1

Para fugir do tema miséria, Brandão quer debate ideológico; adversários vão discutir a extrema pobreza

Empacotado à esquerda por Flávio Dino, governador-tampão quer usar o ex-presidente Lula como ferramenta ideológica de busca de votos, ignorando o avanço da miséria no governo comunista e as soluções para a enfrentá-la, foco principal de Weverton Rocha, Lahésio Bonfim, Edivaldo Júnior e Simplício Araújo

 

A exibição de cesta básica como troféu é a imagem-símbolo da miséria ampliada no governo Flávio Dino e mantida pelo seu sucessor Carlos Brandão

Ensaio

O governador-tampão Carlos Brandão (PSB) vai tentar de todas as formas fugir do debate sobre o avanço da miséria no Maranhão, que aumentou consideravelmente durante o governo comunista do seu padrinho, Flávio Dino (PSB).

Para isso, tenta transformar o apoio do ex-presidente Lula em uma ferramenta de votos, tentando construir um debate meramente ideológico, entre a esquerda e a direita, apostando na polarização da disputa nacional entre o petista e o presidente Jair Bolsonaro (PL).

Mas o debate no Maranhão é outro; é sobre a fome e como enfrentá-la.

Segundo mostram todas as pesquisas qualitativas; ao eleitor pouco importa qual a relação de candidato A ou B com os presidenciáveis, mas as propostas que ele tem para tirar os milhares de maranhenses da extrema pobreza, ampliada exatamente no governo do comunista Flávio Dino.

Baseado nesta percepção do eleitorado é que o líder nas pesquisas, senador Weverton Rocha (PDT), denominou sua coligação de “Juntos pelo Trabalho”; além do foco na extinção da extrema pobreza no estado – projeto em que Dino e Brandão já fracassaram – o candidato pedetista apresentará soluções para atração de investimentos e geração de emprego e renda.

Para conseguir o que nem Dino nem Brandão conseguiram, Weverton trabalha com uma frente ampla, reunindo todas as forças políticas num só objetivo, independentemente de serem de esquerda ou de direita

E sua relação com o futuro presidente da República, seja ele Lula ou Bolsonaro, será de parceria.

 

Campanha de Weverton será focada no trabalho, com propostas de geração de emprego e renda e combate à extrema pobreza

Também focado na geração de emprego e renda e na atração de investimentos, Simplício Araújo (Solidariedade) vem defendendo esta pauta desde o início da pré-campanha, ainda em 2021; e tem expertise como ex-secretário de Indústria e Comércio.

Tanto Dr. Lahésio Bonfim (PSC) quanto Edivaldo Júnior (PSD) também vão defender na campanha soluções para acabar com a extrema pobreza, acentuada no governo comunista de Flávio Dino e mantida por Brandão.

Para entrar com coerência neste debate, Brandão terá que reconhecer o fracasso do governo Flávio Dino e apresentar soluções que ele próprio ainda não deu nestes quatro meses de governo.

Mas, empacotado por Dino à esquerda, e preferindo fugir do tema miséria, busca grudar seu nome ao de Lula, correndo o risco de perder eleitores de várias tendências ideológicas.

E isso pode ser fatal para o governador-tampão…

2

Simplício foge do sectarismo e prega união de todos pelo Maranhão

Candidato do Solidariedade ao governo lembra que sempre atuou em parceria com empresários de todos os portes e setores por entender que eles são os responsáveis pela geração de emprego e renda, maior necessidade do estado e principal tema que deve marcar a campanha

 

Simplício foca na geração de emprego e renda e no trabalho, principal tema da campanha eleitoral, que Brandão e Flávio Dino querem evitar

O candidato do Solidariedade ao Governo do Estado, Simplício Araújo, voltou a pregar a união de todos os maranhenses – independentemente de ideologia política – pela superação da extrema pobreza no Maranhão.

– É preciso ouvir a todos, ter empatia para construir o melhor caminho! – pregou.

Ex-secretário de Indústria e Comércio, Simplício ressalta que sempre buscou o diálogo com os empresários em busca de soluções para geração de emprego e renda no estado.

– Eu sempre ouvi os empresários. Seja pequeno, médio ou grande, o tratamento era e é o mesmo, porque entendo que são eles os que mais geram empregos no Maranhão – explicou Simplício.

Propaganda eleitoral de Simplício irá focar na geração de trabalho como forma de combater a miséria deixada pelo comunista Flávio Dino

O candidato do Solidariedade segue a mesma linha de todos os demais postulantes ao governo, à exceção do governador-tampão Carlos Brandão (PSB), que prefere defender a continuidade do governo Flávio Dino (PSB) – exatamente aquele que afundou o Maranhão na miséria – adotando o sectarismo de esquerda, focado unicamente no apoio do ex-presidente Lula (PT).

Líder nas pesquisas, o senador  Weverton Rocha (PDT) também optou pela defesa da geração de trabalho, que ganhou espaço no próprio nome da coligação, além de formar uma frente ampla, com todas as correntes políticas, sem sectarismos.

Terceiro colocado na disputa, Dr. Lahésio Bonfim (PSC) também prega a busca por melhoria das condições de vida do maranhense e a geração de empregos; o ex-prefeito Edivaldo Júnior (PSD) defende a união de todos, “sem, brigas e conflitos”, para melhorar a vida dos maranhenses.

O combate à fome e à miséria, com geração de emprego e renda, é portanto, o debate principal das eleições maranhenses. 

– Tenho certeza que podemos contribuir para que sejam gerados mais empregos. Eu sei como fazer. Conheço os caminhos – conclui Simplício Araújo.

0

Simplício oficializa candidatura ao governo nesta quarta-feira

Com as bandeiras da geração de emprego e renda, ex-secretário de Indústria e Comércio segue firme rumo ao Palácio dos Leões com a candidatura pelo Solidariedade

 

“Eu acredito em um Maranhão com mais empregos e crescimento econômico. Vamos ampliar serviços públicos reduzindo gastos e ajudar a iniciativa privada a crescer para fortalecer o Maranhão”!

Essa foi a declaração do pré-candidato do Solidariedade ao Governo do Maranhão, Simplício Araújo, sobre o início da jornada rumo a campanha para o Palácio do Leões, que será oficializada nesta quarta-feira (27), durante convenção do partido.

Com as bandeiras da geração de emprego e renda, o ex-secretário de indústria, comércio e energia, deve anunciar seu apoio ao senado, apresentar seu candidato a vice e sua chapa para deputado federal.

O evento será realizado no Rio Poty Hotel, na Ponta d’Areia, na capital. Está prevista além da executiva estadual do partido, a vinda de lideranças de várias cidades do interior do estado.

Da assessoria

1

Simplício Araújo explica ações para garantir retomada da Alumar

A partir da articulação da Secretaria de Indústria e Comércio empresa de alumínio voltará a produzir no estado, garantindo emprego e renda para maranhenses; e melhor: com verticalização de sua cadeia produtiva, o que garantirá novos investimentos na região

 

Simplício Araújo lidera delegação governamental em reunião com executivos da Alumar; investimento será de R$ 1,5 bilhão

Foi uma ação de estado a articulação do secretário de Indústria e Comércio, Simplício Araújo, para garantir a retomada da operação da Alumar, empresa de alumínio que estava praticamente parada desde 2015.

Seguindo explicou o próprio Simplício, em nota distribuída na tarde desta quinta-feira, 23, o governo Flávio Dino garantiu incentivos fiscais à empresa para que ela voltasse a produzir no Maranhão, gerando empregos e renda.

– O melhor é que a produção será verticalizada, a partir de ações do próprio governo, garantindo a atuação de outras empresas e geração de mais emprego e renda – explicou o secretário. 

A Alumar atua no Maranhão desde o governo João Castelo (1979/1981), com incentivos fiscais garantidos pelo estado. Com a produção sempre ameaçada pela falta de investimentos, os governos Lobão e Roseana também garantiram incentivos, a exemplo do que fez agora Flávio Dino.

Mas a partir de 2015, a empresa decidiu praticamente suspender suas operações.

Segundo explicou Simplício Araújo, as negociações vêm se arrastando desde então, e foram efetivadas em 2018.

– Questões de mercado em 2019 e a pandemia de coronavírus, em 2020,m impediram a retomada da Alumar, que agora volta com peso para gerar renda e empregos no Maranhão – afirmou o secretário.

Segundo ele, empresas de fertilizantes e implementos agrícolas também já estão atuando na mesma área liberada pelo estado, gerando algo em torno de 4 mil empregos.

0

Cursos gratuitos na área do Porto São Luís ja foram iniciados…

Treinamento é destinado aos moradores do entorno do empreendimento e beneficia cerca de 50 pessoas em várias áreas de formação

 

Começam nesta segunda-feira, 2 de março, as aulas dos cursos de Pedreiro de alvenaria e de Carpinteiro de obras, na área do Porto São Luís, em Parnauaçu, próximo ao Cajueiro (região Itaqui-Bacanga).

Os cursos são destinados a moradores do entorno do empreendimento.

As aulas do curso de Pedreiro são pela manhã, das 8h às 12h, e as de Carpinteiro, à tarde, das 13h às 17h, de segunda a sexta-feira. 

As aulas ocorrerão na Unidade Móvel da Construção Civil do SENAI/MA, que está estacionada ao lado do escritório do Porto São Luís. Cada curso tem duração de 160 horas (oito semanas). Ao todo, 50 pessoas estão matriculadas.

A iniciativa é do Porto São Luís, em parceria com o Sinduscon, Sindconstrucivil e SENAI/FIEMA, por meio do projeto Comunidade Ativa.

0

Júnior Verde e Clube de Engenharia entregam carta ao governador por geração de emprego…

O deputado estadual Júnior Verde (PRB) acompanhou integrantes do Clube de Engenharia do Maranhão ao Palácio dos Leões para entregar nas mãos do governador uma Carta Aberta solicitando esforços para a geração de emprego e renda no Estado.

O parlamentar destacou a visita durante pronunciamento nesta segunda-feira, 10, na Assembleia Legislativa, em sessão que contou com a presença do presidente do Clube, Emanuel Miguez, além de outros integrantes como Luiz Haddad, do Conselho Fiscal; Sávio Lima, vice-presidente; Wilson Dias, diretor técnico; Antônio Meireles, diretor financeiro; e Henrique Campos, diretor de patrimônio.

A Carta faz referência ao Edital de Licitação – RDC, que é a ata de registro de preços nº 37/2017. A ata tem o valor aproximado de R$ 400 milhões de reais, que deverá ser revestido em obras em todo o Estado, por meio de várias iniciativas de engenharia.

“O problema é que ela só vai abranger em torno de 20 empresas, pelo que está expresso no Edital. As obras em referência foram agrupadas em vinte lotes, em torno de vinte milhões de reais cada, abrangendo aproximadamente 12 municípios cada lote, ou seja, apenas 20 empresas serão contempladas ao final da licitação, deixando de fora centenas de outras empresas”, relevou Júnior Verde.

Os integrantes solicitam a revisão do Edital, por parte da Secretaria de Estado Infraestrutura.

“Eu acredito na sensibilidade do Governo e aqui já registro a necessidade do secretário de Infraestrutura, senhor Clayton Noleto, que ele proceda a revisão deste Edital, que ele possa realmente reavaliar essa perspectiva de contemplação das empresas do nosso Estado. Temos que ampliar nossa capacidade de ajudar as pequenas empresas que querem participar das Licitações, mas que o próprio Edital, conforme as regras, infelizmente não contempla”, destacou.

O parlamentar alertou para os transtornos causados pelos distratos dos contratos celebrados com o Governo, quando estão concentrados nas mãos de poucas empresas, gerando prejuízos para o Estado.

“Temos que descentralizar, dar mais oportunidades para as empresas maranhenses. Não tenho dúvidas que a partir desta carta ao nosso governador, que a recebeu em mãos, mais empresas serão contempladas”, completou.