1

Hildo Rocha denunciará desperdício de recursos federais…

Unidades habitacionais construídas em Governador Luiz Rocha estão prontas desde 2012, mas permanecem desocupadas por falta de interesse da prefeitura. O órgão não atendeu às exigências contratuais. O local não possui rede de abastecimento de água e de energia elétrica.

Na recente visita que fez ao município de Governador Luiz Rocha, o deputado federal Hildo Rocha afirmou que irá denunciar o prefeito Francisco Feitosa da Silva por favorecer o desperdício de recursos federais em obras do Programa Minha Casa Minha Vida.

Dezenas de casas vistoriadas pelo parlamentar estão concluídas desde 2012, mas permanecem desocupadas porque a prefeitura ainda não instalou as redes de abastecimento de água e de distribuição de energia elétrica.

“Isso é um descaso com o dinheiro público. É dinheiro jogado fora. Então, vou fazer a denúncia para que isso seja solucionado. O prefeito é o responsável maior de tudo que está acontecendo. As casas já estão sendo saqueadas e se deteriorando. As famílias que seriam beneficiadas estão morando de favor ou pagando aluguel”, enfatizou Rocha.

Omissão do prefeito

O vereador Antônio José também criticou a omissão do prefeito.

“Essas casas deveriam ter sido construídas em outra localidade. Aqui em cima não tem água, não tem energia. A responsabilidade de colocar a água e energia é da prefeitura municipal, mas o prefeito não tem compromisso com a população, deixou ficar desse jeito”, declarou.

“Faz tempo que essas casas estão aí e eles não resolvem nem nada. É só enrolando. Sem energia, sem água. Tem muito gente precisando de uma casa própria e essas aí estão se acabando”, desabafou Márcio Fernandes Sousa, um dos beneficiários do empreendimento.

“Foi muito bom a vinda do deputado Hildo Rocha. Tenho certeza que vai ser verificado, analisado e tomado as providencias”, declarou Zezão, líder político do município.

Prestação de contas

Hildo Rocha aproveitou a visita ao município para apresentar às lideranças municipais uma prestação de contas das atividades parlamentares realizadas no ano de 2015.

O gesto do deputado foi elogiado por vereadores e pelas lideranças que participaram do encontro.

A presidente do Sindicato dos Servidores Públicos municipais, Ocilma Fernandes de Oliveira, arrancou aplausos quando disse que o deputado quebrou a regra dos políticos que só visitam a cidade em época de eleição.

“Eu falei isso a primeira vez que você veio. Lembra o que eu disse? Olha a gente tem o hábito de votar, em deputado, e ele só vem aqui quatro anos depois. Vamos quebrar essa regra? Já gostei de você ter quebrado”, afirmou a sindicalista. Foi a segunda visita de Hildo Rocha ao município na condição de deputa do federal.

2

Em nota, Secretaria de Saúde confirma desinteresse em hospitais de 20 leitos…

Documento encaminhado ao blog de Gilberto Léda tenta negar que o governo queria fechar as unidades de Saúde, mas confirma que a prioridade são os hospitais regionais

 

Construídos por Roseana, hospitais correm risco de ser desativados por Flávio Dino

Construídos por Roseana, hospitais correm risco de ser desativados por Flávio Dino

Ao tentar negar que o Governo Flávio Dino (PCdoB) queira fechar os hospitais de 20 leitos construídos em vários municípios no governo Roseana Sarney (PMDB), a Secretaria de Saúde acabou por confirmar o desinteresse nestas unidades de saúde.

– A SES reafirma a priorização de investimentos em hospitais regionais e resolutivos, como forma de fortalecer a assistência no interior do estado e evitar o grande fluxo de pacientes para São Luís – diz a nota da SES.

Exatamente a mesma coisas que o secretário Marcos Pacheco havia dito a Gilberto Léda e sua assessoria não sabia.

Os hospitais de 20 leitos foram construídos para atender procedimentos básicos em municípios menores, garantindo aos hospitais maiores fluxo maior para alta complexidade.

mas o governo Flávio Dino vem descontinuando o repasse de recursos para as prefeituras.

E a declaração de Pacheco, agora oficializada pela SES, não deixam dúvidas sobre o destino destas unidades.

É simples assim…

4

Ricardo Murad ressalta importância dos hospitais de 20 leitos…

Ex-secretário de Saúde lamenta a ameaça do governo de fechar essas unidades e diz que estes postos servem para garantir atendimento a quem não tem tempo ou recurso para chegar aos hospitais regionais

 

muradApenas um gestor insensível e sem qualquer noção do que são prioridades na Saúde Pública Estadual tem a insanidade de declarar que tais hospitais não são resolutivos. Muitos maranhenses que moram no interior, em municípios que não dispõem de qualquer unidade 24 horas, com médico e enfermeiro presente, e sabem o sofrimento das pessoas que têm mal súbito, sofre um acidente, cai da moto, tem um princípio de derrame, uma crise de pressão alta e precisa de um socorro médico imediato. Isso sem se falar que o Maranhão era o Estado com o menor número de leitos por habitante dentre todos os estados brasileiros. Para Flávio Dino e Marcos Pacheco, esses maranhenses devem procurar um dos hospitais regionais ou macrorregionais que nós construímos exatamente para dar suporte aos hospitais de pronto atendimento municipais, para os casos de maior gravidade e complexidade”.

Ricardo Murad, ex-secretário de Saúde

1

“Elas resgatam a auto-estima da população”, ressalta Zé Inácio, sobre unidades odontológicas doadas pelo governo…

 

Zé Inácio com o prefeito, na entrega das chaves da unidade odontológica

Zé Inácio com o prefeito, na entrega das chaves da unidade odontológica

O deputado Zé Inácio ( PT ) participou na manhã da última terça-feira, 29, no Palácio dos Leões, da entrega de  11 Unidades Odontológicas Móveis, doadas pelo Governo Federal, a prefeitos e secretários de Saúde dos municípios maranhenses.

Durante evento, o deputado Zé Inácio ( PT ) entregou a chave da unidade odontológica para o prefeito de Peri-Mirim João Felipe.

– Essas unidades irão contribuir de forma significativa para o resgate da auto-estima da população que pouco tem acesso à  saúde bucal. A parceria do governo do estado com o governo federal é  mais uma vez acertiva – destacou Zé Inácio.

Os Programa Brasil Sorridente, criado pelo Ministério da Saúde com vistas a facilitar e ampliar o acesso da população ao tratamento odontológico gratuito por meio do Sistema Único de Saúde (SUS) e tem como finalidade contribuir com a saúde bucal em regiões de difícil acesso.

Cada unidade conta com um consultório odontológico completo que oferece a mesma capacidade de atendimento de um consultório odontológico tradicional, contendo cadeira odontológica, raios-x, autoclave para esterilização do material, além de equipamentos dentários para o uso dos profissionais. Cada uma delas pode realizar cerca de 350 atendimentos por mês.

Nesta segunda etapa, os municípios contemplados foram: Alcântara, Arame, Brejo, Icatu, Humberto de Campos, Jenipapo dos Vieiras, Marajá do Sena, Monção, Peri-Mirim, Presidente Sarney e Santana do Maranhão.

4

Prefeituras fechadas Maranhão a fora…

Os prefeitos cumpriram a promessa e várias prefeituras amanheceram com as portas fechadas nesta terça-feira, 22. trata-se de uma manifestação pelo corte de recursos no repasse do Fundo de Participação dos Municípios. Neste ano, os municípios maranhenses deixaram de receber R$ 195 milhões. Além das portas fechadas, prefeitos fazem manifestação na BR-135 desde o início da manhã00

 

fechada3 fechada1 fechada2

4

Parceria ameaçada…

Quem acompanha a execução dos programas “Mais Asfalto” e “Interbairros”, parceria do governo Flávio Dino com várias prefeituras maranhenses – incluindo a da capital, São Luís – pode perecer nas últimas semanas uma redução considerável no volume de obras.São centenas de obras de asfaltamento, tapa-buracos e construção de

equipamentos públicos, que, de uma hora para outra, ficaram a deus dará nos grandes centros. Aos gestores, o governo alega falta de recursos para dar continuidade e tenta empurrar a manutenção dos programas para 2016.

Em São Luís, por exemplo, as máquinas que embalaram um crescimento do prefeito Edivaldo Júnior nas pesquisas sumiram de vários bairros. Foram vistas pela última vez na região do Barramar, mas, por lá, deixaram obras inacabadas.

O governador Flávio Dino tem tentado evitar que a paralisação de obras gere chateação nos prefeitos – e acabe por chamar a atenção da mídia – mas sabe que a crise financeira impede a continuidade. Tenta garantir, por exemplo, a liberação de emendas de aliados no Congresso Nacional para que possa chegar, pelo menos até o Natal, com as obras em andamento.

 

O maior problema é quanto ao fechamento do orçamento de 2015, o que deve ocorrer até o fim de novembro. A partir daí, tudo será paralisado para que possa entrar no sistema de restos a pagar. E o que ficar para trás só será retomado em 2016.

 

Também sem dinheiro, as prefeituras recorrem ao governo para realização de obras. E cobram dos deputados estaduais as emendas parlamentares, que serviriam de alento até a retomada dos programas de parceria governamental. Mas os deputados também não têm muito o que fazer, por que a falta de dinheiro é a desculpa recorrente do governo para o pagamento das emendas.

O maior problema é quanto ao fechamento do orçamento de 2015, o que deve ocorrer até o fim de novembro. A partir daí, tudo será paralisado para que possa entrar no sistema de restos a pagar. E o que ficar para trás só será retomado em 2016.

Em pleno ano eleitoral.

Da coluna EstadoMaior, de O EstadoMaranhão
6

Cobiça e deslumbramento…

Lidiane: só mais uma a fazer malfeitos...

Lidiane: só mais uma a fazer malfeitos…

Tem sido maior do que deveria a repercussão em torno do sumiço da prefeita de Bom Jardim, Lidiane Leite.

Imprensa, advogados e populares passaram a especular quase que diariamente sobre o paradeiro da prefeita, como se este fosse o assunto mais importante do mundo.

Não é.

Jornalistas passam quase que o dia inteiro focado neste assunto em grupos de WhatsApp, em blogs ou redes sociais; mas a abordagem gira, quase sempre, em torno das belas pernas de Lidiane ou seu decote nas fotos deslumbradas de uma típica nova-rica.

E advogados disputam quase no tapa o direito de defendê-la.

Ao que parece, a beleza da prefeita – e a fortuna do seu ex-marido – despertaram a cobiça nas redes sociais, transformando um mero caso policial em série jornalística, como se o fato fosse inusitado no Maranhão.

E não é.

Há até disputa em blogs para saber se advogado tal é mais articulado que outro para resolver o problema da prefeita, transformando o defensor em uma espécie de estrela das redes sociais.

Também não é.

Infelizmente, o caso envolvendo Lidiane Leite é só mais um entre tantos  neste interior empobrecido do Maranhão.  E casos semelhantes – no instante exato em que a prefeita é caçada – continuam a ocorrer.

Lidiane Leite é só mais uma a ter que acertar contas com a Justiça.

Espera-se, apenas, que faça, de fato, esta prestação de contas.

E cada vez mais longe dos holofotes midiáticos…

1

Anapurus: Aluizio Santos articula oposição para ser candidato a deputado…

alex

Do blog de Alexandre Pinheiro

Em encontro realizado na última quinta-feira (20), o secretário de obras de Chapadinha Aluizio Santos declarou apoio à pré-candidata a prefeita de Anapurus, Professora Vanderly Monteles.

Segundo informação de fonte da oposição local, Vanderly vai concorrer pelo PSDB, terá como vice alguém indicado pelo PT do presidente do Sindicato Rural Ademar e, em troca de ajuda da prefeita de Chapadinha, o grupo garantiria apoio a futura candidatura de Aluizio a deputado estadual.

– Aluizio Santos almoçou com as oposições de Anapurus que deram os primeiros passos, ainda que tímidos, para tentarem unir suas forças com vistas ao enfrentamento nas eleições de 2016 contra o grupo da atual prefeita do município – disse o blog do Valdivan sobre o evento.

Aluizio se filiou recentemente no PR, partido que em Anapurus é presidido pelo esposo da candidata Vanderly, o ex-presidente da Câmara, Ivanildon Monteles. O secretário de obras de Chapadinha é por tratado por blogueiros aliados como Presidente Regional do PR no Baixo Parnaíba.

Embora a pré-candidata Vanderly tenha negado o acordo, um trecho da matéria do blogueiro Valdivan, de confiança de Aluizio não esconde o entusiasmo com a parceria.

alex2– A iniciativa partiu da principal concorrente da prefeita em 2016 e hoje maior expoente da oposição, Professora Vanderly, que aproveitando da visita do Presidente do PR regional, Aluizio Santos, convidou outras lideranças politicas da oposição para participarem desse encontro informal, mas bastante emblemático e promissor, partindo do princípio de que a presença dessas lideranças de partidos tão antagonistas a nível municipal, é um forte indicativo de que estão dispostas a abdicarem de suas ideologias político-partidárias e pessoais, para unirem forças a fim de “tirar” Anapurus do atraso e desse grupo que aí está – finalizou o blog aliado.

O acordo Vanderly prefeita & Aluízio deputado pode não acontecer, mas isso – como se vê – não será por falta de vontade dos dois.

2

Quem são os sócios da agiotagem?!?

agiotas

Por Robert Lobato

Há dois tipos de agiotagem no Maranhão: a privada e a pública.

A agiotagem privada é aquela em que leva determinada pessoa com dificuldades financeiras a procurar um “empréstimo” com terceiros tendo, quase sempre, de deixar uma “garantia real” penhorada que pode ser um carro, terreno, casa ou outro bem qualquer.

Essa atividade já enriqueceu muitos espertos em São Luis, inclusive gente importante que posa de empresário bem sucedido, assim como já liquidou com muitos otários que perderam até as cuecas por conta dessas tenebrosas transações.

Já a agiotagem pública envolve dinheiro dos cofres do erário, principalmente oriundo de pobres prefeituras do interior do Maranhão.

Ao contrário da agiotagem privada, onde a “garantia real” são bens privados, na agiotagem pública a tal “garantia real” é merenda escolar, o posto de saúde, a praça da cidade, o calçamentos das ruas, o asfaltamento das estradas para os povoados etc.

Aliás, a própria cidadania local é a “garantia real” que alguns prefeitos dão à bandidagem. Continue lendo aqui…

7

Agiotagem: só cortina de fumaça…

Editorial

A prisão de empresários e prefeitos ligados à agiotagem, hoje, no Maranhão, foi mais uma etapa das operações da polícia que, parecem programadas para atingir apenas adversários do governo Flávio Dino (PCdoB).

E é por isso que, tanto esta quanto a primeira – que levou para a cadeia o empresário Eduardo Barros, o Imperador – são vistas pelo blog como meras cortinas de fumaça para encobrir problemas na gestão da “mudança”.

E por tal desconfiança ignoradas no noticiário desta página.

A operação de hoje pode ter o condão de abafar problemas bem maiores, mais graves do ponto de vista social, e que ao governo interessa serem jogados para debaixo do tapete.

São ações típicas de “gabinetes de crise” de “guerra de guerrilha”, em que uma ação positiva – em um estado aparelhado ideologicamente – tem o objetivo de encobrir casos negativos.

Casos como a execução do presidente da Câmara de Santa Luzia, filiado ao próprio PCdoB do governador, sinal de que a pistolagem volta a agir com força no “governo da mudança”.

Casos como a morte do estudante Rondinely Ferreira, vítima de um assalto a ônibus, que também parecem ter retornado com força no “governo da mudança”.

Casos como a fuga de menores infratores de um centro de reabilitação no Turu, sinais de que o “governo da mudança” não consegue operar o sistema.

E casos como as mortes em série no Hospital de Coroatá, negadas pelo “governo da mudança” e agora confirmadas em relatório funcional do próprio hospital.

Repetição

E a ação de hoje parece seguir uma orientação orientação política, da mesma forma que parece ter ocorrido na ação do final de março.

Naquela época, o governo sofria desgaste pela fraude descoberta em um projeto de lei, no qual Dino tentou alterar a situação dos oficiais da polícia Militar enxertando em uma Medida Provisória artigo sobre outro assunto.

Flávio Dino também sofria desgaste pelo reajuste da passagem de ônibus em São Luís, que atingia seu principal afilhado político, o prefeito Edivaldo Júnior (PTC).

Na época, a prisão dos agiotas tiraram de foco os temas polêmicos, exatamente como ocorre agora.

Este blog sempre defendeu a investigação séria e rigorosa contra a agiotagem no Maranhão – contra todos os agiotas, não apenas aqueles apontados a dedo.

Mas não aceita que o tema seja usado de forma política para atender a interesses do “governo da mudança”…