7

Pedido de licença de Roseana confunde a mídia desatenta…

A mensagem que confundiu desinformados

Trata-se da praxe anual o pedido de licença para afastar-se do país, encaminhado pela governadora Roseana sarney (PMDB) e aprovada ontem na Assembléia Legislativa.

A cada ano, no início da legislatura, o governo encaminha este pedido à Assembléia, que, aprovando-o, autoriza o chefe do Executivo a se ausentar do país a qualquer tempo, durante o ano, sem necessidade de licenças específicas.

Foi assim nos dois primeiros governos de Roseana, foi assim com Jackson Lago (PDT) e com José Reinaldo (PSB).

A parte da imprensa desinformada e desatenta viu a mensagem governamental no Diário da Assembléia, achou que tinha descoberto a pólvora e danou-se a especular.

Chegaram a definir uma viagem internacional da governadora, com a eventual posse do vice Washington Oliveira.

Nada a ver.

Roseana não tem qualquer previsão de viagem nos próximos.

A menos que decida de última hora…

13

A excelente atuação do vice-governador…

Oliveira tem atuado fortemente ao lado de Roseana...

O vice-governador Washington Oliveira (PT) tem atuação profícua no exercício de suas funções no governo Roseana Sarney (PMDB). Sua presença na articulação nos ministérios e como representante do governo no Maranhão tem sido intensa desde que assumiu o posto.

A ação de Washington Oliveira chama atenção também por ser a primeira paricipação ativa de um vice no exercício do poder desde meados dos anos 90, quando começou o instituto da reeleição no Brasil.

O vice de Roseana Sarney entre 1994 e 2002, José Reinaldo Tavares (hoje no PSB), passava a maior parte do tempo em Brasília, apaixonado pela ex-mulher Alexandra Tavares. Chegou a assumir a Secretaria de Infra-estrutura, mas prefeitu deixar o posto, para ficar mais livre.

Depois que o próprio Tavares assumiu o governo, em 2003, seu vice, Jura Filho (PMDB) foi alijado do processo político. Perseguido por José Reinaldo, Jura chegou a ser expulso do próprio gabinete, no Palácio Henrique de La Rocque.

O foclórico vice de Jackson Lago (PDT), entre 2007 e 2009, pastor Luíz Carlos Porto (então no PPS), era muito mais um empregado do governo que um vice-governador. Sem força, era mandado até pelo chefe da Casa Civil, Aderson Lago (PSDB).

A figura do vice só voltou a ganhar algum prestígio com o retorno de João Alberto (PMDB) ao posto, em 2009. Ativo, o agora senador atuou com  força na articulação da coligação que reelegeu Roseana Sarney e foi, inclusive, um dos avalistas no PMDB para a aliança que trouxe ao cargo Washington Oliveira.

O petista retoma agora a tradição dos vices ativos que marcou a história do Maranhão até 1993…