1

Covid-19: Porto São Luís doa 50 mil luvas para profissionais de saúde do MA

As caixas com as luvas já foram encaminhadas pelo Porto ao Governo do Maranhão

O Porto São Luís realizará a doação de 50 mil pares de luvas à Secretaria Estadual de Saúde (SES) nesta segunda-feira, 30, para ajudar nas ações de combate ao novo Coronavírus.

As luvas estão vindo de São Paulo e serão entregues ao Governo do Maranhão, que distribuirá nas unidades de saúde para profissionais que estão trabalhando no atendimento aos pacientes e casos suspeitos do Covid-19.

O presidente do Porto São Luís, César Gazoni, destacou que é tempo de ser solidário com todos e, principalmente, com aqueles que estão na linha de frente dessa luta.

“Perguntamos ao Governo do Estado como poderíamos ajudar e nos sugeriram luvas para os médicos, enfermeiros e profissionais da saúde em geral. No decorrer da semana vamos ver com o que mais poderemos ajudar”, afirmou o CEO do Porto São Luís.

0

Cursos gratuitos na área do Porto São Luís ja foram iniciados…

Treinamento é destinado aos moradores do entorno do empreendimento e beneficia cerca de 50 pessoas em várias áreas de formação

 

Começam nesta segunda-feira, 2 de março, as aulas dos cursos de Pedreiro de alvenaria e de Carpinteiro de obras, na área do Porto São Luís, em Parnauaçu, próximo ao Cajueiro (região Itaqui-Bacanga).

Os cursos são destinados a moradores do entorno do empreendimento.

As aulas do curso de Pedreiro são pela manhã, das 8h às 12h, e as de Carpinteiro, à tarde, das 13h às 17h, de segunda a sexta-feira. 

As aulas ocorrerão na Unidade Móvel da Construção Civil do SENAI/MA, que está estacionada ao lado do escritório do Porto São Luís. Cada curso tem duração de 160 horas (oito semanas). Ao todo, 50 pessoas estão matriculadas.

A iniciativa é do Porto São Luís, em parceria com o Sinduscon, Sindconstrucivil e SENAI/FIEMA, por meio do projeto Comunidade Ativa.

0

Porto São Luís fecha acordo com mais três famílias de posseiros e divulga nota

O Porto São Luís, na região da comunidade do Cajueiro, vai movimentar cargas do mundo inteiro

O Porto São Luís insistiu na conciliação, com intermediação da Justiça, e conseguiu fechar acordo com mais três famílias de posseiros, das cinco que ocupam a área do empreendimento, na comunidade Parnauaçu, próximo ao Cajueiro.

As duas famílias que permanecem na área do empreendimento recusam-se a dialogar e exigem R$ 10 milhões para deixar o local.

Leia na íntegra a nota divulgada pelo Porto São Luís:

NOTA
PORTO SÃO LUÍS

1 – O Porto São Luís conseguiu acordo com três famílias de posseiros (pessoas que ocupam o terreno, mas não são donas da propriedade), das cinco famílias que ainda estão na área do empreendimento, no povoado Parnauaçu, próximo à localidade Cajueiro (região Itaqui-Bacanga).

2 – Os acordos foram obtidos durante audiências de conciliação – intermediadas pela Justiça – realizadas ao longo desta semana. Neste momento,  somente duas famílias seguem sem acordo. Cada uma está pedindo R$ 10 milhões para deixar a área do Porto São Luís. Os imóveis não têm benfeitorias que justifiquem quantia tão alta.

3 – Diante da recusa dos dois posseiros em sair, seguem paradas as obras do projeto do Porto São Luís de US$ 500 milhões – que deve gerar mais de 3 mil empregos diretos e cerca de 10 mil indiretos no pico da sua construção. 

4 – A presença das duas famílias inviabiliza a retomada das obras, principalmente em função da segurança desses próprios moradores. As equipes de construção do Porto São Luís operam com máquinas pesadas e obedecem a padrões rígidos de segurança. Não é permitido que pessoas circulem próximo a essas máquinas quando estão em operação, pois há um grande risco de acidentes graves. As obras também provocam muita poeira, tornando a área insalubre para habitação.

5 – O Porto São Luís esclarece que, desde que iniciou sua implantação no Cajueiro, tem cumprido as etapas de remanejamento das famílias de posseiros. Nas negociações são oferecidos indenização, pagamento de aluguel, ajuda de custo, apoio para a mudança ou guarda dos pertences, além de preferência nas vagas de emprego que surgem em cada etapa das obras. Cerca de 100 pessoas das comunidades do entorno estavam trabalhando nas obras do Porto São Luís em dezembro, antes da paralisação.

6 – A empresa também mantém negociação e diálogo intermediados pelas equipes de Serviço Social, Comunicação e Responsabilidade Socioambiental com os moradores que ainda se encontram na área do empreendimento. O objetivo é a saída negociada, pacífica e amigável.

7 – O Porto São Luís destaca que tem realizado ações de responsabilidade social na área do seu entorno. As ações já beneficiaram centenas de pessoas com atendimentos odontológico e oftalmológico, e, em março, serão iniciados cursos de profissionalização gratuitos para a comunidade, por meio do projeto Comunidade Ativa. 

8 – Por fim, o Porto São Luís espera que o bom senso prevaleça e as duas famílias que ainda ocupam a área do empreendimento saiam de forma pacífica e negociada, como já ocorreu com cerca de outras 90 famílias.

São Luís, 22 de fevereiro de 2020

0

Porto São Luís entrega novo acesso à comunidade Andirobal…

Nova via de acesso no Andirobal reduz distância dos moradores até o ponto de ônibus

A comunidade quilombola Andirobal, na localidade Cajueiro, no bairro Vila Maranhão, ganhou um novo acesso para embarque no ônibus que atende à área. A nova estrada beneficiará as 41 famílias do Andirobal, que antes percorriam 1,5 km para ter acesso ao ônibus e agora terão o transporte praticamente na porta de casa.

O novo acesso foi construído pelo Porto São Luís, por meio da empresa Rota Nordeste, e entregue aos moradores de forma simbólica na manhã desta quinta-feira, 17 de outubro. 

Na oportunidade, também foi assinada a ordem de serviço para realocação do campo de futebol do povoado. Participaram do ato simbólico, realizado na comunidade, o presidente da Associação Quilombola do Andirobal, Nataniel Costa Barreto, o Natan, moradores e executivos do Porto São Luís e da Rota Nordeste.

O novo acesso do ônibus traz mais segurança aos moradores, pois evita que eles transitem dentro da área do Porto que está em obras. A via tem extensão de aproximadamente 850m, largura de 3,5m e está localizada após a divisa entre o porto e a comunidade.

“A melhoria teve a aplicação de 60 caminhões do material laterita, com espalhamento, umectação e compactação em toda a extensão, fazendo com que a estrada ficasse com melhores condições de tráfego”, detalha o gerente de produção da Rota Nordeste, Cassiano Bronholo.

O trabalho foi executado em 10 dias, no início deste mês de outubro, e realizado com equipamentos de pavimentação especializados para esta atividade.

Líder comunitário Natan Barreto percorre novo acesso com executivos do Porto São Luís e da Rota Nordeste

Campo de futebol

A realocação do campo de futebol foi um pedido da Associação de Moradores do Andirobal. O campo estava situado dentro da área do Porto e agora será remanejado para um local mais seguro. 

O terreno é no Andirobal, tem 30m x 25m, e foi doado pela comunidade. A previsão é de que o campo esteja concluído ainda neste mês de outubro.

“O diálogo com a empresa está permitindo à comunidade realizar sonhos. Há pessoas com problemas de mobilidade, como idosos e cadeirantes, que agora terão o ônibus passando mais perto de casa. Já o campo de futebol é uma área de lazer importante na nossa comunidade, não apenas para os adultos, mas para as crianças. Com o novo campo poderemos buscar convênios para implantar uma escolinha de futebol que reúna a criançada toda do Cajueiro”, afirma o presidente da Associação Quilombola do Andirobal, Nataniel Costa Barreto, o Natan.

1

Porto São Luís realiza ação social do Dia das Crianças no Cajueiro

Um dia especial, com muita brincadeira, lanche, cinema e diversão. Assim foi a comemoração do Dia das Crianças para cerca de 130 alunos da escola municipal UEB Manuela Varela, na comunidade Cajueiro, na Vila Maranhão.

Cerca de 60 alunos da Educação Infantil participaram de uma programação animada pela manhã na escola. À tarde, cerca de 70 alunos do Ensino Fundamental foram ao Cinépolis assistir O Rei Leão. A maioria deles estava indo pela primeira vez a um cinema. 

A ação, realizada na última quinta-feira, 10 de outubro, foi uma iniciativa do Porto São Luís, como parte das atividades de responsabilidade social desenvolvidas pela empresa na comunidade.

Para a diretora da escola, Raquel Freitas, as brincadeiras, atividades lúdicas e a experiência da ida ao cinema foram muito positivas para os alunos.

“Eles moram na comunidade e têm poucas opções de lazer. Todos se programaram, estavam animados e participaram de tudo. Foi uma ação muito boa para os nossos alunos”, destacou a gestora da UEB Manuela Varela, Raquel Freitas. 

BRINCADEIRAS E CINEMA

Pela manhã, as crianças de 5 a 7 anos se divertiram com pula-pula, casa de bolinhas, tapete de amarelinha e várias brincadeiras. O lanche foi do jeito que a criançada gosta, com muito suquinho, pipoca e algodão doce.

À tarde foi a vez dos alunos de 7 a 11 anos, do Ensino Fundamental, assistirem ao filme O Rei Leão, com direito a pipoca e refrigerante. Para Wesley Santos, 9 anos, que foi pela primeira vez ao cinema, assistir o Rei Leão na telona “foi maravilhoso”. “Eu ontem até sonhei que estava no cinema. Hoje eu realizei esse sonho”, afirmou. 

0

Blog revela que WTorre foi enganada na aquisição de área no Cajueiro…

Em duas matérias com documentação, Filipe Mota mostra que a área de onde foram expulsas várias famílias pelo governo Flávio Dino fora adquirida em uma espécie de pirâmide financeira

 

MORADOR ACOMPANHA, DESOLADO, A DESTRUIÇÃO DE SUA CASA POR TRATORES escoltados pela Polícia Militar, mesmo sem ordem de desapropriação

O blog do Filipe Mota revelou nesta sexta-feira, 16, com exclusividade, que a empresa WTorre, responsável pela construção do Porto São Luís, na área do Cajueiro, pode ter sido enganada por uma corretora de nome BC3 HUB.

De acordo com Mota, que publicou os documentos, a BC3 “teria se passado como proprietária da área com uma documentação comprovando um ato jurídico de aquisição do imóvel, por meio de títulos de cessão de direitos hereditários (Certidão de Cadeia Sucessória)”.

CERTIDÃO DE CADEIA SUCESSÓRIA “ADQUIRIDA” PELA BC3 HUB; escândalo pode envolver agentes públicos do governo e do Judiciário

Em outra reportagem, o blog revela que a gleba já havia sido assentada, ainda no segundo mandato da governadora Roseana Sarney (MDB), em 2001. E que a Certidão de Cadeia Sucessória não permite a venda da área. (Leia os posts de Filipe Mota aqui e aqui)

O blog Marco Aurélio D’Eça teve acesso a outros documentos, que apontam o desespero da WTorre em regularizar as terras – e o envolvimento de agentes públicos dos poderes Executivo e Judiciário.

Mas esta é uma outra história…