0

Lula fez a mesma promessa para Weverton e Eliziane sobre 2026…

Senadores maranhenses cujos mandatos terminam em fevereiro de 2027 estão convencidos de que o presidente irá atuar para colocá-los na chapa que vai disputar o Governo do Estado liderada pelo atual governador Carlos Brandão, ele próprio um dos candidatos naturais a uma das vagas e que tem outros planos para a sua sucessão

 

Weverton e Eliziane apostam no mesmo Lula para garantir a reeleição em 2-026; mas o presidente precisa combinar com o governador Carlos Brandão

Ensaio

O título deste post é a resposta a outro, de 26 de janeiro, que continha a pergunta: “Lula fez a mesma promessa a Weverton e Eliziane?!?!”.

Quem conversa com o entorno dos senadores Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (PSD) – e com eles próprios – ouve praticamente a mesma sentença: “o presidente Lula vai atuar para garantir minha presença na chapa majoritária de 2026.”

Em linhas gerais, tanto Weverton quanto Eliziane dizem ter a garantia de Lula para a reeleição em 2026.

Nas conversas pessoais, o senador do PDT é ainda mais incisivo que a colega do PSD, uma vez que fala, inclusive, de uma fatura não-liquidada por Lula desde 2022, quando o ainda candidato do PT a presidente optou por apoiar Brandão e não “quem teve história com ele”.

Se Lula não foi leal à história dele com Weverton quando estava sem mandato – apenas como candidato a presidente – por que cumpriria agora, já sentado no controle da máquina do governo?

Está claro que Lula deve ter feito a mesma promessa para Weverton e para Eliziane.

Ainda que queira cumpri-la, o presidente precisa combinar, logo de cara, com o governador Carlos Brandão (PSB), que tem as prerrogativas para liderar a própria sucessão, sendo, ele próprio, candidato natural a uma das vagas de senador.

Ora, para garantir o mandato de governador ao seu vice Felipe Camarão (PT), Brandão precisa se desincompatibilizar seis meses antes da eleição. Pra fazer isso, ele precisa das garantias do próprio Camarão, e do PT de Lula, de que trabalharão pela sua eleição ao Senado.

Isso se deixar mesmo o posto.

Admitindo a hipótese de que Brandão será candidato a senador – com Felipe candidato a governador – pergunta-se: Por que Lula quebraria lanças por um ou outro nome na disputa pelo Senado se já estará contemplado com o PT no governo tendo a possibilidade de reeleição? 

Além de Brandão, outro aliado de Lula com pretensões senatoriais é o atual ministro dos Esportes André Fufuca (PP); são, portanto, quatro nomes já postos na base lulista para a disputa senatorial de 2026.

A promessa de Lula a Weverton e Eliziane  pode até ter existido.

Mas pelo menos um dos dois está sendo enganado.

Ou os dois…

0

Lula fez a mesma promessa a Weverton e a Eliziane?!?

Ambos os senadores maranhenses cujos mandatos terminam em 2026 justificam ser compromisso do presidente a inclusão deles na chapa que de ser encabeçada pelo vice-governador Felipe Camarão; o problema: uma dessas vagas tende a ser, naturalmente, do atual governador Carlos Brandão

 

Weverton com Lula, Eliziane com Lula; mas Brandão e Felipe também não estão com Lula?

Tanto o senador Weverton Rocha (PDT) quanto a sua colega de bancada Eliziane Gama (PSD) têm dado entrevistas se pondo como opções comprometidas com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para as eleições de 2026; Weverton Rocha foi bem mais incisivo:

Minha ideia é tentar reconduzir o mandato de senador em 2026, com apoio do Lula”, declarou o pedetista, em recene entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, analisada neste blog Marco Aurélio d’Eça sob o título “Espólio político de Flávio Dino põe Weverton e Eliziane em disputa por 2026”.

Eliziane Gama não declarou publicamente esperar essa definição de Lula, mas nas conversas de bastidores – inclusive com este blog Marco Aurélio d’Eça – ela deixa claro que se apoiará em Lula para garantir sua vaga na chapa de 2026, que aliás, ressalta como “acordo firmado com Brandão ainda em 2022”.

É muito pouco provável que o Lula venha – em algum momento entre agora e 2026 – afirmar que trabalha por Weverton ou por Eliziane especificamente no Maranhão; mas mesmo em fazendo isso, enfrentará um problema equacional: como garantir ao mesmo tempo que o petista Camarão seja candidato ao governo, Eliziane Gama e Weverton sejam senadores e Brandão também tenha sua vaga?

Este blog Marco Aurélio d’Eça já tratou das dificudlades que o próprio Brandão enfnretará em 2026 para organziar uma chapa que contemple ao mesmo tempo ele próprio, Felipe Camarão, Eliziane Gama e o ministro André Fufuca?

Pelo que se vê, esta mesma equação será posta para resolução de Lula.

O presidente conseguirá solucioná-la?!?

0

Flávio Dino já foi comunicado por Lula sobre o STF; só falta anunciar…

Em meio à polêmica sobre recebimento ou não de mulher de líder de facção criminosa no Ministério da Justiça, maranhense teve encontro fora da agenda com o presidente na semana passada, quando foi informado sobre a indicação para a vaga da ministra Rosa Weber, o que deve ser divulgado ainda esta semana

 

Dino já recebeu a decisão de Lula sobre STF; só falta anunciar, em meio à polêmica da reunião com facções criminosas

O ministro da Justiça Flávio Dino já tem conhecimento da decisão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre o indicado para o Supremo Tribunal Federal.

Já sabe se será ele ou não; só resta anunciar publicamente.

Flávio Dino foi recebido por Lula semana passada, em encontro fora da agenda, quando já começava a pipocar histórias sobre visitas da mulher de um líder de facção criminosa ao Ministério da Justiça.

No encontro com Dino, o presidente disse se será ele ou não o indicado para o STF; o anúncio deve ser feito ainda esta semana.

Isso se a histórica da facção criminosa não ganhar corpo…

0

Lula impõe ao PT uma escolha: STF ou Ministério da Justiça…

Cúpula nacional do partido do presidente quer, ao mesmo tempo, emplacar o novo membro do Supremo Tribunal Federal e tomar do socialista maranhense Flávio Dino a pasta que ele comanda desde o início do governo

 

Lula tem preservado Flávio Dino da gulodice do PT e já avisou ao partido: ou ministério ou STF; os dois, não!

A forte pressão que a cúpula nacional do PT vem exercendo sobre Lula para ocupar a vaga aberta pela ministra Rosa Weber no Supremo Tribunal Federal – e, ao mesmo tempo, tomar do ministro Flávio Dino a pasta da Justiça – gerou uma reação do presidente.

Segundo contaram ao blog Marco Aurélio d’Eça interlocutores maranhenses do PT em Brasília, o presidente deixou claro que ao partido caberá uma coisa ou outra:

1 – ou eles indicam um nome para o STF;

2 – ou ganham a vaga de Flávio Dino na pasta da Justiça.

Ainda segundo as fontes petistas maranhenses que transitam na cúpula partidária de Brasília, tudo indica que Dino ficará mesmo no Ministério da Justiça – preservando, inclusive, o setor da Segurança Pública – por que o PT tem como prioridade a indicação do advogado-geral da União Jorge Messias ao Supremo.

O PT nacional não gosta de Flávio Dino e já deixou isso claro a Lula.

O presidente vem tentando preservar a imagem do seu aliado e chegou a cogitar indicá-lo ao STF como forma de protegê-lo dos ataques petistas; ocorre que a vaga no STF é exatamente a maior prioridade para os petistas da cúpula próxima a Lula.

A escolha do PT pelo STF também tem sido influenciada pelo próprio Lula, que teme ser derrotado com uma indicação de Flávio Dino; Jorge Messias tem a postura mais conservadora que o ministro maranhense.

As conversas de Lula com os membros do PT têm se tornado diárias nas últimas semanas, sinal d que o anúncio do novo membro do STF – e a decisão sobre o futuro do Ministério da Justiça e Segurança Pública – deve sair nos próximos dias.

É aguardar e conferir…

0

Lula sinaliza recuo em indicação de Dino ao STF…

Em café com jornalistas – e após ver seu indicado à DPU ser rejeitado – presidente deu sinais de que teme as ameaças daquela que poderia se tornar a pior derrota do seu governo no Senado Federal, diante da dificuldade de relacionamento do ministro da Justiça com seus pares no Congresso Nacional

 

Sem Flávio Dino presente, Lula sentiu-se mais à vontade para expor suas angústias aos jornalistas em café da manhã

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deu claro sinais nesta sexta-feira, 27, em fala que repercutiu o dia inteiro na mídia nacional, de que parece temer uma nova derrota no Senado Federal, caso indique o ministro da Justiça Flávio Dino para o Supremo Tribunal federal.

No início da semana, Lula viu seu indicado para a Defensoria Pública da União, Igor Roque, ser rejeitado no Senado, destino que os oposicionistas também ameaçam dar ao próprio Dino.

O fato é que a propalada indicação de Flávio Dino para o STF subiu no telhado.

– Aí tem outra coisa que eu fico pensando: aonde ele será mais justo, no lugar que ele está ou na Suprema Corte? Isso é uma dúvida que eu tenho e que eu vou conversar com muita gente ainda até a hora de esoclher. Mas eu vou escolher a pessoa certa – afirmou Lula, dentre muitas falas que mostram incerteza na indicação de Flávio Dino.

A ausência de Dino no café da manhã – ele está no Paraguai em missão oficial do governo – parece ter deixado Lula mais à vontade para expor suas angústias em relação ao ministro.

O blog Marco Aurélio d’Eça já havia apontado a dificuldade de Flávio Dino em relação ao Congresso Nacional, o que poderia levar àquela que se tornaria a mais humilhante derrota do governo no Senado.

Essa antipatia a Dino no Congresso Nacional já havia sido mostrada no post “Flávio Dino cada vez mais inviabilizado em Brasília…”  e também no post mais recente “A antipatia do Congresso por Flávio Dino…”.

Esta semana, novo post do blog Marco Aurélio d’Eça revelou a provocação do senador Flávio Bolsonaro, logo após a rejeição da indicação de Igor Roque, ameaçando derrotar também a indicação de Dino ao Supremo.

Os riscos de uma humilhação pública – do ministro e do seu governo – parecem ter levado Lula a repensar a indicação do maranhense para o STF.

Resta agora decidir o que fazer com Dino no próprio governo…

0

Ivo Rezende integrará conselho do governo Lula…

Presidente da Famem fará parte do Conselho da Federação, órgão colegiado com 18 membros que terá a missão de atuar pelo pacto federativo, estabelecendo compromisso para atuação das esferas federal, estadual e municipal

 

Ivo Rezende será nomeado em solenidade com a presença do próprio residente Luiz Inácio Lula da Silva

O presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem) e prefeito de São Mateus, Ivo Rezende, será nomeado como membro do Conselho da Federação, na próxima quarta-feira (25), em Brasília. O evento será promovido no Palácio do Planalto, durante a primeira reunião ordinária do Plenário, e vai contar com a presença do presidente Lula e do vice-presidente Geraldo Alckmin, bem como dos governadores e prefeitos que são titulares e suplentes do Conselho.

A nomeação de Ivo Rezende é um reconhecimento de sua liderança e habilidades de gestão.

Como presidente da Famem e prefeito de São Mateus, ele demonstrou um compromisso com o fortalecimento de seu município e, por extensão, do Maranhão. Agora, ele terá a oportunidade de contribuir de forma mais ampla em direção a um Brasil mais forte e igualitário. A presença do presidente da Famem promete fortalecer a colaboração entre os diferentes níveis de governo e contribuir para a formulação de políticas que beneficiarão toda a nação.

O Conselho

O Conselho da Federação será um colegiado composto por 18 integrantes, com seis representantes de cada esfera executiva: federal, estadual e municipal. Sua principal missão é articular a cooperação entre elas, promovendo o diálogo e a colaboração necessários para abordar desafios críticos que afetam o Brasil.

Será um instrumento fundamental para a pactuação federativa, promovendo o diálogo construtivo entre os chefes do Poder Executivo e estabelecendo compromissos políticos que visam aprimorar as políticas públicas nacionais. Além disso, o Conselho abordará reformas institucionais necessárias para o desenvolvimento econômico e social sustentável, bem como para superar as desigualdades que ainda persistem no Brasil.

0

Cabe a Lula chamar reunião da ONU sobre crise Israel X Palestina..

Governo brasileiro é o atual presidente do Conselho de Segurança da organização mundial, com o poder de estabelecer a agenda de reuniões e análises da situação; governos de vários países temem que ecos da batalha no oriente médio se espalhem por outras regiões do globo

 

Lula em discurso na última conferência da ONU, quando o Brasil assumiu a presidência do conselho, posto em que permanecerá até o fim de 2023

Análise da Notícia

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem papel central no conflito ente Israel e a Palestina, surgido por um ataque do grupo terrorista Hamas, no último sábado, 7.

O governo brasileiro é o atual presidente do conselho de segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) e cabe a ele definir a agenda de debates e análises do conflito.

Apesar de manifestar-se contra o ataque, Lula é historicamente favorável ao estado palestino e assim como outros governos mundiais, vê na criação do estado de Israel – após milênios de ocupação da região pelos palestinos – uma imposição dos Estados Unidos ao Oriente Médio.

 A guerra entre Israel e o Hamas – que atinge diretamente o povo palestino – já resultou em quase mil mortes desde o primeiro ataque, ainda no sábado, 7.

A preocupação é que o conflito se espalhe por outras regiões do globo terrestre.

A posição do Brasil nos próximos dias será importante para a diplomacia mundial…

0

Rosa Weber já está aposentada; Lula já pode anunciar novo ministro do STF…

Ministra pediu aposentadoria – concedida pelo presidente e já publicada no Diário oficial da União nesta sexta-feira, 29 – apenas poucas horas após deixar a presidência do tribunal; expectativa agora é em torno no nome a ser anunciado para a vaga

 

Flávio Dino é o mais cotado para substituir a ministra Rosa Weber, aposentada nesta sextafeira, 29; Lula está internado, já pode anunciar o escolhido

A edição do Diário Oficial da União desta sexta-feira, 29, trouxe a aposentadoria da ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal.

Ela pediu a aposentadoria apenas poucas horas após deixar a presidência do STF; o pedido foi concedido imediatamente ploe presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

As atenções agora se voltam ao nome do substituto de Rosa Weber, que já pode ser anunciado.

Lula foi internado nesta sexta-feira, 29, para fazer uma cirurgia de correção de um artrose no quadril.

Mas ele deverá despachar normalmente do Palácio do Alvorada nas próximas semanas…

0

Ameaça da oposição à indicação de Flávio Dino ao STF preocupa Lula

Presidente começou a mandar emissários ao Senado para sondar as chances do ministro da Justiça, diante da reação de senadores bolsonaristas, sobretudo do presidente da Comissão de Constituição e Justiça, Davi Alcolumbre, que vê dificuldades na aprovação do maranhense

 

Lula quer Dino no STF, mas o ministro nãos e movimenta em busca de votos, o que pode levar a uma derrota do governo e dele próprio

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) começou a agir mais fortemente para garantir a aprovação, pelo Senado, ao seu indicado para o Supremo Tribunal Federal.

A reação de senadores bolsonaristas à indicação – sobretudo se o escolhido for o ministro da Justiça Flávio Dino (PSB) – preocupa Lula, que tem mandado emissários para sondar as chances de Dino e de outros possíveis indicados.

Lula vai indicar o novo ministro do STF na semana que vem, após aposentadoria compulsória da ministra Rosa Weber, na próxima segunda-feira, 2.

Presidente da Comissão de Constituição e Justiça – que encaminha a indicação para apreciação do plenário – o senador  Davi Alcolumbre (União Brasil-AP) tem dito nos bastidores que o nome de Dino enfrenta resistências; outra manifestação pública veio do senador  Flávio Bolsonaro (PL-RJ, que pretende “tornar um inferno” a votação da indicação do maranhense.

Para ser aprovado no Senado Federal, o nome indicado pelo presidente da República ao STF precisa ter ao menos 41 dos 81 votos possíveis; a última vez que um nome foi rejeitado no Senado para o Supremo ocorreu há 130 anos, em 1894.

O problema é que o próprio Alcolumbre tem um candidato ao STF, o advogado Bruno Dantas; por isso, deve criar embaraços a Flávio Dino, caso o ministro da Justiça não se movimente em busca da aprovação dos colegas.

Outro problema é a falta de movimentação do próprio Dino; como até agora ele tenta demonstrar certa indiferença ao seu favoritismo, acba não indo em busca dos votos necessários.

E essa postura blasè do ministro pode prejudicar sua votação, o que seria uma derrota política.

Tanto para o governo quanto para ele…

Com informações de O Globo

0

Os alertas deste blog a Flávio Dino sobre o PT…

Desde o início do governo Lula, ministro da Justiça sempre foi visto como adversário pelo partido do presidente, condição que vem ganhando cada vez mais força à medida que o maranhense se envolve em questões de outras pastas e se vende como favorito ao Supremo Tribunal Federal

 

Histriônico e teatral, Flávio Dino irrita colegas de ministério e é visto como ameaça pelas lideranças do PT no governo Lula

Análise da Notícia

Em 1º de fevereiro, um mês depois da posse de Lula (PT) na presidência da República, este blog Marco Aurélio d’Eça escreveu o post “Flávio Dino tenta ofuscar o brilho de Lula e quebra a primeira lei do poder…”.

Tratou-se de um Ensaio sobre a onipresença de Dino em todos os assuntos do governo, texto que fazia um alerta bem claro ao ministro da Justiça.

– No primeiro mês de governo Lula, Flávio Dino apareceu duas vezes mais que o próprio presidente no Jornal Nacional, da Rede Globo, exemplo maior da exposição pública no Brasil. Entendem os petistas que o brilho do mestre está ofuscado; e Dino pode pagar caro por isso – ponderou o post.

Flávio Dino não é apenas antipatizado no governo do PT, mas também é detestado no Congresso Nacional, como mostrou pesquisa do Congresso em Foco.

Diversos outros posts de alerta deste blog Marco Aurélio d’Eça foram escritos ao longo dos últimos oito meses, mas Dino só piorou a sua relação com o PT, que o vê como clara ameaça ao projeto de poder do partido.

Para frear os ímpetos petistas, o ministro da Justiça tratou de inventar um suposto favoritismo para o Supremo Tribunal Federal, coisa que só existe na cabeça dele e dos seus asseclas, como mostrado no post “De como Flávio Dino cria, ele mesmo, a falsa ideia de que é cotado para o STF…”.

Mas a farsa de Dino – que usa a história do favoritismo do STF para emparedar adversários e aliados – acabou voltando-se contra ele próprio, por que o PT passou a ver esta possibilidade como um caminho para se livrar do maranhense.

É claro que nem Flávio Dino é favorito ao STF e muito menos ele pensa em deixar a política; sabe que, aceitando, perderá o Ministério da Justiça para o PT e ficará fora da sucessão do próprio Lula, pelo menos nas próximas eleições.

Ocorre que o PT já decidiu que este é a saída para tirá-lo do caminho presidencial.

E ficará feio para ele, agora, recusar a indicação de Lula.

Simples assim…