0

César Pires e Hildo Rocha reafirmam apoio a Sâmia Carvalho

Os deputados César Pires e Hildo Rocha fizeram nesta sexta-feira (26) uma visita à pré-candidata a prefeita de Santa Quitéria, Sâmia Carvalho, a quem declararam total apoio ao seu projeto político. Os dois parlamentares foram à região do Baixo Parnaíba para fazer a entrega de equipamentos agrícolas no município de Magalhães de Almeida

“Sâmia já demonstrou sua capacidade administrativa em cargos de gestão na área educacional e da saúde, e é uma liderança muito respeitada e querida em Santa Quitéria. Temos a convicção de que o município evoluirá com ela em sua administração”, declarou César Pires. Para Hildo Rocha, a pré-candidata tem todas as condições para realizar uma grande gestão, e terá o seu apoio na Câmara Federal.

Ao receber os dois deputados em sua casa, Sâmia Carvalho disse que o apoio deles é de grande importância e só fortalece sua caminhada. “Se Deus e o povo de Santa Quitéria me concederem o direito de administrar nosso município, tenho certeza que o apoio político dos deputados Hildo Rocha e César Pires facilitará a concretização do meu sonho de patrocinar o desenvolvimento de Santa Quitéria”, enfatizou ela.

0

Senado aprova adiamento da eleição para novembro…

Texto-base apresentado pelo senador maranhense Weverton Rocha foi votado nesta terça-feria, 23; agora será encaminhado para apreciação também da Câmara Federal

 

O Senado aprovou nesta terça-feira, 23, em primeiro turno, o texto-base da proposta de emenda à Constituição (PEC) que adia as eleições municipais deste ano em razão da pandemia do novo coronavírus.

A PEC em votação no Senado adia o primeiro turno para 15 de novembro, e o segundo, para 29 de novembro.

O texto, votado em sessão remota, foi aprovado por 67 votos a 8 (duas abstenções).

Pelo calendário eleitoral, o primeiro turno está marcado para 4 de outubro, e o segundo, para 25 de outubro.

O relatório apreciado hoje é de autoria do senador Weverton Rocha (PDT), do Maranhão.

1

“Não faremos adesão; faremos composição”, diz Roberto Costa sobre MDB

Coordenador da discussão partidária sobre as eleições de 2020, deputado estadual ressalta que a prioridade do partido ainda é a candidatura própria, mas diz que, caso isso não seja possível, não haverá veto a nenhuma discussão de aliança

 

Roberto garante participação efetiva de Roseana no processo, seja como candidata ou mesmo como transferidora de votos

O deputado estadual Roberto Costa ressaltou ao blog Marco Aurélio D’Eça, nesta segunda-feira, 22, que a prioridade do MDB ainda é a candidatura própria em São Luís.

– Nós temos o nome de Roseana, que figura bem em todas as pesquisas e ainda tem a vantagem de ser excelente transferidora de votos; e temos nomes como Paulinha Lobão – ressaltou Costa, citando duas opções da legenda.

O deputado, porém, admitiu pela primeira vez que, em não viabilizando um nome próprio, o MDB pode buscar alianças com outros partidos.

Neste caso, ele ressalta não haver veto a nenhum candidato.

– Mas não faremos adesão; faremos composição. E composição é discutir a aliança em todos os aspectos, incluindo indicação de vices e participação efetiva de poder – explicou.

Para Roberto, apesar de as eleições serem municipais, elas terão um contexto estadual, por que levam em conta a realidade de cada município; por isso, levando em consideração este contexto, não pode haver veto a candidatos.

– Existe um contexto estadual. E dentro deste contexto, cada município enfrenta sua realidade partidária. Não faz sentido, portanto, vetar nomes ou partidos em São Luís se, de uma forma ou de outra, precisaremos destas legendas em outras cidades – frisou Costa.

O deputado lembras que está sendo procurado por diversos partidos para discutir alianças, o que reforça a importância do partido.

– Exatamente por isso não podemos vetar ninguém. O MDB está sendo procurado tanto por pré-candidatos do governo quanto pelos da oposição; em n;a tendo candidato próprio, iremos conversar com todos eles – afirmou.

Costa destaca que a ex-governadora Roseana Sarney e os deputados federais Hildo Rocha e João Marcelo, assim como todos os membros do diretório, terão importância na definição dos rumos emedebista.

1

Dr. Yglésio sem chapa no PROS para concorrer à prefeitura…

Faltando 30 dias para início do prazo de convenções, deputado estadual tem o aval da direção da legenda para ser candidato, mas não tem lista de postulantes à Câmara Municipal e nem mesmo nome para compor como companheiro de chapa

 

Dr, Yglésio até conseguiu viabilizar apoio do deputado Gastão Vieira, mas perdeu a chapa de vereadores e não tem nome para ser seu vice na legenda

Apesar do aval do deputado federal Gastão Vieira, o pré-candidato do PROS a prefeito de São Luís, deputado estadual Dr. Yglésio ainda enfrenta obstáculos para compor sua chapa.

O parlamentar não terá lista de candidatos a vereador – já que a maioria dos interessados deixou a legenda após anúncio de que ele seria candidato – e não tem nomes para compor como vice.

E muito menos perspectiva de aliança com outras legendas.

No grupo mais ligado a Gastão Vieira, já há quem repense o lançamento de candidato a prefeito, mas Dr. Yglésio tem o apoio do presidente da Assembleia, Othelino Neto (PCdoB), principal fiador de sua candidatura na classe política.

Gastão é suplente de Rubens Pereira Júnior (PCdoB) na Câmara Federal; e a depender do esvaziamento do projeto do PROS, pode, inclusive, aliar-se à candidatura comunista.

Daqui a exatamente um mês começa o prazo para realização de convenções que definirão os candidatos a prefeito, vice-prefeito e vereador.

O deputado estadual tem até lá, portanto, para buscar um vice.

Nem que seja entre seus próprios aliados, só para compor…

0

Questão estrutural pode inviabilizar candidatura de Wellington no PSDB

Partido comandado pelo senador Roberto Rocha tem, sozinho, algo em torno de 30 segundos na propaganda eleitoral, mas está sem perspectiva de aliança com outras legendas, sofre assédio de Eduardo Braide e pressão dos candidatos a vereador

 

Wellington até recebeu garantias de apoio de Roberto Rocha, mas a falta de alianças e a pressão dos vereadores por estrutura são empecilhos á campanha

O deputado estadual Wellington do Curso continua apostando suas fichas na viabilização de sua candidatura pelo PSDB, partido controlado no Maranhão pelo senador Roberto Rocha.

O senador já até aceitou a candidatura do deputado, mas o projeto esbarra em uma questão estrutural.

Os tucanos têm algo em torno de 30 segundos na propaganda eleitoral, mas não têm perspectiva alguma de aliança com outras legendas. Além disso, pré-candidatos a vereador pressionam por estrutura de campanha, que nem o partido, nem o pré-candidato a prefeito, mostram-se dispostos a dar.

Apesar de ter Wellington no PSDB, Roberto Rocha se mantém próximo de Braide, sua aposta para vencer a eleição em primeiro turno

O PSDB é alvo do deputado federal Eduardo Braide (Podemos), líder nas pesquisas, que pretende montar coligação capaz de fortalecer seu favoritismos.

Hoje, além do Podemos, Braide conta com o PMN, PSC e PSD, que lhe garantem algo em torno de 1 minuto na propaganda; com o PSDB, esse tempo quase dobraria.

As convenções que definirão os candidatos a prefeito e a vereador serão definidas entre os dias 20 de julho e 5 de agosto.

Até lá, Roberto Rocha, Wellington do Curso e Eduardo Braide viverão essa questão envolvendo o futuro do PSDB…

4

PSOL lança projeto “Vumbora” para construir proposta em São Luís

Partido que envolver segmentos sociais na construção de um projeto para a capital maranhense a ser encabeçado pelo pré-candidato a prefeito, jornalista e professor Franklin Douglas

 

O PSOL lançou neste fim de semana o projeto “Vumbora”, iniciativa do coletivo de apoiadores do pré-candidato a prefeito Franklin Douglas. Ideia é incentivar uma ampla consulta aos diversos segmentos da cidade para construir uma proposta para São Luís.

– De baixo para cima. Com participação. Diversas perspectivas, sobretudo daqueles que não estão nos centros de decisão das políticas públicas de nossa cidade. O Vumbora é para além de uma eleição. É uma estratégia de construção coletiva de um novo projeto para uma nova cidade, moderna, inclusiva, sustentável – explica o professor Franklin Douglas.

A proposta foi lançada pelas redes sociais. A consulta será via instrumentos digitais.

Essa opção deu-se por conta da pandemia do Covid-19, e em respeito às orientações sanitárias, como evitar aglomerações e manter o distanciamento social.

Integram o movimento de consulta popular do Vumbora o professor e médico Antonio Gonçalves, os professores Gentil Cutrim, Carlos Wellington, Francilene Cardoso, Carlos André, César Chaves e Talita Liz,  a advogada Yanne Milano, as jornalistas Fernanda Saboia e Talita Romênia, o cineasta Murilo Santos, o livreiro Arterio Muniz, os estudantes Taíssa Monteiro, Taciana Cabral e Claudio Serra, o designer Jarson Vasconcelos, as lideranças de bairros José Lacerda, Magno Cutrim, Aru Silva, José Ribamar Arouche, dentre outros participantes do Núcleo Marielle Franco do PSOL.

A consulta está disponível para que os participantes deixarem sua opinião no site www.vumbora.org e neste link aqui.

4

Inócuo falar de adiamento de eleições neste momento…

Com orçamento e calendário já devidamente definidos, processo de escolha dos novos prefeitos e vereadores só começará, de fato, a partir de julho, com as convenções; até lá, pelo histórico mundial, a crise do coronavírus já deverá ter sido superada

 

Ainda há muito tempo entre o pico de coronavírus e o início efetivo da campanha eleitoral propriamente dita no Brasil

Editorial

É descabida, extemporânea e desnecessária a discussão sobre o adiamento das eleições de outubro no país, quando se escolherá novos prefeitos e vereadores nos municípios brasileiros.

Primeiro, que o orçamento e o calendário eleitoral já estão absolutamente definidos; não importando em nenhuma ação nova ou estratégica, independentemente da crise do coronavírus. 

Segundo, que a campanha sequer existe de fato; e só começará efetivamente a partir de julho, quando das convenções que escolherão os candidatos.

A única data significativa da pré-campanha é o dia 4 de abril, quando termina o prazo para desincompatibilização de pré-candidatos e de filiação partidária para quem pretende concorrer em outubro. 

E não há, dentre os principais candidatos a prefeito e vereador – pelo menos em São Luís – nenhuma pendência partidária  ou funcional que precise de maiores mobilizações.

No Maranhão, o adiamento das eleições foi proposto pela primeira vez pelo pré-candidato do Solidariedade, Carlos Madeira, logo após confirmação dos primeiros casos de CoVID-19 no Brasil.

Sua proposta é hoje debatida em quase todos os estados e também em Brasília.

Uma desnecessidade.

Pelo histórico mundial da pandemia do coronavírus – e mantidas as mesmas condições de temperatura e pressão de hoje – é provável, e esperado, que as infecções por CoVID-19 alcance o achatamento da curva (quando começam a diminuir o número de infectados diários) lá pelo final de maio, início de julho.

O Brasil terá, portanto, mais de um mês para retomar a rotina sócio-político-econômico-administrativa a tempo de preparar o cenário para as convenções, que só começam a partir de 20 de julho. (Saiba mais aqui)

A partir daí, caberá aos candidatos e ao partidos – com ou sem dinheiro para a campanha – usar da criatividade para conquistar o eleitor. 

A histeria pelo adiamento das eleições, neste momento, é, portanto, inócuo.

Há bastante tempo para se pensar nisso.

Simples assim…

6

A corajosa e digna campanha de Jeisael Marx…

Jovem saído das classes mais populares da sociedade enfrenta com coragem as estruturas de poder e os chamados filhotes-políticos com sobrenomes famosos – mesmo os que, hoje, tentam se livrar desses sobrenomes

 

Jeisael Marx sente-se à vontade nas comunidades por que tem identidade intrínseca com elas

Chegando à fase da definição de partidos e candidatos, a campanha eleitoral em São Luís já tem um símbolo de dignidade e coragem.

O jornalista e apresentador Jeisael Marx (REDE) enfrenta de cabeça erguida as estruturas de poder montadas em torno de outros candidatos e faz uma pré-campanha respeitável nas redes sociais e nas comunidades.

Jovem nascido e criado na comunidade João de Deus/São Bernardo, Marx tem conseguido passar à população uma mensagem: é, sim, possível, que qualquer cidadão possa pleitear um posto político e não apenas os filhos do poder, com sobrenomes de peso – ou mesmo os que tentam esconder estes sobrenomes.

No jargão popular esses parentes de políticos são conhecidos pelo termo “filhotes-políticos”.

Poucos candidatos conseguem entender a realidade das comunidades de São Luís como Jeisael Marx conhece

Numa disputa em que – do primeiro ao último colocado – a maioria dos candidatos é filho, neto, sobrinho, esposa ou marido de outros políticos, Jeisael Marx é o ponto fora da curva.

Além de ser “filho da precisão”, Marx não está em nenhuma estrutura de poder e nem tem mandato eletivo que possa garantir-lhe espaço no debate.

E se conseguir continuar a passar ao cidadão essa questão de que a política não é feita apenas para os filhos do poder, terá grande êxito no pleito de outubro.

É aguardar e conferir…

0

Os riscos eleitorais do PCdoB em 2020…

Além da cada vez mais clara inviabilidade eleitoral do secretário Rubens Pereira Júnior em São Luís, e da derrota anunciada do deputado Adelmo Soares em Caxias, comunistas correm riscos também em Imperatriz

 

Mesmo mudando cor e identidade visual do PCdoB, Flávio Dino corre o risco de amargar derrotas nos principais colégios eleitorais

É uma jogada de risco por todos os aspectos políticos analisados o jogo feito pelo PCdoB, do governador Flávio Dino, nos principais colégios leitorais do Maranhão nestas eleições.

Os comunistas lançaram candidaturas próprias em São Luís, Imperatriz e Caxias, mas apenas em Imperatriz mostra-se, a princípio, competitivo.

Em São Luís, a candidatura do secretário Rubens Júnior não decola por absoluta falta de identidade com a população e a coisas da capital maranhense.

Em Caxias, a invenção de última hora do deputado Adelmo Soares é um fracasso anunciado, com chances de recorde de votos do prefeito Fábio Gentil (PRB).

Em Imperatriz, o deputado Professor Marco Aurélio desponta bem nas pesquisas.

Mas pode enfrentar uma característica em ebulição nas grandes cidades: a rejeição crescente do eleitor a candidatos ligados ao petismo e ao comunismo.

Tanto que o próprio PCdoB já tirou o vermelho da identidade visual e tenta mudar sutilmente o nome para Movimento 65.

Esta, porém, é uma outra história…

0

Luciano consolida reeleição em Pinheiro…

Com forte programa de ações e forte base de apoio de lideranças estaduais, prefeito segue como principal opção nas eleições municipais de outubro

 

Luciano Genésio vem consolidando seu projeto de reeleição formando alianças eleitoral de peso e com ações envolvendo todo o município

O prefeito de Pinheiro Luciano Genésio (PP) implementou uma série de ações no município que têm marcado seu mandato neste início de 2020.

Somadas à forte base de apoio de lideranças estaduais, essas ações  consolidam o projeto de reeleição do prefeito.

Em Pinheiro, Luciano Genésio é a principal opção do eleitor, com pouca margem para adversários, seja qual for a estrutura de campanha da oposição.

A tendência é que esta imagem de consolidação fique ainda mais orte no decorrer de 2020.

É aguardar e conferir…