2

Carlos Madeira vai coordenar plano de governo de Weverton Rocha…

Enquanto o senador articula frente ampla para enfrentamento à CoVID-19 no Maranhão, ex-juiz federal, que foi candidato a prefeito de São luís, conversa com representantes de todos os segmentos e do setor produtivo – do Maranhão e de fora – para montar uma proposta que, de fato, estabeleça um programa de desenvolvimento para o estado

 

Carlos Madeira aparece em destaque na reunião que organizou ações contra a CoVID-19; e afirmou estar integrado ao grupo de Weverton

Chamou a atenção a presença do ex-juiz federal Carlos Madeira na reunião coordenada pelo senador Weverton Rocha (PDT), esta semana, em Brasília, para propor ações de enfrentamento à COVID-19 no Maranhão.

O próprio Madeira explicou ao blog Marco Aurélio D’Eça o seu envolvimento com o projeto.

– Estou integrado ao projeto Weverton 22. Fui convidado para coordenar um grupo de técnicos, profissionais de diversos segmentos da sociedade, empresários e professores, que cuidará da estruturação de um plano para um possível governo – afirmou o ex-juiz, que disputou a Prefeitura de São Luís em 2020.

Madeira foi uma das lideranças presentes ao encontro com Weverton, que reuniu a senadora  Eliziane Gama (Cidadaina), os deputados federais Juscelino Filho (DEM), Cléber Verde (PRB), Gil Cutrim (PRB) e Pedro Lucas (PTB), além do ex-prefeito de Timon, Luciano Leitoa (PSB).

Também participaram os presidentes da Assembleia Legislativa, deputado Othelino Neto (PCdoB), da Câmara Municipal de São Luís, vereador Osmar Filho (PDT), e da Famem, prefeito Erlânio Xavier (PDT), além dos deputados estaduais Glalbert Cutrim (PDT) e Márcio Honaiser (PDT).

– Enquanto muitas ações estão sendo comandadas pelo Senador Weverton e este grupo, nessa linha de combate à Covid, irei travando diálogos com pessoas representativas da sociedade – e de fora do Estado – para estruturar os principais eixos de um possível programa de governo. Essa será a minha missão – explicou o ex-juiz federal.

A reunião de Weverton Rocha foi um dos mais importantes fatos políticos institucionais do estado neste ano pré-eleitoral.

Além de reforçar a luta contra a CoVID-19, envolvendo diversos segmentos institucionais, Weverton demonstrou a unidade de um grupo voltado para o Maranhão.

Além da presença de Madeira, chamou atenção a presença de outras lideranças, como a senadora Eliziane Gama.

Mas esta é uma outra história…

3

Para Eliziane, chegada de Madeira fortalece campanha de Rubens

Senadora que está à frente do projeto eleitoral do candidato comunista entende que a articulação deve garantir presença no segundo turno das eleições na capital maranhense

 

À frente da campanha de Rubens Júnior, Eliziane Gama comemorou a chegada do grupo que apoiava Carlos Madeira

A senadora Eliziane Gama (Cidadania) avalia como um grande trunfo a entrada do time do ex-candidato Carlos Madeira (Solidariedade) na campanha do candidato do PCdoB, Rubens Pereira Júnior.

Madeira anunciou sua desistência nesta quarta-feria, 7; no mesmo dia, o Solidariedade e os auxiliares do governo Flávio Dino (PCdoB) que estavam com ele  decidiram apoiar Rubens.

– O time fica mais forte. Carlos Madeira, Simplício Araújo, Helena Duailibe, Jeferson Portela, Anderson Lindoso, Afonso Manoel; é pra valer e pra vencer – disse a senadora, em suas redes sociais.

Ex-candidata a prefeita em São Luís, Eliziane está à frente da campanha de Rubens, representando o candidato nas reuniões, desde que ele anunciou infecção por coVID-19.

Para ela, o candidato do PCdoB herdará naturalmente os votos do juiz federal aposentado…

2

Sobre o debate da Band e a expectativa em torno de Madeira…


Engana-se quem aposta na fragilidade do candidato José Carlos Madeira na campanha para a prefeitura de São Luís.

É certo que muitos – inclusive os próprios adversários – esperavam dele uma atuação brilhante no debate de quinta-feira à noite na Band/TV UFMA.

Isso não houve, de fato.

Mas é preciso lembrar que Madeira é cristão novo na seara dos debates eleitorais, e certamente estranhou pisar pela primeira vez o terreno dos holofotes na companhia de adversários experimentados no rinque político – entre eles, três deputados federais, três deputados estaduais e ex-secretários de estado.

Faltou a Madeira intimidade com as câmeras, é verdade. Faltou também uma melhor articulação de ideias, especialmente nos dois primeiros blocos do programa.

Mas são detalhes que, para quem conhece de perto o ex-juiz federal, certamente serão corrigidos no próximo debate.

Madeira tem conhecimento e uma biografia que nenhum outro candidato têm. E, como se diz na linguagem popular, ele não pretende “perder pra buchudo” na próxima ocasião.

O candidato do Solidariedade poderia ter aproveitado melhor os três primeiros blocos de perguntas e respostas, principalmente porque foram postos em discussão temas triviais da administração pública.

Mas Madeira só foi realmente Madeira no último bloco, nas considerações finais. Ali ele deu, pela primeira vez, o tom da sua campanha.

Ao contrário do que muitos imaginavam, Madeira vem para as eleições 2020 como oposição ao prefeito Edivaldo Holanda Júnior.

Ou pelo menos como alternativa de mudança ao modelo administrativo hoje instalado em São Luís, que na verdade reencarna um PDT que governa a capital maranhense há mais de 30 anos.

Madeira argumentou que, uma vez eleito prefeito, vai sepultar de vez as velhas práticas políticas, como aquelas que insistem no asfalto a cada ano eleitoral.

Entre os que estão no primeiro pelotão das pesquisas – Braide, Duarte, Neto Evangelista e Rubens Jr. – o ex-juiz federal foi o único que demarcou o território da alternância de poder.

Então, um candidato que assim age na primeira aparição pública da campanha não pode receber a pior nota de um debate que, em linhas gerais, foi literalmente sonolento.

Pelo horário. Pelo formato…

1

Madeira mantém independência plena nas eleições de São Luís

Candidato do Solidariedade classificou de perversa a política praticada “por jovens herdeiros dos cargos públicos e pelos velhos coronéis, que colocam a administração municipal a serviço de seus interesses”

 

Madeira reforçou sua autoridade moral para tratar dos temas mais espinhosos na campanha eleitoral de São Luís

No primeiro dia oficial de campanha à Prefeitura de São Luís, o candidato José Carlos Madeira, do Solidariedade, reforçou que a sua aliança é com o povo.

“Chegamos aqui sem as chamadas coligações em um cenário de independência plena para fazer uma campanha dialogando e ouvindo o povo”, afirmou o ex-juiz federal.

Madeira considerou perversa a política praticada pelos jovens herdeiros dos cargos públicos e pelos velhos coronéis que colocam a administração municipal a serviço dos seus interesses.

Ele aposta em uma gestão pública sem amarrações políticas, sem compromissos com os velhos caciques e com os novos coronéis.

Com uma carreira jurídica exitosa, Madeira afirmou que “se não aceitasse o desafio da candidatura proposta pelas  pessoas preocupadas e sensibilizadas com a cidade”, ficaria omisso.

0

Madeira aposta na capacidade empreendedora da juventude

Pela construção de uma nova política levando em consideração os anseios da juventude. É assim que o pré-candidato à prefeitura de São Luís, Carlos Madeira, pelo Solidariedade, dialoga com o público jovem de São Luís.

Carlos Madeira aposta no entusiasmo, no empreendedorismo, na inovação em tecnologia e na criatividade dos jovens. Ele tem como um dos projetos para a juventude uma gestão inovadora no campo da tecnologia e do empreendedorismo.

“Vamos transformar São Luís em uma cidade modelo na eficiência digital”.

O apoio da juventude de Madeira se consolida também por meio da pré-candidatura do seu vice, Capitão Jeremias, do Corpo de Bombeiro do Maranhão.

Ambos com uma história de superação conhecem bem os desafios de terem sido criados na periferia de São Luís.

0

O prefeito que a cidade quer

José Carlos Madeira

Pré-candidato a prefeito de São Luís

São Luís mudou muito nos últimos anos. E continua querendo mudar, porque a população não se acomoda. São Luís continua rebelde. Mas não é a rebeldia de antes, incendiária, do confronto nas ruas, do punho cerrado de 1951 ou de 1979, por exemplo. A rebeldia de hoje é quase silenciosa, mas igualmente transformadora.

A cidade rebelde de agora é feita de gente que quer algo diferente na administração pública, de gente que não quer mais continuar como antes. São Luís não quer mais o clientelismo da velha política. São Luís não quer mais ser refém do assistencialismo promíscuo de práticas caducas das emendas parlamentares envelopadas na carapaça do bom-mocismo.

São Luís não engole mais o novo que já nasceu velho, entranhado no carcomido livro da história que não se apaga ao simples bafo da perfumaria, do marketing. A cidade não aceita mais que a política vigore como se fosse aquele velho e lucrativo cartório de antes, que passa de pai para filhos e netos e sobrinhos.

Não importa mais a vontade individual, o desejo seletivo, o capricho particular. Não importa mais o prefeito que o fulano ou o beltrano quer. Esse tempo já se foi. O que vale agora é o projeto coletivo, a força mobilizadora, o plano colaborativo. Importa agora o prefeito que a cidade quer. Eis a diferença gritando, mas que alguns ainda fingem não ouvir!

O prefeito que São Luís quer deve ter, minimamente, uma história de vida, uma biografia reconhecida, respeitada, e não um prontuário eleitoral, meramente de ocasião. O prefeito que a cidade quer não precisa ostentar herança política familiar, não carece de sobrenome forjado nas incubadoras dos palácios.

O prefeito que a cidade quer deve ter uma vivência semelhante à grande maioria da população, que reconheça a periferia como se fosse sua própria casa, que tenha experimentado na pele o que são as dificuldades da vida. O prefeito que a cidade quer deve conhecer – na prática, e não como tese de gabinete – as limitações do ensino público, o problema da água e do saneamento, a falta de infraestrutura, o caos da saúde pública e o drama do transporte coletivo.

O prefeito que São Luís quer agora não pode ser alguém alheio a essa realidade. Não pode ser alguém estranho ao cotidiano da cidade, que só conhece a crueza das coisas em tempos de eleição. A cidade quer um filho legítimo como prefeito, e não um candidato de laboratório, um salvador de proveta. São Luís quer um dos seus, sem alegoria. Apenas isso.         

1

Convenção de Madeira é exemplo de respeito às normas sanitárias

A convenção do Solidariedade, que homologou na noite de quarta-feira no nome de José Carlos Madeira como candidato do partido à Prefeitura de São Luís, foi alvo de vários elogios por cumprir com rigor as normas sanitárias em relação aos riscos do Coronavírus.

Realizada na Associação dos Oficiais Militares do Maranhão, no Bairro de Fátima, a convenção foi planejada para seguir à risca todas as medidas de segurança, por orientação do próprio candidato Madeira, que ainda se recupera em casa dos efeitos da Covid-19.

Controlada por uma equipe de brigadistas, a convenção do Solidariedade contou com medidores de temperatura à entrada do evento, acesso limitado de pessoas, uso obrigatório de máscaras e álcool em gel e distanciamento protocolar das cadeiras.

“Os candidatos devem ser os primeiros a dar o exemplo de que respeitam as medidas sanitárias”, afirmou Madeira, ao argumentar que recomendou aos organizadores que fizessem “uma convenção sóbria, sem aglomeração ou qualquer excesso”.

Segundo Madeira, a convenção conseguiu alcançar o objetivo do partido, ao promover uma grande festa democrática, com a participação efetiva de lideranças políticas e comunitárias, além de uma militância comprometida com os ideais de justiça social, eficiência e transparência na gestão pública.

Sem qualquer sinal de aglomeração, a convenção do Solidariedade durou pouco mais de uma hora e meia e homologou os nomes de José Carlos Madeira e Capitão Jeremias, como candidatos a prefeito e vice-prefeito, e mais cerca de 40 nomes de candidatos a vereador.

“Procuramos fazer um evento equilibrado, demonstrado a força e a capacidade de vitória das nossas candidaturas e ao mesmo tempo respeitando as normas de segurança em tempos de pandemia”, declarou o presidente do Solidariedade, Simplício Araújo.

0

“É como se estivesse nascido de novo”, diz Madeira em vídeo da convenção

Em depoimento emocionado, por videoconferência, na convenção do Solidariedade realizada na noite desta quarta-feira, o ex-juiz federal José Carlos Madeira disse que a vida deu a ele “uma nova oportunidade”, ao fazer referência à luta que trava contra a Covid-19. “É como se eu estivesse nascido de novo, depois de alguns dias internado no tratamento do coronavírus”, afirmou.

Madeira segue tratamento em casa, de onde gravou um vídeo de quatro minutos com uma mensagem de otimismo aos participantes que homologaram o nome dele e do Capitão Jeremias como candidatos a prefeito e vice-prefeito de São Luís pelo Solidariedade.

O discurso do ex-juiz federal foi recebido com entusiasmo por cerca de 100 pessoas que ocuparam o Clube de Oficiais Militares do Maranhão, no Bairro de Fátima. “No Bairro de Fátima está a minha história, a minha vida, e não posso esconder a emoção de participar de evento tão importante naquele lugar que ainda hoje considero a minha casa”, frisou.

O pré-candidato do Solidariedade deve ficar em casa pelos próximos dias e disse que só sairá para compromissos da campanha após receber autorização médica. “Por enquanto, a minha campanha segue tocada pela militância, pelo vice Jeremias e pelas redes sociais”, informou.

0

Solidariedade anuncia convenção híbrida com Madeira em videoconferência

O ex-juiz federal José Carlos Madeira terá o seu nome confirmado como candidato do Solidariedade a prefeito de São Luís em convenção híbrida. O partido anunciou nesta terça-feira que a convenção, a princípio anunciada apenas no modelo online, também será presencial, mas obedecendo rigorosamente a todas as recomendações das autoridades sanitárias.

A opção do Solidariedade pelo modelo híbrido é resultado de um entendimento entre Madeira, o presidente do partido, Simplício Araújo, e o pré-candidato a vice-prefeito, Capitão Jeremias. Madeira disse que, mesmo em casa recuperando-se da Covid-19, faz questão de participar da convenção por videoconferência.

“Quero levar a minha palavra de fé e confiança na vitória a todas as nossas lideranças comunitárias e políticas e aos nossos pré-candidatos a vereador”, declarou.

A convenção presencial será realizada nesta quarta-feira, dia 16, às 17h, na Associação dos Oficiais Militares do Maranhão, na rua Armando Vieira da Silva, no 1, no Bairro de Fátima.

“Estamos apenas retomando um compromisso inicial de realizar a nossa convenção no Bairro de Fátima. É o bairro onde nosso pré-candidato nasceu e viveu por muito tempo, onde estão suas origens”, informou Simplício Araújo.   

O pré-candidato a vice-prefeito fez questão de frisar que a convenção será simbólica, sem aglomeração. Segundo o Capitão Jeremias, uma grande festa está sendo preparada para receber Madeira de volta aos compromissos políticos, ao fim do tratamento da Covid-19.

“Aí, sim, nesse momento teremos a oportunidade de oferecer uma grande recepção ao nosso pré-candidato a prefeito”, avisou.

0

Campanha de Madeira mantém mídia forte mesmo com ele internado

Candidato do Solidariedade está em tratamento de coVID-19, mas seus perfis oficiais nas redes sociais mantêm postagens diárias, com aspectos da campanha e informações sobre os bastidores do seu comitê eleitoral

 

A agenda inadiável de campanha de Carlos Madeira está sendo cumpria pelos seus coordenadores, como Alan Ramalho, que dirigiu esta reunião nesta quinta-feria, 10

Determinado em seu projeto de chegar ao segundo turno, o candidato do Solidariedade a prefeito de São Luís, Carlos Madeira, mantém forte agenda de campanha, mesmo em recuperação de coVID-19.

Seu perfil no Instagram mantém postagens diárias, com aspectos da campanha e com imagens de bastidores no comitê eleitoral.

O próprio Madeira chegou a comentar na rede social nesta quinta-feira, 10.

– Eu ainda estou recebendo cuidados médicos, mas, mesmo distante, fico acompanhando as ações de nosso grupo em prol de São Luís – disse o candidato, com foto de reuniões de seus coordenadores de campanha.

Para manter a página do instagram em movimento, são publicados também #TBT’s, como este, em que o candidato participa de reunião ao lado do vereador Afonso Manoel

Mais tarde, um #TBT com foto dele ao lado do vereador Afonso Manoel. 

Para a coordenação de campanha, a manutenção das ações de Madeira mesmo durante sua recuperação, é importante para manter a militância unida e aguerrida.

– Em breve estaremos juntos! – concluiu…