7

Igreja católica manipula fieis do Anil contra Braide

Com apoio de setores da mídia alinhadas ao Palácio dos Leões, padres da paróquia de São Sebastião tentam sobrepor seus interesses próprios para controlar um espaço público em detrimento dos interesses de toda a população de São Luís

 

Não é uma praça, não pertence pá igreja; é um espaço público que precisa ser requalificado a bem do interesse público

Editorial

Há uma distorção nas informações de setores da mídia e uma clara manipulação de fieis pela igreja católica no episódio envolvendo um espaço público na região do Cruzeiro do Anil, polêmica que se arrasta já há uma semana. 

A confusão se dá pelo seguinte:

  • O prefeito Eduardo Braide quer melhorar o fluxo de trânsito e concluir a obra de requalificação da avenida Jerônimo de Albuquerque e suas adjacências;
  • os padres e lideres católicos da Igreja São Sebastião usam o espaço público que será requalificado como se pertencessem a eles, e não aceitam a obra;
  • a igreja manipula fieis que frequentam a igreja; e a mídia alinhada ao Palácio dos Leões ressoa os reclames, para tornar Braide o vilão da história.

Mesmo se o espaço em frente à igreja pertencesse à toda comunidade do Anil – e não pertence – ainda assim a prefeitura poderia requerê-lo em nome do interesse de toda a população.

A obra que está sendo feita na região do Anil, do Cruzeiro, da Cohab e do Turu beneficiará gente de toda São Luís que circula por aquela região diariamente, num movimento de milhões de pessoas por mês.

A igreja católica usou aquele espaço em frente – um espaço público, repita-se – como se fosse Largo da igreja São Sebastião e nunca houve qualquer reclamação ao longo desses anos todos.

A mesma igreja agora precisa entender que o espaço – público, repita-se – será usado com outra finalidade.

É simples assim…

0

Decisão da PMMA iniciou polêmica na Escola Militar Tiradentes, em Ribamar…

Impasse começou após a Polícia Militar do Maranhão anunciar que acabaria gradativamente com os anos iniciais na Escola Municipal Parque Vitória (Militar Tiradentes); documentos encaminhados à prefeitura pelo comando da polícia, ainda em 2023, deixa claro a decisão unilateral em acabar com as turmas do 1º ao 5º ano na unidade de ensino

 

O memorando-Circular da Direção de Educação Regional da PMMA chegou aos diretores das escolas militares em julho de 2023

 

Partiu da Direção de Ensino Regular da Polícia Militar a decisão, tomada ainda em julho de 2023 – e comunicada à Secretaria Municipal de Educação de São José de Ribamar por meio do Ofício nº 146/2023 CMT-VI – a decisão que iniciou a polêmica envolvendo a Escola Municipal Parque Vitória, que servia como unidade da Escola Militar Tiradentes.

O Memorando-Circular nº 502023-DER foi encaminhado a todos os comandantes-gestores dos colégios militares Tiradentes no dia 7 de julho de 2023, informando que, em 2024, “não será feito seletivo para as turmas do 1º Ano Fundamental I”; ainda segundo o documento, a ideia era “sair gradativamente dos anos menores (1ª a 4ª Séries)”.

A decisão da Direção de Ensino Regular da PMMA foi comunicada à Secretária Municipal de Educação Conceição de Maria Gomes Leite quatro dias depois, em 11 de julho de 2023, por intermédio do Ofício nº 146/2023-CMT-VI, “para providências cabíveis”.

A Escola Municipal do Parque Vitória vai continuar funcionando nos mesmo moldes, mas agora sob a disciplina da Guarda Municipal

Na Escola Municipal Parque Vitória, a Prefeitura de São José de Ribamar mantém todos os funcionários; cabe à PMMA apenas o trabalho disciplinar.

Tendo em vista o fato de que precisaria readequar toda a escola e ainda buscar espaços escolares para os alunos do 1º Ano Fundamental, situação que se agravaria ano após ano – com o encerramento de outras séries – a prefeitura decidiu rescindir o acordo de cooperação técnica com a PMMA, embora ainda tivesse tentado, sem sucesso, demover a instituição da ideia.

Encerrar os anos iniciais na unidade de ensino prejudicaria uma boa parcela de crianças da região do Parque Vitória, de 0 a 6 anos.

O Ofício da DER-PMMA chegou à Secretaria de Educação de Ribamar em 11 de julho de 2023, para “providências cabíveis” no ano letivo de 2024

Diante da situação, a Prefeitura de São José de Ribamar adotou o modelo de regime disciplinar da Guarda Municipal, já aplicado nas escolas Humberto de Campos e Doutor José Silva, modelo bem recebido pela comunidade escolar – apresentado excelentes resultados.

Em outras palavras, a Escola Municipal Parque Vitória vai continuar a funcionar da mesma forma como funcionava, mantendo o atendimento a todas as faixas etárias em idade escolar, do 1º ao 5º ano – agora sob supervisão disciplinar da Guarda Municipal – e não apenas do 6º ao 9º anos, como queria a PMMA.

O resto da polêmica é mera politicagem…

0

“Cidade do Carnaval” é a resposta pragmática de Braide para Brandão…

Prefeito de São Luís evita polemizar a ocupação da Avenida Beira-Mar – sitiada pela PMMA por ordem do governador – e anuncia um novo ponto do carnaval, com atrações para todos os gostos, vários espaços culturais, passagens para trios, praça de alimentação e segurança completa por videomonitoramento, o que, no fim das contas, integrará toda a orla marítima na folia

 

O palco da Cidade do Carnaval será gigante, como mostra a maquete virtual; e deve estar pronto já no dia 20 de janeiro

A criação da Cidade do Carnaval”, anunciada na tarde deste sábado, 6, pelo prefeito Eduardo Braide (PSD) – foi a melhor resposta política a uma tentativa do governador Carlos Brandão (PSB) de usar a folia de momo para atropelar o prefeito e tirar dividendos eleitorais para seu candidato, o deputado federal Duarte Júnior.

– Tem gente que não me conhece mesmo; não sou de briga – afirmou Braide, ao anunciar a criação do novo ponto da folia, na região em frente à Praça das Mercês, no Centro Histórico.

A “Cidade do Carnaval ” vai abranger tanto a área do Centro Histórico quanto a orla marítima, com praça de alimentação, passarela para os trios elétricos, espaço do reggae e o espaço dancemix, totalmente monitorada pelas câmaras da prefeitura.

O corredor da folia vai ligar o mar ao Centro Histórico, num cenário deslumbrante para desfile de trios elétricos

No fim das contas, a saída de Braide para a crise com Brandão – q1ue já até sitiou a área da Beira-Mar com homens da Polícia Militar – garantiu ao folião maranhense espaços de folia em toda a orla marítima.

Quem for ao carnaval no centro terá, além da Beira-Mar, a Cidade do Carnaval e a passarela do Samba, tudo no mesmo itinerário.

Ao não ser que o governador queria mesmo impedir o prefeito de fazer sua festa…

0

Dr. Yglésio espera que repercussão do “Tigrinho” influencie pesquisas…

Deputado estadual protagonizou forte ação contra os influenciadores digitais que faziam propaganda da plataforma de apostas tida como pirâmide financeira, o que resultou em  ações policiais e uma lei para proibir este tipo de divulgação no estado; e entende que sua popularidade subiu, sobretudo entre os mais jovens

 

Dr. Yglésio ganhou a mídia com a repercussão da briga contra o Joguinho do Tigre; até que ponto foi visto como nome para a prefeitura, só as pesquisas dirão

Um dos mais ansiosos pré-candidatos a prefeito de São Luís em relação às próximas pesquisas de intenção de votos sobre a sucessão municipal de São Luís é o deputado estadual Dr. Yglésio Moyses (ainda no PSB).

Yglésio registrou um dos principais fatos novos do mês de outubro, ao lado da desistência de Paulo Victor e do surgimento da candidatura do ex-vereador  Fábio Câmara (PDT); para Yglésio, os números devem mostrar crescimento.

De fato, Yglésio ocupou espaço em todas as mídias neste mês de outubro, na busca por desmascarar o Jogo do Tigrinho e seus divulgadores; esteve em blogs, rádios, jornais e TV, sempre de forma positiva. 

Até agora, não se tem notícias de levantamentos dobre as eleições em São Luís, mas os institutos estão a postos para medir a intenção do eleitorado; neste período, até dezembro, a Justiça Eleitoral não exige registro de pesquisas.

A expectativa é que os primeiros números após estes fatos surjam já na semana que vem.

Quando se terá uma ideia de a quantas anda a disputa pela cadeira do prefeito Eduardo Braide (PSD).

0

Pedro Lucas se posiciona contra a legalização do aborto…

Deputado federal se manifestou em suas redes sociais lembrando que a Constituição Federal prevê a inviolabilidade do direito à vida; assunto será debatido nesta sexta-feira, 22, pelo Supremo Tribunal Federal

 

Pedro Lucas pretende trazer o tema do aborto à discussão no Congresso Nacional, onde, entende ele, é o lugar certo para o assunto

O deputado federal Pedro Lucas Fernandes (União Brasil), manifestou-se publicamente contra a legalização do aborto, assunto que será debatido nesta sexta-feira, 22, pelo Supremo Tribunal Federal.

Ao afirmar que o Congresso Nacional é quem tem a competência para analisar o assunto, Pedro Lucas declarou que a Constituição Federal prevê a inviolabilidade do direito à vida.

– Me posiciono contrário à legalização do aborto – afirmou o parlamentar maranhense.

O assunto deve pautar os meios de comunicação do país nesta sexta-feira, 22…

0

Tem Camarão e Brandão…

Vice-governador posta em suas redes sociais imagens ao lado do governador, que reassumiu o mandato esta semana, sete dias depois de protagonizar polêmica solenidade no Palácio dos Leões ao lado do ministro da Justiça Flávio Dino e do senador Weverton Rocha

 

Felipe Camarão retransmitiu o cargo de governador ao titular do mandato, Carlos Brandão

O vice-governador Felipe Camarão (PT) postou nesta quinta-feira, 31, em suas redes sociais imagem ao lado do governador Carlos Brandão (PSB) e uma sugestiva legenda:

– Juntos pelo Maranhão – afirmou Camarão.

Brandão reassumiu o mandato esta semana; na sexta-feira, 25, Felipe Camarão protagonizou no Palácio dos Leões solenidade ao lado do ministro da Justiça Flávio Dino (PSB) e do senador Weverton Rocha (PDT), com forte repercussão durante os últimos dias.

A imagem do vice que estava no exercício do mandato e do governador que estava de férias também teve forte repercussão nas redes socais.

0

Comissão da Assembleia convida secretários de saúde para esclarecimentos sobre vacinas

A Comissão de Assuntos Municipais e Desenvolvimento Regional da Assembleia Legislativa aprovou convite aos secretários municipal e estadual de Saúde, para participarem de audiência sobre a distribuição do imunizante para o COVID-19. A audiência acontecerá na próxima quarta-feira (23), às 15h, de forma remota.

O objetivo, segundo o presidente da Comissão, deputado estadual Neto Evangelista (DEM), é para esclarecer manifestações públicas que ganharam, na última semana, ampla repercussão na imprensa local, que acusam o Estado de reter vacinas destinadas ao município de São Luís, conforme declaração do secretário municipal de Saúde da capital, Joel Nunes, fato este contestado pelo secretário estadual de Saúde, Carlos Lula.

Para Evangelista é preciso esclarecimentos urgentes uma vez que o cenário da pandemia continua preocupante. “É um cenário de incertezas onde a ocupação de leitos de UTI se mantém alta e a única forma de nos livrarmos desse vírus é com a vacinação em massa”, concluiu Neto Evangelista.

2

CRM orienta há dois meses uso de cloroquina na primeira fase da coVID-19

Blog Marco Aurélio D’Eça teve acesso a Ofício encaminhado aos hospitais. ainda em março, pelo Conselho Regional de Medicina do Maranhão, orientando sobre o uso da substância, associada a Azitromicina e Zinco, tendo como alvo principal “pessoas idosas ou portadores de doenças crônicas”

 

Conselho Regional de Medicina orienta uso da cloroquina já na primeira fase da doença, mas só agora se debateu sobre o tema

Uma nova polêmica abriu-se nas redes sociais e na imprensa, desde o fim de semana, após o governador Flávio Dino (PCdoB) publicar informação sobre doação de kits para tratamento da coVID-19, depois retirada de seus perfis.

A partir das notas de Dino – que vinha criticando duramente o presidente Jair Bolsonaro por defender o uso em massa da hidroxicloroquina – iniciou-se uma discussão sobre o uso da substância já na primeira fase da doença, o que seria uma novidade para parte da imprensa.

Mas, na verdade, este protocolo já é usado desde o início da pandemia de coronavírus.

Ou pelo menos deveria estar sendo usado nos hospitais maranhenses.

O blog Marco Marco Aurélio D’Eça teve acesso a Ofício do Conselho Regional de Medicina do Maranhão (CRM-MA), encaminhado, ainda em março, à Prefeitura de Imperatriz, com orientações sobre o uso da Cloroquina já na primeira fase da doença. (Veja print do documento abaixo)

Documento do CRM-MA orienta para início do tratamento com cloroquina já na primeira fase da coVID-19, quando não há inflamação

O documento – o mesmo encaminhado também à Prefeitura de São Luís e ao Governo do Estado – foi atualizado em 1º de maio e orienta sobre o uso da cloroquina associada à Azitromicina e ao Zinco.

– O principal objetivo deste protocolo é sugerir que o tratamento da CoVID-19 seja iniciado o mais precocemente possível, ainda na fase infecciosa, pois no momento em que se inicia a fase inflamatória da doença, a condição do paciente se deteriora rapidamente, e muitos irão precisar de leitos (…) sobrecarregando o sistema de saúde (…) –  diz o protocolo, já em sua abertura.

E qual é esse protocolo usado, repita-se, desde março?

O próprio documento aponta:

– Hidroxicloroquina:  1º dia – 400mg via oral, de 12 em 12 horas. Do 2º ao 7º dia: 400mg via oral ao dia – diz o protocolo, que aponta também azitromicina e zinco associados ao tratamento.

Logo abaixo, o CRM-MA faz uma advertência: o tempo de uso pode variar segundo avaliação médica, podendo ser usado de 5 até 10 dias, conforme o caso.

O documento do CRM-MA serviu, inclusive, como base para dois posts do blog Marco Aurélio D’Eça.

O primeiro., em 7 de maio, denunciava, com base em relatos de pacientes, “preços abusivos de cloroquina em farmácias…”, motivados, segundo as denúncias, pelo confisco de lotes pelo governo do estado.

O outro post – uma reportagem especial – mostrava como o “Maranhão, mesmo contestando, usa cloroquina contra coVID-19…”

O documento do CRM-MA, de oito páginas, assinado pelo Conselheiro Nailton Jorge Ferreira Lyra, discorre detalhadamente sobre estudos dos efeitos da hidroxicloroquina e traz, inclusive, modelo de autorização obrigatória para os pacientes.

No caso específico do Governo do Estado, o próprio Flávio Dino reconheceu o uso conforme a orientação médica, durante a entrevista à TV Mirante, na noite da segunda-feria, 18.

– Há muitas semanas pacientes têm recebido a hidroxicloroquina – frisou ele, dizendo ser estranha a politização deste tema.

– Uma polêmica desnecessária – disse o governador. 

Que ele próprio siga as suas palavras…

 

 

1

STF cassa liminar e garante Jesus gay em programa da Netiflix…

Presidente da Corte Suprema, ministro Antonio Dias Toffoli, entendeu que uma sátira humorística não tem o condão de abalar os valores da fé; programa humorístico do grupo Porta dos Fundos tinha sido suspenso por censura de um desembargador

 

O ator Gregório Duvivier interpretou o Jesus do especial de Natal do Porta dos Fundos: liberdade plena de expressão

Do Conjur

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, concedeu liminar nesta quinta-feira, 9, autorizando a exibição do “Especial de Natal Porta dos Fundos: A Primeira Tentação de Cristo”.

A veiculação havia sido suspensa na terça-feira, 7, pelo desembargador Benedicto Abicair, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. 

“Não se descuida da relevância do respeito à fé cristã (assim como de todas as demais crenças religiosas ou a ausência dela). Não é de se supor, contudo, que uma sátira humorística tenha o condão de abalar valores da fé cristã, cuja existência retrocede há mais de 2 (dois) mil anos, estando insculpida na crença da maioria dos cidadãos brasileiros”, escreveu Toffoli na decisão.

Abicair, da 6ª Câmara Cível do TJ-RJ, determinou a suspensão acolhendo pedido da associação católica Centro Dom Bosco de Fé e Cultura. O desembargador afirmou que o direito à liberdade de expressão, imprensa e artística não é absoluto. 

Em resposta, a Netflix ajuizou reclamação também nesta quinta afirmando que “a decisão proferida pelo TJ-RJ tem efeito equivalente ao da bomba utilizada no atentado terrorista à sede do Porta dos Fundos: silencia por meio do medo e da intimação”. 

Ainda de acordo com o serviço de streaming, “a verdade é que a censura, quando aplicada, gera prejuízos e danos irreparáveis”. “Ela inibe. Embaraça. Silencia e esfria a produção artística.” 

De acordo com a decisão de Toffoli, o STF se debruçou longamente sobre a temática, ressaltando “a plenitude do exercício da liberdade de expressão como decorrência imanente da dignidade da pessoa humana e como meio de reafirmação/potencialização de outras liberdades constitucionais”.

O caso foi distribuído ao ministro Gilmar Mendes. No entanto, por conta do recesso da corte, Toffoli, que está de plantão, acabou julgando a reclamação.

1

A demência alcoólica de Rodrigo Janot na visão de Roseana…

Em artigo publicado neste fim de semana, ex-governadora diz que ex-procurador-geral da República perseguiu o Maranhão para “satisfazer seus delírios etílicos”

 

Em duro artigo publicado neste fim de semana, a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) chamou de “delírios etílicos” a perseguição contra o seu governo, levada a cabo pelo ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

No livro “Nada menos que tudo” – que vem causando polêmica no país antes mesmo do lançamento – Janot confessa algumas atitudes nada lisonjeiras durante sua passagem pela PGR, entre elas o pedido de intervenção federal no Maranhão, que ele mesmo classificou de “blefe”.

– [Ele] Revela sua obsessão pelo Maranhão e pelo inferno em que transformou os meus dois últimos anos de governo, com denúncias permanentes, inspeções montadas, chegando mesmo a utilizar o instrumento do blefe, como chantagem, a fim de pressionar-me. Foi incapaz de manter um diálogo construtivo em busca de soluções para os problemas que enfrentávamos – afirmou a ex-governadora.

No livro, Janot revela que usou o blefe da intervenção para pressionar Roseana.

– Joguei a carta da intervenção federal na mesa para pressionar o governo do Maranhão a tomar medidas fortes para melhorar as condições do presídio”. Com o “blefe”, ele alega ter conseguido, por exemplo, a troca da comida servida no presídio de Pedrinhas – contou Janot, no livro.

Para Roseana, a atitude de Janot foi covarde porque baseada apenas em delírios etílicos.

– As referências que ele me fez são acusações caluniosas, nunca provadas, e mandadas arquivar pelos tribunais superiores após exaustivos e longos processos investigatórios. Apenas mostram o quanto este homem foi capaz de utilizar suas funções para dar vazão às suas alucinações e delírios, cometer tantas injustiças, provocar tantas lágrimas, atingir tantas famílias, deixando de lado os verdadeiros corruptos, isentando-os nos biombos das delações falsas, muitos impunes e usufruindo dos valores roubados – frisou a ex-governadora.

Abaixo, a íntegra do seu artigo:

O país ficou estarrecido com o perigo que correu após as irresponsáveis confissões do Sr. Rodrigo Janot à frente de instituição tão fundamental à sociedade, como o Ministério Público Federal. Todos buscam entender do que se trata: podridão moral; doença psiquiátrica; loucura; demência alcoólica ou simplesmente um patológico processo midiático e comercial.

Revela sua obsessão pelo Maranhão e pelo inferno em que transformou os meus dois últimos anos de governo, com denúncias permanentes, inspeções montadas, chegando mesmo a utilizar o instrumento do blefe, como chantagem, a fim de pressionar-me. Foi incapaz de manter um diálogo construtivo em busca de soluções para os problemas que enfrentávamos.

Tudo isso nada tinha de bom desempenho de funções ou idealismo. Era simplesmente motivação política, originada em seu autoritarismo, incompetência, maus modos e influências circunstanciais.

Chegou mesmo à insanidade de pedir intervenção federal no Estado, baseado na rebelião de facções criminosas na Penitenciária de Pedrinhas, onde ele confessa ter espiões, um juiz e um padre mexicano da Pastoral Carcerária. E exalta como seu grande feito ter substituído as quentinhas servidas aos presos, igualando-as às servidas aos agentes penitenciários e ao diretor do presídio.

Ninguém mais do que eu procurei enfrentar o problema penitenciário. Para isso, aumentei em 75% a verba para o orçamento da Secretaria de Estado, Justiça e Administração Penitenciária, criada no meu governo, e contraí empréstimo no BNDES de R$ 224 milhões para o Sistema de Segurança do Maranhão.

Promovi a construção, na capital e no interior do Estado, dos presídios de Pinheiro, Santa Inês, Timon, Riachão, São Luís Gonzaga, Brejo, Coroatá e Imperatriz, além do Presídio de Regime Disciplinar Diferenciado, em São Luís. Fizemos a reforma e ampliação de estabelecimentos penais em Balsas, Pedreiras, Açailândia e Codó. Concluímos o centro de detenção de Pedrinhas. Aparelhamos o sistema de segurança com esteiras de raio-X, rádios receptores móveis, coletes balísticos, portais e detectores de metais, além de armamentos, fuzis, carabinas, espingardas e pistolas para reforço do trabalho dos agentes. Instalamos unidades prisionais de ressocialização em Santa Inês, Davinópolis, Chapadinha, Bacabal e também no bairro de Monte Castelo, em São Luís, serviços que já estavam sendo prestados pelas unidades regionais de custódia de Timon, Pedreiras, Imperatriz e Caxias.

A nossa meta foi cumprir o Termo de Compromisso celebrado junto ao Conselho Nacional de Justiça – CNJ. Aumentamos em cerca de 1.500 as vagas nas prisões. Este esforço foi concluído em grande parte e deixei os recursos necessários ao que faltava.

Trabalhamos sempre em parceria com o Departamento Penitenciário Nacional – Depen e aplicamos novas rotinas penitenciárias, ministradas aos agentes em cursos da escola de gestão penitenciária.

A briga e o domínio de facções no Sistema Prisional Brasileiro é uma desgraça que até hoje não foi banida e, ao contrário, tem aumentado. Portanto, a rebelião de Pedrinhas, que tanto sensibilizou o desequilibrado Janot, foi uma ação política visando às eleições que se aproximavam. São muitos os Estados que enfrentam os mesmos problemas, ou até mais graves.

Muito mais do que Pedrinhas, mataram-se e matam-se até hoje, de São Paulo ao Rio Grande do Norte, do Rio de Janeiro ao Amazonas, do Ceará ao Pará, lamentavelmente com números cada vez mais elevados. O escândalo nacional que promoveu o Procurador Janot agora é revelado como sendo um blefe – blefe este que se revelou eficaz como abuso do poder público e facciosismo político.

As referências que ele me fez são acusações caluniosas, nunca provadas, e mandadas arquivar pelos tribunais superiores após exaustivos e longos processos investigatórios. Apenas mostram o quanto este homem foi capaz de utilizar suas funções para dar vazão às suas alucinações e delírios, cometer tantas injustiças, provocar tantas lágrimas, atingir tantas famílias, deixando de lado os verdadeiros corruptos, isentando-os nos biombos das delações falsas, muitos impunes e usufruindo dos valores roubados.

O que fez o Sr. Janot diante do aumento dos homicídios, do tráfico de drogas e armas, da violência contra as mulheres e do ódio de gênero? Que desfaçatez! Começar pelo Maranhão para satisfazer suas taras etílicas foi um ato de baixeza, achando que aqui não havia autoridade. Demonstrou não conhecer a fibra e a coragem das mulheres maranhenses.

Não acredito em coincidências. Também não espero que o ex-procurador se retrate do mal que fez a mim e a tanta gente. Nas poucas palavras que trocamos quando da crise penitenciária, eu considerei o então Procurador Geral da República apenas um homem insensível aos problemas que o povo do Maranhão enfrentava àquela época. Infelizmente, me enganei. Ele revela ser muito pior do que isso. Um blefe