7

Polícia vai reabrir inquérito da agiotagem no MA…

Engavetada desde a gestão anterior, investigação envolve prefeitos, deputados, empresários e até agentes da própria segurança pública

 

http://thumbor.grajaudefato.com.br/nWak5ULLB14OWgmbxzOOtiP0UOk=/400x0/smart/oprogressonet.com/media/images/2015-01-28/Net_Jefferson_Portela_01_20150129.jpg

Portela: determinação é para reabrir o caso

O secretário de Segurança Pública Jefferson Portela confirmou ontem ao titular do blog que o caso envolvendo agiotagem no Maranhão será reaberto pela polícia.

– Já houve uma determinação minha. O inquérito será reaberto – informou Portela, após visita ontem à Assembleia Legislativa.

O inquérito da agiotagem foi aberto em 2012, como consequência das investigações pela morte do jornalista Décio Sá. Mas o inquérito nunca chegou a ser concluído, e está parado desde então.

As investigações apontam prefeitos, ex-prefeitos, deputados, empresários e até policiais envolvidos no esquema de agiotagem que lesa prefeituras em todo o Maranhão.

Leia também:

Merenda escolar, agiotagem, política e Décio Sá…

Agiotagem: a quem interessa esconder o nome dos prefeitos?!?

Agiotagem e miséria no Maranhão…

Investigação da agiotagem cai no esquecimento…

Agiotagem: prefeitos e ex-prefeitos na mira da polícia…

Jefferson Portela ponderou também em relação ao caso Décio Sá.

Segundo ele, é impossível reabri-lo pelo fato de que já está na fase de processo e não mais em inquérito.

– Neste caso, só se houver nova denúncia ou o Ministério Público sentir a necessidade de pedir novas investigações – explicou Portela.

Em todo o caso, a questão da agiotagem pode ter desdobramentos na morte do jornalista…

12

Merenda escolar, agiotagem, política e Décio Sá…

A polêmica envolvendo a Prefeitura de Bom Jardim, denunciada no programa Bom Dia Brasil, da Rede Globo, denunciada por falta de merenda escolar, tem, obrigatoriamente, que passar pelo caso Décio Sá – jornalista assassinado em abril de 2012 – e pelo esquema http://2.bp.blogspot.com/-ANlWxKqfMas/TlbrfFJDrMI/AAAAAAAABc0/wDafMEjYm0Y/s400/Merenda-escolar-de-qualidade.jpgde agiotagem que domina, ainda hoje, as prefeituras maranhenses.

Décio foi morto, segundo a polícia e o Ministério Público, por um grupo de agiotas especializado em  extorquir políticos.

Mas esta mesma polícia sentou em cima das investigações sobre a agiotagem no Maranhão.

Este esquema envolve centenas de prefeitos, alguns deputados, vereadores da capital e do interior, e até policiais – estaduais e federais – em uma quadrilha que movimentou milhões de reais nos últimos anos.

Estão presos Gláucio Alencar, José Miranda e Júnior Bolinha, braços desta agiotagem.

Mas seus agentes – na Justiça, na Polícia e na Advocacia – continuam soltos, atuando tranquilamente, inclusive  cobrando aos que ainda são considerados devedores dos próprio Gláucio.

Leia também:

Agiotagem e Miséria no Maranhão…

Empresas do esquema de agiotagem ainda têm contratos em São Luís…

As razões da oposição para impedir a CPI da Agiotagem…

Agiotagem: o recuo de Aluísio Mendes…

O tripé da agiotagem…

Há muito mais agiotas no Maranhão, encastelados em todos os setores da sociedade, financiando políticos e campanhas eleitorais, dinheiroocupando espaços públicos de poder, indicando aliados a cargos públicos.

A polícia maranhense chegou a abrir o inquérito da agiotagem, abafado por causa da campanha eleitoral. Campanha que elegeu o ex-secretário de Segurança Aluísio Mendes, o mesmo que prometeu desbaratar as quadrilhas de agiotas.

Mendes será deputado federal, outros se elegeram para outros mandatos, muitos vão ocupar espaços de poder nos próximos anos e os prefeitos continuarão a usar dinheiro público em agiotagem.

E as crianças continuarão sem merenda escolar; com ou sem mudança no Maranhão.

É simples assim…

14

Assessor de Holandinha aparece em investigação da Polícia Federal contra o delegado Pedro Meireles…

Auxiliar do prefeito que atua na área de licitação em São Luís é citado em crime eleitoral pelo qual Meireles já foi condenado; e apareceu em triangulação financeira de apartamento com delegado, que envolve, também, advogado Ronaldo Ribeiro

 

exclusivoA investigação que a Superintendência da Polícia Federal leva a cabo contra delegado Pedro Meireles, há quase dois anos – por suspeita de envolvimento com os mesmos agiotas acusados pela morte do jornalista Décio Sá – acabou interceptando também um assessor do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTC).

O nome do assessor é preservado por que ainda não comprovação de que ele possa ter ligações com os mesmos agiotas investigados juntamente com o delgado. Mas serve para mostrar que a rede de agiotagem alcançou também a capital maranhense.

O relatório final da investigação contra Pedro Meireles já deveria ter sido concluído, mas a Superintendência da Polícia Federal mantém-se fechada em copas sobre o assunto.

De acordo com a investigação, o auxiliar de Holandinha agiu ao lado de Meireles em pelo menos duas ocasiões.

Na primeira, na campanha eleitoral.

O assessor aparece citado pela PF no caso em que Meireles foi acionado no bojo de uma investigação eleitoral ainda referente à eleição de 2008, determinada pelo então juiz da propaganda eleitoral Jesus Guanaré.

Por este caso, o delegado já tem até condenação na Justiça, por obstrução à Justiça, notícia que chegou a ser divulgada por este blog. (Releia aqui)

Em outra ocasião, os responsáveis pela investigação contra o delegado federal descobriram a negociação de um apartamento entre o assessor de Holandinha e Pedro Meireles, que acabou envolvendo também o advogado Ronaldo Ribeiro.

Ribeiro foi indiciado pela polícia maranhense como envolvido na morte do jornalista Décio Sá, mas teve o caso desmembrado pela Justiça e ainda aguarda o desenrolar das acusações.

Ele seria o o elo entre Pedro Meireles e o agiota Gláucio Alencar, acusado de ser o mandante da morte do jornalista.

A polícia maranhense já havia descoberto indícios de que agiotas agiram durante a gestão do ex-prefeito João Castelo (PSDB) em São Luís (Releia aqui, aqui e também aqui).

A descoberta de que um assessor do atual prefeito também teve envolvimento com algumas das figuras investigadas, traz o caso também para a gestão de Holandinha.

10

Agiotas cobram R$ 5 milhões de Gláucio Alencar em plena cadeia…

Cobradores mandados por um membro do Judiciário foram à cela do agiota acusado pela morte do jornalista Décio Sá para forçá-lo a pagar dívida milionária. E tudo dentro do presídio onde ele se encontra

 

https://marcoaureliodeca.com.br/wp-content/uploads/2012/07/imgBinary2.jpg

Alencar deve muito e os cobradores começam a aparecer

https://marcoaureliodeca.com.br/wp-content/uploads/2013/06/exclusivo.jpgEmissários de um membro do Judiciário maranhense com atuação na região dos Caixas estiveram há duas semanas em visita ao agiota Gláucio Alencar, no presídio militar de São Luís.

Motivo: cobrar uma dívida de R$ 5 milhões que ele teria com um membro do Judiciário maranhense.

Alencar está preso desde junho de 2012, sob acusação e ser o mandante da morte do jornalista Décio Sá. A relação com o membro do Judiciário é antiga.

Os cobradores foram até a cela do preso e fizeram ameaças para rceber o dinheiro devido. Segundo apurou o blog, o agiota teria dito que, preso, não tem como levantar o dinheiro devido.

No início das investigações do caso Décio, surgiram informações de que Gláucio Alencar levantava dinheiro com pessoas acima dele para emprestar a prefeitos e políticos maranhenses. E ganhava na cotação dos juros.

Um destes financiadores seria este membro do judiciário.

Que agora cobra nada menos que R$ 5 milhões do agiota…

16

Nada muda com mudança em Alto Alegre do Pindaré…

Edésio: cercado de gente de olho na eleição

Quem apostou em uma mudança com a cassação do prefeito de Alto Alegre do Pindaré, Atemir Botelho, enganou-se redondamente.

O prefeito eleito em 2012 está afastado, mas as práticas que seus adversários usaram como argumento para derrotá-lo na Justiça parecem ter se multiplicado.

O vice-prefeito Francisco Gomes, o Edésio, parece até se esforçar para manter o clima de caos.

Os salários estão atrasados e os serviços básicos, como limpeza pública, calçamento e iluminação não são realizados há meses.

Mas o que não falta é político ao lado de Edésio.

Além do ex-prefeito Fufuca Dantas, de quem o vice se aproximou a pós a posse, Edésio é cercado por outros políticos, como o ex-deputado Penaldon Jorge e o deputado Edilázio Júnior (PV).

Nenhum deles aponta diretrizes para Edésio melhorar a cidade, mas todos oferecem as mais estapafúrdias promessas de sua manutenção no cargo – pela via judicial – em troca de apoio eleitoral no próximo pleito.

E assim é que o vice que assumiu a prefeitura via se mantendo no poder em Alto Alegre do Pindaré.,

E o povo do município que se dane…

12

Um cheque, um deputado, uma empreiteira, a Câmara e o Bradesco…

http://i1.wp.com/www.portaldomunim.com.br/wp-content/uploads/AGIOTAGEM.jpgComo os vereadores de São Luís explicariam um cheque – no valor de R$ 1 milhão – em poder de uma empreiteira que não tem contrato algum com a Câmara Municipal?

E por que este cheque estava em poder de um deputado estadual, que o repassou a empresa por não ter recebido o valor nominal do próprio Pereirinha?

E em que circunstâncias este deputado estadual teria dinheiro a receber da Câmara?

Estas perguntas, que certamente serão feitas pela polícia maranhense à ex-gerente do Bradesco Raimunda Célia de Abreu, poderão esclarecer como funcionava o esquema de agiotagem e empréstimos irregularidades envolvendo a Câmara e o banco onde ela trabalhava.

O cheque em questão é o fio da meada para se chegar ao escândalo.

Mas se quiser esclarecer mesmo toda a história – e não apenas encontrar um bode expiatório para o caso – a polícia maranhense precisa ouvir não só a ex-gerente, mas também o deputado, a empreiteira e o presidente da Câmara Municipal.

E certamente descobrirá o grau de irresponsabilidade que os gestores públicos – e aqueles que deveriam fiscalizá-los – têm com o dinheiro do contribuinte.

Dinheiro usado abertamente em mesas de agiotagem em casas legislativas, prefeituras e até tribunais.

É esperar pra ver…

7

Esquema de agiotagem da Câmara/Bradesco alcança também a AL…

http://robertlobato.com.br/wp-content/uploads/2012/07/agiotagem.jpgNão ficou restrito à Câmara Municipal o esquema de agiotagem e empréstimos irregulares envolvendo vereadores e a gerente do Bradesco Raimunda Célia de Abreu.

O esquema envolve pelo menos dois deputados estaduais.

Foi a partir de um deles, inclusive, que o esquema veio à tona, e a polícia passou a investigá-lo.

http://www.mestrejuridico.com.br/arquivos/imp122-6101119.jpgRaimunda Célia usava dinheiro público da Câmara depositado no Bradesco para fazer empréstimos orientados a vereadores e servidores públicos – de todos os níveis, estaduais, federais e municipais; dos três poderes.

Mas algo deu errado em um destes empréstimos e ela não teve como cobri-lo.

O dinheiro partia de um destes deputados, numa triangulação envolvendo até outros poderes.

E tudo veio abaixo.

Um dos cheques do esquema acabou vazando e chegando às mãos de quem nada tinha a ver com a história.

E deu no que deu.

O resultado é que a gerente Raimunda Célia já tem prisão decretada, vereadores estão apavorados com a possibilidade de ir pra cadeia e os deputados começam a se preocupar.

E este é apenas o começo da história…

 

13

Escândalo dos empréstimos na Câmara envolve também vereadores novatos…

http://www.blogdojorgearagao.com.br/wp-content/uploads/2012/10/estadoma.jpg

Os 31 vereadores de São Luís; 14 – ainda desconhecidos – estão envolvidos no escândalo

Os empréstimos irregulares captados pela Câmara Municipal no Bradesco – via gerente Raimunda Célia Abreu, já demitida – envolvem também vereadores de primeiro mandato, eleitos em 2012.

Segundo apurou o blog, o esquema funcionou até meados deste ano e alguns dos novatos utilizaram o empréstimo oferecido pela gerente, com o aval da direção da Casa, para pagamento de débitos de campanha.

A investigação mantém o caso – e o nome dos envolvidos – ainda em sigilo, mas o valor de um dos cheques usados nas transações, de R$ 160 mil, já é falado claramente entre os parlamentares.

O envolvimento de novatos explicaria o silêncio dos vereadores eleitos em 2012.

Até agora, apenas Marquinhos da Vila Luizão (PRB) falou abertamente sobre o esquema, e pediu em requerimento a investigação do caso.

O suplente Alencar Gomes (PDT) – que foi titular até 2012 – pediu vistas do requerimento e não mais o devolveu à apreciação da Casa.

Na Câmara há outros 15 vereadores que assumiram em 2013.

Todos em silêncio sobre o caso…

 

3

Empresas do esquema de agiotagem ainda têm contratos em São Luís…

pf

Delegados da PF começaram a desbaratar quadrilha de agiotas há duas semanas

Pelo menos cinco das mais de 30 empresas já catalogadas como participantes do esquema de agiotagem no Maranhão mantêm contratos com a Prefeitura de São Luís já na gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTC).

A lista destas empresas – e de cerca de 30 prefeituras maranhenses – compõem o relatório preliminar da Polícia Federal, que alguns advogados de envolvidos já tiveram acesso.

O esquema de agiotagem funciona da seguinte forma: o agiota empresta dinheiro para o prefeito – durante a campanha ou durante o mandato – e recebe, com juros, em recursos públicos, por meios de contratos de fachada com empresas fantasmas, criadas pelos próprios agiotas, em nome de laranjas.

Uma destas empresas – controlada por Fábio Brasil, morto em abril de 2012 –   foi descoberta ainda no ano passado, como prestadora de supostos serviço à Prefeitura de São Luís, na gestão de João Castelo (PSDB). (Relembre aqui)

Agora, a polícia já sabe que outras cinco deste tipo têm contratos em São Luís…