11

De como Flávio Dino perdeu mais de 600 mil eleitores em quatro anos…

Eleito em 2014 com 1.877.064 votos, comunista apareceu na pesquisa Ibope com 43% das intenções o que significa dizer que, que reduziu em 20 pontos o seu eleitorado entre uma eleição e outra

 

FLÁVIO DINO QUATRO ANOS DEPOIS. Condenado, inelegível e com perda crescente no eleitorado

A pesquisa Ibope divulgada semana passada, não pode ser comparada com nenhuma outra,levando-se em conta que cada instituto utiliza um método.

Mas os números revelados podem ser comparados, perfeitamente, com o resultado da eleição de 2014.

E isso permite dizer que Flávio Dino perdeu nada menos que 600 mil eleitores no Maranhão em apenas quatro anos de governo.

Ora, o comunista foi eleito com 63,52% dos votos nominais naquela eleição, o que representa 1.877.064 eleitores. Agora, segundo o Ibope, ele tem apenas 43% das intenções de votos, ou seja, uma queda de 20 pontos percentuais em comparação à sua própria votação.

Esses 20 pontos percentuais representam nada menos que 32% do eleitorado obtido em 2014.

Ou seja, levando em consideração os números do Ibope, Flávio Dino perdeu 600.652 eleitores no seu período de governo.

É uma perda significativa para alguém que se elegeu sob o signo da mudança…

3

Gastão Vieira caiu pelos próprios erros..

Ex-ministro e ex-candidato a senador tem jogado a culpa na “classe política maranhense”, mas sua exoneração do FNDE – e a própria ida para o posto – têm a ver com suas próprias escolhas

 

Gastão Vieira cometeu erros entre 2014 e agora

O currículo do ex-deputado estadual e federal Gastão Vieira – ex-candidato a prefeito e ex-candidato a senador, ex-ministro do Turismo, ex-secretário de Educação e de Planejamento, e agora ex-presidente do FNDE – fala por si só, e não precisa provar nada a ninguém.

Mas nem este currículo foi capaz de segurar Gastão no governo do seu amigo Michel Temer (PMDB).

GastãoVieira culpa a classe política maranhense pela queda, mas seu revés tem a ver com a sua própria postura política.

Político experiente, preparado e de boa articulação, Gastão Vieira cometeu erros de amador desde a sua derrota para o Senado, em 2014. Foi a partir de então que o ex-ministro passou a alimentar uma angústia e um ressentimento que resultaram exatamente naquilo a que ele foi reduzido agora.

Em primeiro lugar, a própria articulação para sua campanha ao Senado foi um equívoco, ao achar que sua história falaria por si.

Além disso, o então peemedebista escondeu-se da campanha a governador de Lobão Filho (PMDB), tentando correr em faixa própria – e até a fazer acenos para Flávio Dino (PCdoB) – gerando desconfiança em seus antigos aliados.

E deu no que deu.

A partir da derrota, outro erro foi deixar o PMDB – por puro ressentimento – e apostar no inexpressivo PROS, como aposta no então ministro da Educação, Cid Gomes.

Foi em Gomes que Vieira apostou para chegar ao FNDE.

Mas Cid Gomes caiu meteoricamente do MEC, deixando o ex-ministro a mercê de antigos aliados – agora ressentidos por receber as costas por resposta – e dos novos, que parecem não nutrir a mesma admiração pelo ex-peemedebista.

Com ex-padrinhos ressentidos e sem alcançar de forma plena os novos aliados, Gastão sucumbiu publicamente, até ser defenestrado do posto federal.

O ex-ministro, ex-secretário, ex-deputado, ex-candidato a prefeito e a senador pode agora recomeçar do zero – se tiver a humildade necessária – a partir de uma pasta no município de São José de Ribamar.

É preciso, porém, convencer em toda sua plenitude o também difícil prefeito Luis Fernando Silva (PSDB).

Mas esta é uma outra história…

24

Ester Marques dando adeus à Cultura…

Ester Marques: o governador até gosta dela, mas ela é que não gosta de ninguém...

Ester Marques: o governador até gosta dela, mas ela é que não gosta de ninguém…

O governador Flávio Dino (PCdoB) pode até mudar de ideia nas próximas semanas – até para não mostrar que seu governo tem falhas.

Mas a secretária de Cultura, Ester Marques, está fora dos planos do governador.

Para a pasta já existe até nome definido, que deve ser anunciado nos próximos dias.

Ester falhou na Cultura em todos os aspectos: brigou com quase todos os auxiliares, perseguiu funcionários e fez uma gestão pífia do Carnaval e do São João. 

Sua saída deve ser anunciada de forma a amenizar o trauma da queda.

Haverá outras quedas no governo.

Mas esta é uma outra história…