3

Outros traídos por Flávio Dino….

Governador não apenas rejeitou aqueles que o ajudaram a chegar ao poder como perseguiu e praticamente expulsou do seu próprio PCdoB os que ousaram ter posição mais independente

 

Rose Sales, sempre tratada com grosseria por Flávio Dino; observe ao fundo Márcio jardim, que preferiu engolir sapos no Palácio dos Leões

A já histórica matéria “Coleção de traídos”, assinada pelo titular deste blog, na edição de domingo, 4, de O EstadoMaranhão – e que gerou o quadro “ingratidão, traição e aliados descartados, que virou meme de internet (relembre aqui) – tem levado a reflexões sobre a postura ingrata do governador Flávio Dino (PCdoB).

E a cada comentário ou conversa sobre o tema, surgem novas vítimas da perseguição comunista nestes quatro anos de poder.

Um dos exemplos mais claros é o da ex-vereadora Rose Sales.

Filiada ao PCdoB e apoiadora de Flávio Dino tanto nas eleições de 2008 quanto na de 2010 e 2014, Rose foi perseguida até deixar a legenda, por que ousou pensar diferente do chefe do governo e do seu lugar-tenente, Márcio Jerry, chefe do partido.

E quem não se lembra do grosseiro “Eu que mando!!!”, com o qual o próprio Flávio Dino respondeu à ex-vereadora sobre a unidade de ressocialização da Aurora?, abordado no blog de Gilberto Léda? (Entenda aqui)

Luiz Pedro, comunista histórico relegado por Flávio Dino e Márcio Jerry aos escalões inferiores do partido

Outro comunista perseguido dentro do próprio partido, como bem lembrou o colega Robert Lobato e,m seu blog, é o jornalista e ex-deputado Luiz Pedro. (Leia aqui)

Há outros comunistas, petistas, pedetistas e esquerdidas militantes da política e dos movimentos sociais perseguidos por Flávio Dino.

E os ressentidos, que preferem-se submeter aos insultos a tomar rumo diferente.

Mas esta é uma outra história…

2

O caos comunista no pós-José Reinaldo…

Membros do próprio partido do governador se atacam publicamente, outro chama o comunista de “filho da puta” e mais de uma centena de prefeitos manifestam desejo de pular do barco, numa das mais virulentas rebordosas de um rompimento político no Maranhão

 

COMUNISTA X COMUNISTA. Portela e Cutrim desancam-se mutuamente, em uma mostra do momento de descontrole do PCdoB no Maranhão

A hecatombe causada pela decisão do ex-governador José Reinaldo Tavares (sem partido) de se afastar do governador Flávio Dino (PCdoB) tem gerado cada vez mais caos no seio do comunismo maranhense.

Além da manifestação de bastidores de mais de 100 prefeitos em favor de José Reinaldo – confirmando a mesma impressão de que Flávio Dino é um ingrato – os bate-boca público entre os próprios membros do PCdoB demonstra o momento de fragilidade do governo.

Filiados no mesmo partido do governador e colegas de profissão, o deputado Raimundo Cutrim e o secretário de Segurança Jefferson Portela se agridem publicamente desde o início da semana.

Cutrim diz que Portela cometeu erros que podem anular a operação que desbaratou uma quadrilha de contrabandistas; em resposta, Portela chama Cutrim de “Besta-fera” e “Demônio”, e sugere que o ex-secretário manipulou casos rumorosos. (Leia aqui)

XINGOU ATÉ A MÃE. Levi Pontes partiu pra crime do governador na confissão de mais um crime eleitoral

No caos comunista do pós-José Reinaldo sobrou até para o próprio Flávio Dino, chamado de “filho da puta” pelo deputado Levi Pontes, do seu próprio partido.

“Botar retrato de macho dentro de casa… Até no meu quarto de dormir eu tirei o da mulher e botei o dele. Não é possível que esse filho da puta [Flávio Dino] não me ajude […] Mão lavada, lava a outra. Se eu tô ajudando ele, então ele tem que me ajudar. Não tem comida de graça”, disse Pontes. (saiba mais aqui)

O descontrole público dos comunistas revela o quanto de desastre causou no seio do governo a retirada de José Reinaldo.

E pelo que se vê nos bastidores, o “Deus-nos-acuda” só tende a piorar…

3

Flávio Dino ainda tenta demover José Reinaldo…

Ciente do erro político que pode custar-lhe a reeleição, governador tem encaminhado emissários para conversar com o ex-aliado, mas a respostas deixam claro que não há mais volta, diante da ingratidão demonstrada por ele

 

ERRO FATAL. Depois do desprezo, Dino agora quer reconquistar Tavares

Pelo menos três emissários do governador Flávio Dino (PCdoB) tentaram demover o ex-governador José Reinaldo Tavares (sem partido) da decisão de se afastar do palanque comunista.

Nos últimos dias, Tavares recebeu contatos do presidente da Famem, Cleomar Tema Cunha (PSB), do vice-governador Carlos Brandão (PRB) e até do sobrinho, o chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares (PSB).

Segundo apurou o blog, Flávio Dino mandou dizer a José Reinaldo que o anunciaria como candidato a senador um dia depois de uma conversa franca entre os dois.

Ainda segundo apurou o blog, o ex-governador desautorizou o comunista a procurá-lo, para que não constrangesse nenhum dos dois.

Aos amigos em comum, Tavares tem declarado sentir-se traído por Flávio Dino e avisa que decidiu procurar melhor lugar por sentir-se rejeitado no grupo comunista.

A reação de Flávio Dino encerra duas sentenças verdadeiras:

1 – Ele acusou o golpe da reação de José Reinaldo ao seu desprezo;

2 – O governador ainda não tem convicção de sua chapa de candidatos a senador e tenta usá-la para fortalecer seu palanque.

O Palácio dos Leões está fragilizado, e José Reinaldo sabe disso.

Mas já caminha em outra direção…

2

Sebastião Madeira: mais uma vítima da ingratidão de Flávio Dino…

Ex-prefeito de Imperatriz conta em vídeo como se entregou à campanha do comunista na região tocantina – levando-o a índices de 80% de votos – e depois teve a gestão perseguida por esse mesmo comunista

 

O ex-prefeito Sebastião Madeira (PSDB) conta em vídeo que circula na internet como se deu sua relação com o governador Flávio Dino (PCdoB) e a ingratidão do comunista com sua gestão em Imperatriz.

No vídeo, em que elogia a gestão da ex-governadora Roseana Sarney (MDB), reconhece seus feitos pela região tocantina e classifica Flávio Dino de “desastre político”, Madeira diz não ter dúvida de que o comunista só não é um desastre maior por causa dos R$ 2 bilhões deixados por Roseana na conta do governo.

– Para você ter ideia do que é R$ 1 bilhão, se for contar de R$ 1,00 em R$ 1,00, 24 horas por dia, passará 33 anos para terminar; imagine R$ 2 bilhões – destacou o ex-prefeito.

Veja o vídeo acima…