3

São Luís volta a agir como se a pandemia tivesse acabado

Bares, restaurantes, praias e shoppings voltam a receber multidões no fim de semana, a maioria sem máscara; e as autoridades também ignoram as medidas de proteção e de restrição nos estabelecimentos

 

Os bares e vilas de lanchonetes ficaram lotados, sem a menor preocupação com coVID-19 durante o fim de semana

Quem passeou por São Luís no fim de semana teve a impressão de que a cidade está absolutamente livre da pandemia de coronavírus.

O blog Marco Aurélio D’Eça visitou os principais locais de aglomeração desde a sexta-feira, 17 – bares, restaurantes, praias e shoppings – e constatou que a capital maranhense vive uma acelerada volta à normalidade.

De acordo com o último boletim da Secretaria de Saúde, deste domingo, 19, o Maranhão já registra 106.335 casos, com 2.708 mortes.

Na sexta-feira e no sábado, bares da Lagoa da Jansén, da Península da Ponta D’Areia, e da Avenida Litorânea realizaram festas, inclusive com música ao vivo; e extrapolaram o horário de 0h00, estabelecido para encerramento.

Nestes bares, alguns funcionários – só alguns – utilizavam os equipamentos exigidos de proteção (máscaras e face shield); mas ninguém exigia os cuidados necessários aos clientes.

A impressão que se teve desse passeio é que as autoridades também deixaram as exigências de lado; algumas viaturas policiais foram vistas, mas nenhuma abordagem foi feita nos bares e restaurantes.

Nas praias, as mesas na areia ficaram lotadas, mas ninguém respeitou a exigência do distanciamento e do uso de proteção individual

No domingo, as praias da região do Calhau e da Ponta D’Areia foram as vilãs.

Bares e restaurantes também ignoravam as medidas de segurança; praticamente ninguém usava máscaras na areia e muito menos nas mesas dos estabelecimentos, que seguiram sem distanciamento.

O maior rigor se dá mesmo nos shoppings centers, em que o controle de entrada segue com teste de febre e higienização com álcool em gel; mas não há controle sobre o total de pessoas no estabelecimento.

O “nem aí!” com a pandemia segue também nas casas.

Tem sido comum se vê festas em residências, inclusive com música ao vivo, que segue proibida. Nesses eventos não há a menor preocupação com uso de máscaras ou higienização.

A tendência é que a normalidade aumente nas próximas semanas do chamado período de férias de verão maranhense.

Simples assim…

2

Após abertura de bares, números da coVID-19 voltam a crescer em SLZ

Alerta é do epidemiologista Antônio Augusto Moura Silva, que aponta crescimento nos novos casos registrados na Região Metropolitana da capital, após quatro semanas de queda; taxa de transmissão também aumentou

 

Os gráficos do epidemiologista Moura da Silva mostram o crescimento de casos de coVID-19 na região metropolitana (imagem: blog do Gilberto Léda)

O número de casos de coVID-19 na região metropolitana de São Luís votou a crescer pela segunda semana consecutiva, após registrar queda no final de junho.

O alerta foi dado nesta quinta-feira, 9, pelo epidemiologista Antonio Augusto Moura Silva, que mostra também aumento do índice de contágio, agora acima de 1 por pessoa infectada.

O aumento no número de infectados em São Luís começou exatamente após liberação de funcionamento de bares e restaurantes, a partir do sábado, 27 de junho.

Desde então têm-se registrado aglomerações e festas em toda São Luís, principalmente a partir das quintas-feiras, quando começa o fim de semana.

O médico Antônio Augusto Moura Silva é professor-doutor titular do Departamento de Saúde Pública da Universidade Federal do Maranhão (Ufma), e professor de Epidemiologia do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva da Ufma.

O alerta o encaminhado também para os diretores da Secretaria de Estado da Saúde…

0

Apenas dois municípios seguem sem casos de coVID-19 no MA

De acordo com boletim oficial da Secretaria de Estado da Saúde, Lagoa do Mato e São Félix de Balsas não registraram nenhum caso da doença, que atinge 215 municípios e já ceifou a vida de 2012 maranhenses

 

O Maranhão registra casos de coVID-19 em 2015 dos 2017 municípios.

Apenas São Félix de Balsas e lagoa do Mato ainda não foram afetados pelo novo coronavírus, segundo boletim oficial da Secretaria de Estado da Saúde.

Agora já são 2012 mortes registradas em exatos três meses – entre os dias 29 de março, quando foi registrada a primeira vítima fatal, e 29 de junho, quando foi superada a casa dos 2 mil óbitos.

O Maranhão é o sétimo estado a ultrapassar o total de duas mil mortes; e se aproxima-se dos 80 mil casos…

1

Maranhão registra mais mil mortes por coVID-19 em apenas 27 dias

Media de óbitos a cada 24 horas aumentou significativamente na comparação entre a primeira e milésima mortes; e deve superar ainda nesta segunda-feira a simbolicamente triste marca dos 2 mil na pandemia de coronavírus

 

O período entre as mil mortes no Maranhão diminuiu significativamente neste mês de junho, ampliando a média de óbitos a cada 24 horas

O Maranhão registrou a primeira morte por coVID-19 no dia 29 de março, oito dias depois do primeiro caso de contaminação por coronavírus no estado. (Leia aqui)

A partir daí, foram mais 63 dias até que a milésima morte fosse registrada, no dia 2 de junho.

Mas entre o milésio óbito e a marca de duas mil mortes foram preciso apenas 27 dias.

Neste domingo, 28, foram registrados 1.982 óbitos por coVID-19. Se a média diária se mantiver, a triste marca de 2 mil óbitos será superada nesta segunda-feira, 29. (Veja gráfico abaixo)

Boletim da Secretaria de Saúde aponta 1982 óbitos; são menos de 20 mortes para chegar a duas mil, o que deve ocorrer nesta segunda-feira, 29

Na comparação entre os dois períodos, o estado teve entre a primeira e a milésima mortes uma média de 15,87 óbitos por dia; já entre a morte de número mil e as duas mil essa média subiu para 37,03 a cada 24h.

São quase 20 mortes a mais a cada dia neste mês de junho, na comparação com o primeiro período a partir de 29 de março. 

Mesmo assim, o Maranhão vem afrouxando as regras de distanciamento social e liberando o funcionamento de praticamente todo o setor produtivo.

1

Duarte Jr. mostra população exposta à coVID-19 em ônibus

Sem nenhum tipo de controle ou fiscalização por parte da Prefeitura de São Luís, coletivos circulam lotados por todo o dia, ampliando os riscos de proliferação do coronavírus; Gestão Edivaldo, como de praxe, permanece em silêncio

 

Duarte Júnior usou um dos coletivos de São Luís, que estava superlotado e sem nenhum tipo de fiscalização da Prefeitura de São Luís

O deputado estadual Duarte Júnior (Republicanos) fez nesta quarta-feira, 17 uma inspeção pessoal no sistema de transporte coletivos de São luís, para averiguar os riscos de proliferação do coronavírus.

Foram constatados aglomerações nos Terminais de Integração e superlotação dos ônibus, expondo a população a riscos de contaminação por coVID-19.

A Prefeitura de São Luís não pôs nenhum tipo de fiscalização, nem nos terminais e muito menos no acesso aos ônibus.

– Não há qualquer controle de entrada e saída de passageiros. Não há dúvida de que o distanciamento social só existe para quem pode pagar por ele. Imaginem se as aulas presenciais retornarem – alertou o parlamentar.

Duarte fez questão de viajar em um dos ônibus, exibindo os riscos a que estão expostos passageiros e trabalhadores do transporte.

Como ocorre em qualquer questão envolvendo sua gestão, o prefeito Edivaldo Júnior (PDT) permanece em silêncio.

Seguido pelo silêncio da SMTT…

0

Fim de semana com igrejas abertas no Maranhão…

Governo Flávio Dino liberou a realização de cultos e missas, seguindo regras de higienização, aglomeração e distanciamento; a partir de segunda-feira, shoppings center’s também poderão funcionar, sem as praças de alimentação

 

As igrejas terão que manter regras de distanciamento, lotação e higienização para voltar a funcionar neste fim de semana

O final de semana que se inicia nesta sexta-feira, 12, será o primeiro em quase 90 dias a ter liberado a realização de cultos e missas no Maranhão.

O governo Flávio Dino impôs uma série de restrições, mas decidiu liberar a abertura dos templos evangélicos, católicos e de outras religiões.

Para abrir, as igrejas terão que reduzir em 50% o total de lugares, para manter o distanciamento; promover higienização antes, depois e entre as cerimônias; e evitar aglomerações.

A partir de segunda-feira, 15, os shoppings centers também poderão reabrir, mas sem o funcionamento das praças de alimentação.

No centros de compras também serão seguidas regras rígidas, como redução no números de pessoas circulando, uso de máscaras e higienização total de lojas e quiosques.

Restaurantes e lanchonetes continuam funcionando apenas com serviços de drive thru e delivery.

Já os abres e casas de show não têm previsão de reabertura…

2

Empresa que fraudou venda de máscaras em São Luís atua no interior

Precision Soluções tem contratos também nos municípios de Timbiras, Matinha, Icatu, Cajapió, Lago do Junco e Porto Rico do Maranhão; só com a venda de máscaras na capital maranhense, o superfaturamento foi de mais de R$ 2,3 milhões

 

Os empresários investigados pela Polícia Federal montaram um esquema que envolve não só a prefeitura de Sã Luís, mas diversas outras no interior

Assim como a coVID-19, a empresa Precision Soluções – que compõe, segundo a Polícia Federal, um esquema de corrupção envolvendo a venda de insumos para o combate ao coronavírus – espalhou-se feito praga pelo interior maranhense.

Pertencente ao empresário Alexandre Chuairy Cunha, a empresa é um dos braços do esquema, que apenas com a venda de máscaras para a Secretaria Municipal de Saúde de São Luís, superfaturou contratos em mais de R$ 2,3 milhões.

De acordo com a Polícia Federal, o esquema já tem contratos também nas prefeituras de Timbiras, Matinha, Icatu, Cajapió, Lago do Junco e Porto Rico do Maranhão.

Alexandre Chuairy Cunha teve mandado de prisão cumprido nesta terça-feira, 9, juntamente com os também empresários Sormane Silva Santana e João de Deus Souza Lima Júnior.

A PF também levou computadores e documentos da Semus para compor a investigação.

5

“Se for preciso, volta-se atrás”, admite Carlos Lula, sobre flexibilização

Com mais de dois mil casos registrados no Maranhão em 24 horas – um recorde – secretário de Saúde revelou que pretende avaliar os dados pós-abertura das atividades para decidir se mantém ou não a flexibilidade do comércio

 

Carlos Lula vai avaliar semana que vem a situação avaliou a situação da coVID-19, mas mostra preocupação com aglomerações em São Luís, cuja pasta da Saúde é gerenciada por seu xará Lula Fylho

O secretário estadual de Saúde, Carlos Eduardo Lula, informou ao blog Marco Aurélio D’Eça, nesta quinta-feira, 4, que vai aguardar até semana que vem – quando terá as primeiras análises da reabertura das atividades – para decidir que posição tomar em relação ao avanço da coVID-19 no Maranhão.

No interior, a Justiça está determinando a volta do fechamento total em vários municípios; em outros, o Ministério Público pede comprovação científicas às prefeituras que justifiquem a abertura de todo o comércio.

Por volta das 9h de ontem, Lula contestou informações sobre aumento de casos na capital, e disse ser preciso avaliar mais à frente.

– Vamos ver o que vai acontecer semana que vem, que deve ter um possível aumento. Se for preciso, volta-se atrás. Por hora, ainda não sentimos aumento – disse o secretário.

À noite, o boletim da Secretaria de Saúde revelou mais 2.684 casos de coVID-19, com 33 óbitos em apenas 24 horas.

Do total de casos, 33 foram na Região Metropolitana e os demais 2.651 no interior.

O boletim da Secretaria de Saúde mostrou ontem novo recorde da coVID-19 no interior e uma estabilidade nos números da Grande São Luís

Durante a conversa com o titular do blog, o secretário admitiu, porém, que há focos de aglomeração, que podem resultar em aumento da coVID-19 também na capital.

– Com a Rua Grande desse jeito [lotada] é improvável não ter aumento [no casos de coVID-19]. Temos de tatear dia a dia – analisou o secretário.

Desde segunda-feira, 1º, diversas atividades não-essenciais puderam reabrir as portas, o que causou forte movimentação popular nos centros comerciais e no transporte.

Além disso, outros setores econômicos também pressionam pela reabertura.

Mas o governo só deve decidir se fecha, se abre ou se mantém como está a partir da próxima segunda-feira, 8…

0

Prefeitura de Santa Rita tenta frear crescimento da Covid-19

O município de Santa Rita vem conseguindo frear o crescimento de casos do novo coronavírus. Medidas adotadas pela Prefeitura vem contribuindo para que a população venha vencer a guerra contra a doença que vem abalando o mundo. De acordo com o relatório da Secretaria estadual de Saúde, já são 140 casos registrados, o número mostra um avanço lento da doença no município.

No mês de abril, Santa Rita chegou a figurar entre as 5 cidades com maior número de casos da covid-19, os números atuais demonstram a situação controlada no município.

As medidas adotadas como a instalação de túneis de descontaminação, os quais foram instalados próximo ao Hospital Municipal e também na Caixa Econômica Federal, ajudaram no controle da doença.

Uma medida de saúde, adotada pelo prefeito Hilton Gonçalo também foi a garantia de distribuição de remédios de forma gratuita para casos suspeitos e confirmados da doença. Os suspeitos recebem o protocolo 1 com uso de ivermectina, já os confirmados recebem o antibiótico, hidroxicloroquina e corticoide, se for necessário.

O resultado disto é que o número de mortes está estacionado em quatro. O prefeito Hilton Gonçalo lamenta cada vida perdida, mas tem trabalhado incessantemente para que novos óbitos não venham ser registrados.

Hoje, o número de recuperados no município é de 76 pessoas, o que estabelece um percentual de 55%.

Uma equipe da saúde também foi montada para fazer o teleatendimento, ou seja, faz monitoramento diário com as pessoas confirmadas e também com os suspeitos.

No âmbito hospitalar, Prefeitura de Santa Rita ainda montou 20 leitos exclusivos distribuídos em seis UBS´s, assim como no Hospital municipal, que ainda possui três leitos de UI – Unidades Intensivas.

E para garantir o atendimento de outros pacientes que não estão infectados pelo novo coronavírus e não aumentar o número de doentes crônicos de diabetes, hipertensão, um centro de especialidade foi montado na UBS do bairro Gonçalo, garantindo consultas e procedimentos para quem não tem covid-19.

0

As mil vidas perdidas no Maranhão para a coVID-19…

Estado tem cerca de 3% do total de mortos no Brasil e chega ao patamar superior a 1,5 mil casos por dia, com alastramento do coronavírus pelo interior

 

São 1.028 perdas no Maranhão.

Mais de mil vidas vencidas pela coVID-19, número jamais atingido por nenhuma tragédia conhecida no estado.

E os casos seguem crescendo, sobretudo no interior, que se transformou no novo epicentro da doença no Maranhão.

Os riscos de colapso são cada vez maiores, diante de uma flexibilização generalizada em todos os municípios.

o número de mortes no estado representa algo em torno de 3% do total de mortes no Brasil, que ontem superou o patamar de 31 mil.

Também no Brasil, a flexibilização tem gerado aumento no número de casos…