2

Zé Inácio vê conduta criminosa de Sérgio Moro no julgamento de Lula…

Deputado estadual do PT diz que o ex-juiz da Lava Jato estabeleceu uma relação de conluio com o procurador Deltan Dallagnol para perseguir e condenar o ex-presidente como forma de influenciar as eleições de 2018

 

ZÉ INÁCIO PEDE A ANULAÇÃO SUMÁRIA DO JULGAMENTO DE LULA POR SÉRGIO MORO, e diz que o juiz agiu em conluio com o Ministério Público

O deputado estadual Zé Inácio (PT) fez duro discurso esta semana para analisar a revelação de um esquema envolvendo o juiz Sérgio Moro e o coordenador da Lava Jato, procurador Deltan Dallagnol.

 – As conversas tornadas públicas pelo Site The Intercept demonstram a condução antiética e criminosa dos principais atores da Operação Lava Jato. O ex-juiz Sérgio Moro e o Ministério Público estabeleceram relação de conluio para perseguir e condenar réus que eram seus alvos políticos, especialmente, o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva – afirmou o parlamentar.

Na avaliação do petista, Sérgio Moro assumiu o papel de chefe das investigações contra Lula, orientando até a montagem da denúncia, ferindo a Constituição e do Código de Ética da Magistratura.

– Moro e os procuradores liderados por Dallton Dallagnol conspiraram para fabricar evidências que driblassem a regra do juízo natural, a presunção de inocência e o amplo direito de defesa. Atuaram abertamente para influir nos resultados das eleições presidenciais de 2018. Em uma primeira etapa para condenar o ex-presidente e torná-lo inelegível. Depois para impedir que sua voz fosse ouvida pelos eleitores antes do pleito – destacou o parlamentar, a partir da Nota divulgada pelo Comitê Lula Livre.

– O sistema de justiça vem sendo manipulado para servir de arma aos setores mais conservadores de nosso país. O restabelecimento da ordem democrática exige a imediata demissão do ministro da Justiça com a responsabilização criminal e a abertura de processo administrativos contra todos que participaram da conspiração sob seu comando, que também devem ser prontamente afastados das suas funções – completou.

Zé Inácio também defendeu a anulação sumária dos julgamentos de Lula e imediata liberdade do ex-presidente nas instâncias superiores da Justiça.

3

Conluio governo/prefeitura já articula nova farsa contra Wellington…

Depois de fracassar com a história do terreno supostamente invadido, aliados de Edivaldo Júnior tentam vincular a imagem do candidato do PP a facções criminosas; ação pode ser mais um tiro no pé da campanha do prefeito

 

Wellington conversa com esposas de presidiários que protestam contra maus tratos em frente ao Palácio

Wellington conversa com esposas de presidiários que protestam contra maus tratos em frente ao Palácio

Muita gente pode não ter entendido os sucessivos tweets postados nesta quinta-feira, 29, pelo secretário de Articulação Política do governo Flávio Dino (PCdoB), jornalista Márcio Jerry.

Jerry, que controla do Palácio dos Leões a candidatura do prefeito Edivaldo Júnior (PDT) tenta vincular Wellington a facções criminosas.

Chega a falar até de um vídeo em que o candidato do PP apareceria, estimulando parentes de presos a rebeliões.

Os twiites de Márcio Jerry: tentativa de criminalizar ação parlamentar legítima pelos direitos humanos

Os twiites de Márcio Jerry: tentativa de criminalizar ação parlamentar legítima pelos direitos humanos

O conluio entre a prefeitura comandada por Edivaldo Júnior e o governo Flávio Dino tentou, há três semanas, vincular Wellington do Curso a uma suposta invasão de um terreno na região do Sítio Santa Eulália. (Relembre aqui)

Usado à exaustão pela mídia controlada pelos dois palácios, o processo manipulado pelo procurador-geral do Estado, Rodrigo Maia – que também foi secretário de Holandinha – foi extinto pelo juiz da 4ª Vara da Fazenda Pública, Cícero Dias, que constatou a armação para tentar implicar Wellington e prejudicar sua campanha a prefeito. (Releia aqui)

Agora, é o próprio Márcio Jerry, lugar-tenente de Flávio Dino,  quem toma a frente do conluio, na tentativa de garantir a vitória de Edivaldo em primeiro turno.

A ação sorrateira, no entanto, pode acabar virando mais um tiro no pé da campanha do prefeito.

É aguardar e conferir…