0

Eduardo Braide paga o preço do desprezo pela comunicação….

Prefeito que não tem relações alguma com a imprensa, está sem secretário do setor há pelo menos seis meses e tem dificuldade de interlocução com a mídia maranhense, vem sofrendo forte exposição negativa nas últimas semanas, tendência que deve aumentar à medida que se aproximam as eleições de outubro, consequência direta de sua postura

 

Em três anos e meio de mandato, Braide praticamente não convocou coletiva de imprensa e foi se afastando dia após dia da relação com jornalistas

Editorial

O aumento significativo das denúncias contra a gestão e matérias negativas sobre o prefeito de São Luís Eduardo Braide (PSD) passaram a ter forte repercussão em grupos de aplicativos de trocas de mensagens, emissoras de rádio, portais de notícias e blogs da capital maranhense e até do interior.

E a tendência é que essa exposição negativa do prefeito aumente à medida que se aproxime as eleições de outubro.

Mas não há dúvida de que essa pancadaria é consequência direta de duas características intrínsecas de Braide, que já se percebia desde os tempos de deputado estadual:

  • 1 – a antipatia pela imprensa;
  • 2 – a difícil relação com jornalistas.

Eduardo Braide não dá a mínima para a imprensa, tem pouca relação com emissoras de rádio e TV, despreza e desdenha de jornalistas, e vê com forte animosidade blogueiros e digitais influencer’s.

O prefeito está há exatamente seis meses sem secretário de Comunicação, em plena pré-campanha eleitoral, coisa que nunca se viu na história de São Luís; e a tendência é que ele mantenha a pasta acéfala, supervisionada à distância – como uma espécie de departamento – pelo seu secretário de Governo, Emílio Murad.

  • Eduardo Braide não emite notas de esclarecimento;
  • Ele não fala nada diretamente à imprensa;
  • Suas redes sociais são seus canais; 

Em quase três anos e meio de mandato, o prefeito nunca teve sequer uma conferência com jornalistas, praticamente não convocou entrevistas coletivas ou teve qualquer tipo de colóquio com a imprensa de São Luís; mesmo os profissionais de imprensa mais próximos foram se afastando do prefeito ao longo do mandato, diante da repulsa evidente que ele demonstrava a qualquer tipo de aproximação.

O perfil do prefeito afastou da Secom profissionais experientes, como o ex-deputado Joaquim Haickel – figura das mais amadas e respeitadas no meio jornalístico – e o multitarefas Igor Almeida, auxiliares que sofriam com o desprezo de Braide pela imprensa.

Faltando cinco meses para as eleições de outubro, o prefeito Eduardo Braide ainda é o favorito para vencer as eleições; mas sua imagem – que ele imaginou construir sozinho, no contato direto com a população –  começa a se desmanchar diante dos inúmeros escândalos de corrupção e ações inexplicadas em vários setores da prefeitura.

E a tendência é que essas informações ganhem ainda mais força durante a propaganda eleitoral gratuita e na cobertura das eleições…

0

De como a Secom deixa Brandão apanhar sem necessidade por “Bacabeirinha”

Incapaz de responder às críticas pela construção do viaduto na região de São Marcos, comunicação governista vê, inerte, a imagem do governador ser arranhada em questionamentos, alguns injustos, sobre este equipamento urbano

 

Viaduto da Litorânea, ainda em janeiro, quando a alça elevada ainda estava em construção; hoje ela já está liberada para trânsito

Análise da Notícia

À medida que se aproxima a data de inauguração do viaduto da entrada da Avenida Litorânea, na região de São Marcos, aumentam as críticas em blogs e redes sociais ao governador Carlos Brandão (PSB); e a ainda incipiente oposição se aproveita para desgastar a imagem do governo.

Mas tudo isso já teria sido evitado por uma boa campanha de mídia, uma propaganda eficaz, que mostrasse a importância e a efetividade deste equipamento urbano; Brandão apanha pela incapacidade de reação de sua comunicação, calçada em métodos arcaicos e com ideias ainda do século passado. (Saiba mais aqui e aqui)

Ainda em janeiro, este blog Marco Aurélio d’Eça escreveu o post “Viaduto da Litorânea avança…”.

– Pelo que se percebe do atual estágio da obra, há uma injustiça nas críticas ao governo dos que pregam sua desnecessidade. Além de viabilizar melhor trânsito na área – que congestiona na conversão de saída da avenida da praia para voltar ao Calhau – o viaduto evitará os acidentes causados pela conversão cruzada de retornos, expondo os veículos a batidas – mostrou o post, que considerou injusta também a crítica por suposto prejuízo da obra às belezas naturais da região. 

Toda a crítica ao chamado “Bacabeirinha” começou apenas com uma família que tem empreendimento na área e um dos membros, que foi vinculado à Prefeitura de São Luís, é bolsonarista e tem posicionamento de direita, tem forte influência em setores da mídia.

Nesta quarta-feira, o jornalista Gilberto Léda também publicou imagens  aéreas do viaduto,  mostrando o fluxo na região após liberação do trânsito em sua alça elevada. (Veja aqui)

Como se vê, o governador Carlos Brandão não precisaria estar apanhando tanto por causa do “Bacabeirinha”; bastam ações de mídia eficazes, com foco na internet, blogs e redes sociais.

Mas para isso a Secom precisa superar os tempos arcaicos – em que só existia uma emissora de TV e se dizia que “se jornal A não deu, o fato não aconteceu”.

Infelizmente, a doutrina na comunicação de Brandão ainda segue essa máxima.

E quem paga o apto é o governador…

0

Brandão comemora resultado do Enem que mostrou fracasso do Maranhão…

Operadores das redes sociais do governador, que está de férias, decidiram comentar o resultado das provas do exame – que não trouxe nenhum maranhense entre os alunos com nota máxima – elogiando a região Nordeste, o que seria até louvável; mas resolve afirmar que “o investimento na educação continuará sendo prioridade” do seu governo; como assim?

 

A postagem de Brandão no Instagram, comemorando um Enem de terceiros, que mostrou apenas fracasso do Maranhão

O governador Carlos Brandão (PSB) perdeu a oportunidade de ficar calado nesta quarta-feira, 16, diante do resultado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem); de férias, ele decidiu ir às redes sociais – provavelmente por intermédio dos seus operadores de mídia – para comemorar o fracasso do Maranhão, que não apresentou nenhum estudante na lista das notas máximas.

– Orgulho para o Brasil. Mais de 40% dos estudantes que atingiram a nota máxima na redação do Enem são do Nordeste, resultado do esforço e dedicação dos nossos estudantes, que são inspiração para o país – disse o governador, certamente em postagem feita por sua equipe de mídias digitais de sua Secretaria de Comunicação. Poderia fiar só nisso, mas decidiram inventar:

– No Maranhão, investir em Educação continuará sendo prioridade! – afirmou a postagem; como assim?!? Se é prioridade onde estão os resultados no Enem?

Este blog Marco Aurélio d’Eça já mostrou em diversos posts que o setor de Comunicação do governo Brandão tenta atuar na era digital com gente, instrumentos e conceitos da era analógica. (Releia aqui, aqui e aqui)

Mas além de analógico, o pessoal parece tentar fazer de tudo para agradar o rei, indo além do necessário.

E quem faz além do necessário, faz o desnecessário.

É simples assim…

0

Após saída de secretário, Braide adia para janeiro licitação de R$ 25 milhões na Comunicação

Prefeitura vai contratar três agências que ficarão responsáveis pela conceituação, criação e intermediação de divulgação das ações e campanhas publicitárias da gestão , durante todo o ano eleitoral de 2024; certame que estava marcado para esta quinta-feira, 14, só vai ocorrer em 11 de janeiro

 

Braide aceitou a demissão do seu chefe de comunicação e adiou a licitação de R$ 25 milhões para o setor

A Comissão Permanente de Licitação da Prefeitura de São Luís anunciou nesta quinta-feira, 14, o adiamento da concorrência para contratação de três agências de publicidade, no valor de R$ 25 milhões.

A licitação ocorreria exatamente nesta quinta-feira, 14, mas foi adiada para 11 de janeiro.

No início da semana, o secretário-chefe da Comunicação da Prefeitura de São Luís, jornalista Igor Almeida, anunciou que estava deixando a pasta, por decisão própria; era Almeida quem conduzia o processo que deveria ser concluído hoje.

O edital de licitação prevê para 11 de janeiro a conclusão do certame na Prefeitura de São Luís

A comunicação do governo Braide vem sendo feita de forma emergencial desde o início do ano; em maio, foram suspensos pedidos de inserção em vários veículos de comunicação, mantendo apenas campanhas pagas em emissoras de TV.

A concorrência de janeiro prevê a contratação das agências para criar, operacionalizar e divulgar as ações e campanhas publicitárias da prefitura.

O edital está disponível na CPL, no site www.saoluis.ma.gov.br

0

Imagens do dia: Brandão sucumbe à homofobia…

Governador mostrou avanço em sua comunicação oficial com um casal homoafetivo ilustrando campanha de vacinação, mas sofreu forte pressão da ala conservadora do governo e o deboche do ex-adversário – e extremista de direita – Dr. Lahésio Bonfim; e acabou por retirar as placas

Acima a foto progressista com o casal homoafetivo na campanha de vacinação; abaixo, a placa que substituiu a anterior nesta segunda-feira, 16

A comunicação do governo Carlos Brandão (PSB) mostrou certo avanço, semana passada, na divulgação de uma campanha por vacinação no estado.

Um casal homoafetivo com uma criança no colo ilustrava a campanha, que dizia “aqui em casa todo mundo se vacinou” ao lado de outra inscrição: “família vacinada.”

Nada mais avançado para um governador de histórico ultraconservador.

Mas a pressão de setores conservadores do governo – que, embora seja aliado do governo Lula, tem forte tendência de direita – acabou levando a comunicação a repensar a placa.

Sem falar em um deboche do ex-candidato a governador Dr. Lahésio Bonfim, mostrada pelo site “Maranhão Hoje” ainda na segunda-feira, 9; Lahésio provocou publicamente em suas redes sociais:

– Achei essa propaganda do governo Brandão muito interessante; alguém pode mostrar ao pastor José Guimarães Coutinho – disse Lahésio, como se o dono da igreja Assembleia de Deus fosse a referência moral de toda a sociedade maranhense. Não é.

O blog Marrapá mostrou nesta segunda-feira, 16, que no local da placa com o casal homoafetivo, há outra, com uma moça vacinada. (Veja aqui)

O governo Brandão sucumbiu à pressão homofóbica e ao deboche dos que usam os pontos e contrapontos da sociedade de acordo com as próprias conveniências.

E sobrou mais essa para a comunicação do governo…

0

Mesmo remendado pela Emap, ferry boat José Humberto não pode navegar…

Embarcação que apresenta problemas desde sua chegada a São Luís está agora com o Registro Especial vencido no Tribunal Marítimo, o que o impede de fazer a travessia entre São Luís e Cujupe; esse problema explica o fato de o Governo do Estado anunciar sua volta aos mares, na segunda-feira, 14, mas retirar o release de circulação já na terça-feira, 15

 

Secom de Brandão chegou a encaminhar notícia sobre a volta do José Humberto, depois apagada dos blogs, agora sabe-se o porquê

O blog do jornalista Isaias Rocha trouxe na manhã desta quarta-feira, 16, com exclusividade, uma notícia que pode explicar o fato de a comunicação do governo Carlos Brandão (PSB) ter retirado de circulação informação referente ao retorno ao mar do ferry boat José Humberto apenas um dia depois de repassá-las aos parceiros de mídia.

Segundo Rocha, mesmo após remendo do casco feito por determinação da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap), a embarcação conhecida por “ferry velho” ainda não pode voltar a fazer a travessia entre São Luís e Cujupe por ter o Registro Especial Brasileiro (REB) vencido no Tribunal Marítimo desde o dia 31 de julho.

O blog Marco Aurélio d’Eça publicou nesta terça-feira, 15 o post “Após alerta deste blog, Emap tira ferry boat de circulação para reparos, mas esconde informação…”; tratava-se exatamente da crítica à notícia divulgada pela comunicação do governo Brandão, que chegou a ser publicada em alguns blogs, mas depois retirada. (Veja print acima)

A causa do recuo na divulgação sobre a volta do ferry velho José Humberto pode ter sido esta revelada pelo jornalista Isaias Rocha.

É assim que o ferry velho navega pela baía de São Marcos, mas a Emap insiste em gastar dinheiro com consertos inviáveis na embarcação

O fato é que o ferry José Humberto não tem condições de navegar na baía de São Marcos, embora o governo insista nesta hipótese, que põe em risco a vida de usuários.

A característica da baía de São Marcos é de mar aberto, mesmo com certificado de mar fechado dado pela Marinha do Brasil (?); a embarcação comprada no Pará, no entanto, é construída para navegar nas bacias do tipo mar fechado, como o Rio Amazonas, por exemplo, onde navegou por quase 40 anos, até ser retirada das águas, antes de ser vendida como nova para o governo maranhense.

Por problemas muito menores, o governo interviu na empresa ServiPorto, que operava a travessia São Luís/Cujupe antes do caos.

Não faz sentido, portanto, que mantenha uma embarcação funcionando de forma precária, gastando milhões dos cofres públicos em manutenção.

E o pior, acobertado pelo comando do Ministério Público e da Capitania dos Portos…

0

Baixa aprovação acende luz amarela na gestão de Brandão…

Palácio dos Leões considerou ruim o índice positivo de apenas 55,9% registrado na pesquisa Veritá, mas erra ao insistir numa política antiquada de publicização das ações do governo, com foco unicamente na mídia tradicional e investimento de milhões em jornais ainda impressos e TV aberta

 

Os canais tradicionais e a TV aberta ainda ficam ligados, mas a audiência já não percebe o conteúdo passado 24 horas

Análise da notícia

Um assunto com pouca divulgação na mídia política, mas com forte repercussão interna no Palácio dos Leões foi a baixa aprovação do governo Carlos Brandão (PSB), registrado na pesquisa Veritá divulgada esta semana.

Brandão apareceu com apenas 55,9% de aprovação, bem abaixo do prefeito Eduardo Braide (PSD), que superou os 70%; significa dizer que metade da população maranhense não se agrada do governo do sucessor de Flávio Dino (PSB).

O blog do jornalista Isaias Rocha abordou o assunto ressaltando que o próprio governo aponta culpados por esta baixa aprovação. (Leia aqui)

Este blog Marco Aurélio d’Eça também ouviu aliados, membros do governo, políticos e jornalistas sobre o tema. E a opinião é unanime: Brandão erra ao apostar suas fichas em um único modal de comunicação para publicizar as ações de sua gestão.

Com investimentos de milhões na chamada mídia tradicional – TV, rádio e até jornais – o governador está quase 24 horas por dia em evidência nesses canais; o problema é que o grosso da audiência já não está 24 horas nesses canais.

– A audiência migrou há tempos para o digital; a internet é hoje o principal meio de busca à informação. Em um estado como o Maranhão, a TV ainda registra audiência de quase 90%, é verdade, mas isso ocorre mais por hábito. Significa que a TV pode até estar ligada na sala, mas sem a atenção devida do telespectador – analisou um dos publicitários ouvidos pelo blog Marco Aurélio d’Eça.

A TV divulga, é fato, mas não forma opinião, não cria imagem de governo, que só é feita por formadores de opinião, analistas que expõem feitos e efeitos, causas e consequências das políticas públicas. 

A mídia migrou para os canais digitais; os profissionais precisam acompanhar esta evolução na formulação de políticas de mídia

Na avaliação dos profissionais de mídia – inclusive os que atuam diretamente no governo –  o grosso da audiência hoje se forma em torno de canais digitais, como as redes sociais, blogs, portais de notícia, canais de youtube e nos serviços de streamings.

– Mesmo os que estão à frente da TV, estão nos serviços de streamimg; a publicidade pode até ser maciça em canais como jornais, por exemplo, mas ninguém vê. É como colocar um outdoor gigante numa avenida por onde ninguém passa – comparou um jornalista que já atuou na comunicação de governos anteriores.

Segundo apurou o blog Marco Aurélio d’Eça, a política de Comunicação do governo Brandão é balizada por pesquisas que analisam a audiência de todos os canais disponíveis; mas há também uma forte influência política na destinação dos recursos, que favorecem grupos de mídia tradicionais.

Essa ideia confusa de fazer mídia – calçada em conceitos tradicionais e antiquados, focada em veículos já superados – foi tema do blog Marco Aurélio d’Eça, no post “Fim de escolas cívico-militares gera desinformação generalizada no MA…”.

Brandão tem um governo baseado no diálogo, uma imagem limpa para ser trabalhada; mas erra ao priorizar conceitos de quem não evoluiu na formação de políticas de comunicação.

– Sem os blogs, não existe. Pode passar na TV, entupir ouvinte e sair em capa de impresso todo dia. Não adianta – opinou um dos jornalistas no debate sobre o tema. 

Simples assim…

2

Autonomia marca primeiros dias do secretariado de Brandão…

Titulares de algumas das principais pastas do Governo do Estado iniciaram a semana com a montagem de suas equipes, sem interferências externas, o que parece apontar para o fim do aparelhamento estatal vivido nos últimos oito anos

 

O Palácio dos Leões passou quase oito anos fechado para quem não se alinhasse a Flávio Dino; Brandão parece mudar este dogma

Uma característica tem marcado a maior parte do secretariado do governo Carlos Brandão (PSB) nestes primeiros dias pós-posse.

Em algumas das principais pastas, o titular tem montado sua equipe técnica com absoluta autonomia e liberdade de escolha, o que reforça o papel democrático e agregador do governo.

Nos últimos oito anos viu-se um aparelhamento partidário – sobretudo por parte do PCdoB – em praticamente todas as pastas do governo Flávio Dino (hoje no PSB).

As escolhas técnicas para as pastas passavam pelo crivo ideológico comunista, o que levou algumas secretarias a se transformar em sucursais do partido do governador.

Um exemplo é a comunicação institucional, tomada de assalto desde 2015 pelo PCdoB, que aparelhou empresas como a rádio Timbira e baniu do acesso à publicidade oficial veículos não-alinhados às teses do inquilino do Palácio dos Leões.

Felizmente, os ares que se respira no Palácio desde janeiro parece mostrar que o clima mudou.

E que, a partir de agora, a competência e o preparo técnico estão mesmo acima do atestado ideológico.

Um avanço e tanto no Maranhão…

 

0

Palácio dos Leões muda estratégia, rifa Lahésio e agora aposta em Edivaldo para desbancar Weverton

Após meses fortalecendo artificialmente a candidatura do ex-prefeito de São Pedro dos Crentes, governo agora infla chances do ex-prefeito de São Luís com o mesmo objetivo: tentar tirar do segundo turno o senador pedetista, principal ameaça à reeleição do governador-tampão Carlos Brandão

 

Inflado por Flávio Dino, Edivaldo comemora em suas redes sociais pesquisa suspeita divulgada a mando do Palácio dos Leões

Editorial

O governo-tampão de Carlos Brandão (PSB) e o entorno do projeto de poder do comunista Flávio Dino (PSB) dormem e amanhecem há meses com um pesadelo: ter de enfrentar o senador Weverton Rocha (PDT) em um segundo turno das eleições para o Governo do Estado.

Sabendo dos riscos que é a disputa direta com Weverton, o Palácio dos Leões vem tentando, desde abril, criar artificialmente uma disputa entre o pedetista e o ex-prefeito de São Pedro dos Crentes, Dr. Lahésio Bonfim (PSC). (Relembre aqui, aqui, aqui, aqui e também aqui)

Mas a estratégia mudou claramente a partir do debate na TV Difusora, quando o ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior (PSC), destruiu a imagem de pobre criada por Lahésio; a partir daí, Flávio Dino e seus seguidores começaram a ver um novo rumo para afastar Weverton do caminho.

A pesquisa do Instituto IPEC (ex-Ibope), divulgada de afogadilho na TV Mirante, teve exatamente o objetivo de inflar Edivaldo – usando o argumento do debate – e colocá-lo no ringue contra Weverton pela vaga no segundo turno.

De uma hora para outra, Lahésio – que segundo o próprio Palácio vinha tirando o segundo lugar de Weverton – despencou para meros 10% de intenções de votos, atrás de Edivaldo, agora em empate técnico com o senador do PDT.

O roteiro é o mesmo usado na tentativa de construir Lahésio.

Tanto que o chefe da Secom brandonista, Ricardo Capelli – o mesmo que tentou inventar o ex-prefeito de São Pedro dos Crentes – foi imediatamente às redes socais dizer que Holandinha, não mais Lahésio, pode surpreender e chegar ao segundo turno.

Mas as atabalhoadas estratégias dinocapelistas só conseguem evidenciar uma coisa: a campanha cada vez mais perdida do governador  Carlos Brandão.

Enquanto isso, Weverton segue a rotina de campanha.

Certo de estar no segundo turno…

1

Após pressão, governo Brandão cancela licitação milionária de bonés e camisetas

Claramente suspeita de estar direcionada para fins eleitoreiros, concorrência de quase R$ 12 milhões chegou a ser defendida em nota da Secretaria de Comunicação

 

Claramente suspeita de estar direcionada à campanha de Brandão, licitação da Secom para compra de bonés e camisetas, foi cancelada após pressão da imprensa livre

A Secretaria de Comunicação do governo Carlos Brandão (PSB) anunciou nesta sexta-feira, 20, cancelamento de licitação no valor de quase R$ 12 milhões para compra de bonés e camisetas.

A compra foi denunciada desde o início da semana, por clara suspeita de que poderia ser usada para beneficiar a campanha do governador-tampão.

Realizada pela Secom, a compra de camisetas e bonés em ano eleitoral – além de materiais gráficos – chamou a atenção da imprensa não-alinhada ao Palácio dos Leões, que começou a levantar suspeitas de uso eleitoreiro – e descarado – do dinheiro público em campanha eleitoral.

O chefe da Secom, Ricardo Capelli – homem de confiança do ex-governador Flávio Dino (PSB) – chegou a justificar, em nota, que a compra atendia a necessidades dos programas e eventos do governo.

Hoje, no entanto, Capelli não aguentou a pressão – e os riscos de levar a uma eventual cassação da candidatura de Brandão – e recuou, anunciando o cancelamento da licitação.

Uma bela vitória da parte da imprensa ainda livre no Maranhão…