0

Gastão lamenta esquecimento de suas ações em favor de Rosário

O deputado federal Gastão Vieira (Pros) se mostrou decepcionado após não ter sido sequer convidado para a inauguração da obra de requalificação do Complexo Ferroviário de Rosário, na ultima sexta-feira (20), com a presença do atual ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio.

Os recursos para a realização da obra fruto da parceria entre o Iphan e a Prefeitura de Rosário foram garantidos pelo então ministro do Turismo, Gastão Vieira, ainda no governo de Dilma Rousseff.

“A inauguração do Complexo Ferroviário de Rosário, marcada para esta sexta-feira, me faz olhar pra trás e ter a certeza de que fizemos a nossa parte. É uma obra que vai mexer com a economia, criar oportunidades de emprego, renovar o orgulho do povo de Rosário! Parabéns!”, disse.

Gastão disse que houve protestos por conta da sua ausência.

“Nada a ver com a população…ontem em Rosario foram muitos os protestos da população, pela minha ausência”, afirmou.

Gastão fez uma reflexão e lembrou que muitas prefeituras do Maranhão estão entre as que mais atrasam obras no país.

“As prefeituras do Maranhão se destacam entre aquelas que demoram mais para concluir uma obra, que levam mais tempo para prestar contas, com um grande numero de obras paralisadas e abandonadas. Em média uma escola leva três anos para ser concluída, uma creche cinco”, afirmou.

E finalizou se dizendo vítima do “esquecimento”de muitos prefeitos.

“Essa demora faz com que população esqueça quem foi o verdadeiro benfeitor, prefeitos que não trabalham se apropriarem de obras para as quais não contribuíram com nada. Como sou o deputado com mais obras espalhadas pelo Maranhão, sou a vítima preferencial desse procedimento”.

Uma coisa é certa. Os atuais políticos podem “esquecer” e “ignorar” a luta e a importância que Gastão Vieira deu a essa obra, mas temos a certeza de que a população sabe muito bem quem fez com que ela acontecesse de fato.

2

Frustrado com Guedes e Moro, Bolsonaro prepara reforma ministerial…

Superministros fracassaram nos projetos que apresentaram ao presidente e devem perder espaço ou mesmo deixar o governo; mudanças podem beneficiar também o senador maranhense Roberto Rocha, se ele trocar de partido

 

BOLSONARO NO HOSPITAL APÓS CIRURGIA NO ESTÔMAGO; antes da internação concluiu o esboço de uma reforma no ministério

Antes de seguir para a nova cirurgia no estômago, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) reuniu o núcleo duro do governo para concluir o esboço de uma mudança geral no seu ministério.

Nem mesmo os superministros Paulo Guedes e Sérgio Moro – que de “super” já não têm nada – estão garantidos no posto; e se ficarem, serão esvaziados ainda mais.

Passados oito meses da posse, Guedes não conseguiu mostrar ao presidente, à sociedade e ao mercado “sinais evidentes de recuperação da economia”, para usar uma expressão dele mesmo.

Moro, por sua vez, mostra-se cada vez mais tentado a concorrer à sucessão do próprio Bolsonaro, que vê sua presença na pasta da Justiça como uma espécie de catapulta para 2022 – e tende a esvaziá-la.

Se ficar no governo, Moro terá que aceitar a troca de comando em áreas ligadas a ele, como a Polícia Federal; se não aceitar, Bolsonaro já tem até um general escolhido para substituí-lo.

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, é considerado um erro pelo próprio presidente.

Também devem deixar o governo os ministros Augusto Heleno, do Gabinete Institucional, e Onyx Lorenzoni, da Casa Civil, ambos já devidamente esvaziados.

A reforma ministerial de Bolsonaro deve beneficiar pelo menos um maranhense, o senador Roberto Rocha (PSDB), caso ele aceite trocar de partido.

Mas esta é uma outra história…

1

Roberto Rocha a caminho do Ministério de Bolsonaro…

Político maranhense hoje mais próximo do Palácio do Planalto, senador tem com oi presidente relação pessoal que tem se estreitado ao longo dos últimos meses; e deve ser indicado para o Ministério das Comunicações

 

ROBERTO ROCHA ADQUIRIU STATUS DE RELAÇÃO PESSOAL COM BOLSONARO e agora deve assumir pasta no ministério

O senador maranhense Roberto Rocha (PSDB) deve ser indicado ministro do governo Jair Bolsonaro (PSL).

Político maranhense mais próximo do presidente, Rocha ganhou status de relação pessoal com Bolsonaro desde o início do mandato, ampliando a relação de confiança.

Segundo apurou o blog, ele deve assumir uma pasta no governo, provavelmente o Ministério das Comunicações.

É aguardar e conferir…

0

Ministro Leandro Cruz elogia atuação de Hildo Rocha em favor do esporte

O Ministro do Esporte, Leandro Cruz, disse que o deputado federal Hildo Rocha apoiou o esporte tanto no âmbito nacional quanto no plano estadual. De acordo com o ministro, o Maranhão ganhou muito ao renovar o mandato de Hildo Rocha.

“O Maranhão ganhou e o Congresso Nacional ganhou ainda mais por ter o  deputado Hildo Rocha de volta porque já no seu primeiro mandato ele atuou com desenvoltura de um veterano”, destacou o ministro.

Perfil técnico

Leandro Cruz destacou o perfil técnico de Hildo Rocha e agradeceu pela contribuição que o parlamentar deu ao esporte brasileiro.

“Hildo Rocha entende muito de orçamento e de finanças públicas, é preparado, competente trabalhador, um lutador. Representa muito bem o Maranhão, é um verdadeiro embaixador do Maranhão em Brasília. Obrigado, por todo apoio que você deu ao esporte brasileiro, nestes quatro anos, deputado”, sentenciou Cruz.

Visita de agradecimento

As declarações do Ministro foram dadas durante visita de cortesia que Hildo Rocha fez para agradecer o apoio recebido durante a gestão de Leonardo Cruz.

“Leandro me ajudou a conseguir emendas extraorçamentárias que destinei aos desportistas do Maranhão. Por meio desses recursos foi possível construir estádios; quadras cobertas; campos de futebol, ginásio de esporte e fazer a recuperação de quadras e melhorias de campos de futebol, que foram transformados em bons estádios.  Então, vim agradecer ao ministro e colocar o nosso gabinete à disposição dele para que possamos contribuir para o fortalecimento da política do esporte brasileiros e, principalmente para o Maranhão”, afiançou Hildo Rocha.

4

Quatro investigados e um justiceiro…

Ministério de Jair Bolsonaro vai iniciar com políticos denunciados pelos mesmos crimes que o presidente eleito condenou na campanha; e terão do lado um juiz que fez fama ao agir contra um partido específico

 

ONYX LORENZONI COM SÉRGIO MORO. Pedido de desculpas resolve problema da corrupção e caixa2?

O poderoso futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, é investigado por fraudes em negociações com Fundos de Pensão; mesmo assim foi confirmado no governo Jair Bolsonaro (PSL).

O futuro chefe da Casa Civil, Onys Lorenzoni (DEM), é investigado por recebimento de caixa 2 das empresas investigadas na operação Lava Jato; mesmo assim, foi confirmado por Bolsonaro.

MORO COM PAULO GUEDES. Corrupção em fundos de pensão e interlocução por ministério

A futura ministra da Agricultura, Teresa Cristina (DEM), é investigada por favorecer a JBS, empresa-símbolo da corrupção investigada na Lava Jato; mesmo assim, estará na equipe de Bolsonaro.

O ministro da Saúde anunciado nesta terça-feira, 20, Luiz Henrique Mandetta, é investigado por fraude em licitação, tráfico de influência e Caixa 2; e teve seu nome anunciado por Bolsonaro.

Todos estes investigados sentarão na mesma mesa do futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro, o justiceiro do PT, que já até tem discurso para defender os colegas de ministério.

Este será o governo Bolsonaro…

1

Novo ministro da Saúde fortalece Juscelino Filho…

Deputado federal maranhense elogiou a escola do democrata Luiz Henrique Mandetta para a pasta, fortalecendo ainda mais o DEM no futuro governo Jair Bolsonaro

 

Juscelino na reunião do DEM com Bolsonaro: três ministros assegurados

O deputado federal maranhense Juscelino Filho (DEM) comemorou a indicação do colega de bancada Luiz Henrique Mandetta para o Ministério da Saúde do governo Jair Bolsonaro (PSL).

Juscelino participou pessoalmente da reunião com Bolsonaro.

– Participei do anúncio feito pelo presidente Jair Bolsonaro, do próximo ministro da Saúde, nosso amigo, colega médico e de partido, o deputado federal Luiz Henrique Mandetta – afirmou Juscelino.

Com a indicação de Mandetta, o DEM mostra força no governo Bolsonaro já com três ministérios assegurados.

Além da Saúde, o partido de Juscelino vai comandar a Casa Civil, com Onyx Lorenzoni, a Agricultura, com a também deputada federal do DEM do Mato Grosso do Sul, Tereza Cristina Dias, como ministra da Agricultura.

O anúncio foi feito no Centro Cultura do Banco do Brasil, onde funciona o governo de transição…

3

Roberto Rocha foca no Ministério das Cidades como contraponto a Flávio Dino…

Senador tucano que se aproximou de Bolsonaro no segundo turno aposta na adesão do PSDB ao presidente eleito para ocupar posto de destaque em Brasília e tentar recuperar o cacife político no Maranhão

 

ESPAÇO DE PODER. Rocha viu na aliança com Bolsonaro uma forma de recuperar o cacife perdido com a derrota acachapante na eleição de governador

O senador Roberto Rocha (PSDB) influenciou diretamente o voto de aliados e correligionários a Jair Bolsonaro no Maranhão.

E usou um argumento de peso: o senador tucano vende a possibilidade de assumir a liderança do novo governo no Congresso Nacional ou mesmo o Ministério das Cidades.

Segundo apurou o blog de Marco Aurélio D’Eça, foi assim que ele convenceu os aliados – muitos dos quais sem relação ideológica com Bolsonaro – a votar o presidente eleito.

Como ministro, Rocha espera ganhar cacife para polarizar o poder no Maranhão com o governador Flávio Dino (PCdoB), sobretudo agora, com a saída de cena do grupo Sarney, derrotado em todos os níveis.

Até porque, o comunista se fortalece no Nordeste, com a região toda governada por representantes da esquerda e com as lideranças nacionais desse campo político também fora do debate eleitoral.

Rocha sabe que sua vaga de senador, em 2022, pode ser disputada pelo próprio Flávio Dino; e quer ter espaço de poder para viabilizar-se como opção de governador daqui quatro anos.

Caberá ao tucano suplantar na interlocução com o presidente eleito bolsonaristas de primeira hora, como Maura Jorge, Aluisio Mendes e Chico Carvalho.

Mas ele aposta exatamente no posto de senador para isso.

É aguardar e conferir…

Leia também:

Roberto Rocha e Flávio Dino oito anos depois…

Roberto Rocha vence debate com nocaute em Flávio Dino…

Para Roberto Rocha, comunismo é o avanço do atraso no MA…

4

“Não vetei nem Flávio Dino para Embratur”, diz Sarney…

Ex-presidente nega qualquer influência no recuo do governo Temer em indicar para o Ministério do Trabalho o maranhense Pedro Fernandes, visto por ele como ex-amigo

 

“FOI NOSSO AMIGO”. Sarney nega qualquer influência ou veto a Pedro Fernandes no Ministério de Temer

O ex-presidente José Sarney (MDB) marcou duas posições em uma mesma resposta, nesta terça-feira, 2, ao negar influência no recuo do presidente Michel Temer (MDB) em nomear o deputado maranhense Pedro Fernandes (PTB) para o Ministério do Trabalho.

A primeira estocada de Sarney foi no governador Flávio Dino (PCdoB), ao revelar que o comunista só foi nomeado para a Embratur com a sua anuência.

– No passado, não vetei nem Flávio Dino para a Embratur – respondeu o ex-presidente, ao ser questionado quanto à decisão de Temer de não mais nomear Pedro Fernandes.

Em seguida, Sarney deixou claro sua atual relação com o próprio Fernandes.

INIMIGOS. Relação de Fernandes com Dino pesou na decisão de Temer

– Não faria isso para alguém que foi nosso amigo – disse ele, referindo-se ao deputado do PTB.

Anunciado pelo PTB na quinta-feira, 28, com previsão de publicação da nomeação no Diário Oficial do dia seguinte, o deputado teve a indicação suspensa depois de reafirmar seu apoio a Flávio Dino, inimigo político de Michel Temer.

O anúncio de que não seria mais ministro foi dado hoje, pelo próprio Pedro Fernandes.

Mestre da política, Sarney usa um momento delicado na mídia e sai por cima, mostrando o tamanho do seu prestígio nacional.

Simples assim…

0

Pedro Fernandes deve tomar posse semana que vem…

Indicado para o Ministério do Trabalho do governo Michel Temer, deputado federal maranhense vai pedir30 licença no mandato na Câmara

 

Pedro Fernandes vai assumir o Ministério do Trabalho

O deputado federal Pedro Fernandes (PTB), deve tomar posse como ministro do Trabalho e Emprego na próxima semana.

O ato será comandado pelo presidente da República Michel Temer (MDB).

“Estamos aguardando tão somente a publicação da nomeação no Diário Oficial para somente então ser empossado. Não participei da reunião com o presidente, mas o que foi me passado é de que foi bastante proveitosa”, disse.

Fernandes foi indicado pelo partido para substituir o ex-ministro Ronaldo Nogueira, também do PTB, que pediu demissão do posto na última quarta-feira.

No lugar do deptuado do PTB assume o suplente Davi Alves Silva Filho, o Davizinho (PR)…

0

Pedro Fernandes ministro fortalece projetos de Pedro Lucas e José Reinaldo…

Novo membro do governo Michel Temer fortalece candidatura do filho à Câmara e abre espaço para articulações do ex-governador ao Senado

 

Pedro Lucas fortalece seu projeto federal com a ascensão do pai ao ministério

A ascensão do deputado Pedro Fernandes ao Ministério do Trabalho tem impactos direto na política do Maranhão.

O Mais eminente é o fortalecimento natural da eleição do filho Pedro Lucas Fernandes para a vaga de deputado federal, substituindo o próprio pai, que ao assumir o ministério, se despede do congresso.

Amigos de longas datas, José Reinaldo tem Fernandes como entusiasta de seu projeto senatorial

Outro que ganha força é o ex-governador José Reinaldo Tavares.

Amigos de longa data, Pedro Fernandes é um dos principais aliados de José Reinaldo no projeto para a chegada do amigo ao Senado.