0

Zé Inácio pede urgência na tramitação da lei que garante conclusão de obras entre Bequimão a Central do MA

Durante sessão virtual da Assembleia Legislativa, o deputado Zé Inácio (PT) falou sobre o requerimento, de sua autoria, que pede regime de urgência na tramitação do projeto de lei do executivo 147/2021.

O projeto de lei em questão trata de empréstimo na ordem de 180 milhões contratado pelo governo do estado junto ao Banco de Brasília – BRB, para execução de importantes obras de infraestrutura, como estradas e pontes, em várias regiões no estado através do Programa Maranhão Forte. 

“Esse é um empréstimo importantíssimo, pois vai atender obras de infraestrutura com grande relevância para o Maranhão, como a estrada da MA-211, que liga o município de Bequimão a Central do Maranhão,  por meio da ponte que está sendo construída sobre o Rio Pericumã, sendo essa uma das obras mais importantes do Governo Flávio Dino”, justificou o parlamentar.

O deputado disse ainda que essa obra além de melhorar o acesso entre os municípios, interligará toda a região da Baixada, sobretudo o litoral ocidental maranhense. 

Além da construção da MA-211, o empréstimo também será usado na execução de outras importantes obras, como: construção da ponte sobre o Rio Preguiças(em Barreirinhas, garantindo um melhor acesso aos Lençóis Maranhenses); na recuperação da MA-247, que liga São Luís Gonzaga a Trizidela do Vale; na recuperação da MA-006, que liga Grajaú a Formosa da Serra Negra. “Portanto,  a urgência na tramitação do empréstimo se justifica não só pela relevância das obras de infraestrutura que vão melhorar a vida das pessoas que vivem nas cidades e regiões do nosso estado, como por ser um investimento público que vai ajudar a dinamizar a  economia e gerar empregos neste difícil momento de pandemia”, disse Zé Inácio. 

0

Maranhão pode chegar a 6 mil mortos por CoVID-19 nesta terça-feira…

Recorde de óbitos registrados na segunda-feira, 29, elevou o número de falecimentos para 5.991 até agora, faltando nove casos para o alcance do triste recorde, mesmo com todas s medidas de restrição do governo

 

As mortes têm aumentado no Maranhão, mesmo com as medidas de restrição contra a CoVID-19 impostas pelo governo Flávio Dino

O Maranhão pode chegar à triste marca de 6 mil mortes por CoVID-19 ainda nesta terça-feria, 30.

O estado está a nove casos deste triste recorde.

Na segunda-feira, 29, o Maranhão registrou nada menos que 42 morte sem 24 horas, mais um triste recorde, mesmo com todas as medidas de restrição impostas pelo governo Flávio Dino (PCdoB).

As autoridades do governo, aliás, parecem não se entender em relação á pandemia de coronavírus.

O governador Flávio Dino decidiu afrouxar as medidas de restrição, liberando bares, restaurantes para funcionamento com 50% de capacidade, além de abertura de aulas em escolas particulares.

Já o secretário de Saúde, Carlos Lula, tem alertado diariamente para os riscos de “piores dias” no estado do maranhão ainda por chegar.

E neste clima de indefinição perde-se vidas diariamente…

4

Justiça bate cabeça sobre feriado antecipado por Flávio Dino…

Enquanto a Justiça Federal obriga a Prefeitura de Imperatriz e os bancos a cumprirem a determinação do governador, Tribunal de Justiça do Maranhão exige dos seus servidores o serviço remoto – que, aliás, já é uma espécie de férias até 15 de abril

 

O Poder Judiciário no Maranhão mostrou nesta quinta-feira, 25, uma completa falta de sintonia com os demais poderes federativos e entre suas próprias instâncias.

A Justiça Federal determinou à Prefeitura de Imperatriz, ao Banco do Brasil e ao Banco do Nordeste que cumpram o feriado antecipado pelo governo Flávio Dino (PCdoB).

Mas o Tribunal de Justiça do Maranhão já determinou aos seus servidores que continuem no trabalho remoto – trabalho este, aliás, que se arrasta desde o início de março e vai até 15 de abril, uma espécie de férias coletivas dos serventuários da Justiça. (Entenda aqui e aqui)

O feriado antecipado – que deveria ser respeitado somente em 28 de julho – é mais uma tentativa do governo Flávio Dino de reduzir ops números da coVID-19 no estado.

A expectativa é que, nesta sexta-feria, ele decrete Estado de Calamidade Pública no Maranhão, o que garantir[á regime de exceção na gestão pública do estado.

É aguardar e conferir…

0

Vetam as iniciativas, mas rendem-se às ideias da oposição

Propostas apresentadas por parlamentares de oposição na Assembleia acabam virando leis em iniciativa de aliados do governo Flávio Dino, numa mostra de que o contraponto de ideias, de uma forma ou de outra, beneficia a população

 

César Pires com o presidente Othelino Neto e o chefe da Casa Civil Marcelo Tavares: propostas vetadas, mas ideias aproveitadas

Com o apoio de quase a totalidade do plenário, o governo Flávio Dino (PCdoB) tem conseguido impor sua vontade contra a produção legislativa dos deputados de oposição na Assembleia Legislativa do Maranhão. Mas as ideias propostas são tão importantes para a população que, embora mudem de autoria, acabam tornando-se realidade na vida da população.

Nesse contexto, vale destacas duas iniciativas do deputado César Pires (PV).

A primeira foi a PEC da Emenda Impositiva, que tornava obrigatória a execução das emendas apresentadas pelos parlamentares ao Orçamento do Estado, ou seja, os deputados poderiam, de fato, exercer a prerrogativa de destinar recursos estaduais para obras e serviços que julgassem importantes para a população.

Neste caso, o governo Flávio Dino só permitiu a aprovação da PEC com um texto substitutivo apresentado pelo líder governista Rafael Leitoa (PDT), com limitações impostas pelo Executivo.

Outro claro exemplo de que o governo não aceita que a oposição leve o crédito pelas iniciativas que atendem às necessidades da população é a chamada Lei Anti-Corte, proposta pelo senador Weverton Rocha (PDT) e aprovada no Senado.

A ação do senador é extremamente louvável; mas é preciso lembrar que projeto igual foi proposto por César Pires à Assembleia – ainda no ano passado – e chegou a ser aprovado por unanimidade, mas vetado por Flávio Dino.

“Vetam as nossas iniciativas, mas se rendem às ideias, porque não há como negar sua importância”, sintetizou César Pires.

2

Alerta sobre ocupação de UTIs contrapõe ato do próprio governo

Do blog de Gilberto Léda

O Governo do Maranhão apresentou ontem (25) dados de aumento da ocupação de leitos exclusivos para pacientes com Covid-19 para sustentar uma nova narrativa de necessidade de medidas restritivas no estado.

Em tom de alarme, a SES culpou as festas de fim de ano pela recente alta e cobrou da população, mais uma vez, que cumpra medidas de distanciamento.

Chegou a proibir até mesmo pequenos eventos e reuniões – e depois voltou atrás (reveja).

O governo só não explica por que fechou tantos leitos que haviam sido instalados exclusivamente para o tratamento do novo coronavírus.

Os números são absurdos.

E tudo fica ainda pior quando lembramos que há quase um ano, quando das primeiras restrições impostas, a alegação era a de que se precisava de tempo para dotar a rede pública de saúde de estrutura necessária para receber os doentes.

Foram adquiridos respiradores, montados hospitais de campanha, contratados profissionais.

Obtiveram o tempo para isso à custa de lockdown e afins, instalaram os leitos e, na primeira folga, os fecharam. Muito provavelmente para economizar verba federal.

E agora querem novamente penalizar o cidadão e a economia como se não tivessem nenhuma responsabilidade pelo rumo que as coisas estão tomando.

1

O cancelamento do carnaval do Maranhão

A Secretaria de Estado da Cultura (Secma) do governo Flávio Dino (PCdoB) confirmou hoje (22), por meio de nota, o cancelamento do Carnaval do Maranhão, nos moldes como vinha sendo realizado nos últimos anos – com circuitos no Centro Histórico de São Luís e cidades do interior.

Segundo o comunicado, a decisão foi tomada em virtude do fato de que, até agora, não há vacinação em massa no país.

Apesar disso, a Secma não trata na nota da proibição de pequenas festas privadas – mas com a ressalva de que estas sejam feitas com até 150 pessoas, como determina decreto estadual.

Veja a nota.

“A Secretaria de Estado da Cultura (Secma) informa que, em razão da falta de vacinação em massa contra a Covid-19, o Governo do Maranhão decidiu não realizar qualquer evento que gere grandes aglomerações, a exemplo do carnaval. Eventos desse porte só serão retomados pela gestão estadual quando houver segurança sanitária e liberação das autoridades de saúde competentes.

Também não há previsão de nova data para celebração do carnaval 2021. A definição de um novo calendário da festividade no Maranhão dependerá da liberação das autoridades em saúde pública.

A Secma esclarece ainda que continuará realizando ações em apoio aos profissionais da arte, assim como foi feito em 2020, quando foram lançados editais públicos com recursos estaduais e por meio da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc (Lei Federal n° 14.017/20), que beneficiou mais de 3.000 fazedores de cultura de todo o Maranhão.

A fiscalização de festas privadas de pré-carnaval que eventualmente descumpram o decreto estadual n° 36.203, de 30 de setembro de 2020 – norma que autoriza apenas eventos com no máximo 150 pessoas – cabe às prefeituras, à Superintendência de Vigilância Sanitária (Suvisa) e à Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP).”

4

Weverton nega “candidatura intransigente” e cita Edivaldo como opção

Conciliador, senador maranhense disse que só concorrerá ao governo se houver viabilidade eleitoral e consenso na base; e afirma aceitar qualquer nome indicado pelo governador Flávio Dino que demonstre viabilidade eleitoral

 

Em paz com seu projeto político, Weverton reafirma comando de Dino na sucessão e cita Edivaldo Júnior como opção ao governo

O senador Weverton Rocha (PDT) deu mais uma mostra de sua maturidade política, nesta quarta-feira, 16, ao afirmar em entrevista à rádio Educadora que não há intransigência em sua candidatura ao governo.

– Eleição majoritária não é eleição de projeto pessoal. Eleição majoritária é grupo, não é sozinho. E tem que ouvir o povo. Vamos ver o que o povo vai dizer. E o líder desse grupo é o governador Flávio Dino (PCdoB) – ensina o senador.

Para Rocha, é equivocada e “pouco inteligente” a estratégia do grupo do grupo do vice-governador Carlos Brandão (Republicanos), de tentar afastá-lo de Flávio Dino.

– É claro que o grupo do vice-governador tenta nos afastar de Flávio Dino, de forma equivocada, penso eu, por conta de disputas internas. Para a eles, numa conta simples, mas não inteligente, é mil vezes melhor tentar me afastar, achando que isso me enfraquecerá – disse.

Brandão tem forçado a barra para ser candidato de qualquer jeito, mesmo tendo menos de dois dígitos nas pesquisas de intenção de votos já divulgadas; ele também hostiliza Weverton como adversário no grupo. (Relembre aqui e aqui)

Mesmo assim, Rocha aceita apoiar qualquer nome indicado pelo governador Flávio Dino (PCdoB) que demonstre mais viabilidade eleitoral e que tenha consenso na base; e cita o prefeito Edivaldo Júnior como exemplo:

– Eu sempre construí política tendo a leitura de que não se pode construir projetos pessoais. Se Flávio Dino disser: “Weverton, Brandão nós temos o nome do prefeito Edivaldo bem avaliado, que pode unificar vocês”. Qual o problema de eu fazer parte deste projeto? – perguntou 

Weverton concluiu, reafirmando sua maturidade:

– O que não vou fazer é ir de qualquer jeito para um projeto pessoal, que não represente grupo. Se tivermos esta construção, não vejo problema nenhum. Repito: o projeto é do grupo –  afirmou o senador do PDT. 

Simples assim…

0

Deputados terão 126 milhões em emendas em 2021 no MA

Governo Flávio Dino conseguiu, no entanto, garantir em projeto que só precise pagar metade deste valor, ou seja, R$ 1,5 milhão por cada deputado; as emendas foram apelidadas por Dr. Yglésio de “implorativas”

 

Deputados na votação das emendas “implorativas”

O Projeto de Lei Orçamentária Anual de 2021 do Governo do Maranhão deve passar pela Assembleia Legislativa com R$ 126 milhões em emendas parlamentares.

O valor foi definido em acordo entre os deputados estaduais e representa um total de R$ 3 milhões a cada um deles.

Desse total, contudo – de acordo com uma Emenda Constitucional aprovada pela Casa na semana passada -, o governador Flávio Dino (PCdoB) só estará obrigado a pagar metade: R$ 63 milhões, ou R$ 1,5 milhão por deputado.

De impositivas, as emendas foram apelidadas pelo deputado Dr. Yglésio de “implorativas”…

Com informações do blog de Gilberto Léda

3

Dr. Yglésio a caminho da oposição…

Candidato a prefeito pelo PROS, que iniciou a pré-campanha apostando em ter uma forte coligação com partidos da base do governador Flávio Dino é cada vez mais crítico da gestão comunista e se mostra duro com adversários da base

 

Mesmo isolado no PROS, Yglésio manteve campanha firme e mostra postura cada vez maior de oposicionista

O deputado estadual Dr. Yglésio (PROS) apostou alto em seu projeto de candidatura a prefeito de São Luís.

Na pré-campanha, ele sonhou ter um partido forte e uma coligação forte, dentro da base do governo Flávio Dino (PCdoB), com estrutura de campanha e tempo na propaganda para – acreditava ele – chegar ao segundo turno.

Algo deu errado na articulação de Yglésio ele acabou isolado no pequeno PROS, com apenas 16 segundos de tempo na propaganda e praticamente sem chapa de vereadores.

Desde então, o deputado tem sido cada vez mais duro com o governador Flávio Dino – a quem já deu reprimenda pública – e contra os candidatos do chamado consórcio governista, incluindo o comunista Rubens Pereira Júnior, candidato do Palácio dos Leões.

E já deixou claro que não apoiará nenhum candidato no segundo turno.

Mas esta é uma outra história…

3

O fator Weverton Rocha nas eleições de São Luís…

Acostumado a enfrentar ambientes eleitorais hostis, senador tem no pleito de 2020 uma das mais duras missões: ajudar a levar ao segundo turno o democrata Neto Evangelista, mesmo contra todo o fogo amigo na própria base; e ao contrário do que se pensa, o pedetista mostra cada dia mais entusiasmo com o desafio

 

Os eventos de Neto Evangelista têm se transformado em sucessivos recordes de público, tendo por trás o entusiasmo contagiante do senador Weverton Rocha, mesmo em ambiente eleitoral hostil

Análise de conjuntura

Não há dúvidas de que o senador Weverton Rocha (PDT) – à época deputado federal – foi o principal responsável pela virada histórica que resultou numa reeleição dada como perdida do prefeito Edivaldo Júnior (PDT), em 2016.

A façanha – que resultou, inclusive, em sua consolidação como candidato a senador – vem sendo contada desde então pelo blog Marco Aurélio D’Eça, em sucessivos posts. (Relembre aqui)

Agora, nas eleições de 2020, o senador pedetista tem um novo desafio: ajudar a levar o deputado estadual Neto Evangelista (DEM) ao segundo turno das eleições na capital maranhense.

Em dadas circunstâncias, a missão seria tranquilamente factível, dada a força do PDT na capital maranhense, somada ao carisma do próprio Neto Evangelista e da conjunção de aliados envolvidos no projeto.

Mas Weverton enfrenta nestas eleições ambiente hostil, criado em sua própria base de aliados.

O senador-presidente do PDT enfrenta não apenas o favoritismo quase inalcançável do deputado federal Eduardo Braide (Podemos), mas também um fogo-amigo ininterrupto da própria base do governo Flávio Dino (PCdoB), que querem o mesmo que ele.

Mas do que tirar Neto do segundo turno, as forças que gravitam em torno dos candidatos Duarte Júnior (Republicanos) e Rubens Pereira Júnior (PCdoB) – e do próprio Braide – querem ferir de morte o projeto de Weverton para 2022.

Imagem-símbolo da vitória de Edivaldo em 2016: Weverton Rocha arregaçando as mangas, com seu grupo, para reverter uma derrota que já se dava como favas contadas

O que impressiona em toda esta situação é o entusiasmo com que o senador encara todos esses obstáculos.

Ele não apenas veste a camisa de Neto Evangelista, como participa da maioria dos eventos de campanha, envolvendo a militância pedetista e com a plena convicção de que chegará ao segundo turno, mesmo diante das pesquisas – que aliás, jogavam contra ele também em 2016 e 2018.

O resultado são os eventos cada vez maiores em torno de Neto Evangelista, que bate recordes de público nas comunidades de São Luís, a exemplo do que ocorreu no Centro, com Fábio Câmara, na Vila Luisão, com Ivaldo Rodrigues, e ontem no Anjo da Guarda, como mostram as imagens que ilustram este post.

É com esta convicção que o senador diz estar envolvido diretamente na campanha, por que, segundo ele, o segundo turno será outra batalha.

Quando o fator Weverton Rocha marcará ainda mais posição…