, falta de medicamentos, médicos com salários atrasados, enfermeiros sem receber o salário da convenção coletiva de trabalho. Empregados sem décimo terceiro, sem direito a férias, com todos os direitos trabalhistas e constitucionais desrespeitados. É retirado o pouco que os trabalhadores já têm para outras finalidades. E tira dos médicos, dos enfermeiros, dos medicamentos, dos serviços dos pacientes. E esse caos que está na saúde é reflexo de todos esses acontecimentos que ocorrem na gestão de Flávio Dino, de 2015 pra cá. Hoje a saúde estadual no maranhão está completamente falida”, discursou Andrea.

4

Há outro morto na conta do comunismo maranhense…

Ao relacionar as mortes violentas resultantes de ações diretas de agentes do governo – ou por influência de situações envolvendo a própria gestão – blog foi alertado por leitor sobre o caso envolvendo o delegado Alex Aragão, que se matou após ser transferido sem explicações

 

O delegado Alex Aragão: mais um suicídio com ligação, ainda que indireta, com as ações do governo comunista

Este blog relacionou na segunda-feira, 16, pelo menos quatro mortes de cidadãos maranhenses resultantes de ação direta de agentes do governo comunista de Flávio Dino ou por influência de situações criadas pela gestão.

Foram citados, além do médico Mariano de Castro – encontrado morto na semana passada, após revelação de uma carta em que ele denúncia auxiliares do governador com a corrupção que desviou R$ 18 milhões dos cofres da Saúde – também o mecânico Irialdo Batalha, o empresário Francisco Edinei Lima e o estudante Fagner dos Santos. (Releia aqui)

Mas um leitor atento alertou para o fato de existir pelo menos mais uma morte relacionada ao governo comunista, inclusive já relatada pelo próprio blog.

No dia 11 de janeiro de 2016, este blog publicou o post “A carta do delegado…”.

Tratava-se de uma análise da morte do delegado Alex Aragão, que se matou em Teresina, após ser transferido de Coroatá para o município de São Raimundo das Mangabeiras.

Aragão também deixou uma carta – a exemplo do médico Mariano de Castro –  cujo conteúdo jamais foi divulgado pela polícia maranhense.

E em uma troca de mensagens com um colega – também publicada no blog – ele revela sua depressão com o governo que o transferiu: “Fui muito prejudicado por esse pessoal”, disse ele.

Com o caso de Alex Aragão sobem para cinco os cadáveres resultantes de ações diretas ou indiretas do governo comunista.

E o Maranhão segue assolado por eles…

4

Os cadáveres do governo Flávio Dino…

Comunistas e atrelados tentam jogar uma cortina de fumaça sobre a cobertura da imprensa, e escondem o fato de que o médico Mariano de Castro é só mais um dos mortos produzidos, de uma forma ou de outra, durante este mandato

 

Mariano de Castro foi o mais recente cadáver produzido no mandato do comunista Flávio Dino no Maranhão. Há vários outros

Editorial

O Palácio dos Leões insiste em desviar o assunto da morte do médico Mariano de Castro e Silva – inclusive com questionamentos tolos à cobertura da imprensa independente – sem assumir o principal.

O que não há como Flávio Dino negar é que seu governo, sua estrutura política, os esquemas de corrupção encontrados pela polícia em seu governo, levaram à morte de Mariano de Castro.

Mas este não é o único cadáver na sala do comunismo maranhense.

O governo de Flávio Dino já produziu, de uma forma ou de outra, inúmeras mortes, seja por incompetência de seus agentes, seja pela corrupção pura e simples.

Irialdo Batalha foi executado em praça pública, com direito a vídeos do momento do crime

Quem não se lembra do mecânico Irialdo Batalha, executado em praça pública por um vigilante que fazia as vezes de policial, com cobertura dos próprios policiais militares de Arari? (Relembre aqui)

Não há como negar que esta tenha sido uma morte estatal, típica dos regimes totalitários.

Jaula onde morreu o empresário Francisco Edinei, preso por dirigir bêbado e morto ao ser exposto ao sol inclemente

E o empresário Francisco Edinei Lima e Silva, de Barra do Corda, preso e exposto em uma jaula a sol a pino nos fundos da delegacia do município – e sob protestos de familiares e amigos? (Releia aqui)

Outra morte estatal.

Corpo do jovem Fagner dos Santos, exposto após ação truculenta, desastrada e mal organizada da Polícia Militar, hoje aparelhada pelos comunistas

O caso envolvendo o jovem Fagner Barros dos Santos, assassinado durante uma desocupação truculenta promovida pela Polícia Militar, numa aula de tudo o que não se deve fazer em um evento como este, é outra morte estatal. (Relembre aqui)

Todos esses casos guardam um efeito comum: o ataque violento do governo comunista à imprensa, diante da falta de explicação para os fatos.

Flávio Dino e seu comunismo assolam o Maranhão há quase quatro anos.

E os cadáveres deste período vão se amontoando na história…

3

Respeite o Maranhão Flávio Dino!!!

Governo comunista insiste em manter presos no gaiolão de Barra do Corda, mesmo depois da morte de empresário, em um exemplo de desprezo à opinião pública e à comoção popular

 

DESRESPEITO. Imagem da TV Mirante mostram os presos no gaiolão recebendo visitas, um desdém de Flávio Dino

Quase duas semanas depois da morte de um empresário na “gaiola humana” da Delegacia de Barra do Corda, o governo Flávio Dino (PCdoB) mantém presos na mesma jaula a céu aberto.

É um desrespeito à dor da família, um desrespeito à comoção popular e um desrespeito à opinião pública maranhense.

Na manhã desta quinta-feira, 19, em nota encaminhada à TV Mirante, a Secretaria de Administração Penitenciária insistiu na versão de que a jaula serve apenas para o banho de sol dos presos.

Mas as imagens gravadas pela Mirante mostram que os presos continuavam na jaula, ontem, por volta das 15h, a um sol de 40°. E era no local que os presos recebiam a visita de familiares, sob a guarda de um vigilante.

A gaiola de Barra do Corda – cuja interdição já foi pedida pelo Ministério Público – é mais um acinte do governo comunista ao povo maranhense.

Como ocorre também em outros setores…

0

Vigilância Sanitária suspende venda de “Noz da Índia” no Maranhão…

Após morte de uma funcionária do Tribunal de Justiça por suposto uso do produto, órgão do Governo do Estado decidiu agir, fechando a porta depois de arrombada

 

A Noz da Índia pode ser confundida com sementes tóxicas; e aí pode estar o problema

Só após a polêmica envolvendo a morte de uma servidora do Tribunal de Justiça, por suposto uso do produto conhecido por “Noz da Índia”, a Superintendência de Vigilância Sanitária do Maranhão decidiu suspender a comercialização do produto em todo o estado.

– A Suvisa informa que o produto, indicado para emagrecimento, não possui comprovação da eficácia e da segurança do seu uso, além de não possuir registro no Ministério da Saúde – afirma nota.

A “Noz da Índia é vendida livremente em todo o país há pelo menos dois anos, sem nenhuma fiscalização.

A própria Vigilância Sanitária maranhense reconhece em sua nota que o produto vem sendo comercializado, mesmos em registro.

A Suvisa admite também “relatos recentes de pessoas doentes” após uso do produto.

Mas só agora, após a primeira suspeita de morte relacionada à semente, é que o órgão de vigilância resolve agir.

E ainda faz o alerta tardio:

– Por fim, a Superintendência esclarece que por se tratar de produto sem registro, os estabelecimentos que estão comercializando a Noz da Índia estarão sujeitos às penalidades sanitárias previstas em lei.

É simples assim?!?

4

Hildo Rocha culpa governo pela morte de queimados no massacre de Pirapemas…

Queimados de Pirapemas; quatro já perderam a vida diante do desprezo de Flávio Dino

Queimados de Pirapemas; quatro já perderam a vida diante do desprezo de Flávio Dino

O deputado federal Hildo Rocha (PMDB), em pronunciamento na Câmara Federal, criticou a falta de assistência, por parte do governo estadual, às vitimas do massacre ocorrido no povoado Tiquaras, na zona rural de Pirapemas.

“Hoje morreu a quarta vitima por falta de responsabilidade, por falta de sensibilidade do governador comunista do Maranhão. Flavio Dino deixou uma família morrer por falta de assistência de saúde”, destacou o parlamentar.

Assalto frustrado

O caso aconteceu na noite de terça-feira, 19, quando assaltantes decidiram incendiar a casa de uma família que acabara de ser assaltada. Seis pessoas que estavam na casa sofreram fortes queimaduras porque os ladrões tocarem fogo na casa e ainda jogaram gasolina nas vitimas porque estas não deram o dinheiro que os exigiam.

Hildo Rocha cobra responsabildades do governo Flávio Dino

Hildo Rocha cobra responsabildades do governo Flávio Dino

Vitimas não tiveram apoio do governo estadual

Rocha criticou o governo pela falta de apoio às vitimas.

“O governo não deu assistência. Jogaram as vitimas no Socorrão II. Sendo que naquela casa de saúde não tem nenhuma estrutura para tratar de queimados no estagio que eles se encontravam. O secretário de saúde do Maranhão sabe disso. O governador Flavio Dino se não sabe deveria saber. Essas pessoas deveriam ter sido encaminhadas para o hospital de Goiânia, que é especializado, é referência no atendimento de pessoas vitimas de queimaduras de alto grau”, declarou Rocha.

As mortes

A primeira vítima do assalto em Pirapemas foi Raimundo da Conceição Frazão, que morreu quinta-feira 21/07.  A segunda morte a ser confirmada foi a de Francineth da Silva Frazão, na terça-feira 26/07.

Na segunda-feira, 1º de agosto, morreu Rosilene da Silva Santos.

A quarta vítima a perder a vida foi Rivelino Marques de Araújo, quarta-feira, 03/08.

1

“Não fraquejou diante dos perigos”, diz associação sobre PM morto em Tufilândia…

A Associação Independente dos Oficiais da Polícia Militar emitiu Nota de Pesar, neste sábado, 18, para lamentar a morte do soldado PM Edelfran Caldas Silva, em Tufilândia, no interior maranhense. O policial foi morto em combate, durante assalto à agência dos Correios da cidade, na última sexta-feira, 17. “Um cidadão de bem, honrado, que cai de pé, cumprindo a sua missão, mesmo com o risco da própria vida”, diz a nota, assinada pelo major Raimundo Mulundú Martins Serra Júnior. Leia a íntegra abaixo:

pesar

7

Buracos e morte na BR-135…

Apenas um dia depois da forte repercussão causada por buracos na BR-135, a professora Ana Lúcia Duarte Silva foi assassinada durante um assalto, causado exatamente pela redução da velocidade na rodovia

 

A professora Lúcia Duarte: morte na BR

A professora Lúcia Duarte: morte na BR

Este blog divulgou ontem a indignação de um motorista com a situação da BR-135, totalmente esburacada em um longo trecho na entrada de São Luís.

Um dia depois do reclame, o trecho registra uma vítima fatal.

Motorista conserta um dos vários carros com pneus furados nos buracos da BR-135

Motorista conserta um dos vários carros com pneus furados nos buracos da BR-135

A professora Ana Lúcia Duarte Silva foi assassinada durante um assalto, na madrugada de hoje, quando teve que reduzir a velocidade para superar os buracos.

Cínico, o Denit encaminhou mais uma nota-padrão, alegando que o trecho está em constante recuperação.

É o retrato do Brasil…

2

Os números da violência no Maranhão e os interesses do governo comunista…

Enquanto governo Flávio Dino comemora a redução dos homicídios, aumentam os ataques a agências bancárias e caixas eletrônicos, exatamente como previu a Sociedade Maranhense dos Direitos Humanos

 

Para o governo interesa esconder o número de mortes, geralmente fruto da guerra entre bandidos...

Para o governo interesa esconder o número de mortes, geralmente fruto da guerra entre bandidos…

O Governo Flávio Dino (PCdoB) deve comemorar a redução do número de homicídios no Maranhão em 2015, na comparação com 2014. Foi o que apontou relatório mundial sobre o tema.

Ao mesmo tempo, porém, o índice de explosões de caixas eletrônicos e ataques a agências bancárias no interior do estado chegaram a índices nunca vistos na história: são 16 nos últimos 33 dias.

É um caixa indo para o ares a cada dois dias no Maranhão.

...Em troca disto, bancos são explodidos quase que diariamente, pelas mesmas facções que deixaram de se matar

…Em troca disto, bancos são explodidos quase que diariamente, pelas mesmas facções que deixaram de se matar

É preciso relembrar o que disseram os membros da Sociedade Maranhense dos Direitos Humanos logo no início do ano.

– Diminuem os crimes contra a vida, que são resultantes dessa briga de execuções entre facções, e aumenta os crimes contra o patrimônio, que tem como base exatamente o assalto, o roubo – declarou, ao portal G1, no dia 1º de janeiro, o historiador Wagner Cabral, membro da SMDH. (Releia aqui)

Foi Cabral, e seu amigo advogado Antônio Pedrosa os responsáveis por denunciar o acordo do governo Flávio Dino com as facções criminosas que dominam o Complexo de Pedrinhas.

Com o sistema de governo comunista – levando-se em conta o posicionamento dos Direitos Humanos – o Maranhão parece ter ganhado uma nova modalidade de relação entre estado e crime.

Sistema em que o estado define onde o crime pode atuar.

Onde, o que importa, são os números.

Simples assim…

0

Associação de jornalistas protesta contra falta de respostas à morte de blogueiros…

Diniz e Lano: executados por incomodar políticos

Diniz e Lano: executados por incomodar políticos

A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) emitiu Nota Pública cobrando esclarecimentos das autoridades sobre a execução dos blogueiros Ítalo Diniz e Orislândio Roberto Araújo, o Roberto Lano, executados num prazo de duas semanas no interior maranhense.

Até agora, nenhum suspeito foi preso pelos crimes, e chama atenção o desinteresse da polícia pelo caso.

– É preciso esclarecer se as execuções foram consequência do que os blogueiros publicavam e punir os responsáveis. Só assim será possível evitar novos crimes contra a liberdade de expressão – diz a nota da Abraji. (Leia a matéria completa aqui)

Ítalo Diniz foi morto em Governador Nunes Freire por dois homens em uma moto. pouco mais de uma semana depois foi a vez de Roberto Lano, também executado por motoqueiros não identificados.

O Mais grave, para a Associação de Jornalismo Investigativo, é que os crimes têm clara conotação política.

E esperam respostas das autoridades…