0

São Luís encabeçará campanha do PDT no Maranhão…

Candidatura do ex-vereador Fábio Câmara lidera o projeto eleitoral do partido do senador Weverton Rocha nos principais colégios eleitorais maranhenses, com destaque para Imperatriz e Timon, além de alianças importantes em diversos outros municípios

 

Weverton tem na candidatura de Fábio Câmara em São Luís a cabeça do projeto do PDT em todo o Maranhão nas eleições de outubro

Pré-candidato natural à reeleição ao Senado em 2026, o senador Weverton Rocha iniciou a consolidação das candidaturas do PDT nos principais colégios eleitorais maranhenses em 2024; o projeto é encabeçado pela candidatura do ex-vereador Fábio Câmara em São Luís.

Além de Fábio Câmara, cujo lançamento da campanha se dará no mesmo dia da convenção do partido, prevista para o dia 14 de junho, o PDT terá candidatos em Imperatriz e Timon, para citar alguns dos principais colégios eleitorais maranhenses.

Principal interlocutor do presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Maranhão, desde a aposentadoria política do ministro Flávio Dino, Weverton tem a preferência de Lula e do PT para figurar na chapa majoritária de 2026 – que deve ser encabeçada pelo vice-governador  Felipe Camarão (PT) – situação que o próprio presidente já vem conversando com o governador Carlos Brandão (PSB).

Mesmo em relação estreita com o presidente, o senador quer fortalecer o PDT nos principais colégios eleitorais.

O que, naturalmente, aumentará o cacife eleitoral do partido na sucessão estadual…

0

Desempenho de Fufuca à frente do Ministério do Esporte faz dele personagem estratégico do Governo Lula

Ministro cumpriu o desafio dado pelo presidente de trazer a Copa do Mundo de Futebol Feminino de 2027 para o Brasil, anúncio feito semana passada pela Fifa, o que elevou seu cacife na capital federal; nesta segunda-feira, 27, foi novamente recebido a sós por Lula em palácio

 

Fufuca mais uma vez com Lula no Palácio do Planalto, em Brasília; aproximação efetiva

A semana política em Brasília está encurtada pelo feriado de Corpus Christi.

Mas nem isso diminui a atenção aos movimentos milimetricamente calculados das peças no tabuleiro que reúne Congresso e Governo frente a frente, numa partida que terá resultados mais nítidos em outubro, já que este é um ano eleitoral.

E quem olha com atenção já percebeu que há um movimento de aproximação indisfarçável do presidente Lula com o ministro André Fufuca, do Esporte; esse cacife do ministro maranhense já foi destacado neste blog Marco Aurélio d’Eça, no post “André Fufuca em outro nível de relação com Lula…”.

Desde que chegou à cadeira de ministro, Fufuca vem sendo demandado por Lula em missões específicas.

Na última reunião ministerial do ano passado, em dezembro, Lula fez um desafio direto a Fufuca, reconhecendo a sua habilidade de negociador e depositando nele a enorme expectativa de ver o Brasil escolhido para ser a sede da Copa do Mundo Feminina de Futebol de 2027.

A considerar o resultado da empreitada, dá para recorrer a um jargão futebolístico e dizer que “Fufuca matou no peito e, sem deixar a bola cair, fez um golaço.”

A Fifa escolheu o Brasil para sediar a Copa Feminina de 2027 e a conquista aproximou ainda mais o presidente e o ministro.

Tanto que a curta semana começou com Lula recebendo Fufuca em seu gabinete já na manhã de segunda-feira, 27.

0

Lideranças silenciam sobre aproximação de Brandão com Lula…

À exceção do deputado estadual Othelino Neto, nenhum dos diretamente interessados nas eleições de 2026 quis falar publicamente sobre a busca do governador por uma agenda própria com o presidente da República, que tem claro objetivo na sucessão estadual

Brandão tenta criar um agenda pessoal com o presidente Lula e influenciar diretamente a montagem da chapa de 2026 no Maranhão

Apesar das manifestações “em off” e dos comentários jocosos de bastidores, nenhum dos personagens mais diretamente interessados nas eleições de 2026 – à exceção do deputado estadual Othelino Neto (Solidariedade) – quis falar diretamente sobre a movimento de aproximação pessoal do governador Carlos Brandão (PSB) com o presidente Lula (PT).

Em menos de um mês, Brandão teve dois encontros a sós com Lula, visto pelos aliados como a criação de uma agenda própria; este blog Marco Aurélio d’Eça analisou os dois encontros, reforçando o interesse político mostrado pelo próprio Brandão, como destacado no post “Brandão cada vez mais próximo de Lula…”.

Além de Othleino Neto, este blog Marco Aurélio d’Eça buscou ouvir todos os personagens diretamente ligados às eleições majoritárias de 26.

  • o vice-governador Felipe Camarão é o sucessor natural de Brandão e o nome do PT de Lula nas eleições;
  • o senador Weverton Rocha (PDT) é hoje o principal interlocutor de Lula em Brasília e busca a reeleição;
  • a também senadora Eliziane Gama (PSD) ainda tenta se posicionar com relação à sucessão estadual de 26;
  • o ministro do Esporte André Fufuca (PP) tem agenda política claramente voltada à eleição de senador no MA;
  • o deputado federal Márcio Jerry (PCdoB) é hoje o principal interlocutor de Brandão no chamado grupo dinista;
  • também foi ouvido o deputado estadual Rodrigo Lago (PCdoB) que se posiciona entre o dinisno e o brandonismo.

É uma tentativa de ser um dos candidatos de Lula ao Senado; coisa difícil de acontecer”, avaliou Othelino Neto, hoje claramente na oposição a Brandão e único a não fazer reservas sobre o que falou a respeito do encontro do governador com o presidente.

Outros dos questionados vê o mesmo que Othelino no jogo de Brandão com Lula, mas acrescentou um dado relevante:

Lula sabe quem é Brandão e sabe dos seus aliados; sabe da Mical, do Yglésio, conhece o Fufuca e o Juscelino”, frisou, referindo-se aos deputados estaduais e os dois ministros lulistas de origem bolsonarista.

Outro que falou “em off” confirma haver “uma forçação de barra com vistas a 2026”, mas preferiu conversar pessoalmente com este blog Marco Aurélio d’Eça, quando promete contar “os bastidores do encontro”.

Os demais sequer responderam ao questionamento…

0

As vitórias de Fufuca no Ministério do Esporte…

No comando da pasta desde setembro de 2023, deputado federal maranhense tornou-se um dos mais influentes auxiliares do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, responsável nos últimos dias pela suspensão do Campeonato Brasileiro de Futebol e pela confirmação da Copa do Mundo de Futebol Feminino de 2027 no Brasil

 

Fufuca ao lado de craques do futebol: Gilberto Silva, o holandês Clarence Seedorf, o capitão Cafu e Athirson, que é seu auxiliar no Ministério do Esporte

Alçado ao comando do Ministério do Esporte em uma articulação do seu partido, o PP, o deputado federal maranhense André Fufuca tornou-se, em menos de um ano, um dos mais influentes auxiliares do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Além de ter conquistado líderes importantes das várias modalidades do esporte brasileiro, o maranhense contabiliza duas importantes vitórias recentes:

Fufuca chegou ao comando da pasta em meio à desconfiança e resistência de setores da imprensa esportiva; em pouco tempo, porém, conquistou boa parte das federações esportivas e se tornou queridinho de importantes desportistas brasileiros, o que avalizou sua permanência na pasta.

Além da influência externa que demonstra no comando do Esporte, Fufuca é também um dos mais queridos e respeitados ministros de Lula, com forte presença na Esplanada.

E essas conquistas reforçam ainda mais suas prerrogativas políticas.

Que poderão ter importantes resultados nas eleições de 2026…

0

A força estadual de Hilton Gonçalo…

Às vésperas de concluir seu quarto mandato em Santa Rita, prefeito já é uma liderança na região do Munin, tem forte influência na capital maranhense e na Grande São Luís e, à frente do partido Mobiliza, se prepara para disputar as eleições municipais em 70 cidades já com vistas às eleições de 2026

 

Hilton Gonçalo ganhou estatura estadual à frente da Prefeitura de Santa Rita, e hoje tem forte influencia no Judiciário e nos meios empresariais

Perfil

Desde que iniciou sua trajetória política, ainda no início dos anos 2000, o foco do prefeito de Santa Rita Hilton Gonçalo sempre foi a política estadual; por várias vezes tentou construir uma candidatura nas eleições gerais, mas precisou recuar em alguns momentos.

Hoje, às vésperas de concluir o seu quarto mandato como prefeito, Gonçalo é uma potência política com influência também no Judiciário e no setor empresarial; e essa força ele pretende testar definitivamente nas eleições de 2026.

Para isso, montou um projeto de alcance estadual em 2024:

  • deve eleger os sucessores em Santa Rita e Bacabeira, onde a mulher, Fernanda, é a prefeita; 
  • tem candidatos em Paço do Lumiar, Nova Colinas, Godofredo Viana, Bacabal, Morros e Viana;
  • seu partido deve indicar os vices de Josivaldo JP, em Imperatriz, e Enoque Mota, em Pastos Bons;
  • comporá alianças com Dinair Veloso, em Timon, Paulinho Jr., em Caxias, e André da Ralpnet, em Pinheiro.

Como presidente regional do Mobiliza, Hilton Gonçalo já montou diretórios em dezenas de cidades e calcula participar diretamente das eleições em pelo menos 70; mas é em São Luís que o ainda prefeito prepara uma espécie de base estadual.

Oficialmente, ele diz esperar direcionamento nacional, que defende participação na chapa para compor com um candidato a prefeito; nos bastidores, porém, é tido como um dos principais aliados do prefeito Eduardo Braide (PSD).

E deve estar com Braide também em 2026.

Quando os voos serão mais altos….

0

De como Brandão tenta criar canal de articulação própria com Lula…

Governador sabe que há lideranças no Maranhão bem mais próximas do presidente, como o senador Weverton Rocha, o deputado federal Márcio Jerry e o vice-governador Felipe Camarão; mas agora, sem o muro imposto pelo hoje ministro do STF Flávio Dino, iniciou um processo próprio para criar as condições de ser o interlocutor direto do petista com vistas à montagem da sucessão de 2026

 

Só nesta semana Brandão teve o seu primeiro encontro a sós com Lula; agora, quer criar as condições para ser a referência lulista no Maranhão

Análise da Notícia

Observadores políticos mais experientes viram no movimento midiático dos principais aliados do governador Carlos Brandão (PSB) – deputada Iracema Vale (PSB) à frente – uma clara tentativa de demarcar posição política do governador na relação com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Assunto que sempre coube à comunicação do próprio governo, o recente encontro entre Brandão e Lula, em Brasília, ganhou eco por intermédio da presidente da Assembleia, deputados estaduais e comentaristas políticos mais alinhados ao Palácio do Leões, como já havia destacado este blog Marco Aurélio d’Eça, no post “Iracema destaca primeiro encontro a sós de Brandão com Lula em Brasília…”.

Mas o que esta nova movimentação significa?

  • significa que Brandão já começou sua articulação com vistas à própria sucessão e quer ser, ele próprio – deixando ou não o governo em abril de 2026 – o principal interlocutor de Lula no estado;
  • significa também que o governador quer romper os muros que o separam do presidente para ter poder de influência na montagem da chapa que irá disputar as eleições gerais em 2026;
  • significa, mais ainda, que ele não pretende se afastar da base lulista, como pregam seus aliados – o que, na prática, seria suicídio político numa disputa ainda polarizada no país.

Sem histórico de ligação política com Lula e historicamente antagônico ao PT, Brandão sempre dependeu do agora ministro do Supremo Tribunal Federal Flávio Dino para chegar até o presidente; estes muros impostos por Dino foram mostrados por este blog Marco Aurélio d’Eça, sobretudo no o post “A guerra entre Flávio Dino e Sarney por Brandão em Brasília”.

O ministro da Justiça Flávio Dino (PSB) tem tentado desde o início do mandato construir um muro na relação entre o presidente Lula (PT) e o governador maranhense Carlos Brandão (PSB); Dino quer vender à classe política e à imprensa a ideia de que só ele é o caminho para Lula em Brasília. Mas Brandão tem buscado outro caminhos (…) é Sarney e seus aliados – e não Dino – quem tem aberto portas para o governador na capital federal – afirmou no post, de 14 de julho de 2023.

Com a aposentadoria política de Dino, todos no Maranhão igualaram-se em nível de influência, segundo o senador Weverton Rocha (PDT) pontuou, no post “‘Todo mundo no mesmo patamar’, disse Weverton sobre saída de Dino da política”.

Mas nessa relação de igualdade, Brandão ainda está em desvantagem na interlocução com Lula:

  • o próprio Weverton Rocha (PDT), por exemplo, tem relação histórica com o presidente e com o PT e uma espécie de dívida de gratidão de Lula, sobretudo pelo que houve nas eleições de 2022;
  • o deputado federal Márcio Jerry (PCdoB) é uma espécie de lugar-tenente de Flávio Dino e tem forte influência política nos partidos e relação histórica com os segmentos de esquerda em Brasília;
  • o vice-governador Felipe Camarão (PT) é naturalmente o candidato de Lula e dos dinistas à sucessão de Brandão, seja qual for a decisão do governador, de sair ou ficar no comando do governo.

Carlos Brandão acerta em buscar interlocução própria com Lula.

E acerta mais ainda em mostrar midiaticamente ao eleitor maranhense – via outros canais, uma vez que sua comunicação não raciocina pela lógica da formação de opinião – que é o principal líder no estado. 

É claro que outros personagens – como os citados neste post – irão se movimentar no contraponto a Brandão até 2026, na tentativa de mitigar os efeitos de sua articulação política.

Mas, assim como apostam em uma espécie de prazo de validade do governador, que diminui a cada dia, sabem que precisam aguardar a decisão dele antes de tomar as suas próprias.

Esses freios e contrapesos estarão sendo usados dia após dia até abril de 2026…

3

Roberto Rocha quer disputar Governo ou Senado em 2026…

Ao afirmar à rede Record Maranhão que já deu sua contribuição como deputado federal e estadual, ex-senador faz elogios ao governador Carlos Brandão, alfineta indiretamente o prefeito Eduardo Braide  – mesmo sem citar nome – e lembra que, mesmo em condições adversas, em 2022 teve mais votos para o Senado que os adversários de Lula, somados

 

Roberto Rocha falou do passado e do futuro político – dele e do Maranhão – e garantiu presença nas eleições majoritárias de 2026

O ex-senador Roberto Rocha (PTB) admitiu nesta quarta-feira, 8, em  entrevista ao programa Balanço Geral, da rede Record Maranhão, a possibilidade de concorrer ao Senado novamente nas eleições de 2026; na semana passada, a imprensa destacou interesse de Rocha apenas na disputa pelo governo, mas ele fala de “eleições majoritárias”, incluindo as duas possibilidades.

Quero disputar as eleições majoritárias de 2026. Fui três vezes deputado federal e uma vez estadual. Já dei minha contribuição em mandatos como estes. Um mandato majoritário exige mais experiências. Pretendo ser candidato majoritário, esse cargo pode ser governador ou senador. Deputado federal e estadual não está nos meus planos”, explicou Rocha, que descartou também as eleições municipais de outubro, numa alfinetada indireta, e sem citar nome, ao ex-aliado Eduardo Braide (PSD):

 

Não é correto que alguém que se eleja em 2024, assuma em 2025 e quando chega em 2026 renuncie para ser candidato. Acho isso, inclusive um estelionato. Por isso não vou disputar as eleições municipais.

 

Rocha lembra que disputou em condições adversas as eleições de senador em 2022 e, mesmo assim, alcançou cerca de 1,2 milhão de votos:

  • foram mais votos que a maioria dos candidatos a governador pela oposição, juntos;
  • mais votos que a soma de todos os adversários de Lula a presidente, incluindo Bolsonaro;
  • Mais votos que o então presidente Bolsonaro, inclusive na sua votação no 2º turno, contra Lula;

 

Na minha campanha nem eu nem minha família votamos em mim. Meu filho morreu durante a campanha. Foram mais votos que os candidatos a presidente. E só votos de oposição. Em raras exceções tive apoio político. 126 prefeitos participavam da minha coligação, 120 largaram para apoiar meu oponente, o Flávio Dino. Eu sei a razão, mas não é o caso de tratar disso agora”, lamentou o ex-senador.

 

Roberto Rocha fez elogios ao governador  Carlos Brnadão, a quem chamou de “decente” e “correto”; mas lembra que, mesmo com toda a força do Governo do Estado, e com a estrutura de campanha de Brandão escorada no presidente Lula (PT), ainda assim a população manifestou seu desejo de mudança.

Faltaram só 40 mil votos para o segundo turno. Se fosse para o segundo turno, o resultado poderia ter sido diferente”, acredita.

 

Rocha diz que tem aproveitado essa entressafra política para ver a vida com mais amplitude no espelho, se entender melhor, estar com a família e se dedicar aso estudos.

Ele deve anunciar um partido só às vésperas do debate sobre as eleições de 2026.

Mas pretende estar cada vez mais presente nas discussões políticas…

0

Roberto Rocha quer dividir a direita com Lahésio em 2026…

Ex-senador anunciou sua pré-candidatura ao Governo do Estado e quer reunir em torno de si os bolsonaristas maranhenses, sobretudo em Imperatriz e Balsas, onde alcançou a primeira posição nas eleições de senador em 2022, vencida pelo agora ministro do STF Flávio Dino

 

Lahésio teve Roberto Rocha como candidato a senador em 2022; e deverá enfrentá-lo como adversário ao governo em 2026

Dividida nas eleições de 2024 nos principais municípios do Maranhão – como São Luís e Imperatriz – a direita maranhense e o campo conservador na política caminha para manter a divisão nas eleições de 2026.

O ex-senador Roberto Rocha anunciou nesta quarta-feira, 1º, em entrevista ao jornalista Elias Lacerda, de Teresina (PI), sua intenção de disputar o Governo do Estado como representante do bolsonarismo e da direita. (Leia a íntegra aqui)

Alheio ao debate político desde que perdeu a reelei9ção para o Senado em 2022, Rocha chega ao debate sobre 2026 tentando ocupar espaço já preenchido pelo ex-prefeito de São Pedro dos Crentes, Dr. Lahésio Bonfim (Novo).

A julgar pelas eleições de 2022 – em que ficou na segunda colocação, à frente do senador Weverton Rocha (PDT) – é de Lahésio o eleitorado da direita maranhense.

Não há sinais de candidatos de Roberto Rocha às prefeituras em nenhum município maranhense. Em São Luís, ele tem relações com o prefeito Eduardo Braide (PSD), mas sem maiores envolvimentos políticos; em Imperatriz, enfrenta a mesma situação.

Mesmo sem grupo, sem partido conhecido e sem participação orgânica em 2024, o ex-senador aposta no eleitorado conservador para concorrer ao governo. 

0

Maura Jorge é a única remanescente de sua geração com perspectivas no atual ciclo político

Caminhando tranquilamente para o seu quarto mandato como prefeita de Lago da Pedra, a ex-candidata a governadora que foi deputada estadual por vários mandatos sobreviveu às diversas trocas de poder na política maranhense e conseguiu se consolidar como liderança estadual e  exemplo de habilidade tanto política como de gestão

 

Plena a caminho do quarto mandato em Lago da Pedra, Maura Jorge é a única remanescente da geração 90 com relevância na política estadual

Ensaio

A experiente prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge (PP), é uma das poucas líderes de sua geração a permanecer firme no debate estadual e em tendência de crescimento neste ciclo que terá sua culminância em 2026.

A maioria de seus contemporâneos ou foram retirados do debate público ou perderam relevância no xadrez político; sua gestão e a forma como se conduziu politicamente, explica sua permanência e seu respeito tanto na classe política quanto no povo.

O início dos anos 90 foi um celeiro de novos nomes no cenário estadual, seja de famílias já tradicionais, seja daqueles sem sobrenome que conseguiram furar a bola aristocrata.

Maura é um desses nomes que surgem no início de 90, ao lado do seu irmão, Waldir Filho, deputado que veio a falecer em 96, num acidente de avião que também vitimou outros dois parlamentares. Maura teve quatro mandatos de deputada estadual, o último interrompido em 2008, para que ela pudesse disputar a prefeitura de Lago da Pedra contra Luiz Osmani, um de seus adversários históricos.

Maura venceu aquela eleição e segue, até hoje, ditando as regras da política no município.

Foi reeleita em 2012, elegeu seu sucessor em 2016, disputou o governo em 2018, retornou à prefeitura em 2020 e hoje se encaminha para um quarto mandato, com 100% da câmara de vereadores e sem adversários políticos à altura.

É de Lago da Pedra uma das saúdes municipais mais admiradas do Maranhão, com equipamentos que poucas unidades da rede estadual possuem; creche em tempo integral, maternidade, escolas, hospital, novos bairros, pavimentação asfáltica na sede e zona rural, aumento no número de empregos com carteira assinada, aumento no número de novos empreendimentos, salários em dia e 80% de aprovação, justificam o discurso de Maura Jorge, de gestão humanizada

Sua trajetória política, na contramão da maioria dos seus contemporâneos, mostra sua habilidade política de construir laços, abrir diálogo, respeitar o contraditório, e se manter relevante no xadrez político.

Hoje no Progressistas, partido do Ministro André Fufuca, à frente do PP Mulher, Maura tem um forte instrumento para voltar a percorrer o estado, fortalecendo sua já notória participação em todas as regiões.

É esse destaque político, sua lida com o povo e com os grandes nomes da política, que fizeram Fufuca enxergar em Maura “um dos diamantes mais lapidados da política do Maranhão”, como disse o próprio em discurso recente.

E 2026 está logo ali…

0

Aliança entre Weverton e Othelino tem forte repercussão em todo o estado…

Filiação da senadora Ana Paula Lobato ao PDT é um daqueles gestos políticos históricos, que mudam cenários e abrem novas perspectivas de poder, mobilizando lideranças em todos os níveis; reaproximação entre o senador e o deputado estadual terá influência nas eleições municipais, mas vai além, com repercussão também na sucessão de 2026

 

Ana Paula e Othelino recepcionados pelo senador Weverton e pela cúpula do PDT, em Brasília; partido agora tem três senadores

Análise da Notícia

Nenhum gesto político nos últimos 10 anos teve tanto simbolismo e repercussão em todos os círculos de poder maranhenses quanto a filiação da senadora Ana Paula Lobato ao PDT, nesta quarta-feira, 24.

Parlamentar que assumiu o mandato a partir da suplência do agora ministro do STF Flávio Dino, a esposa do deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) disse não ao PSB do governador Carlos Brandão e realinhou-se ao projeto do senador Weverton Rocha, líder pedetista com forte influência no governo Lula (PT) e hoje também realinhado ao próprio Flávio Dino.

A reposição política de Ana Paula é o principal assunto em todas as rodas de conversas; ganhou forte repercussão em blogs e portais de notícia, além de gerar especulações de todos os tipos, desde a última terça-feira, 23, quando o anúncio de sua filiação ganhou a imprensa política maranhense.

A influência do gesto da senadora pedetista no contexto político atual do Maranhão só tem comparação a três outros fatos significativos dos últimos 20 anos:

  • 1 – o rompimento do então governador José Reinaldo Tavares (PFL), em 2004, que simbolizou o fim do chamado grupo Sarney;
  • 2 – a cassação do então governador Jackson Lago (PDT), em 2009, que deu sobrevida ao grupo Sarney com a retomada do poder por Roseana;
  • 3 – a covardia do ex-secretário Luiz Fernando Silva, que desistiu de candidatura a governador, em 2014, favorecendo a chegada de Flávio Dino ao poder.

A aliança entre Ana Paula, Weverton Rocha e Othelino Neto gerou especulações também na sucessão do prefeito Eduardo Braide (PSD).

O PDT tem como candidato o ex-vereador Fábio Câmara, já consolidado nas pesquisas e tido como a terceira via na disputa; ele pode ter como companheira de chapa a suplente de deputada Flávia Alves, presidente do Solidariedade, irmã de Othelino e cunhado de Ana Paula.

Só esta montagem para as eleições de 2024 já terá significativo impacto político com repercussão em 2026.

Mas esta é uma outra história…