2

A acirrada disputa pelo Senado…

Enquanto a eleição de governador segue polarizada entre Flávio Dino e Roseana Sarney – com Roberto Rocha e Maura Jorge ainda grudados no chão – as duas vaga de senador são disputadas por pelo menos cinco candidatos; e levará vantagem os que tiverem maior estrutura e capilaridade no estado

 

Lobão e Sarney Filho tem estrutura e candidato forte ao governo; Weverton e Eliziane apostam na estrutura do governo e José Reinaldo segue em faixa própria

As duas últimas pesquisas eleitorais divulgadas no Maranhão, a do Ibope e a da Exata – ainda que com absurda divergência nos índices para o governo – apontam para um cenário de indefinição na disputa de senador.

Efetivamente, os números mostraram que Edison Lobão (MDB), Sarney Filho (PV), Eliziane Gama (PPS), José Reinaldo Tavares (PSDB) e Weverton Rocha (PDT), não necessariamente nesta ordem, estão no páreo pelas duas vagas.

Líderes nas pesquisas, Sarney Filho e Lobão têm o aditivo da orça de Roseana

No Ibope, Lobão e Sarney Filho têm ligeira dianteira, com 27% e 26%, respectivamente, e uma espécie de enrosco entre Eliziane (17%), José Reinaldo (13%) e Weverton (11%). (Leia aqui)

A Exata confirma a liderança de Lobão e Sarney Filho (25% e 24%, respectivamente). Mas aponta para um empate técnico múltiplo entre os cinco candidatos: Weverton e José Reinaldo com 20% e Eliziane com 18%. (Veja aqui)

Neste acirramento, vencerá a disputa quem tiver estrutura e capilaridade.

Werverton e Eliziane contam coma estrutura montada em torno de Flávio Dino

Estrutura todos têm, mas é a capilaridade, ou a capacidade de se espalhar pelo estado que fará a diferença para um ou para outro.

Neste ponto, Edison Lobão e José Reinaldo, que já foram governador, levam ligeira vantagem.

Sarney Filho, Weverton Rocha e Eliziane contam com a força de seus candidatos a governador para garantir a capilaridade necessária.

Por ter estrutura própria e apoios individuais espalhados por todo o Maranhão, Weverton acaba ganhando força neste quesito, sobretudo porque a eleição de senador é uma disputa de indicações, em que o eleitor segue a orientação da liderança.

E liderança é o que não falta na campanha do pedetista.

Duas vezes candidata a prefeita de São Luís, Eliziane tem a maior densidade eleitoral dentre todos os candidatos na capital maranhense, por isso aparece entre os três candidatos mais bem posicionados numericamente.

E pode apostar na capilaridade de Flávio Dino no interior do estado.

Na chapa de Roberto Rocha, José Reinaldo corre em faixa própria na disputa pelo Senado

No fim das contas, pesará na eleição de senador também o desempenho de seus candidatos a governador.

Se Flávio Dino disparar a ponto de apontar para uma vitória em primeiro turno, pode puxar com ele Weverton e Eliziane. Se, por outro lado, for Roseana a beneficiária do crescimento na campanha, Lobão e Sarney Filho crescem juntos.

A disputa pelo Senado está, portanto, diretamente vinculada à de governador.

É aguardar e conferir…

1

Zé Reinaldo emite comunicado a Caxias para explicar mudança na suplência…

Candidato a senador pelo PSDB diz que foi obrigado pela legenda a abrir mão das duas suplências, o que sacrificou a candidatura do advogado Catulé Júnior, que já havia sido apresentado em sua chapa

 

O candidato ao Senado em evento que lançou Catulé Júnior de Caxias como suplente

O deputado federal José Reinaldo Tavares, candidato a senador pelo PSDB, divulgou um comunicado dirigido à população de Caxias.

Na nota, com o título “Por respeito a Caxias”, o ex-governador do Maranhão explica como ocorreu, na véspera da convenção do PSDB, foi pego de surpresa com a exigência partidária de que ele teria que abrir mão do primeiro e do segundo suplente.

A decisão sacrificou a candidatura do advogado caxiense Catulé Júnior.

– Fui avisado pelas lideranças locais de que o partido exigia a minha primeira suplência e que isso não era negociável, independente dos meus protestos e da minha indignação. Ou seja, eu teria que desfazer todo o acordo e compromisso firmado com o Catulé Júnior – explicou.

Leia a íntegra da nota:

POR RESPEITO A CAXIAS

Tenho ligações profundas com a cidade de Caxias e sua gente. Ao longo dos anos de experiência pública acumulada, sempre deixei minha contribuição ao município, seja como governador, ministro ou deputado federal.

Foi com muita alegria que participei, no início do mês de junho, de uma grande festa em Caxias para anúncio de Catulé Júnior como o meu primeiro suplente para o Senado Federal. O acordo foi fechado e comunicado oficialmente a toda a população em um evento que marcou a minha trajetória política. Na ocasião, tive o imenso prazer de ver todo o grupo do prefeito Fábio Gentil, os vereadores e muitos secretários presentes, além do próprio Catulé, que é meu amigo de longas datas, além de Paulo Marinho, Zé Gentil, os amigos Luís Fernando, prefeito de São José de Ribamar e Biné Figueiredo, de Codó, muitos aliados que adquiri pelos laços do trabalho sério que sempre dediquei a Caxias, notadamente quando fui governador.

A política é uma atividade extremamente realizadora, sobretudo quando existe reconhecimento público do trabalho em prol de uma vida melhor à população. Mas há muitos dissabores que desafiam a serenidade e grandeza de espírito daqueles que a exercem. Todos acompanharam o que se sucedeu com a minha candidatura. Fui vítima de constantes boatarias de que não sairia candidato, que não teria legenda para concorrer pelo PSDB, partido que me convidou para ser candidato ao Senado. Finalmente minha candidatura foi confirmada, com o apoio total do presidente nacional do PSDB, nosso candidato a presidente da República, Geraldo Alckmin.

Aparentemente, estava tudo resolvido. Mas, na véspera da Convenção do PSDB fui avisado pelas lideranças locais de que o partido exigia a minha primeira suplência e que isso não era negociável, independente dos meus protestos e da minha indignação. Ou seja, eu teria que desfazer todo o acordo e compromisso firmado com o Catulé Júnior. Ainda ofereci a segunda suplência, mas ele, com toda a razão – reconheço – não aceitou.

Tenho uma admiração profunda pelo Catulé Junior, pela sua seriedade e pela firmeza de seu caráter e inteligência.  Essa admiração é permanente e nada mudará isso. Espero que a população de Caxias consiga compreender o que houve, uma imposição partidária que não concordei e que quase me leva desistir de concorrer ao Senado, o que fui aconselhado a prosseguir.

Reafirmo que irei continuar a conseguir benefícios para o Caxias. Com a vontade de Deus e do voto do povo caxiense vou buscar viabilizar os projetos que já tracei para defender no Senado Federal, visando ao desenvolvimento social e econômico de Caxias, Região do Cocais e do Maranhão.

Estou à disposição, amigos.

Conto com o apoio de Caxias para consolidar esta nossa vitória!

Zé Reinaldo Tavares

deputado federal e candidato ao Senado (PSDB)

6

Traição marcará debate entre Roberto Rocha e Flávio Dino…

Adversários tentam rotular um ao outro por atos de ingratidão, mas tucano leva vantagem por acolher exatamente os abandonados após gestos de sacrifício em favor do comunista

 

ÁGUA E ÓLEO. Sem qualquer identidade ideológica, Roberto e Dino estiveram juntos,m mas não são aliados

Desde o início do mandato do governador Flávio Dino (PCdoB), seus aliados na mídia e na política tentam criar em torno do senador Roberto Rocha uma pecha de traidor.

Ideologicamente inverso ao comunista, o senador tucano deixou claro, logo após as eleições de 2014, que seria candidato a governador em 2018. Para Dino e companhia, isso representa uma traição, já que Rocha foi eleito em sua chapa.

Desde então, os asseclas comunistas rotulam Rocha de traidor, numa tentativa de marcá-lo eleitoralmente.

Mas, pelos fatos recentes, Roberto Rocha tem muito mais motivos para ver em Flávio Dino o vírus da traição, para usar um termo que ficou marcado na voz do ex-governador Jackson Lago (PDT).

ACOLHIMENTO. Roberto Rocha acolheu dois dos traídos por Flávio Dino, oferecendo exatamente o que lhes foi negado pelo comunista

Desde que assumiu o mandato de governador, Flávio Dino coleciona ingratidão àqueles que deram muito de seu tempo e de sua saúde para fazê-lo liderança política no Maranhão.

Na lista aparecem desde o próprio Jackson Lago, passando pelo ex-ministro Edison Vidigal, o ex-prefeito Tadeu Palácio (PP), deputado estadual Edivaldo Holanda (PTC), o ex-prefeito Sebastião Madeira (PSDB), o deputado federal Waldir Maranhão (PSDB) e, principalmente, o ex-governador José Reinaldo Tavares (PSDB).

Curiosamente, alguns destes traídos por Flávio Dino foram acolhidos exatamente por Roberto Rocha.

Tanto Waldir Maranhão quanto José Reinaldo, a quem Dino tratou com ingratidão após gestos de sacrifícios públicos dos dois por ele, pleiteiam a vaga de senador na chapa do tucano.

5

O exemplo de Eduardo Braide a Flávio Dino…

Ao estender a mão a José Reinaldo e colocar como condição do apoio a Roberto Rocha a candidatura do ex-governador ao Senado, deputado eleva o próprio conceito e mostra ao comunista que não se abandona aliados

 

HONRA E DIGNIDADE. Gesto de Gratidão de Braide a José Reinaldo mostra a Flávio Dino que a política não é feita apenas de traidores

O deputado estadual Eduardo Braide (PMN) mostrou ao governador Flávio Dino (PCdoB) como se deve tratar aliados políticos, sobretudo aqueles que quebrem lanças pelo seu projeto.

Braide exigiu como condição de apoio ao senador Roberto Rocha na disputa pelo Governo do Estado, que o PSDB garanta a candidatura de senador ao ex-governador José Reinaldo Tavares.

Tavares foi ás últimas consequências pela candidatura de Eduardo Braide ao governo, e quase se indispôs com os tucanos por causa disto.

O gesto de Eduardo Braide é, portanto, um reconhecimento a essa atitude, uma honradez a um aliado.

Totalmente diferente de Flávio Dino.

O comunista vem criando cada vez mais a fama de traidor por abandonar os aliados à própria sorte depois de quebrarem lanças por ele próprio.

José Reinaldo é um desses casos.

TRAIÇÃO E DESPREZO. Depois de tudo o que recebeu de José Rei9naldo, era assim que Flávio Dino o tratava nos últimos tempos

Flávio Dino só existe para a Política por causa do ex-governador, que o transformou em deputado federal, candidato a prefeito de São Luís e governador do Maranhão.

Mas, ao invés de reconhecer o gesto do ex-padrinho, o comunista negou a ele o direito de ser candidato a senador.

Aliás, no próprio PSDB há diversos outras vítimas da traição de Flávio Dino: Roberto Rocha, Sebastião Madeira, Waldir Maranhão, José Genésio.

Jovem liderança política, que só agora emerge para o debate estadual, de fato, Eduardo Braide mostra honradez e respeito pelas alianças.

E mostra a Flávio Dino o lugar dos traidores…

0

Alckmin adota programa de Zé Reinaldo para combater pobreza no Nordeste

Coluna da Época com destaque para projeto sugerido por Tavares

O pré-candidato à Presidência da República, Geraldo Alckmin (PSDB) acatou a sugestão do deputado federal e pré-candidato ao Senado, José Reinaldo Tavares (PSDB) de um programa de desenvolvimento social e econômico específico para o Nordeste.

O parlamentar foi convidado por Alckmin para representar a região Nordeste na construção do seu Plano de Governo devido à larga experiência na vida pública, com passagens e atuações destacadas na área executiva do Ministério dos Transportes, como superintendente da Sudene (Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste) e ainda como ex-presidente do DNOS (Departamento Nacional de Obras de Saneamento) – órgão que deu origem ao atual Ministério da Integração Nacional.

A proposta estabelece ações de erradicação da pobreza nos noves estados da região, principalmente no Maranhão – apontado pelo IBGE como o mais pobre entre as 27 unidades federativas do País.

A imprensa nacional já começa a divulgar o programa, que foi inspirado em um projeto de Zé Reinaldo para dar assistência social e educacional às futuras gerações de maranhenses, desde o pré-natal às mães em situação de pobreza. A ação é baseada em um estudo do economista norte americano James Heckman, prêmio Nobel de Economia.

Para Tavares, “não há coisa mais viável para o Brasil do que resolver o problema da pobreza, da desigualdade social e de criar uma nova geração de brasileiros”.

Combater a pobreza

O tema da pobreza é recorrente na vida pública de Tavares. Assim que assumiu o Governo do Maranhão, em 2002, ele solicitou a vinda de técnicos do IPEA, Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas, ao Maranhão para um estudo aprofundado com objetivo de estabelecer um diagnóstico da situação de miséria no estado.

O resultado provocou, de imediato, o estabelecimento da meta do governo: o aumento do IDH.

Logo após o governo de Zé Reinaldo, no período de 2003 a 2008, órgãos oficiais registraram a mais intensa redução da pobreza absoluta e extrema no estado.

Os números resultaram de programas sociais que instalavam água nas moradias, unidades sanitárias, incentivos financeiros aos trabalhadores rurais e de um projeto de combate à pobreza rural, com recursos do Banco Mundial, que fizeram com que o Maranhão deixasse de ser o Estado mais pobre do Brasil, o Prodim.

Hoje, os indicadores sociais maranhenses caíram de maneira vertiginosa.

4

Geraldo Alckmin grava vídeo de apoio a José Reinaldo senador…

Candidato do PSDB a presidente apresenta o ex-governador maranhense como “pré-candidato nosso a senador” e anuncia que estará de volta ao Maranhão “logo, logo”

 

O deputado federal José Reinaldo Tavares (PSDB) esteve reunido, na manhã desta quarta-feira (18), com o pré-candidato tucano à Presidência da República, Geraldo Alckmin.

Foi uma longa reunião, de portas fechadas, na sede nacional do PSDB, em Brasilia.

Alckmin, presidente nacional da legenda, garantiu apoio total à candidatura do parlamentar e ex-governador ao Senado Federal pelo PSDB do Maranhão.

A convenção do partido está marcada para o dia 4 de agosto. 

– Uma grande alegria receber aqui o deputado federal José Reinaldo Tavares, ex-governador do Maranhão, e pré-candidato, nosso, ao Senado Federal – ressaltou Alckimin, enfatizando o “nosso”, apontando pra si próprio. (Veja o vídeo abaixo)

Nas últimas semanas, o deputado federal Waldir Maranhão vem se apresentando como pré-candidato ao Senado, em uma das vagas da coligação, destinada anteriormente a Zé Reinaldo, saudado na solenidade de filiação como o futuro senador do PSDB maranhense pelo próprio presidente do partido no estado, Roberto Rocha.

A declaração de apoio de Alckmin, que ainda gravou uma mensagem de apoio a Reinaldo, poderá ser o fim do imbróglio na escolha do candidato ao Senado pelo tucanato local.

0

Roberto Rocha vai até o penúltimo dia das convenções para definir chapa…

Pré-candidato do PSDB quer ganhar tempo para resolver disputa entre José Reinaldo e Waldir Maranhão pela vaga de senador e ainda tentar atrair o DEM, cuja direção nacional ainda discute alianças

 

Os tucanos vão fazer convenção no penúltimo dia do prazo

O PSDB vai esperar o penúltimo dia do prazo de convenções para definir sua chapa para as eleições de outubro.

O partido, que tem como pré-candidato a governador o senador Roberto Rocha, ainda precisa resolver a polêmica entre os deputados federais José Reinaldo Tavares e Waldir Maranhão pela segunda vaga ao Senado.

Outra questão a levar os tucanos a esticarem o prazo da convenção é a indefinição do DEM, que ainda discute nacionalmente se coliga com o PSDB ou com o PDT.

Se oficializar o apoio ao ex-governador Geraldo Alckmin (SP), o DEM ainda pode estar no palanque do PSDB também no Maranhão.

Roberto Rocha é o segundo candidato a governador a definir data da convenção.

O primeiro foi Flávio Dino (PCdoB), que marcou para o dia 28 de julho…

5

Geraldo Alckmin: um disputado cabo eleitoral….

Presente em Imperatriz nesta sexta-feira, 6 – em plena derrota da seleção brasileira na copa – candidato do PSDB a presidente foi fortemente assediado pelo deputado Waldir Maranhão, com uma espécie de cumplicidade do senador Roberto Rocha

 

QUEM SERIA O PÉ-FRIO?!? ao lado de Roberto Rocha e Wellington do Curso, Waldir Maranhão não perdeu tempo de colar com Alckmin em Imperatriz

O ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, pré-candidato à Presidência da República pelo PSDB, esteve em Imperatriz na tarde desta sexta-feira (6), de onde segue para Marabá (PA), no sábado (7).

O senador Roberto Rocha, pré-candidato a governador, e o ex-prefeito Sebastião Madeira, pré-candidato a deputado federal, aproveitaram a passagem de Alckmin para reunião com apoiadores na região tocantina.

O deputado federal José Reinaldo Tavares não participou por ainda estar-se recuperando do grave acidente ocorrido no domingo (1º), na MA-402.

Alckmin é aguardado com expectativa pelo deputado federal Waldir Maranhão, que briga para viabilizar sua candidatura ao Senado, na vaga de Tavares, pré-candidato a senador.

Maranhão aproveitou o ausência do ex-governador para apostar em fotos ao lado do presidenciável e fazer toda espécie de divulgação duvidosa para impressionar o eleitorado – exibindo-se ao lado de Alckimin até durante a derrota do Brasil na Copa.

Apesar da proximidade de José Reinaldo com Geraldo Alckmin, desde que governou o Estado, Waldir insiste na pré-candidatura com uma espécie de cumplicidade silenciosa de Roberto.

É aguardar para conferir os desdobramentos…

2

Fora de perigo, José Reinaldo já espera alta médica…

Ex-governador passou a noite em uma Unidade de Terapia Intensiva, mas já está em recuperação em um apartamento do Hospital São Domingos

 

O deputado federal José Reinaldo Tavares (PSDB) já está em um apartamento do Hospital São Domingos, aguardando decisão de alta médica.

Ele sofreu um acidente de carro na tarde do domingo, 1º, ao retornar de viagens ao interior maranhense.

O ex-governador chegou a ser levado a uma Unidade de Terapia Intensiva, para melhor acompanhamento do seu quadro, mas recuperou-se bem.

O hospital deve definir ainda hoje a previsão de alta…

3

Implicância com José Reinaldo mostra fragilidade de Roberto Rocha…

Como presidente e pré-candidato do PSDB a governador, senador tem prerrogativas para dizer, de uma vez por todas, quem vai representar o partido na disputa pelo Senado; a menos que não tenha mesmo toda esta força que tenta mostrar

 

Rocha com sua caravana pelo interior: Waldir presente e José Reinaldo ausente

Está ficando feio para o senador Roberto Rocha (PSDB) os recados que ele manda, quase toda semana, para o ex-governador José Reinaldo Tavares (PSDB).

Incomodado com o distanciamento que Tavares demonstra de sua campanha, Rocha passa o tempo quase a clamar pela presença do correligionário, com ameaça de não dar legenda para sua candidatura senatorial.

Ontem, mais uma vez, Rocha fez publicar em blogs seus recadinhos para o ex-governador. (Leia aqui)

José Reinaldo já deixou claro seu posicionamento eleitoral no Maranhão; e mesmo diante das ameaças do PSDB, mantém sua agenda independente.

Ficar mandando recado a ele, só reforça a imagem de fragilidade e falta de liderança do candidato tucano ao governo.

Ora, se, além de candidato a governador, Roberto Rocha é o presidente do PSDB – e tem dois interessados na vaga de senador junto com ele em suas andanças pelo interior – porque insistir em exortar José Reinaldo a participar de suas caravanas?

A menos que o senador tucano não tenha toda esta prerrogativa para afastar José Reinaldo da campanha.

Por isso, é aguardar e conferir…