1

Dinheiro público de campanha com sinais de desvio…

Fundo eleitoral criado para financiar candidatos a cargos eletivos pode ter sido desviado por dirigentes partidários, segundo sugere o escândalo envolvendo ministro de Bolsonaro; e há suspeitas também no Maranhão

 

Na campanha do PSL de Bolsonaro, Bebiano pode ter inaugurado uma nova forma de desviar dinheiro público

O escândalo envolvendo o ministro Gustavo Bebiano, da Secretaria Geral da Presidência no governo Jair Bolsonaro (PSL), pode ser a chave para se descobri um novo esquema de desvio de dinheiro público no país.

O dinheiro do Fundo Eleitoral, criado para as eleições de 2018, pode ter sido desviado por dirigentes partidários em todo o país.

No Maranhão, por exemplo, pelo menos um caso já levanta suspeitas.

Em São José de Ribamar, na região metropolitana de São Luis, a candidata a deputada estadual Marisa Rosas, do PRB, mandou fazer 9 milhões de “santinhos”. De acordo com a prestação de contas à Justiça Eleitoral, ela gastou quase R$ 600 mil com campanha. Obteve somente 161 votos.

Além dos milhões de “santinhos”, ela confirmou que mandou fazer 1,25 mil bottons.

A candidata Marisa Rosas, que concorreu a uma vaga na Assembleia Legislativa pelo PRB, gastou, sozinha, nada menos que R$ 540 mil com gráficas.

Ou seja, Marisa gastou, só com “santinhos”, mais da metade do teto de gastos estabelecidos pela Justiça Eleitoral, que é de R$ 1 milhão.

O PRB maranhense é presidido pelo deputado federal Cléber Verde.

O Fundo Eleitoral foi criado a partir das eleições de 2018, com o valor de R$ 1,7 bilhão.

E ao que tudo indica, passou as er mais uma forma de ladrões se locupletarem do dinheiro público.

1

Andrea Murad denuncia evento político em frente ao Palácio dos Leões…

Parlamentar ressalta haver indícios de uso do dinheiro público na festa com claro teor político promovido pelo governador Flávio Dino e pede investigação da Procuradoria-Geral de Justiça

 

Comício de Lula foi até transmitido pela rádio Timbira, bancada com dinheiro público

A líder da oposição, deputada Andrea Murad (PMDB), protocolou nesta segunda-feira, 11, uma representação na Procuradoria Geral de Justiça para que seja apurada denúncia sobre o uso da estrutura do governo no apoio ao evento político partidário promovido pelo PT no último dia 5 de setembro.

O evento aconteceu na frente do Palácio dos Leões que, segundo a parlamentar, serviu de “camarim” para lideranças políticas que acompanharam o ex-presidente Lula em ato visando as eleições 2018.

“Nada contra, absolutamente nada contra o ex-presidente Lula, mas me questiono, por que o governador Flávio Dino escolheu aquele local com fundo para o Palácio dos Leões. O Palácio servindo de camarim para o ex-presidente Lula e toda a comitiva. Mais precisamente para o governador Flávio Dino, candidato à reeleição em 2018, fazer ali aquela festa. Um governador que fala tanto das festas do passado e agora produz as festas para os seus aliados políticos. O governador Flávio Dino ofereceu jantar para o ex-presidente Lula e seus aliados, deu toda a estrutura do Palácio dos Leões para aquele evento político, que era para ser promovido pelo PT. Tudo bancado pelos maranhenses: jantar, garçom, toda a estrutura do Palácio servindo para aquele evento. Flávio Dino vive falando dos outros, mas ali promoveu uma verdadeira farra”, discursou Andrea.

Andrea quer que a Procuradoria-Geral de Justiça investigue o uso de dinheiro público no evento petista

A denúncia sobre o uso do Palácio dos Leões e da estrutura pública do governo foi denunciada por este blog nos posts “Flávio Disponibiliza estrutura pública para Lula…” e “Lula recebe Título de Cidadão em palanque…

Andrea Murad também questionou o uso da rádio pública, a Timbira AM, para transmitir ao vivo toda a programação do evento realizado pelo Partido dos Trabalhadores com o suporte do Governo Flávio Dino.

“Flávio Dino acabou de abrir uma brecha, não é? A partir do momento em que ele bota a Rádio Timbira, a rádio do governo para transmitir um evento partidário onde ele lança a candidatura de um Presidente da República e a dele próprio, ele está dando toda a brecha para nós pedirmos o mesmo. Eu quero saber se eu solicitar para o governador Flávio Dino um palanque ali para a minha reeleição, se eu também vou poder utilizar a estrutura do Palácio dos Leões. Eu quero também saber se a Rádio Timbira vai transmitir todo o meu evento. Isso é um verdadeiro absurdo. É vergonhoso! O governador Flávio Dino é um hipócrita, não tem mais moral para absolutamente nada”, disse a parlamentar.

8

Flávio Dino disponibiliza estrutura pública para Lula…

Militares que prestam segurança institucional do governo, cerimonial e todo tipo de serviço do Palácio dos Leões estão sendo usados para o ex-presidente petista em São Luís. Tradução: o contribuinte maranhense está pagando para o comunista fazer pré-campanha de aliado

 

Toda a estrutura do Governo do Estado – paga com dinheiro público foi disponibilizada pelo governador Flávio Dino (PCdoB) para atender ao ex-presidente Lula em São Luís.

vídeo acima mostra Lula chegando ao hotel Pestana, onde vai ficar hospedado, e seguranças da força policial do Palácio dos Leões fazendo a escolta e a guarda. Até um jantar será oferecido ao petista em pleno Palácio dos Leões, numa clara pré-campanha feita com dinheiro público.

E aos olhos da Justiça e do Ministério Público…

2

Histórias de agiotagem…

Prisão do maior operador deste tipo de atividade no Maranhão reabre o debate sobre a relação entre a classe política e os emprestadores de dinheiro nos bastidores do poder; e ele tem muito a contar à polícia

 

ARQUIVO VIVO
Pacovan, esposa e alguns de seus devedores em uma de suas várias prisões: ele tem muito a falar, mas é preciso interesse

O agiota Josival Cavalcanti, o Pacovan, começou com uma venda de banana na Ceasa; hoje, é um dos homens mais ricos do Maranhão.

Aprendeu a ganhar a vida emprestando dinheiro a juros – primeiro para os colegas feirantes; depois, para quem aceitasse se submeter aos juros escorchantes e ameaças várias.

A prisão de Pacovan – a enésima nos últimos 10 anos – reabriu o debate sobre o financiamento clandestino de campanhas no Maranhão.

E o agiota pode contribuir muito se a polícia e o Ministério Público quiserem.

Pacovan tem nas mãos políticos de todos o cacifes – dos mais altos aos mais baixos escalões eleitorais – e movimenta milhões e milhões de reais todos os anos.

Nos corredores da Assembleia Legislativa são comuns relatos de visitas dele e de outros “financiadores” a gabinetes estrelados.

A maioria paga o financiamento com dinheiro público, como ficou revelado nas primeiras investigações da agiotagem após a morte do jornalista Décio Sá – e que o governo Flávio Dino (PCdoB), estranhamente, decidiu manter nas gavetas. (Saiba mais aqui)

E foi aí que Pacovan se perdeu.

Leia também:

O organograma da agiotagem…

Quem são os sócios da agiotagem?!?

Polícia Federal estima três, quadrilhas de agiotas no MA…

 

DINHEIRO PÚBLICO
Gláucio e seu pai, Miranda; eles também se seduziram pelo retorno dos financiamentos de campanha

Dono de postos de combustíveis, lojas, prédios, casas e salas comerciais amealhados em confiscos por falta de pagamento de seus “empréstimos”, o agiota, assim como outros de sua estirpe, foi seduzido pelo dinheiro fácil das prefeituras.

E a partir do controle de talões de cheques inteiros de alguns municípios, atraiu a atenção da polícia.

Mas acontece que não é só a Política que sobrevive ás custas do dinheiro fácil de Pacovan.

Talvez por isso seja melhor ele ficar calado…

4

Igor Lago: “Carnaval não é e nunca foi prioridade”…

Filho do ex-governador Jackson Lago alerta que a crise econômica deveria ser vista por gestores públicos como motivo para evitar “solicitar, gastar ou destinar verbas públicas” para as festas de Momo

 

Igor Lago, como seu pai, nunca foi afeito ao Carnaval…

O médico Igor Lago pregou neste domingo, em comentário no Facebook, que os gestores públicos evitem destinar verbas para festas de Carnaval.

– Que as verbas públicas sejam exclusivas às áreas básicas de saúde e educação tão aviltadas e destruídas pela corrupção e a má gestão – pregou Lago.

Filho do ex-prefeito e ex-governador Jackson Lago (PDT) – para quem o carnaval, de fato, nunca foi prioridade – Igor diz que a festa momesca deveria ser bancada, exclusivamente, por quem faz questão de curti-la.

– Carnaval, quem faz questão do mesmo, que gaste o seu dinheiro, arrume patrocinadores privados e banque a folia de forma correta e responsável. Não é e nunca foi prioridade – declarou.

…Mas a festa tem sido bancada ao longos dos anos por políticos como Flávio Dino; e com dinheiro público

Em seu comentário, o médico alerta a classe política para evitar o uso de dinheiro público na festa.

– Em tempos difíceis, os piores que o país já passou, imagino que os nossos prefeitos, vereadores, deputados estaduais e federais, senadores e governadores; e, até mesmo, o presidente Temer não estejam pensando em solicitar, gastar ou destinar verbas públicas para as festas de carnaval – ponderou.

Mas ele está enganado neste aspecto…

8

Flávio Dino aluga imóvel de comunista para abrigar unidade da Funac na Aurora…

Governo, que tem atuado para beneficiar membros do PCdoB paga R$ 12 mil a Jean Carlos Oliveira, há mais de seis meses, mesmo sem o funcionamento da entidade, contestada pelos moradores do bairro

 

Pagamentos a Jean Charles, antes mesmo de o governo iniciar serviço na casa

O governo Flávio Dino (PCdoB) mantém contrato de  R$ 12 mil, com pagamentos desde junho de 2012,  com um membro do seu próprio partido, o comunista Jean Carlos Oliveira, para abrigar uma unidade da Funac na Aurora, ação criticada pela comunidade.

A informação foi dada com exclusividade nesta quarta-feira, 4, pelo blog do jornalista Daniel Matos. (Leia a íntegra aqui)

O contrato com o membro do PCdoB é só mais uma ação do governo comunista em favor dos seus próprios camaradas de partido, o que ocorre em diversos setores.

Este blog já denunciou que Dino inchou a folha de pagamentos com dezenas de camaradas do partido, aparelhando a máquina do governo e, para bancar a a festa, aumentou impostos dos maranhenses. (Relembre aqui, aqui)

Uma das últimas ações de camaradagem com comunistas se deu na pasta do bi-secretário Márcio Jerry, lugar-tenente do governador, que renomeou quatro aliados de uma só vez, após as eleições de outubro. (Releia aqui)

A denúncia de Daniel Matos é mais grave por que revela que Fla´vio Dino mostra-se insensível ao clamor popular apenas para agradar os camaradas do seu partido.

E o povo vai pagando a conta do comunismo…

10

Aliados de Edivaldo contratam enxurrada de pesquisas para influenciar o eleitor…

Nada menos que 11 pesquisas de intenção de votos estão registradas na Justiça Eleitoral entre os dias 20 e 25, a maioria absoluta com a chancela de empresas ligadas direta ou indiretamente à campanha do candidato do PDT

 

manipulacaoUma enxurrada de pesquisas eleitorais foi registrada entre os dias 20 e 25 de outubro, para divulgação nesta reta final do segundo turno em São Luís.

À exceção da do Ibope, contratada pela TV Mirante, e as duas da Escutec, do jornal O EstadoMaranhão, todas as demais têm vínculo direto ou indireto com a campanha do prefeito Edivaldo Júnior (PDT).

A estratégia do pedetista é óbvia: forçar um clima de “já ganhou” para tentar minimizar o impacto do debate da TV Mirante, nesta sexta-feira, 28.

Os levantamentos forma montados de modo a apresentar um Edivaldo praticamente consolidado. Para isso, usou-se uma estratégia matreira: as entrevistas foram colhidas logo após o impacto do discurso extemporâneo do deputado Adriano Sarney (PMDB), com críticas ao candidato do PMN, Eduardo Braide, e evitaram o impacto da fuga de Edivaldo do debate da TV Guará.

As pesquisas atreladas a Edivaldo são:

1 – Perfil pesquisas, contratada por ela mesma;

2 – Instituto Econométrica, contratada pelo Jornal Pequeno;

3 – Exata, contratada pelo Sistema Guará de Comunicação;

4 – O notório DataM, contratado pela TV Difusora;

5 – DataIlha, contratada pela Rádio e TV do Maranhão;

6 – Impar Comunicação, contratada por O Imparcial;

7 – Instituto Verita EPP, contratada por si mesmo;

8 – Três Pesquisas, contratada por Jeane Oliveira Consultoria.

Os levantamentos  têm data de divulgação entre os dias 25 e 29 de outubro.

Mas apenas a Escutec deve ter levantamento com o impacto do debate da Mirante.

É aguardar e conferir…

0

Hildo Rocha quer investigar irregularidades na aplicação de dinheiro público no Coren/MA e no Cofen…

hildo

A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados (CFFC) aprovou proposta do deputado Hildo Rocha (PMDB) que prevê a realização de auditoria nas contas do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), da atual gestão (2015-2018) e também da anterior (2007-2012).

O objetivo é identificar possíveis irregularidades na aplicação de recursos públicos durante a gestão do atual presidente, Manoel Carlos Neri da Silva.

Hildo Rocha enfatizou que o Cofen destituiu a atual diretoria do Coren/MA como forma de impedir auditoria nas contas da entidade.

“Os gestores permaneceram no cargo por intervenção da Justiça Federal que concedeu liminar à diretoria eleita do Coren/MA. Mas, novamente o senhor Manoel Neri realizou outra intervenção, impedindo auditoria que seria feita nas conta da gestão anterior”. Explicou.

Segundo o deputado, há fortes evidencias de transferências ilegais de recursos do Coren/MA para o Cofen como forma de desviar recursos da entidade que representa os enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem do Maranhão.

Transparência

O Relator da proposta, o deputado Valtenir Pereira (PMDB-MT), defendeu a realização da auditoria.

“Levando-se em conta que a intervenção do Cofen impediu a realização de auditoria, prejudicando a transparência dos atos e, ainda, que há precedentes que apontam problemas no sistema, julgo conveniente a realização da fiscalização”, disse Pereira. A auditoria abrangerá também as contas da presidente anterior do Coren/MA, Célia Maria Santos Rezende.

Prisões

Em 2005, uma operação da Polícia Federal prendeu 17 pessoas ligadas aos conselhos federais e regionais de Enfermagem, por denúncias de peculato, formação de quadrilha, homicídio, fraude em licitações, lavagem de dinheiro, interceptação não autorizada de comunicação telefônica e falsidade ideológica, tendo sido estimado, à época, um desvio de R$ 50 milhões.

Pelo texto aprovado, a fiscalização será realizada pelo Tribunal de Contas da União (TCU), que remeterá as conclusões da auditoria à comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara Federal.

5

Quem paga a conta?!?

Dino foi a Brasília com Márcio Jerry negociar defender interesses seus, do PT e de Dilma

Dino foi a Brasília com Márcio Jerry defender interesses seus, do PT, de Dilma e de deputados

Uma questão começou a ser levantada esta semana, após uma passagem de cinco dias do governador Flávio Dino (PCdoB) por Brasília, em missão estritamente pessoal, acompanhado de um séquito de auxiliares e assessores.

Em Brasília, Dino teve que pagar passagens aéreas – dele e de auxiliares – diárias de hotel, alimentação e transporte. E para fazer o quê? Para atuar na defesa pessoal da presidente Dilma Rousseff (PT), que corre sério risco de perder o mandato.

Na capital federal Dino não tratou de qualquer questão relacionada aos interesses do Maranhão como instituição. Não esteve em ministérios em busca de recursos, não assinou convênio com nenhuma pasta e nem tratou de acompanhar votações que pudessem estar ligadas diretamente ao Maranhão.

A ação do governador e dos seus auxiliares foi atuar na defesa dos interesses de um grupo político, de um partido político e de um projeto de poder. E só.

Por isso a pergunta que não quer calar, feita por políticos e populares: quem pagou a conta?

Não bastasse sua ação na defesa do PT e de Dilma Rousseff, o governador maranhense prepara um ato para homenagear os seus aliados que votaram contra o impeachment de Dilma. Vai usar a Assembleia Legislativa – outro espaço público – para continuar sua cruzada na defesa dos interesses do projeto de poder do PT e de seus aliados.

Mas outra pergunta se faz necessária: porque apenas os que votaram a favor de Dilma merecem ser homenageados? E eles serão homenageados exatamente por quem?

Até por que, se levasse em conta a manifestação popular, Flávio Dino saberia que a maioria da população quer ver o fim do governo do PT. Ou seja, o povo não tem interesse em homenagear quem defende o governo do PT.

Mas ainda assim tem de pagar a conta?!?

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão, com ilustração do blog
1

Crise ameaça carnaval financiado no interior…

Falta de recursos leva prefeituras a cancelar contratos com bandas e grupos em vários municípios, o que, no fim das contas, faz do período momesco o que deveria ser; uma festa de interesse privado

 

Festa no interior financiada com dinheiro público; fim da farra

Festa no interior financiada com dinheiro público; fim da farra

O Carnaval financiado pelas prefeituras no interior maranhense pode sofrer um duro baque em 2016.

Prefeituras de pelo menos cinco municípios – Matões, Pedreiras, Governador Newton Belo, Santa Inês e Coelho Neto – já anunciaram o cancelamento do patrocínio ao carnaval.

A última a anunciar o cancelamento do apoio foi a Prefeitura de Santa Inês.

Isso não significa que o Carnaval nestas cidades não irão acontecer; a festa apenas se desenvolverá sem o dinheiro público.

O que, em tese, deveria ser praxe, não exceção…