1

Eliziane Gama e as eleições de 2020 e 2022…

Embora ausente do debate, senadora surge entre opções para o executivo, tanto no cenário municipal quanto no estadual, mexendo no jogo eleitoral e apontando também para uma espécie de terceira via na batalha que se anuncia entre o senador Weverton Rocha e o vice-governador Carlos Brandão

ELIZIANE EM EVENTO COM FLÁVIO DINO, WEVERTON E SEUS RESPECTIVOS CÔNJUGES; força popular mesmo ausente do debate eleitoral e opção de peso para os próximos anos

A senadora Eliziane Gama (Cidadania) tem dito a aliados mais próximos – inclusive o titular do blog Marco Aurélio D’Eça – que não pretende por o seu nome no debate eleitoral pela prefeitura, em 2020.

Mesmo assim, ela aparece como opção de unidade na base governista e única capaz de garantir um segundo turno contra o deputado federal Eduardo Braide (PMN).

Esta informação foi, inclusive, fruto de post deste blog no fim de semana, analisando pesquisa de bastidores em poder do Palácio dos Leões. (Releia aqui)

Nesta segunda-feira, 18, Eliziane Gama ganhou ainda mais importância no contexto de 2022, ao aparecer como principal candidata em uma pesquisa divulgada pelo blog do Gilberto Léda.

É certo que o levantamento do Inop abrangeu setores específicos do estado, como o municípios à base da BR-135 – que recebem influência direta do deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PCdoB) – mas significativo o fato de Eliziane superar o senador Weverton Rocha (PDT) e o vice-governador Carlos Brandão (PRB).

Weverton está em campanha aberta pelo Governo do Estado desde que se elegeu senador, em 2018. Desde então vem montando uma base de aliados e tentando influenciar diretamente no comando das principais instâncias de poder no Maranhão, como forma de se consolidar como candidato.

Mesmo assim, está 20 pontos atrás de Eliziane.

O vice-governador Carlos Brandão é mais discreto, atua de forma mais comedida, mas tem o trunfo de assumir o governo até abril de 2022, quando poderá ser candidato no cargo. Ele apareceu com 4,23% na pesquisa divulgada por Gilberto Léda.

A PESQUISA DO INOP REVELADA POR GILBERTO LÉDA; números que surpreendem quem está em campanha aberta desde o fim de 2018

Neste contexto, Eliziane Gama passa a ser uma opção do próprio governo para a pacificação da base, que vive a iminência de um racha já nas eleições de 2020, quando os grupos governistas se engalfinharão pela sucessão do prefeito Edivaldo Júnior.

E o fato de Weverton Rocha estar pessoalmente empenhado nas eleições de São Luís – e Eliziane Gama não – também é significativo da força popular que cada um representa no estado.

Questionada pelo blog Marco Aurélio D’Eça sobre a presença do seu nome nos jogos eleitorais de 2020 e 2022, a senadora foi lacônica, mas sugestiva:

– Estava me recuperando dessa campanha dura [pelo Senado]. Mas vamos recomeçar – sinalizou.

E este “recomeçar” pode dizer muita coisa do ponto de vista político.

1

Governo fechou cerca de 15 hospitais de 20 leitos no Maranhão..

Unidades de saúde construídas no governo Roseana Sarney foram abandonadas no governo Flávio Dino e acabaram fechados pelas prefeituras; Investigação do Ministério Público nunca teve o resultado apresentado

 

O HOSPITAL DE DAVINÓPOLIS É UM DOS QUE SEGUIAM FECHADOS ATÉ 2017, QUANDO O MINISTÉRIO PÚBLICO ABRIU INVESTIGAÇÃO, cuja conclusão nunca foi apresentada

Pelo menos 15 dos hospitais de 20 leitos construídos no governo Roseana Sarney (MDB) estão totalmente fechados, sem nenhum serviço adotado pelo governo Flávio Dino (PCdoB).

Outros seguem sucateados, por falta de estrutura apropriadas no município.

Os hospitais de 20 leitos foram construídos pelo então secretário de Saúde, Ricardo Murad, que garantiu o funcionamento por meio de repasse de R$ 100 mil mensais às prefeituras onde estavam instalados, o que garantiu atendimento de excelência.

Quando assumiu, Flávio Dino decidiu reduzir o repasse para R$ 70 mil; muitas prefeituras não tiveram condições de arcar coma s despesas e abandonaram os hospitais, que acabaram fechando.

Em 2017, o Ministério Público chegou a abrir inquérito para investigar o fechamento dos hospitais, mas até hoje não apresentou nenhuma conclusão.

A BANCADA FEDERAL É A ESPERANÇA DA FAMEM PARA RESOLVER O PROBLEMA dos hospitais de 20 leitos fechados no Maranhão

Agora, para tentar recuperar os hospitais, o presidente da Federação dos Municípios (Famem), Erlânio Xavier (PDT), apelou para a bancada federal. Ele quer que o deputados e senadores destinem emendas específicas para o funcionamento desses hospitais.

O salvamento dos hospitais no Maranhão, portanto, está sob a responsabilidade da bancada.

É aguardar e conferir…

0

César Pires volta a criticar redução no repasse de recursos ao Aldenora Bello

O deputado César Pires rebateu nesta quarta-feira (09) o argumento usado pelo governo estadual e seus aliados de que haveria algum impedimento burocrático para repassar recursos do Fundo Estadual de Combate ao Câncer para o Hospital Aldenora Bello. Para o parlamentar, não há nenhuma justificativa aceitável para que o repasse de recursos estaduais ao hospital tenha caído de R$ 2.989.000,00, em 2018, para apenas R$ 183 mil este ano.

“A Secretaria de Estado da Saúde alega, agora, que não pode fazer os repasses necessários ao Hospital Aldenora Bello porque o Conselho do Fundo Estadual de Combate ao Câncer não autoriza. Mas ano passado, com as mesmas legalidades do mesmo fundo, com a mesma consultoria, foram repassados R$ 2,9 milhões dos R$ 7 milhões previstos. Então porque o mesmo Conselho não proibiu ano passado”, questionou César Pires.

Ele ressaltou, ainda, que o parágrafo único do artigo 51 da lei que criou o Fundo Estadual de Combate ao Câncer estabelece que o Conselho a que se refere a Secretaria de Saúde é de caráter apenas consultivo, não deliberativo. “O fundo criado por iniciativa do então deputado estadual Eduardo Braide deveria atender não somente o Hospital Aldenora Bello, mas todas as unidades que assistem os pacientes oncológicos no Maranhão. Mas esses recursos não estão chegando onde deveriam”, acrescentou.

César Pires conclui dizendo que não adianta tentar justificar o injustificável, nem culpar o Fundo Estadual de Combate ao Câncer. “O governo fracassa em todos os níveis do sistema de saúde, e falta aos gestores a devida atenção ao Aldenora Bello. Só quem já teve pessoas queridas ali internadas sabe a importância daquele hospital. E não posso aceitar que queiram agora responsabilizar o fundo por esse grave problema. O governo quer tirar dos ombros uma responsabilidade que é dele, colocando em primeiro lugar projetos políticos pessoais, desprezando o sofrimento das pessoas e, consequentemente, um projeto humanitário. Essa é verdade”, finalizou.

0

O indispensável papel da oposição na Assembleia…

Mesmo em número reduzido, deputados que não compõem a base governista têm conseguido evidenciar situações que forçam o governo Flávio Dino a mudar rumos e a corrigir equívocos de sua equipe e dele próprio

 

CÉSAR PIRES E ADRIANO SARNEY EM UMA DAS AÇÕES NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA; ao lado de Wellington do Curso fazem a pequena, mas aguerrida oposição

A oposição tem cumprido um papel fundamental na Assembleia Legislativa do Maranhão.

Embora em número bastante reduzido – somente os deputados César Pires (PV), Adriano Sarney (PV) e Wellington do Curso (PSDB) – os parlamentares que não fazem parte da base governista têm conseguido fiscalizar e até forçar o Executivo a corrigir questões prejudiciais à população.

Na semana passada, César Pires usou a tribuna para criticar a decisão da Secretaria de Administração Penitenciária (Sejap) de oferecer curso de artes marciais para presidiários.

– Como aceitar que detentos sejam treinados para defesa pessoal, se por outro lado os agentes penitenciários há muito tempo não recebem esse tipo de capacitação? É muito difícil compreender que seja positivo capacitar encarcerados para o embate pessoal, dando a eles instrumentos para cometer crimes dentro e fora do sistema prisional – declarou o deputado.

Diante da repercussão negativa, a Sejap anunciou o cancelamento do curso de artes marciais.

Desmonte da Saúde

Da mesma forma, por sucessivas vezes César Pires tem usado a tribuna da Assembleia para relatar o desmonte da rede estadual de saúde, mostrando a suspensão de serviços, a falta de insumos, a demissão de pessoal em UPAs e hospitais em todo o Maranhão, de São Luís a Pinheiro, Presidente Dutra, Matões, Chapadinha, Codó, Coroatá e tantos outros municípios.

Mais recentemente, o alvo das denúncias da oposição foram o Centro de Hemodiálise de São Luís e o Hospital de Traumatologia e Ortopedia (HTO).

No primeiro caso, o governo inaugurou o serviço anunciando o funcionamento de 40 máquinas, mas César Pires mostrou, em vídeo, que só 14 estavam funcionando. No caso do HTO, foi revelada também a redução, em cerca de 25%, no número de atendimentos aos pacientes ortopédicos.

– Cumprimos nossa obrigação de fiscalizar os atos do Executivo e cobrar soluções que atendem os interesses da população. Não podemos aceitar sem questionar medidas que só interessam ao governo – concluiu César Pires.

0

Andreia Martins Rezende entrega ambulância a Riachão

Deputada participou de solenidade no Palácio dos Leões, onde foram distribuídas 10 ambulâncias doadas pela Cervejaria Ambev

 

Na manhã de terça-feira, 1º, a deputada Andreia Martins Rezende (DEM), participou ao lado do deputado Fernando Pessoa (SOLIDARIEDADE), de uma solenidade no Palácio dos Leões, que entregou 10 ambulâncias a municípios maranhenses.

Com a presença do governador Flávio Dino (PCdoB), do secretário Simplício Araújo – SEINC e diversas autoridades, a ação foi realizada pelo Governo do Estado, por meio da SEINC, em parceria de contrapartida social com a empresa AMBEV.  

Na oportunidade, uma das ambulâncias foi entregue à saúde da cidade de Riachão, que inclusive, já havia sido solicitada pela deputada Andreia e pelo deputado Fernando, por meio de indicação protocolada na Assembleia Legislativa. 

“É uma enorme satisfação estar presente nesta solenidade e por entregar essa ambulância às mãos desse prefeito forte, que é o Joab. Satisfação maior ainda em saber que a população de Riachão, uma das cidades que me abraçaram durante a campanha, é quem vai ser beneficiada com a melhoria na assistência a saúde”, destacou a deputada.

Da assessoria

0

Novo vídeo mostra ação de policiais contra moradores do Cajueiro…

Moradores recusam-se a sair da área onde tratores estão operando e são empurrados por PMs, que usam spray de pimenta – até contra uma grávida – e chegam a posicionar armamentos

 

Um novo vídeo sobre a operação da Polícia Militar na desocupação do povoado Cajueiro – onde será construído um porto da empresa WTorre – mostra ações policiais fora do razoável.

As imagens mostram moradores inconformados, recusando-se a sair da área onde tratores operam na destruição das casas. Os PMs empurram alguns e usam spray de pimenta em outros.

O spray chega a atingir uma mulher grávida, quer sai cambaleando.

Em dado momento, aparece um dos policiais com arma – que parece ser uma cartucheira ou algo parecido – em posição de ataque.

O vídeo está sendo divulgado em aplicativos de troca de mensagens…

0

Glalbert Cutrim pede a recuperação da MA-014…

Deputado propôs indicação ao Governo do Estado em favor da estrada que liga Vitória do Mearim e Pinheiro, beneficiando milhares de maranhenses da Baixada

 

O vice-presidente da Assembleia Legislativa, deputado Glalbert Cutrim (PDT), apresentou indicação ao governo do Estado propondo a recuperação da rodovia MA-014.

A estrada liga os municípios de Vitória do Mearim e Pinheiro; e é importante via de transporte na região da Baixada.

1

Comunistas montam agenda de R$ 100 milhões para Rubem Júnior em SLZ…

Palácio dos Leões quer o secretário de Cidades como candidato a prefeito, e vai usar a maquina para tentar fazê-lo ser conhecido na capital maranhense, onde seus índices nas pesquisas ainda são insignificantes

 

A AGENDA DO GOVERNO FOI TODA VOLTADA PARA FAZER DE RUBENS JÚNIOR CANDIDATO COMPETITIVO EM SÃO LUÍS, mesmo com outras opções mais vem posicionadas, inclusive no próprio PCdoB

O blog Marco Aurélio D’Eça tem apontado, em sucessivos posts, as articulações do Palácio dos Leões para fazer do secretário de Cidades, Rubens Pereira Júnior (PCdoB) nome de peso na disputa pela Prefeitura de São Luís.

Foi assim em em 9 de abril, com, o post “Palácio dos Leões força a barra por Rubens Júnior, mas aliados torcem o nariz…”.

Com praticamente traço nas pesquisas de intenção de votos já divulgadas, o parlamentar tem, mesmo assim, o apoio aberto da cúpula comunista, mesmo diante de candidatos mais consistentes – no próprio PCdoB – como o deputado estadual Duarte Júnior, hoje em segundo lugar.

Tanto que os atos do governo com aliados passaram a ter o comunista como protagonista, como revelado em 14 de maio, no post “Palácio dos Leões tenta impor Rubem Júnior a aliados…”

Agora, o governo Flávio Dino resolveu iniciar uma agenda eleitoreira para tentar forçar um crescimento de Rubens Júnior.

Trata-se de um programa específico para o Centro Histórico, com recursos da ordem de R$ 100 milhões, que serão capitaneados pelo titular da Secid.

Mesmos sem o carisma necessário para envergar uma candidatura governista, Rubens Júnior terá toa a estrutura de governo para viabilizar sua candidatura.

e terá ainda a leniência do prefeito Edivaldo Júnior (PDT) – que mesmo com outras opções do seu grupo – dificilmente fará frente ao desejo de Fla´vio Dino e Márcio Jerry, controladores do PCdoB.

Resta saber como reagirão outros candidatos, como o já citado Duarte Júnior, Neto Evangelista (DEM) e Osmar Filho (PDT).

6

Novos políticos, velhas práticas…

Submissos ao poder do governo Flávio Dino – em uma assembleia com apenas três parlamentares efetivamente de oposição – deputados subvertem aos próprios compromissos eleitorais de lutar pelo povo

 

Eleitos com o discurso da “nova política”, muitos dos que formam a base governista repetem as velhas práticas na Assembleia Legislativa do Maranhão. Num plenário em que somente três parlamentares – César Pires (PV), Adriano Sarney (PV) e Wellington do Curso (PSDB) – têm posicionamento crítico em relação ao governo Flávio Dino, o Legislativo segue com total submissão ao Executivo estadual.

Nenhum dos deputados eleitos prometendo fazer uma “nova política” conseguiu manter na Assembleia o pacto feito durante a campanha eleitoral de defender os interesses do povo, e continuam com as práticas que condenavam em seus discursos.

Hoje o que se vê são esses mesmos políticos aprovando todas as propostas do governo Flávio Dino, sem qualquer questionamento, mesmo contrariando a vontade da população. Seus discursos estão distanciados de suas promessas.

Além de manter a submissão ao governo nas votações na Assembleia, os “novos” parlamentares abrem mão de outra obrigação que assumiram quando foram eleitos: a de fiscalizar os atos do Executivo. E assim, obedientes ao governador e não aos seus eleitores, barram todas as iniciativas da oposição que visam garantir transparência na gestão dos recursos públicos, como pedidos de informações e convocação de gestores.

E vão além na submissão: fecham os olhos para a incapacidade do governo estadual em atender as principais necessidades da população, como a recuperação das estradas estaduais e a manutenção de serviços de saúde com qualidade.

Para tentar manter a imagem do “novo”, inovam na formulação de leis inócuas e na renovação de promessas que, sabem, não serão cumpridas, pois dependem da vontade do governo que exerce total controle dos seus mandatos.

Cedem suas prerrogativas ao Executivo na esperança de receber algum benefício, mas nem mesmo têm atendidas as demandas que levam ao governo.

1

A oposição e a Prefeitura de São Luís…

Enquanto a base do governo Flávio Dino se movimenta entre ela mesma para a sucessão do aliado Edivaldo Júnior, os partidos que não rezam na cartilha do Palácio dos Leões ainda estão em compasso de espera

 

Se na base do governo Flávio Dino (PCdoB) há pelo menos cinco candidatos com potencial para a sucessão do prefeito Edivaldo Júnior (PDT) – Neto Evangelista (DEM), Duarte Júnior (PCdoB), Bira do Pindaré (PSB), Rubens Pereira Júnior (PCdoB) e Osmar filho (PDT) – a oposição ainda está em compasso de espera.

Por enquanto, entre os partidos que não seguem a cartilha do Palácio dos Leões, apenas Wellington do Curso (PSDB) se movimenta com vistas às eleições de 2020.

Mas ele ainda terá que convencer sua legenda; ou partir para outra.

O deputado Eduardo Braide (PMN) não se inclui nem entre a oposição, muito menos como governista; mesmo favorito na disputa, ele é uma espécie de terceira via.

Entre os oposicionistas, apenas o deputado Adriano, agora sem o sobrenome, apresentou-se como opção.

Ninguém levou a sério.

Tanto que os partidos e as lideranças da chamada base sarneysista já têm outras opções para o posto de candidato.

O MDB, por exemplo, quer o ex-deputado federal Victor Mendes como candidato. Já os aliados da ex-prefeita Maura Jorge (PSL) sonham com seu nome na capital.

Diante desse compasso de espera; e de lideranças com índices consistentes nas pesquisas, o mai9s provável é que a sucessão de Edivaldo Júnior se dê entre os seus próprios aliados.

Num prenúncio do que será em 2022…