6

Para Lula, apoio a Weverton é o caminho natural do PT no Maranhão

Embora lideranças estaduais ainda defendam outros caminhos – como candidatura própria e até aliança com o PSDB – ex-presidente quer o seu partido unificado no palanque do antigo aliado

 

Weverton teve nova reunião com Lula, em Brasília, e praticamente fechou apoio do PT no Maranhão

O encontro do ex-presidente Lula (PT) com o senador Weverton Rocha (PDT), nesta terça-feira, 5, em Brasília, foi um definitivo encaminhamento ao PT maranhense para as eleições de 2022.

Lula está disposto a subir no palanque de Weverton mesmo se o PDT mantiver a candidatura do ex-ministro Ciro Gomes; e Weverton já recebeu o aval do PDT para apoiará também o petista. 

Esta indicação de Lula ao PT maranhense vem sendo dada desde maio, quando o ex-presidente recebeu o senador em um jantar na capital federal, organizado pela bancada petista no Congresso.

Em agosto, o petista esteve no Maranhão, quando declarou que o pedetista “sempre esteve conosco”, referindo aos apoios recebidos do senador ao longo de sua história política. (Relembre aqui, aqui, aqui e aqui)

No Maranhão, o PT se divide entre os que pregam candidatura própria, os que já estão no palanque de Weverton e os que defendem aliança com o vice-governador  Carlos Brandão (PSDB).

O novo encontro de Lula e Weverton, no entanto, deve unificar definitivamente o projeto petista no estado, com a possibilidade, inclusive, de indicar o vice do senador.

Mas esta é uma outra história…

3

Maranhão também está na agenda de Lula em Brasília…

Ex-presidente está na capital federal desde domingo para uma série de encontros políticos com vistas às eleições de 2022; ele pretende definir ainda em 2021 a formação dos palanques do PT nos estados

 

Com conversas em Brasília, Lula pretende definir logo o seu palanque no Maranhão para as eleições de 2022

Em Brasília desde o domingo, 3, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem se reunido com políticos de diversas correntes, para iniciar a montagem dos palanques para as eleições de 2022.

O Maranhão também está no radar do petista.

Lula quer formar uma ampla aliança de centro-esquerda no Maranhão; para isso vai conversar com as lideranças políticas do estado.

É a primeira rodada de conversas do ex-presidente após visita aso estados do Nordeste, em que iniciou as discussões para as eleições.

A partir destas conversas, ele definirá quem serão os seus aliados entre os candidatos a governador.

6

Felipe Camarão mantém-se como “carta na manga” de Flávio Dino

Nas conversas com o ex-presidente Lula e com seus aliados mais próximos, governador admite duas hipóteses para o seu secretário de Educação: torná-lo vice em uma das chapas da base ou ficar no governo e trabalhar para elegê-lo seu sucessor

 

Felipe Camarão se mostrou à vontade diante de Lula; e com as bençãos do governador Flávio Dino como opção do PT

Nas diversas conversas entre o governador Flávio Dino (PSB) e o ex-presidente Lula (PT) sobre as eleições de 2022, um tema recorrente foi posto na mesa: uma possível candidatura do PT ao governo.

Destas conversas – no Maranhão e fora dele – o blog compilou uma série de tratativas entre Dino e Lula apuradas entre aliados de ambos nas últimas semanas; desta compilação básica resulta o seguinte diálogo:

Flávio Dino: O PT precisa aguardar nossa definição, por que temos o Felipe Camarão como opção já filiada;

Lula: Esse não é do PT; está no PT. E haverá uma guerra por essa indicação, caso ele seja vice de uma das chapas;

Flávio Dino: ele pode ser candidato a governador.

Lula: Não há problema. Você fica no governo até o final e elege seu secretário governador. Depois, vencendo, a gente te faz ministro.

Flávio Dino: mas, e o Senado?

Lula: esse é outro problema seu, companheiro…

A conversa recriada pelo blog Marco Aurélio D’Eça reforça duas questões levantadas por aliados e adversários de Dino nos últimos meses:

1 – Felipe Camarão é, sim – e continuará sendo – opção do governador para as chapas majoritárias de 2022;

2 – Diante da dificuldade de unificar a base em torno de um candidato, Flávio Dino pode mesmo ficar no cargo até o fim do seu governo.

E pelo andar da carruagem, estas duas questões estão cada vez mais na pauta das conversas no palácio dos Leões.

1

“Weverton sempre esteve conosco”, diz Lula em coletiva de Imprensa

Ex-presidente abriu encontro com jornalistas agradecendo a solidariedade do senador do PDT – primeiro maranhense a visitá-lo na prisão, em Curitiba, e a denunciar o ex-juiz Sérgio Moro – e disse que o PT está dialogando para definição do apoio no Maranhão, mostrando preferência que “o escolhido seja do campo progressista”

Lula agradece solidariedade de Weverton e ressalta que o senador sempre esteve ao seu lado

O ex-presidente Lula abriu sua coletiva de imprensa em São Luís, nesta sexta-feira, 20, com uma declaração pública que não deixa mais nenhuma dúvida sobre a sua preferência para o Governo do Estado nas eleições de 2022.

– Queria cumprimentar o companheiro Weverton, que esteve junto conosco nesse período todo, que tem demonstrado solidariedade em todos os momentos que precisamos – disse Lula, segurando a mão do senador pedetista.

Weverton foi o primeiro maranhense a visitar Lula em Curitiba; ele também denunciou o ex-juiz Sérgio Moro e a irregularidade na condenação do ex-presidente, depois confirmadas pelo Supremo Tribunal Federal.

– Sou leal ao que acredito e não aceitei a injustiça que fizeram com Lula. Estive ao lado dele mesmo quando todos seguiam na direção contrária. Sigo tendo lado, o lado do povo do Maranhão e dos que mais precisam – disse Weverton, ao comentar a fala do petista após a entrevista.

Lula cumprimenta Weverton publicamente durante entrevista coletiva após encontros em São Luís

Durante a coletiva, respondendo a uma pergunta do jornalista Gilberto Léda sobre o apoio do PT nas eleições do Maranhão, Lula diz que o partido vai continuar dialogando, mas apontou o caminho desejado por ele:

– Eu preferia que o escolhido fosse do campo progressista – frisou.

Mas à frente, ao estabelecer a importância da unidade do campo progressista na eleição presidencial de 2022, o ex-presidente cita quais partidos estão neste campo: PT, PDT, PCdoB, PSB, PSOL e até o MDB.

A entrevista coletiva do ex-presidente foi o último ato de sua visita a São Luís.

Ele embarcou de volta  a São Paulo no meio da tarde… 

3

“Minha relação com Lula é natural, não forçada”, diz Weverton…

Pré-candidato do PDT a governador alertou que este tipo de relação política não pode ser forçada por oportunismo político por que as imagens e os gestos mostram a realidade

 

Weverton com Lula e Flávio Dino: relação histórica nas lutas da esquerda brasileira desde o movimento estudantil

Em entrevista ao programa Ponto Continuando, da rádio Educadora AM, o senador  Weverton Rocha (PDT) falou nesta quinta-feira, 19, da sua participação na visita do ex-presidente Lula (PT) ao Maranhão.

Histórico aliado do PT, o senador lembrou que sua relação com Lula é natural –  “e não forçada por oportunismo político” – e que esteve sempre ao seu lado em todas as fases históricas do Brasil.

– É natural, portanto, que Lula esteja mais à vontade comigo. Não sou um estranho no grupo, estive com ele nas vitórias e nas derrotas, fui o primeiro maranhense a visitá-lo e denunciar sua prisão arbitrária – lembrou. (Relembre aqui, aqui, aqui e também aqui)

A intimidade demonstrada por Lula em relação a Weverton ficou evidente nas imagens e vídeos da visita do ex-presidente – e foi ressaltada pelos integrantes do programa.

Uma fala de Lula a Weverton durante o jantar no Palácio dos Leões – que muitos disseram ter sido “Vamos jantar, meu governador” – também foi questionada pelos apresentadores; o senador preferiu minimizar.

– Quem estava próximo ouviu exatamente o que ele disse; não preciso ficar repetindo – encerrou.

Lula e Weverton têm encontro reservado nesta sexta-feria, 230, antes de o ex-presidente deixar o Maranhão.

2

A difícil equação de Carlos Brandão com PSDB e PT

Vice-governador tucano mostra-se desconfortável no ambiente petista com o ex-presidente Lula, no mesmo dia em que o principal nome do seu partido, Fernando Henrique Cardoso, declara apoio a João Dória, que deu aval à sua ficha de filiação ao ninho

 

Brandão com Dória e Brandão com Lula: falta de afinidade do tucano com o petista fica evidente em imagens colhidas ao longo da visita do ex-presidente

O vice-governador Carlos Brandão (PSDB) conseguiu estar na agenda do ex-presidente Lula (PT) com o governador Flávio Dino (PSB), em um ambiente absolutamente de esquerda e no qual se mostrou totalmente desambientado.

E para piorar a situação do tucano maranhense, o também ex-presidente Fernando Henrique Cardoso declarou apoio ao governador João Dória (SP) para presidente, no mesmo dia em que Brandão tirava foto com Lula.

Dória foi o responsável por avalizar a volta de Brandão ao PSDB, no mês de março, como garantia de um palanque no estado à sua candidatura presidencial.

Para completar, o próprio Lula deu uma alfinetada no PSDB na manhã desta quinta-feira, 19, na visita ao Hospital São Luís, acusando os tucanos de prejudicar o SUS em seu governo, segundo revelou o blog do jornalista Martin Varão.

Vídeo em que Weverton e Lula, bem à vontade, cumprimentam o público, diante de um constrangido Brandão

No mesmo evento, era possível perceber claramente a intimidade do ex-presidente com o senador  Weverton Rocha (PDT), diante de um Brandão pouco à vontade, como mostra o vídeo acima.

A aliança com que sonha o tucano maranhense – e até mesmo alguns petistas empregados no Palácio dos Leões – é, portanto, uma equação de difícil solução.

O que fica evidente pelas próprias imagens deste post….

3

Lula confirma troca do comando estadual do PT no Maranhão

A partir de dezembro, Francimar Melo assume o comando do partido no estado, no lugar de Augusto Lobato, como cumprimento do acordo que resultou na reeleição do atual presidente, em 2018

 

Francimar Melo (à direita), com Honorato Fernandes – que vai permanecer no diretório municipal até o final de 2022 – e do ex-presidente Lula

O diretório regional do PT vai experimentar uma troca de comando a partir de dezembro.

Sai o atual presidente, Augusto Lobato e assume Francimar Melo.

A mudança foi confirmada aos militantes pelo ex-presidente Lula, como fruto do acordo que resultou na garantia da reeleição de Lobato, no PED de 2018.

Melo é ligado ao ex-vice-governador e atual conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Washington Oliveira.

Para as alas mais próximas ao Palácio dos Leões – onde os petistas ligados ao governador Flávio Dino estão empregados – a mudança de nomes no comando não terá influência na decisão do PT sobre as eleições de 2022.

Lula, no entanto, reafirmou aos militantes, durante jantar com Flávio Dino, que a decisão será dele e da executiva nacional.

Mas esta é uma outra história…

1

Othelino Neto, Erlânio e Osmar Filho terão protagonismo com Lula

Aliados do senador Weverton Rocha, presidentes da Assembleia Legislativa, da Famem e da Câmara de São Luís participarão de agenda com o ex-presidente, além do almoço exclusivo entre o pedetista e o petista

 

Osmar Filho, Othelino e Weverton estão na linha de frente da campanha de Weverton; e serão protagonistas na visita de Lula

Principais articuladores da pré-campanha do senador Weverton Rocha (PDT) ao Governo do Estado, o deputado estadual Othelino Neto (PCdoB), o prefeito Erlânio Xavier (PDT) e o vereador Osmar Filho (PDT) terão forte protagonismo na agenda do ex-presidente Lula em São Luís.

Todos – incluindo o próprio Weverton – participarão do jantar desta quarta-feira, 18, que o governador Flávio Dino (PSB) oferecerá ao líder petista. 

Presidente da Federação dos Municípios (Famem), Erlânio Xavier coordenará, nesta quinta-feira, 19, a reunião de Lula com os prefeitos maranhenses, em que serão discutidas políticas públicas nacionais de impacto nas cidades.

Como presidente da Câmara Municipal de São Luís, Osmar Filho deverá acompanhar Lula nas vistas às obras na capital maranhense, realizadas pelo governo Flávio Dino (PCdoB).

Na sexta-feira, 20,  Othelino Neto, Erlânio Xavier e Osmar Filho serão alguns dos poucos presentes no almoço exclusivo com o qual Weverton receberá Lula em sua casa, quando serão tratadas as alianças para as eleições de 2022.

Só após este encontro, o ex-presidente deixará São Luís…

3

Felipe Camarão confirma papel de coringa do governo Flávio Dino

Ao declarar-se disposto a disputar qualquer mandato que o PT e o governador  Flávio Dino julguem importante, secretário de Educação consolida-se como opção para o Governo do Estado dentro do Palácio dos Leões

 

Felipe Camarão em ação ao lado do Flávio Dino na semana passada: opção ao fraco desempenho de Carlos Brandão

Apontado como opção do governador Flávio Dino (PSB) – diante do fraco desempenho político-eleitoral do vice-governador Carlos Brandão (PSDB) – o secretário de Educação Felipe Camarão confirma disposição para entrar no jogo da sucessão de 2022.

– Estou disposto a me candidatar a deputado federal ou a qualquer outro mandato que o partido julgue importante e que o nosso time liderado pelo governador Flávio Dino também julgue importante – disse Camarão, em entrevista ao jornal O Imparcial.

O nome do secretário passou a ganhar força nos bastidores do Palácio dos Leões diante da dificuldade do vice-governador  Carlos Brandão em formar alianças partidárias e crescer nas pesquisas.

Na semana passada, por exemplo, Camarão divulgou um vídeo em que fala com postura de pré-candidato a governador; e foi acompanhado pelo próprio Flávio Dino em uma de suas visitas ao interior.

Flávio Dino tenta convencer a cúpula nacional do PT a apoiar a candidatura do tucano Brandão, mas encontra resistência, tanto da direção partidária quanto do ex-presidente Lula, que prefere o palanque do senador  Weverton Rocha (PDT).

Diante dessa resistência petista, Dino quer transformar Felipe Camarão, em espécie de coringa, como candidato alternativo.

O problema é convencer Brandão a abrir mão da candidatura, mesmo assumindo mandato em abril de 2022.

A menos, claro, que Flávio Dino permaneça no cargo, abrindo mão da candidatura ao Senado, como sugeriu o próprio Lula.

Mas esta é uma outra história…

1

Lula espera ter encontro com Sarney no Maranhão…

Ex-presidente tem viagem prevista a São Luís no dia 19 de agosto; cumprirá agenda oficial com o governador Flávio Dino, reunir-se-á com prefeitos e lideranças de movimentos sociais, mas pretende também conversar com seu amigo e conselheiro presidencial

 

Lula em um recebente encontro com Sarney, ainda em Brasília, no mês de julho; agora, o ex-presidente emedebista está no Maranhão

Em sua visita ao Maranhão, a partir da próxima quinta-feira, 19, o ex-presidente Lula (PT) deverá ter um encontro pessoal com o também ex-presidente José Sarney (MDB).

O pedido de encontro partiu do próprio Lula, que soube da presença de Sarney no Maranhão.

Sarney passou mais de um ano sem vir ao Maranhão por causa da pandemia de coronavírus; desembarcou semana passada em São Luís e está hospedado na casa da filha, a ex-governadora Roseana Sarney (MDB).

Segundo informou o blog Marco Aurélio D’Eça, em primeira mão, semana passada, Lula vem ao Maranhão para uma série de compromissos políticos e administrativos,

Ao lado do governador Flávio Dino (PSB), ele visitará uma creche de tempo integral às margens da Avenida Quarto Centenário. Também se reúne com representantes dos movimentos sociais e lideranças petistas,

Outro ponto político da agenda é a reunião com prefeitos, coordenada pelo presidente da Federação dos Municípios (Famem), Erlânio Xavier (PDT).

Tanto no encontro com prefeitos quanto na reunião com José Sarney, a pauta será as eleições de 2022.

Mas esta é uma outra história…