0

Comunistas desmentem a si mesmos…

Márcio Jerry e Flávio Dino: mentiras convenientes

Do blog de Daniel Matos

Em matéria jornalística distribuída ontem à imprensa, o governo Flávio Dino (PCdoB) admite, mesmo que involuntariamente, que a suposta ameaça de quebra do Estado, usada como argumento para a aprovação de alíquotas do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), não passou de falácia.

O texto, encaminhado às redações pela Secretaria da Comunicação Social e Assuntos Políticos (Secap), informa categoricamente que “o Maranhão não está em situação de risco financeiro”, o que desmente a versão oficial disseminada uma semana atrás pelos próprios comunistas de que o perigo de um colapso nas contas do Estado era real.

A referida matéria anuncia a destinação de mais de R$ 286 milhões ao Maranhão, pelo Governo Federal, correspondentes à multa da repatriação de bens mantidos por brasileiros no exterior e não declarados ao Fisco.

O montante servirá de reforço de caixa, mas, nem de longe, afastaria o risco de bancarrota, caso a relação entre receita e despesa não estivesse equacionada. A verdade é que o ajuste é fruto da política responsável de gastos adotada pela gestão anterior, algo que os comunistas negam quando lhes convêm, como foi o caso da trama que resultou no aumento do imposto. Continue lendo aqui…

3

É de Flávio Dino ideia de aumentar CPMF, diz governador do Rio…

Luiz Fernando Pezão desmente o governador maranhense, que, mesmo sendo apontado como autor da ideia de criação da CPMF, negou que tenha articulado a volta do imposto

 

pezaoFoi do governador do Maranhão, Flávio Dino, a ideia de elevar a alíquota para 0,38% para que a diferença entre o percentual e a proposta de 0,20% do governo possa ser transferida para os estados e municípios”

Luiz Fernando Pezão, governador do Rio de Janeiro (Leia aqui)

2

Açodada, Secom do governo mete os pés pelas mãos…

Sem apurar as informações de campo, secretaria emite nota classificando como “fato isolado” a morte de um jovem, pela polícia, na Vila Luizão; e não é a primeira vez que a pasta comete este tipo de desatino

 

Robson não consegue se entender com os setores do governo e mete os pés pelas mãos

Robson não consegue se entender com os setores do governo e mete os pés pelas mãos

Definitivamente, a Secretaria de Comunicação do governo Flávio Dino (PCdoB) não consegue se entender com a cúpula da Segurança Pública. E pela segunda vez em um caso envolvendo o setor, emite nota que precisa ser desmentida para não ridicularizar o próprio governo.

Na tarde de hoje, a pasta dirigida pelo radialista Robson Paz emitiu “Nota de Esclarecimento” afirmando que a morte do manifestante na Vila Luizão foi um “caso isolado” de um policial. 

Não checou, não apurou e não verificou as informações para saber se o que argumentava era verdade.

Não era.

Os próprios oficiais da PM reconheceram, mais tarde, que não foi apenas o Cabo quem atirou, mas vários outros PMs, atendendo voz de comando. Ou seja, fato isolado coisa nenhuma.

Mas não é a primeira vez que a Secom comete este tipo de desatino.

Em maio, quando um vigilante executou em praça pública o mecânico Irialdo Batalha, em Vitória do Mearim, a Secom apressou-se em  divulgar nota taxando a vítima de bandido. Foi desmentida no mesmo dia pelo secretário de Segurança, Jefferson Portela, que classificou a execução de “covarde e cruel”. (Relembre aqui)

Detalhe: no caso Irialdo, a Secom nunca veio a público pedir desculpas pela sua covardia.

Leia também:

Secom virou cartório de desmentidos…

Crise na Secom desmente braço direito de Dino na CCL…

Robson paz desmente Flávio Dino em relação à Timbira...

Mas desta vez, a comunicação do governo terá que desmentir a si mesma.

Ou faz isso, ou seu governo vai passar a imagem de que demonstra pouca importância à vida humana, a ponto de classificar um assassinato como “fato isolado”.