0

Pesquisa confirma prognóstico do blog sobre duelo Braide X Duarte Jr.

Dois meses depois de post mostrando o que eleitor tem na cabeça para a sucessão do prefeito Edivaldo Júnior, parlamentares aparecem como principais nomes na disputa em São Luís

 

EDUARDO BRAIDE E DUARTE JÚNIOR POLARIZAM A PREFERÊNCIA DO ELEITOR e os debates sobre a sucessão em São Luís

O blog Marco Aurélio D’Eça publicou em 19 de maio o post “Eleitor já tem na cabeça disputa entre Eduardo Braide e Duarte Júnior em São Luís…”.

Com base em dados exclusivos da pesquisa do Instituto Escutec, divulgada à época, análise apontava que os dois parlamentares apareciam espontaneamente como opção do eleitor da capital maranhense.

E essa polarização se dá independentemente da antipatia do PCdoB pelo nome de Duarte e das ações comunistas tentando levantar a bola do candidato do Palácio dos Leões, Rubens Júnior.

Menos de dois meses depois, pesquisa do Jornal Pequeno confirmou neste domingo, 14, o prognóstico deste blog: Braide tem hoje 47% das intenções de votos contra 14% de Duarte Júnior.

Dois aspectos que caminham para a consolidação saltam aos olhos no levantamento JPesquisas:

1 – Eduardo Braide é o franco favorito em São Luís, podendo vencer, inclusive, em São Luís;

2 – Nenhum outro nome da base do governo Flávio Dino tem mais condições de polarizar a disputa quanto Duarte Júnior.

Tanto que, quando o nome de Duarte é substituído pelo de Rubens Júnior, Braide sobe de 47% para 51%, liquidando a fatura em primeiro turno.

Diante disto, se caminha para outra certeza: o grupo liderado pelo governador Flávio Dino corre sério risco de ser derrotado ao insistir em candidaturas sem consistência.

E a presença do também deputado estadual Wellington do Curso (PSDB) na terceira posição é outro empecilho para os comunistas: quando Duarte Jr é retirado da lista de candidatos, é Wellington  quem figura em segundo.

Isso quer dizer que Flávio Dino e seus líderes correm o risco de ver em outubro de 2020 uma disputa claramente de oposição pela prefeitura de São Luís.

Sobretudo se insistir em postes como candidatos…

Post alterado às 12h30 para correção e acréscimo de informações

2

É artificial a crise por cargos no governo Flávio Dino…

Apesar de a mídia apontar, vez ou outra, pressões e insatisfações de alguns líderes partidários, mudanças na administração comunista transcorrem seguido o roteiro traçado pela cúpula governista

 

Flávio Dino e seus dois operadores: mudanças sem maiores traumas com a base

O governador Flávio Dino (PCdoB), seu vice, Carlos Brandão (PRB), e o chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares (PSB) conduzem diretamente a reforma no governo comunista do Maranhão.

E, ao contrário do que apontam setores da imprensa, é muito pouco provável que estas mudanças tragam qualquer fragmentação nas bancadas aliadas na Câmara Federal e no Senado.

Pelo contrário, até agora, as indicações e convites têm tido um adicional de vantagem para o governo: atrair setores da oposição ou de lideranças partidárias tidas por independentes.

Nem mesmo a pressão criada pelos deputados federais André Fufuca (PP) e Josimar de Maranhãozinho (PR) – em busca de maiores espaços no governo – causará qualquer contratempo, caso não atendidos.

Nem Fufuca, muito menos Maranhãozinho, têm perfil de oposicionistas orgânicos – e tenderão a, no fim das contas, seguir com o que lhes foi dado.

E a articulação política de Marcelo Tavares na Assembleia Legislativa tem aberto, inclusive, novas perspectivas rumo a oposição.

Sobretudo no diálogo com os deputados César Pires (PV), Rigo Teles (PV) e Arnaldo Melo (MDB).

Mas esta é uma outra história…

2

Márcio Jerry convoca general Heleno para explicar monitoramento de bispos…

Deputado federal maranhense entende como espionagem as atividades da Agência Brasileira de Inteligência contra representantes da Igreja Católica tidos como progressistas e de esquerda

 

Márcio quer investigar espionagem do governo na igreja católica

O deputado federal Márcio Jerry (PCdoB) protocolou na Câmara Federal requerimento de convocação do general Augusto Heleno, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional da presidência da República.

Jerry vê sinais de espionagem do governo Jair Bolsonaro (PSL) contra bispos católicos tidos como “progressistas” e “de esquerda” pela Agência Brasileira de Investigação (Abin).

A investigação do governo Bolsonaro contra bispos católicos foi revelada no domingo, 10, pelo jornal O Estado de S. Paulo.

De acordo com a reportagem, a atuação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e de órgãos católicos associados, como o Conselho Indigenista Missionário (Cimi) e as pastorais Carcerária e da Terra são vistas como “ameaças comunistas” por Bolsonaro e seus ministros militares.

Um dos alvos do governo é o Sinodo sobre a Amazônia, que será realizado em outubro, no Vaticano.

Curiosamente, Márcio Jerry, que pede a convocação do general Heleno, é o mesmo que compunha o governo Flávio Dino, em 2018, quando ordens do comando-geral da PMMA determinou o monitoramento de “adversários do governador Flávio Dino que pudessem criar embaraços nas eleições de 2018”. (Relembre aqui, aqui e aqui)

De qualquer forma, a participação do deputado no governo comunista do Maranhão – que tentou espionar adversários – não inviabiliza sua preocupação com a espionagem bolsonarista na Igreja Católica.

Caberá à Mesa Diretora da Câmara dos Deputados definir a convocação e a data da audiência com o general Heleno…

0

“Continuo firme para que você não pague a conta deste governo que só persegue e mente”, diz Braide…

Em mensagem direta ao eleitor, em suas redes sociais, o deputado estadual explicou que preferiu se abster na votação do projeto de Flávio Dino que aumenta impostos para preservar as três medidas que beneficiam a população

 

O deputado estadual Eduardo Braide explicou em vídeo divulgado na tarde desta sexta-feira, 7, sua posição na votação do famigerado projeto “Mais impostos”, do governo Flávio dino (PCdoB).

– Só cabia a mim duas posições: votar contra o projeto e impedir essas três medidas que beneficiam vocês, ou fazer o que fiz: registrar a abstenção e ir à Justiça para tirar tudo de ruim que há nesta proposta – explicou Braide.

Responsável direto pela divulgação do projeto comunista – que seria votado às escondidas na Assembleia – Eduardo Braide disse que analisou toda a proposta, quando percebeu a pegadinha do governo

Das mais de 10 medidas do projeto do governo, só três podem ter algum benefício a vocês – destacou. Segundo ele, derrubar o projeto todo, prejudicaria também as três medidas boas.

– Faço oposição com responsabilidade. Lutei contra o aumento de impostos, quando apresentei e votei as minhas emendas que retiravam os abusos do projeto do governo. Apesar de muita luta, minhas emendas foram rejeitadas – lembrou o parlamentar.

Restou a ele a decisão de ir à Justiça contra as medidas ruins do projeto, preservando as boas.

– Na política é preciso ter coragem para tomar decisões, ainda que ela não sejam compreendidas em um primeiro momento. Faço oposição com responsabilidade, e continuo firme para que você não pague, de novo, a conta deste governo, que só persegue e mente – concluiu ele.

Veja o vídeo acima…

3

Sem nomes consistentes para 2020, Flávio Dino tenta desqualificar Eduardo Braide…

Governador comunista sabe que diante de um governo federal hostil como o de Jair Bolsonaro – com o Maranhão quebrado e sem força eleitoral em São Luís – sua única chance é tirar o deputado do páreo antes mesmo da disputa

 

ADVERSÁRIO A SER BATIDO.Cada vez mais consolidado como favorito à prefeitura, Eduardo Braide passa a ser o alvo principal de Flávio Dino e sua turma

O governo Flávio Dino (PCdoB) partiu pra cima do deputado Eduardo Braide (PMN) como o seu principal opositor na Assembleia Legislativa.

Mais do que contestar a posição contrária do parlamentar em relação ao projeto de aumento de impostos – o famoso “pacote de maldades” – os comunistas e aliados visaram outro objetivo: desqualificar Braide  na opinião pública.

Flávio Dino sabe que Eduardo Braide caminha para ser o futuro prefeito de São Luís; e à medida que o pleito se aproxima, mais dificuldades seu grupo enfrenta para tentar derrotá-lo. (Saiba mais aqui e aqui)

Primeiro que nem Dino, nem o prefeito Edivaldo Júnior (PDT) conseguiram construir um nome consistente para contrapor o favoritismo de Eduardo Braide.

Todos até agora apresentados têm performance insignificante nos levantamentos de bastidores.

Além da falta de um oponente à altura de Braide, Flávio Dino sabe que enfrentará um Governo Federal hostil sob o comando do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), o que dificultará sua vida, sobretudo diante da quebradeira que ele próprio proporcionou ao estado. (Entenda aqui)

À medida que as eleições de 2020 se aproximam, Braide vai criando musculatura eleitoral, sobretudo diante da falta de opção no governo.

E o fato de que, no período da eleição, Dino estará já na segunda metade do seu segundo mandato – e já com prazo de validade a vencer – torna o deputado ainda mais poderoso para o comunista.

Por isso a reação do Palácio dos Leões diante da postura de Braide na votação do “pacote de maldades”.

E a tendência é que o bombardeio aumente a partir de 2019.

É aguardar e conferir…

2

Os sucessivos aumentos de impostos no governo Flávio Dino…

Desde 2015, governador vem aumentando a alíquota do ICMS de vários produtos e serviços, o que onerou boa parte do consumo das famílias mais pobres; as ações do comunista só beneficiou o grupo Mateus

Em outubro de 2015, o governador Flávio Dino (PCdoB) aumentou impostos de uma série de produtos considerados supérfluos por ele, onerando o custo de vida da classe média maranhense.

À época, produtos como agrotóxicos, inseticidas e ração animal – tido por ele como dispensáveis – tiveram forte aumento na alíquota do ICMS, o que gerou protestos contra o comunista. (Relembre aqui)

Em 2016, novo projeto de aumento do ICMS, desta vez para combustíveis e energia elétrica.

Durante o governo Flávio Dino, os sucessivos aumentos de ICMS geraram custos altíssimos para a população:

  • Energia elétrica (até 500 quilowatts-hora/mês) – de 12% para 18%
  • Energia elétrica (acima de 500 quilowatts-hora/mês) – 25% para 27%
  • Combustíveis (exceto diesel) – 25% para 26%
  • Fumo e derivados – 25% para 27%
  • TV por assinatura, telefone, internet – 25% para 27% (*No caso de TV por assinatura, telefone, internet ainda há um acréscimo de dois pontos percentuais, que são destinados ao Fumacop. Nesse caso, a alíquota efetivamente cobrada do consumidor será de 29%)

Nesta lista não se inclui o aumento garantido com a aprovação de ontem do Projeto de Lei 239/2018, que vai garantir a partir de março, novo aumento de ICMS para uma série de produtos.

Nestes quatro anos, Dino tentou também aumentar imposto para a construção civil e só recuou porque a classe se mobilizou e encontrou apoio da oposição na Assembleia Legislativa.

O único beneficiado com os impostos de Flávio Dino foi o Grupo Mateus, que teve garantida alíquota fixa de 2% para seus centros de distribuição.

Mas a consequência disso, todos já sabem… (Relembre aqui, aqui e aqui)

1

César Pires conclama a população a protestar contra aumento de impostos

O deputado César Pires conclamou a população maranhense a se manifestar contra o Projeto de Lei 239, de autoria do governo Flávio Dino, que pretende aumentar, mais uma vez, o ICMS sobre combustíveis e outros produtos.

A matéria tramita em regime de urgência e será votada nesta quarta-feira (5) no plenário da Assembleia Legislativa, onde o governo conta com o apoio da maioria dos parlamentares.

“Nenhum governo é mais forte que a mobilização popular, e o povo tem muito a dizer sobre essa proposta de, mais uma vez, aumentar a cobrança de impostos no Maranhão”, declarou César Pires, ressaltando que a oposição não tem votos suficientes para evitar que o projeto do Executivo seja aprovado nesta quarta-feira.

César Pires disse que o governador contraria tudo o que pregou durante a campanha eleitoral, e ao povo que acreditou em suas promessas agora só resta se espelhar na França, onde o presidente Emmanuel Macron foi obrigado a recuar em sua decisão de aumentaro preço dos combustíveis, porque o povo francês foi às ruas protestar.

“Há pouco tempo Macron era festejado como símbolo da direita na Europa. Mas foi o povo francês, um povo civilizado, quem fez o presidente da França desistir do aumento de impostos. Por isso digo à população de São Luís e do Maranhão que não se escuse de vir para a luta”, enfatizou.

O deputado convidou a sociedade civil organizada e os sindicatos para que ocupem a galeria da Assembleia para assistir de perto a votação do projeto e saber quem vota a favor do governo e contra o povo, reafirmando que sem mobilização popular o governo terá ampla maioria dos votos para aprovar o aumento de impostos.

“Quase 70% da sociedade maranhense apostou nesse governo, por isso apelo para que a população não deixe cinco ou seis deputados de oposição sem força para barrar esse projeto. Quem quer pagar mais do que já paga? O povo tem muito a dizer e não pode mais se calar”, finalizou César Pires.

1

“Você acha justo ter que pagar ainda mais impostos?”, questiona Maura Jorge…

Ex-candidata a governadora acusa Flávio Dino de tentar aprovar projeto na Assembleia “de forma sorrateira” para “tentar contornar a bagunça fiscal de sua administração”

 

Maura Jorge faz novo contraponto público às pretensões autoritárias de Flávio Dino na arrecadação de impostos

A ex-candidata a governadora e ex-prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge (PSL), voltou a criticar o governador Flávio Dino, nesta terça-feira, 4, por causa do novo aumento de impostos proposto pelo comunista.

Para Maura, Dino tentar passar a ideia de um Maranhão com as contas em dia, enquanto tenta aprovar sorrateiramente o aumento de impostos – mais um – em sua gestão. (Entenda aqui e aqui)

– Inadmissível que mais uma vez o trabalhador maranhense tenha que pagar a conta. O Maranhão precisa se unir contra mais este desmando de Flávio Dino, que na quarta-feira (5) tentará novamente aprovar o PL 239/2018 – alertou a ex-candidata.

O projeto que aumenta ICMS de vários produtos, incluindo combustíveis, chegou à Assembleia no fim de semana, e já tem pedido de urgência para ser votado na Casa.

– Pelas redes sociais, Flávio Dino quer passar a imagem de um Maranhão com as contas em dia. Nos bastidores, tenta aprovar leis para aumentar ainda mais impostos, para tentar contornar a bagunça – lamentou Maura Jorge, que concluiu:

– Pergunto a você, trabalhador maranhense: você acha justo ter que pagar ainda mais impostos?.

Uma mobilização da sociedade organizada pretende ir à Assembleia nesta quarta-feira para tentar impedir a aprovação do projeto…

Leia também:

Flávio Dino, um herói às avessas…

Força em alerta na oposição…

Flávio Dino presenteia população com mais impostos…

12

Flávio Dino admite oficialmente risco de colapso financeiro no Maranhão…

Em Decreto que deve ser editado nesta sexta-feira, 23, governador tenta sanar as contas do estado com corte de uma série de vantagens dos servidores, após torrar R$ 6 bilhões

 

FRACASSO VERMELHO. Números do Maranhão após quatro anos de mandato de Flávio Dino mostram a falência do estado

O governador Flávio Dino (PCdoB) deve editar, por Decreto, nesta sexta-feira, 23, uma série de medidas para tentar impedir os riscos de atraso no pagamento do salário dos servidores públicos.

A informação foi dada pela própria mídia alinhada ao Palácio dos Leões.

O Decreto é, praticamente, uma confissão de que o Maranhão está à beira do colapso financeiro, após quatro anos de gestão comunista.

Flávio Dino pretende cortar gastos com diárias, veículos, passagens aéreas, telefones; e quer renegociar contratos com fornecedores.

Dino justifica os cortes de despesas com a suposta perda de R$ 1,5 bilhão em repasses federais que o Maranhão sofreu em virtude da recessão.

A verdade, porém, é outra.

Apesar de ter recebido o governo com caixa de R$ 3 bilhões em 2015 – R$ 2 bilhões de financiamentos do BNDES e outro R$ 1 bilhão no caixa do Fundo de Pensão e Aposentadoria dos servidores (Fepa) – Dino conseguiu produzir um rombo de R$ 6 bilhões no Maranhão com gastos descontrolados ao longo de quatro anos.

Esse rombo foi produzido, sobretudo, com aumento desenfreado da folha de pagamento e gastos descontrolados com aliados.

LARGADO AO LÉU. Placa de obra do BNDES abandonada no interior é o símbolo do fracasso do governo comunista

Para tentar organizar as contas estaduais, o comunista aumentou impostos e chegou a usar, ilegalmente, dinheiro da Emap, empresa que administra o Porto do Itaqui, e do Fundo de Pensão e Aposentadoria dos próprios servidores públicos. (Releia aqui, aqui, aqui e aqui).

Já no desespero, o governador tentou uma espécie de pedalada fiscal, tentando cobrir o rombo do Fepa com recursos sem origem por intermédio de processo em tramitação na Assembleia. (Saiba mais aqui)

Como nenhuma das medidas deram resultado, diante do fracasso fiscal do governo comunista, Dino agora tenta retirar benefícios dos servidores.

O que reforça o risco de colapso financeiro do Maranhão…