0

Fábio Macedo caminha para tornar-se liderança estadual

Com forte base de deputados estaduais, prefeitos, ex-prefeitos, vice-prefeitos e vereadores em seu grupo, deputado estadual deve eleger-se deputado federal com força para consolidar seu nome no Maranhão

 

Macedo tem apoio de quatro deputados estaduais, bancada maior que a de muitos partidos na Assembleia Legislativa

O candidato a deputado federal Fábio Macedo (Podemos) pode chegar à Câmara Federal como um dos mais votados do Maranhão e com cacife para ser uma das lideranças maranhenses no Congresso Nacional a partir de 2023.

Primeiro que ele – caso se eleja, e tem, amplas chances de de se eleger – chega à Câmara Federal já no comando de um partido seu.

Segundo que ele montou em torno de si uma forte base parlamentar, formada por deputados estaduais e vereadores, de São luís e do interior.

Somada à base de prefeitos que apoiam sua candidatura – e às dobradinhas que faz em várias cidades – será um deputado federal que chega a Brasília com peso de liderança.

A partir de então, tyerá condições próprias para construir um nome em todo o Maranhão.

E, quem sabe, dará voos ainda masi altos a partir de 2026…

4

Fábio Câmara prepara posse como vereador de São Luís

Primeiro suplente do PDT, ex-candidato a prefeito deve assumir mandato pelo menos até a eleição, quando deve disputar uma vaga na Câmara Federal pelo mesmo partido que tem o senador Weverton Rocha como candidato a governador

 

Fábio Câmara deve assumir mandato na Câmara Municipal ainda neste semestre, pela bancada do PDT

O ex-vereador e ex-candidato a prefeito de São Luís, Fábio Câmara (PDT) está prestes a assumir mandato na Câmara Municipal, onde atuou entre 2012 e 2016.

Suplente do PDT, Câmara deve assumir uma das vagas do partido, em acordo com o senador Weverton Rocha; o ex-parlamentar deve concorrer a uma vaga na Câmara Federal.

Um dos mais ativos vereadores de São Luís na década passada, Fábio Câmara marcou época como candidato a prefeito de São Luís nas eleições de 2016, quando ficou em quarto lugar.

Hoje, o ex-vereador tem a inédita posição de suplente de deputado estadual e suplente de vereador ao mesmo tempo.

E é com este cacife que ele pretende atuar na Câmara e preparar sua campanha de deputado federal.

1

As perdas e ganhos de Weverton e Brandão…

Quase 30 dias depois da definição das candidaturas dos dois aliados de Flávio Dino, vice-governador atraiu alguns apoiadores do senador, mas perdeu partidos relevantes no processo de construção das coligações eleitorais

 

Brandão tenta avançar sobre as bases de Weverton, pode levar deputados federais, mas perdeu ao menos quatro legendas que dava como certas em suas fileiras

Análise de conjuntura

Prestes a completar 30 dias, o processo de escolha pessoal do governador Flávio Dino (PSB) – que consolidou o senador Weverton Rocha (PDT) e o vice-governador Carlos Brandão (PSDB) como principais candidatos ao Governo do Estado – não alterou de forma relevante o cenário eleitoral de outubro.

Weverton continua líder nas pesquisas, em tendência de alta consistente, ainda que pequena, como confirmaram DataIlha e Exata; Brandão ganhou votos a partir de Dino, mas ainda briga com outros candidatos pela segunda vaga no segundo turno com outros candidatos.

A obtenção de apoios após a escolha de Flávio Dino produziu pequenas mudanças, de lado a lado.

Brandão iniciou processo de aliciamento de lideranças que parece ter atraído o deputado federal Pedro Lucas Fernandes (ainda no PTB); mas o parlamentar, se confirmar mesmo o apoio ao vice, terá ainda que encontrar um partido que abrigue sua candidatura à reeleição.

Outro deputado federal que Brandão já dá como certo em suas fileiras é André Fufuca, este sim, com o controle de um partido forte, o PP.

Ocorre que, se declarar apoio ao vice-governador, Fufuca pode perder apoios de prefeitos importantes, como o de Balsas, Dr. Erik (PDT), e de Pinheiro, Luciano Genésio (PP), colégios eleitorais onde obteve quase a metade dos seus votos em 2018.

Por outro lado, no processo de cooptação, a “escolha pessoal” de Flávio Dino perdeu quatro partidos importantes: o PRB, o União Brasil, o Cidadania e o PSDB.

Os dois primeiros partidos mantiveram-se na base do senador Weverton, quando os brandonistas já os davam como certos nas fileiras do vice. Já o PSDB e o Cidadania serão controlados, em federação partidária, pela senadora Eliziane Gama, uma das principais aliadas do senador pedetista.

Ao fim dos primeiros 30 dias de campanha polarizada entre Weverton e Brandão, o senador mantém-se à frente das pesquisas, e com sua base de apoios praticamente intactas, com algumas perdas municipais aqui e ali, exatamente como ele próprio previra ainda em setembro, em post já publicado no blog Marco Aurélio D’Eça.

A batalha por alianças deve se intensificar nos próximos meses, com reflexos das alianças nacionais, o que deve definir também o caminho do PT, única legenda da base dinista ainda indefinida quanto ao Governo do Estado.

Mas esta é uma outra história…

1

Brandão volta a assediar Pedro Lucas, André Fufuca e Cléber Verde…

Loteando os cargos do governo que vão assumir em abril, agentes do vice-governador oferecem controle de secretarias inteiras aos deputados federais em troca do abandono do apoio ao senador Weverton Rocha

 

André Fufuca, Pedro Lucas e Cléber Verde viraram alvos de Carlos Brandão por apoios em outubro

Aliados do vice-governador Carlos Brandão (PSDB) iniciaram esta semana uma nova ofensiva na tentativa de cooptar lideranças que apoiam o senador Weverton Rocha (PDT).

Os alvos da vez são os deputados federais André Fufuca (PP), Cléber Verde (PRB) e Pedro Lucas Fernandes (ainda no PTB).

Agentes brandonistas na mídia já dão até como certo o apoio de Pedro Lucas, que assumiria o controle da Secretaria de Desenvolvimento Social, hoje controlada pelo deputado estadual Márcio Honaiser (PDT), outro aliado de Weverton.

O blog Marco Aurélio D’Eça tentou ouvir Fernandes, mas não conseguiu contato até o fechamento deste post; aliados do próprio Weverton, no entanto, confirmam o assédio ao deputado, embora garantam que ele esteja resistindo, como “homem de palavra”.

A Fufuca e Cléber Verde também estão sendo oferecidas parcelas do governo-tampão de Carlos Brandão, nos moldes do que já foi oferecido – e recusado – à senadora Eliziane Gama (Cidadania) e ao presidente da Assembleia, Othelino Neto (PCdoB).

Desde que iniciou sua pré-campanha, Weverton Rocha reuniu oito partidos em sua base: PDT, DEM, PP, PRB, PSL, Cidadania e Rede Sustentabilidade, boa parte deles controlados por deputados federais.

São exatamente estes os alvos do assédio de Carlos Brandão…

1

Fábio Macedo será federal único em Tuntum…

Com apoios consolidados na cidade de Tuntum, o deputado estadual Fábio Macedo fortalece sua posição na cidade com o apoio do ex-prefeito Cleomar Tema e dos vereadores e Renan Bilio, Alan Noleto, Zé do Ourinho, Magno Melo e Solisvan.

Além destes, o parlamentar conta com suplentes de vereadores e lideranças importantes.

Vale lembrar que o parlamentar já é bastante conhecido em Tuntum, tanto pela proximidade da cidade de Dom Pedro, uma das suas bases eleitorais mais fortes, e também pelo trabalho de Fábio no município.

1

Com Roseana na disputa, MDB pode eleger até quatro federais

Estimativa é do ex-senador Lobão Filho, ex-candidato a governador do estado e um dos cotados para vitória nas urnas em 2022

 

Roseana e Edinho são dois dos principais candidatos a deputado federal pelo MDB, o que deve fortalecer a chapa do partido

A ex-governadora Roseana  Sarney é um dos trunfos do M DB para a disputa por vagas na Câmara Federal. 

Quatro vezes governadora do Maranhão, além de ter sido deputada federal e senadora, Roseana deve puxar a nominata do partido como uma das mais votadas do Maranhão; neste aspecto, analisa o ex-senador Lobão Filho – também candidato a deputado federal –  o partido pode alcançar até quatro vagas.

Além de Roseana e Edinho Lobão, são cotados os atuais deputados federais Hildo Rocha e João Marcelo Sousa, além de vários outros nomes do interior do estado.

Roseana aparece em primeiro lugar nas pesquisas e intenção de votos que põe o seu nome para o Governo do Estado, mas ainda não definiu se concorrerá em uma chapa majoritária ou para a Câmara.

De uma forma ou de outra, ela é o principal trunfo do MDB no Maranhão.

1

Em Timon, Jaconias Moraes lidera corrida pela Câmara Federal

Pesquisa realizada no último sábado, 4, no município de Timon, pelo Instituto Pontuar de Teresina, revela dados eleitorais atuais a justificar a intensa correria eleitoral dos grupos tradicionais que vêm perdendo espaço no cenário político daquela cidade maranhense.

A pesquisa mostra a liderança isolada de Lula para presidente; do advogado Jaconias Moraes para deputado federal e do senador Weverton Rocha para governador.

Jaconias aparece com 19,25% das intenções de votos para deputado federal, seguido de Henrique Júnior, com 13,25% 

A pesquisa cumpriu todos os critérios e parâmetros científicos exigidos.

Foram consultadas 340 pessoas na zona urbana e 60 pessoas na zona rural, num total de 400 questionários aplicados em 35 diferentes bairros e em 12 povoados distintos de Timon, com margem de erro de 3% pra mais ou pra menos.

0

Gastão Vieira vai relatar Projeto de Lei do Novo Fundeb

O deputado federal Gastão Vieira foi escolhido pelo presidente da Câmara dos Deputado, Arthur Lira, como relator do PL 3418/21 que regulamenta o FUNDEB.

O Projeto de Lei de autoria da Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM-TO) atualiza a regulamentação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). O texto está em análise na Câmara dos Deputados, e o Plenário já aprovou a urgência na tramitação.

“Sou relator no plenário desse PL 3.418/21, que estabelece as normas para utilização do novo Fundeb, aprovado em dezembro/20 e até hoje sem normas claras de execução. Dois pontos estão no meu foco: fazer a primeira revisão do Fundeb em 2023, novo governo, economia no rumo, e os estados e municípios já mais familiarizados com a execução; o novo conceito de “profissionais da educação” onde proponho que o conceito também englobe os profissionais que estão trabalhando nas Secretarias de Educação e órgãos de apoio na execução das políticas educacionais. Devemos levar a voto até no início da semana que vem”, explicou

“Reafirmo que estou aberto ao diálogo com todas as instituições que quiserem contribuir com sugestões”, Finalizou Gastão Vieira.

O Fundeb foi tornado permanente no ano passado, com a promulgação da Emenda Constitucional 108. A regulamentação, sancionada sem vetos pelo presidente Jair Bolsonaro, elevará até 2026 a participação da União no financiamento da educação infantil e dos ensinos fundamental e médio.

O Congresso Nacional, ao aprovar a proposta de regulamentação do Fundeb no ano passado, determinou que a cada ano pelo menos 70% dos recursos sejam destinados aos salários de “profissionais da educação básica em efetivo exercício”, remetendo a definição dessas categorias para outras leis.

3

Adriano Sarney conversa com outras legendas sobre candidatura…

Deputado estadual que deve disputar uma cadeira na Câmara Federal tem conversado com membros do PP, sondando a possibilidade de montagem de chapa competitiva em 2022; PV enfrenta dificuldades em atrair candidatos

 

Adriano Sarney quer viabilizar sua candidatura a deputado federal em chapa consistente

O deputado estadual Adriano Sarney (PV) tem conversado com lideranças de outras legendas em busca de espaços para disputar uma cadeira na Câmara Federal.

Na semana passada, ele esteve com o colega Ciro Neto, cujo pai, ex-prefeito de Presidente Dutra, Juran Carvalho, é listado como um dos candidatos do PP à Câmara.

Comandado pelo deputado federal André Fufuca, o PP interessaria a Adriano pelo fato de ter uma boa chapa de candidatos e forte possibilidade de obter legenda para a disputa federal, o que não é o caso do PV.

Afastado do cenário eleitoral desde as eleições de 2020, o neto do ex-presidente José Sarney voltou à cena em meados deste ano, anunciando que estará na disputa de 2022.

Sua mudança de partido abriria espaço tanto para ele, em uma legenda mais competitiva, como deixaria o PV à disposição de outras lideranças que buscam comandar uma legenda no estado.

Mas esta é uma outra história…

1

Pesquisa Escutec sobre deputados nada tem a ver com a do Grupo Mirante…

Levantamento vazado pelo gabinete do deputado estadual Duarte Júnior é do mês de agosto e havia sido contratado pelo deputado Neto Evangelista, que monitora seu movimento eleitoral em São Luís desde 2020, para embasar seu projeto de 2022

 

Curiosamente, a pesquisa contratada por Neto Evangelista foi vazada pelo colega Duarte Júnior, com trinta dias de atraso

 

É do mês de agosto – com mais de 30 dias, portanto – a pesquisa Escutec para deputado federal, divulgada com estardalhaço na manhã desta terça-feira, 28.

E ela nada tem a ver com a pesquisa contratada pelo Grupo Mirante, que deve ser divulgada no próximo sábado, 2, e tratará apenas das eleições para governador, senador e presidente, em todo o Maranhão.

Segundo apurou o blog Marco Aurélio D’Eça, os números divulgados na manhã de hoje foram espalhados pelo gabinete do deputado estadual Duarte Júnior (PSB).

Mas trata-se de um levantamento encomendado pelo também deputado estadual Neto Evangelista (DEM), que monitora os movimentos eleitorais na capital maranhense desde 2020, para embasar seu projeto eleitoral de 2022.

Os números da Escutec de 30 dias atrás para deputado federal dão destaque a Duarte, Roseana, Neto e Bira, todos com dois dígitos

Tanto Duarte quanto Neto – que foram candidatos a prefeito em 2020 – aparecem bem posicionados na capital maranhense, ao lado da ex-governadora Roseana Sarney (MDB) e do deputado federal Bira do Pindaré (PSB), todos com índices acima dos dois dígitos.

A pesquisa Escutec/Grupo Mirante será divulgada pelo jornal O EstadoMarahão…