3

Brandão explica termo “desertor” usado no segundo turno…

Em entrevista à TV Guará, vice-governador revelou pela primeira vez a existência de um acordo para apoio conjunto ao candidato do governo no segundo turno, o que, segundo ele, foi descumprido pelo PDT e pelo DEM, razão pela qual usou a palavra durante a campanha

 

Brandão revelou pela primeira vez os motivos que o levaram a chamar de desertores o PDT e o DEM durante as eleições municipais

O vice-governador Carlos Brandão (Republicanos) revelou pela primeira vez, nesta quinta-feira, 17,  em entrevista à TV Guará, as razões que o levaram a classificar de “desertores” os líderes do PDT e do DEM no segundo turno das eleições municipais.

De acordo com Brandão, havia um acordo entre os presidentes de partido e o governador Flávio Dino (PCdoB) – antes mesmo do primeiro turno – para que todos apoiassem o candidato da base que fosse ao segundo turno.

– Logo no começo do ano, vários partidos demonstraram interesse de lançar candidato. Houve um acordo. Cada um lançaria seus candidatos, três, quatro, dez, quantos quisessem… Só que nesse acordo houve entendimento entre os presidentes de partido que, no segundo turno, todos marchariam juntos. Esse acordo não foi cumprido. Existe uma expressão que diz que o “combinado não é caro”. Quando o Duarte foi pro segundo turno, o PDT e o DEM resolveram não cumprir o acordo. Isso nos levou a uma cobrança desses dois partidos – revelou o vice-governador, em, entrevista ao programa Os Analistas.

Questionado também sobre a não-participação do prefeito Edivaldo Júnior (PDT) na campanha, Brandão explicou que não havia acordo para isso, embora todos esperassem o apoio do prefeito, pelas razões lógicas.

– Edivaldo também não participou da campanha, mas nós não tínhamos acordo com Edivaldo, é preciso deixar claro. A gente esperava que ele no apoiasse, mas não tinha acordo como tinha com os partidos. É diferente – justificou.

Mesmo assim, o vice-governador entende que a ausência de Edivaldo e o não cumprimento do acordo pelo DEM e pelo PDT deram ao prefeito eleito Eduardo Braide (Podemos) os 5, 6 pontos necessários para ele garantir a vitória.

Com relação à campanha de 2022 – e da citação do nome de Edivaldo como opção do grupo, feita pelo senador Weverton Rocha (PDT) – Brnadão preferiu contemporizar.

– Esse assunto a gente só deve discutir mais profundamente lá na frente. Até por que, se começar a discutir eleição de 2022, acaba o governo. A gente tem que focar na gestão – avisou.

O vice-governador revelou estar com uma agenda de inauguração de obras que praticamente o impedirá de estar em São Luis nos próximos meses, mas garante continuar uma agenda política.

– Mas vou estar recebendo lideranças, prefeitos, vices-prefeitos. E basicamente a gente tem que focar nesses prefeitos, para fazer parcerias. Esse é o foco do nosso governo – revelou Brandão, revelando a realização de seminário logo no início de 2012.

0

Contraponto de Flávio Dino a Braide é recado também para Brandão…

Movimentos do vice-governador eram visto por parcela significativa de lideranças políticas maranhenses, desde 2019, como gestos de aproximação do candidato do Podemos, o que não cessou nem mesmo com a candidatura de Duarte Júnior pelo Republicanos

 

Aliados de Carlos Brandão dizem que ele pode se beneficiar com vitória de Eduardo Braide em São Luís, apesar do candidato do Republicanos…

Análise de conjuntura

O contraponto público do governador Flávio Dino em relação ao deputado federal Eduardo Braide enquadrou uma série de aliados do Palácio dos Leões que já vinham fazendo gestos de aproximação com o candidato do Podemos a prefeito de São Luís.

Mas o recado direto foi para o vice-governador Carlos Brandão (Republicanos).

Dez entre dez aliados de Brandão apontam a vitória de Eduardo Braide em São Luís como favorável ao projeto de poder do vice-governador em 2022.

E essa opinião não havia cessado nem mesmo com a candidatura do deputados estadual Duarte Júnior pelo Republicanos, partido do próprio Brandão.

O blog Marco Aurélio D’Eça traçou, desde 2019, vários cenários em que mostrava a perspectiva de poder envolvendo Carlos Brandão e Eduardo Braide. (Relembre aqui e aqui)

Um destes posts mais sugestivos está às vésperas de completar um ano; foi publicado em 29 de outubro do ano passado, sob o título “A Perspectiva Carlos Brandão/Eduardo Braide…”.

Apesar do apoio do PRB à candidatura de Duarte Júnior, o vice-governador ainda não entrou de cabeça na campanha; pelo menos não se vê publicamente este movimento.

Ao contrapor Braide, Flávio Dino disse a Brandão e outros aliados que são Neto, Duarte e Rubens os candidatos do seu grupo político

Flávio Dino decidiu fazer o contraponto a Braide como uma força de mostrar para Brandão quem é o adversário do Palácio dos Leões.

E se a disputa for para o segundo turno, vai cobrar de todos a participação efetiva de quem estiver contra o deputado do Podemos.

Isso inclui, obviamente, o próprio Carlos Brandão.

Seja quem for o candidato do Palácio…

0

Disputa em Paço do Lumiar racha Republicanos no Maranhão…

Embora filiado ao partido de Cléber Verde, que apoia Fred Campos, vice-governador Carlos Brandão atua em favor de Paula da Pindoba, candidata do PCdoB, a pedido do governador Flávio Dino

 

Carlos Brandão tem atuado em favor de Paula da Pindoba em Paço do Lumiar, mesmo com o republicanos apoiando Fred Campos

A disputa em Paço do Lumiar gerou uma espécie de racha no Republicanos, partido comandado no Maranhão pelo deputado federal Cléber Verde e que tem no vice-governador Carlos Brandão sua principal estrela.

Verde apoia o candidato Fred Campos (PL), principal nome da oposição no município.

Mas, a pedido do governador Flávio Dino (PCdoB), Carlos Brandão está atuando em favor da prefeita Paula da Pindoba (Solidariedade), que tenta à reeleição.

Fred Campos tem como um dos principais aliados o presidente do Republicanos, Cléber Verde

O apoio de Brandão a Paula é uma espécie de teste á fidelidade do vice-governador a Dino.

O governador comunista, aliás, tem dado cada vez mais missões políticas ao seu vice; e já comunicou aos mais próximo que é ele o seu candidato a governador em 2022.

Mas esta é uma outra história…

0

Brandão aumenta cacife à medida que 2022 se aproxima…

Vice-governador caminha para assumir o Governo do Estado e se tornar, automaticamente, candidato à reeleição; a menos que Flávio Dino contrarie as próprias articulações, permanecendo no governo até o final do mandato

 

Brandão tem mantido agenda própria no interior do estado; e se fortalece à medida que o ano de 2022 se aproxima no calendário

O vice-governador Carlos Brandão (PRB) é hoje o político com maior capital eleitoral dentre todas as lideranças políticas do estado.

E esse capital eleitoral só tende a aumentar ano após ano, em 2020, 2021 e 2022.

A menos que o governador Flávio Dino contrarie as próprias articulações – e decida ficar no mandato até o final – Brandão será governador em abril de 2022.

E essa perspectiva faz dele o nome com maior poder de agregação no Maranhão.

Governador e candidato à reeleição, o atual vice terá poder de fogo para sentar em qualquer mesa de negociações, construindo uma base própria da maneira como melhor entender.

E tem uma vantagem adicional: a capacidade de articulação com todos os grupos políticos.

É certo que o fato de estar sentado na cadeira de governador não torna Carlos Brandão automaticamente favorito na sucessão de Flávio Dino.

Mas a projeção de seu capital eleitoral faz dele o ativo com maior capacidade de retorno dentre os investimentos políticos no chamado mercado futuro.

E isso é um trunfo e tanto para qualquer um…

0

Em Macapá, Carlos Brandão tem ação marcante em encontro de governadores…

Vice-governador representou o Maranhão no Fórum de Governadores da Amazônia Legal, e encaminhou, dentre outras coisas, a instalação do consórcio interestadual

 

CARLOS BRANDÃO COM O DEMAIS GOVERNADORES DA AMAZÔNIA LEGAL: debate sobre a importância da região

O vice-governador Carlos Brandão (PRB) representou o Maranhão no 17º Fórum de Governadores da Amazônia Legal, em Macapá, no último final de semana.

E deixou o encontro convicto de que o estado ocupou espaço importantes.

– Pude conversar, ontem à noite, muito tranquilamente com os demais governadores. A conversa se estendeu até a madrugada. Já hoje [sábado, 30], pude cumprir todo o protocolo e deixar assinado o contrato de instalação do consórcio interestadual – anunciou o vice maranhense.

O REPRESENTANTE MARANHENSE TEVE PARTICIPAÇÃO EFETIVA na articulação com os colegas de outros estados

Para Brandão, a participação do Maranhão no fórum teve destaque importante.

– Nossa participação foi significativa em todas as câmara temáticas. Avançamos bastante – concluiu.

 

0

Tenente-Coronel Roberto Filho será o vice-governador na chapa de Maura Jorge

Oficial, que é chefe da Comunicação da Polícia Militar, será o companheiro de chapa da candidata, que se fortalece no segmento militar e entre os apoiadores de Bolsonaro no Maranhão

 

Maura Jorge entre Roberto Filho e o candidato a senador, Samuel de Itapecuru

O tenente-coronel PM Roberto Filho, chefe da Comunicação da Polícia Militar do Maranhão, será o companheiro de chapa da ex-prefeita Maura Jorge na disputa pelo Governo do Estado.

Roberto Filho está na PM há 28 anos e tem seu trabalho reconhecido em todo o estado.

Com experiência no comando de tropas em cidades como São Luís, Pindaré Mirim, Governador Nunes Freire, Santa Inês e Zé Doca, sempre com sua atuação reconhecida e aprovada pela população, ele foi promovido a chefe da Comunicação da Polícia Militar no início do ano, depois de desempenhar um excelente papel à frente do Batalhão de Turismo da PM

Chapa fortalecida

O anúncio do nome do tenente-coronel como vice de Maura Jorge fortalece ainda mais o projeto da pré-candidata a governadora, principalmente no meio militar e entre apoiadores do presidenciável Jair Bolsonaro – que declarou apoio incondicional à candidatura de Maura Jorge no Maranhão.

“Estou certa de que fizemos uma boa escolha trazendo o tenente-coronel Roberto Filho para compor conosco. Seu currículo o precede. É um homem de valor, com vasta experiência em todo o estado e com certeza nos ajudará a elaborar um plano efetivo para a segurança pública do estado”, declarou Maura Jorge após o anúncio de Roberto Filho como seu vice.

Agora, Maura Jorge precisa preencher a última vaga para o Senado em sua chapa.

Até o momento, apenas o nome de Samuel de Itapecuru já está confirmado.

Já estava pré-definido que a segunda vaga seria do ex-presidente do PSDC, Pastor Bel, que luta na Justiça para reaver o partido que lhe foi tomado por causa do seu apoio a Maura Jorge.

O mais provável é que o segundo nome para o Senado seja divulgado apenas na convenção do PSL, que será realizada no dia 4 de agosto, às 15h, no Espaço Renascença.

É aguardar para conferir.

1

PSC fecha com Roseana e vai mesmo indicar o vice…

Após conversar com vários outros candidatos, partido decidiu coligar com a ex-governadora, que vai escolher seu companheiro de chapa entre o empresário Ribinha Cunha e o pastor Pedro Lindoso

 

Lideranças e membros do PSC em discussão ontem pela manhã na Assembleia, antes de conversar com os pré-candidatos ao governo

O PSC decidiu no final da noite desta quinta-feira, 26, fechar aliança em torno da candidatura da ex-governadora Roseana Sarney (MDB).

E indicou para vice o empresário Ribinha Cunha e o pastor Pedro Lindoso.

Caberá à própria Roseana, e ao MDB, escolher entre eles o seu companheiro de chapa.

O PSC estava negociando fortemente com os três principais candidatos de oposição ao governo Flávio Dino (PCdoB): Roseana Sarney, Roberto Rocha (PSDB) e Maura Jorge (PSL).

Problemas sobre coligação levaram à cúpula do partido, com o apoio da deputada federal Luana Costa, a fechar mesmo com o MDB de Roseana.

O edital de convocação da coligação do PSC já deve indicar também a aliança com o MDB.

Roseana fará sua convenção neste domingo, 29…

1

Roseana e Roberto Rocha já disputam apoio do PSC…

Com a iminente desistência do deputado Eduardo Braide, pré-candidatos a governador querem o partido em suas coligações e oferecem, inclusive, vaga na chapa majoritária

 

Ribinha Cunha é pressionado por Madeira a compor com Roberto Rocha; acordo passa também por 2020

O PSC, que tem importante tempo na propaganda eleitoral, passou a ser o alvo das campanhas da ex-governadora Roseana Sarney (MDB) e do senador Roberto Rocha (PSDB), desde que se começou a perceber a iminente desistência do deputado Eduardo Braide (PMN) da disputa pelo governo.

Uma ala do partido quer a aliança com Roseana, e têm o pastor Pedro Lindoso como indicação para companheiro de chapa da emedebista.

Mas os tucanos pressionam o deputado estadual Léo Cunha e o seu irmão, ex-candidato a prefeito de Imperatriz, Ribinha Cunha, a compor com Roberto Rocha.

– Nós queremos o PSC em nossa chapa. O Ribinha quer e o Léo quer. O segmento de Imperatriz tem dito que quer – disse o ex-prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira, articulador da campanha de Roberto.

E ele deixa claro o poder de barganha com os Cunha:

– Já disse a eles que o apoio do PSDB ao PSC nas eleições municipais de 2020 passa por este apoio a Roberto Rocha em 2018.

Roseana tem o apoio de Pedro Lindoso, que quer ser o vice na indicação do PSC

No meio do debate, a deputada federal Luana Costa passa a ser o fiel da balança.

Ela tem conversado tanto com o grupo de Madeira quanto com o de Roseana, desde que percebeu o recuo nas pretensões de Braide.

Na sexta-feira, 20, em conversa com o blog, o pastor Pedro Lindoso revelou uma reunião com Roseana em que a aliança não foi fechada por que Luana quer uma coligação que inclua apenas partidos com pesos iguais na disputa de federal.

– Ela quer aliança com o Podemos de Aluísio Mendes, e o PRTB, de Márcio Coutinho, o que viabilizaria as chances dos três – revelou Lindoso.

Mas Podemos e PRTB não estariam com Maura Jorge?!?

Esta é uma outra história…

9

Pastor da Assembleia de Deus pode ser vice de Roseana

Pedro Lindoso é um dos principais líderes da denominação religiosa no Maranhão, e tem força para desarticular o jogo de interesses dos dirigentes com o governo comunista de Flávio Dino

 

Pastor Everaldo com as lideranças do PSC no Maranhão

Uma reunião do presidente nacional do PSC, pastor Everaldo, com as lideranças do partido no Maranhão, praticamente selou a aliança em torno da candidatura da ex-governadora Roseana Sarney (MDB).

O PSC pode, inclusive, indicar o vice de Roseana.

São cotados o empresário Ribinha Cunha que é irmão do deputado estadual Léo Cunha, e o pastor Pedro Lindoso, um dos líderes mais respeitados da igreja Assembleia de Deus no Maranhão.

Roseana recebeu em sua casa o pastor Pedro Lindoso

Lindoso já esteve, inclusive, com a própria Roseana, a quem declarou apoio nas eleições de outubro. (Releia aqui)

Na reunião em São Luís, o pastor Everaldo esteve com a deputada federal Luana Costa, o estadual Léo Cunha, vereadora Bárbara Soeiro, além de pré-candidatos do PSC a deputado federal e estadual.

O partido deve voltar a se reunir antes das convenções para tratar da política de alianças…

1

Vai insistir [com Brandão] ?!?

Em mais um gesto que leva à interpretação de que o vice-governador não poderia ter assumido o governo depois do dia 7 de abril, presidentes da Câmara e do Senado deixam o país para não se tornar inelegíveis; mas Flávio Dino parece querer pagar para ver na Justiça Eleitoral

 

Brandão ficou inelegível porque assumiu mandato de Flávio Dino depois do dia 7 de abril

A imprensa nacional trouxe ontem uma nova informação sobre viagem do presidente Michel Temer (MDB) ao exterior, seguido pelos presidentes do Senado, Eunício Oliveira (MDB), e da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM), que também decidiram deixar o país para não se tornar inelegível.

Mas o que tem a ver a viagem tripla dos chefes de poderes políticos brasileiro com a realidade maranhense?

Foi exatamente a partir de uma viagem do governador Flávio Dino (PCdoB) ao exterior que o seu vice-governador, Carlos Brandão (PRB) tornou-se alvo da maior dúvida eleitoral de 2018: Brandão está ou não inelegível?!?

Pela interpretação legal da Lei, Brandão está, sim, inelegível. E está porque assumiu o governo após o prazo máximo estabelecido para isso, em 7 de abril.

Curiosamente, nesta data, Temer também estava no exterior.

E Rodrigo Maia e Eunício Oliveira também evitaram assumir, passando o posto, como agora, para a presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia.

Aliás, foi Rodrigo Maia, dias depois da viagem de Flávio Dino, quem alertou o governador maranhense de que o seu vice está inelegível. Brandão assumiu entre os dias 6 e 9 de abril.

Ou seja, era governador depois do dia 7 de abril.

Não pode, portanto, concorrer a nenhum outro cargo.

Mas Flávio Dino tem demonstrado desde então que pretende pagar para ver. Ele tem anunciado sistematicamente que Brandão continuará como seu companheiro de chapa, pouco importando o número de ações que questionarão essa chapa na Justiça Eleitoral.

É bom, dizer, no entanto, que as ações questionadoras, mais cedo ou mais tarde, chegarão ao Tribunal Superior Eleitoral, que tem posicionamento claro sobre o assunto.

E se Brandão for cassado depois do pleito, Flávio Dino também perde a candidatura.

O comunista vai insistir?

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão