2

Zemar pode ter sido vítima de armação no caso de suposto estupro de bebê…

Perícia constatou que ex-prefeito de Santa Luzia não abusou de criança, o que resulta em reviravolta no caso, que agora pode se voltar contra os acusadores

 

ZEMAR CHEGOU A SER PRESO SOB FALSA ACUSAÇÃO DE ESTUPRO, que foi descartado pelo laudo da polícia

O ex-prefeito de Santa Luzia, Zemar Dutra, pode ter sido vítima de uma armação que ainda será apurada pela polícia. Zemar foi preso no dia 15, sob acusação de estupro de uma menor de 3 anos.

Mas o laudo pericial mostrou que a acusação não era verdadeira.

Duas mulheres parentes e mais a mãe da criança acusaram o ex-prefeito, informando para a polícia que a menor estava sentindo dores nas partes íntimas, o que resultou na prisão do ex-prefeito.

Perícia feita pelo médico legista George Castro Figueira de Mello, constatou que  a vermelhidão na parte íntima da criança “representa uma vasodilatação ativa, com aumento de fluxo sanguíneo na região, comumente encontrada no contexto de uma resposta inflamatória local. Tal reação pode ter uma ampla diversidade de possíveis etiologias. Processos alérgicos, infecciosos, irritativos (por exemplo, provocados por roupas, urina, produtos de higiene, prurido), ou mesmo traumatismos poderiam explicar este achado.”

O laudo descarta conjunção carnal  “pois trata-se de criança com integridade himenal preservada, com óstio himenal pequeno, o que impossibilita a existência de conjunção carnal sem vestígios robustos […] Desta forma, não há elementos que permitam afirmar ou negar a ocorrência da violência sexual em apuração.”

Provavelmente a defesa do ex-prefeito entrará com outro pedido soltura do seu cliente argumentando o laudo que atesta a inocência de Zemar.

Abaixo, o laudo pericial da polícia:

 

 

1

Vídeo da ação da PM no Turu mostra homens com objeto que parece arma

Imagem já analisada pela polícia foi publicada hoje no blog de Jorge Aragão, e se coaduna com a informação deste blog, de que nenhuma das cinco armas apreendidas com PMs deu positivo para o teste com a bala que matou o jovem Fagner Barros

 

A imagem do vídeo mostra uma troca de objetos entre dois homens no terreno do Turu.. o que seria?!?

A imagem do vídeo mostra uma troca de objetos entre dois homens no terreno do Turu.. o que seria?!?

A imagem acima foi publicada no blog de Jorge Aragão.

Mostra dois homens no terreno desocupado no Turu, semana passada – operação que resultou na morte do jovem Fagner Barros.

Trata-se de um trecho do vídeo que circulou no início da semana. Na análise quadro a quadro, os dois homens trocam um objeto que, em primeira análise, seria uma arma.

– Na foto, retirada do vídeo, aparece um revólver sendo entregue por um rapaz de camisa vermelha a outro homem de camisa azul e capacete na mão. A foto comprova que havia civis armados no local da ação – afirma Jorge Aragão. (Leia a íntegra aqui)

A princípio, se confirmada pela perícia, a imagem confirmará que existiam homens armados entre os ocupantes que foram desalojados pela polícia.

Na manhã desta sexta-feira, 21, este blog publicou, com exclusividade,  a informação de que as cinco armas apreendidas entre policiais – inclusive a dos cabos Marcelo Santos e Janilson Silva, suspeito de ter atirado em Fagner – deram negativo na comparação de balística com a bala encontrada junto ao corpo do jovem morto. (Reveja)

As duas informações – a da perícia e a imagem do vídeo – levam a uma reviravolta no caso do Turu, que põe a cúpula da Polícia Militar e o governo Flávio Dino (PCdoB0, em xeque.

Uma vez que eles próprios foram os primeiros a acusar os dois policiais.

Como se quisessem tirar o corpo fora da responsabilidade…

33

A excelente perícia da polícia…

Apesar das críticas pontuais, aqui e ali, a alguns procedimentos da operação que levou à cadeia os envolvidos no assassinato do jornalista Décio Sá, há de se reconhecer o excelente trabalho realizado pela polícia maranhense.

Engana-se quem acha que a comissão que investiga o caso trabalhe apenas baseada em depoimentos.

A oitiva de testemunhas e acusados é apenas uma parte do inquérito – uma pequena parte, diga-se de passagem.

O trabalho se baseia, sobretudo, em provas materiais, documentos, dados da perícia, que formam um conjunto “robusto” como declarou a delegada-geral Cristina Menezes.

Nesta ação, ressalte-se também a ação da polícia técnica.

É a partir da perícia destes profissionais que se desfazem eventuais dúvidas ou choques de informação entre depoimentos e provas materiais.

Com base neste farto material técnico é que a equipe comandada pelo secretário Aluísio Mendes tem convicção na elucidação do crime e na participação de cada um dos suspeitos –  Estejam ou não presos.

Material que será fundamental na fase do processo.

E que fatalmente levará à condenação dos culpados…