1

Edilázio propõe troca eletrônica de domicílio eleitoral

Deputado federal e presidente do PSD no estado formulou pedido à Corregedoria-geral Eleitoral no Maranhão atendimento remoto a candidatos e eleitores que precisem alterar informações e dados no TRE

 

O deputado federal Edilázio Júnior, presidente estadual do PSD, formalizou um pedido ao Corregedor do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Maranhão, desembargador Tyrone José Silva, de medidas que permitam – durante esse período de suspensão das atividades na Justiça Eleitoral por causa da pandemia do Covid-19 -, o atendimento a pré-candidatos que precisam alterar o domicílio eleitoral no estado.

O prazo para a mudança de domicílio eleitoral fixado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para todo o país termina no dia 4 de abril. O período para a filiação partidária também se encerra no início de abril.

Edilázio deu ênfase a uma portaria baixada pelo TRE-MA que trata do atendimento a aos cidadãos nas situações urgentes e pediu a disponibilização de um canal virtual na Justiça que permita o recebimento da documentação durante esse período de suspensão das atividades.

“Considerando que o dia 4 de abril de 2020, conforme o art. 9 da Lei 9.504/97, é a data final para que os pretensos candidatos a cargo eletivo nas eleições de 2020 devem ter domicílio eleitoral na circunscrição na qual desejam concorrer, a fim de, nesse período excepcional, possibilitar a comprovação pelo candidato de exercício do direito de solicitação de alteração de domicílio eleitoral, propõe-se a disponibilização e divulgação no site deste Regional, do e-mail ou outro meio eletrônico a ser gerido por equipe dessa conceituada Corregedoria Regional Eleitoral para a recepção da documentação pertinente”, destaca trecho do ofício.

Em portaria divulgada ontem o TRE informou que o atendimento presencial ao público externo, assim como visitação públicas às instalações, está suspenso temporariamente entre 18 de março e 30 de abril deste ano por causa da pandemia do Novo Coronavírus. 

1

Coronavírus suspende pré-campanha em São Luís…

Apesar de um ou outro pré-candidato ainda tentar faturar nas redes sociais com as notícias sobre a CoVID-19, a quarentena imposta no Maranhão de fato deixou a sucessão do prefeito Edivaldo Júnior em segundo plano

 

As ruas ficaram vazias e livres de pré-candidatos a prefeito, embora alguns insistam em aparecer nas redes sociais

Às vésperas do fim do prazo para filiação partidária de quem pretende disputar as eleições de outubro, a pré-campanha eleitoral em São Luís está paralisada.

Desde o início das notícias sobre a ameaça do coronavírus – e antes mesmo da decretação da quarentena no Maranhão – os pré-candidatos recolheram-se, embora ainda haja um outro outro que tentem faturar politicamente nas redes sociais.

O debate mais importante sobre o tema é o adiamento das eleições 2020, proposta primeiramente pelo pré-candidato do Solidariedade, Carlos Madeira, e que ganhou corpo no Congresso Nacional.

O problema do adiamento da eleição é exatamente deixar mais dois anos para o atual prefeito e os atuais vereadores.

Melhor que o coronavírus seja vencido o mais rápido possível…

5

Madeira prega adiamento das eleições e prorrogação de mandatos

Candidato a prefeito de São Luís defende que os recursos do Fundo Eleitoral de 2020 seja usado pelo Ministério da Saúde para ajudar no combate ao coronavírus

 

Candidato diferenciado, Carlos Madeira propõe a suspensão das eleições e abre importante debate político nacional

O candidato a prefeito de São Luís pelo Solidariedade, Carlos Madeira, propôs nesta quarta-feira, 19, em suas redes sociais, a suspensão das eleições de 2020, diante da pandemia de Coronavírus.

– Acho prudente a completa reformulação do calendário eleitoral, com a suspensão das eleições deste ano. Esse assunto somente poderá ser tratado por norma constitucional, mas uma Emenda à Constituição pode ser encaminhada ao Congresso para modificar a Constituição Federal e prorrogar os mandatos dos atuais prefeitos e vereadores por 6 meses – propôs.

Pela proposta de Madeira, as eleições de 2020 poderiam ser realizadas no primeiro semestre de 2021.

Além do adiamento das eleições, Madeira propôs que os recursos do Fundo Eleitoral de 2020 sejam usados pelo Ministério da Saúde, no combate ao coronavírus.

– Sou favorável, também, à realocação dos recursos de fundo partidário para os órgãos de saúde do País. Neste momento dramático vivido pelo País, todos os esforços e recursos financeiros devem ser voltados para proteger a saúde das pessoas, sobretudo das pessoas mais pobres – defendeu o candidato.

Juiz federal aposentado, Carlos Madeira conhece os meandros do sistema eleitoral e sua proposta mostra o seu diferencial como candidato. Mas ele vai além, propondo a união de todos para o enfrentamento da pandemia mundial.

– Devemos todos nos unir, superando convicções políticas e ideológicas; a união pela saúde e pela paz social será decisiva para enfrentarmos esse momento tão terrível de nossa história – afirmou.

O debate está aberto…

4

Com menudos em pé-de-guerra, Madeira vira ponto de equilíbrio

Em campanha repleta de novinhos – alguns frutos do “filhotismo político” – juiz federal aposentado pode virar a referência de quem não quer Eduardo Braide, mas busca experiência e equilíbrio emocional em um candidato

 

Os menudos de Flávio Dino vivem em pé-de-guerra; e já começam a preocupar pela falta de maturidade e desequilíbrio emocional

O termo “Menudos” foi usado ainda em 2019 para se referir à profusão de candidatos a prefeito com idade inferior a 35 anos, todos saídos da base do governo Flávio Dino (PCdoB).   

A princípio, a nomenclatura encerrava em si uma carga de preconceito, uma vez que denotava risco por falta de experiência e desequilíbrio emocional na base do governo comunista.

Mas o tempo se encarregou de ampliar esses riscos, com a violenta guerra pública travada entre os “Menudos” que, até agora, sobraram na disputa.

A campanha propriamente dita ainda nem começou e o clima entre os candidatos de Flávio Dino é de batalha sangrenta.

Neto Evangelista (DEM) odeia Duarte Júnior (PRB), que detesta Rubens Júnior (PCdoB), que não morre de amores por Dr. Yglésio (PDT), que odeia Duarte Júnior, que detesta Neto Evangelista. 

 

Enquanto os menudos se engalfinham – feito meninos levados no recreio da escola – Carlos Madeira já tem equipe planejando um eventual governo

No meio de toda essa meninada cheia de energia e pronta para a briga, um pré-candidato começa a ser notado, como símbolo de experiência, equilíbrio emocional e maturidade.

O juiz federal aposentado Carlos Madeira mira uma base específica do eleitorado: aquela que desconfia de Eduardo Braide (Podemos), mas que já percebeu pouca maturidade na meninada “criada” por Flávio Dino.

Vindo das camadas mais populares da sociedade, vitorioso e honrado na carreira pública de magistrado, bem sucedido como empresário, Madeira aponta para a serenidade necessária à gestão de uma cidade como São Luís.

E foge também ao termo “filhotismo político”, que caracteriza boa parte desses candidatos miúdos – filhos, netos, sobrinhos, esposas ou maridos de políticos tradicionais.

A guerra de meninos antecipada pelos menudos de Flávio Dino expôs uma preocupação no eleitorado: esses “novinhos” imaturos estão mesmo prontos para dirigir uma cidade como a capital maranhense?!?

Para quem tem dúvida disto, há outras opções na mesa…

2

Wellington vira espécie de “laranja de mercado” nas eleições…

Garantido candidato pelo PSDB, sob condições rígidas de servir ao projeto de Braide, deputado estadual percebeu que pode servir aos propósitos de qualquer outro candidato que possa salvá-lo do afogamento em dívidas

 

Em papel alaranjado, condição para ser candidato do PSDB, Wellington já faz dobradinha ton sur ton com membros da base dinista

Na semana passada, a mídia anunciou que o senador Roberto Rocha havia autorizado o deputado estadual Wellington do Curso a ser candidato a prefeito de São Luís pelo PSDB.

Como sempre faz, o blog Marco Aurélio D’Eça não se conformou apenas com a notícia empacotada pelas assessorias e foi buscar nos bastidores as circunstâncias da aceitação de Rocha; e descobriu com pessoas próximas aos dois parlamentares que houve algumas condições para que Wellington ganhasse a legenda.

A principal delas, segundo apurou o blog, é que Wellington mantenha os adversários de Braide sob constante ataque, tanto na Assembleia Legislativa quanto na campanha propriamente dita.

O objetivo tucano é impedir o crescimento dos adversários que possam ameaçar uma vitória do seu verdadeiro candidato, o deputado federal Eduardo Braide (Podemos).

Desde o encontro com o senador, Wellington mudou o foco do seu discurso na Assembleia – que era eminentemente de críticas ao governo Flávio Dino (PCdoB) – e passou a mirar na eleição, trazendo o debate eleitoral que ele próprio havia negligenciado desde o ano passado.

O alvo da hora é o também deputado estadual Duarte Júnior (PRB), principal candidato da base do governo Flávio Dino – e, por enquanto, o único que pode ameaçar levar a eleição para um segundo turno.

Mas, para além de Braide ou do PSDB, Wellington já percebeu que pode servir a qualquer propósito, não apenas da oposição, mas até de setores do governo que têm interesses no processo; e sugere que fará o papel de Fábio Câmara em 2016, atuando como franco-atirador de quem tiver algo a oferecer. (Entenda aqui)

Afogado em dívidas e cobrado por agiotas, o parlamentar tenta recuperar o fôlego para tentar sobreviver às próximas eleições estaduais.   

A postura alaranjada do deputado do PSDB ganha cores mais luminosas a cada dia, mas recebe a colaboração também de membros da própria base dinista. 

Sinal de que, nesta campanha, haverá laranjas de ambos os lados, numa verdadeira dobradinha ton sur ton.

Mas esta é uma outra história…

0

Prazos eleitorais abrem reforma administrativa em Imperatriz

Prefeito Assis Ramos aproveita a saída dos auxiliares José Carneiro, o Buzuca, e Rodrigo do Carmo para mudar de posto também os secretários Josenildo Ferreira e José Ribeiro Oliveira

 

Assis Ramos anuncia as primeiras mudanças em seu secretariado ocasionadas pelas eleições

Rodrigo do Carmo Costa e José Carneiro dos Santos, o Buzuca, deixam respectivamente, a Procuradoria Geral do Município e a Fundação Cultural de Imperatriz. Eles são os primeiros pré-candidatos às vagas da Câmara Municipal de Imperatriz a deixarem o principal escalão do prefeito Assis Ramos (DEM). Outras alterações são esperadas para os próximos dias.

Para o lugar de Buzuca, vai o intelectual, poeta e compositor José Ribeiro de Oliveira (membro da Academia Imperatrizense de Letras), deslocado do comando da Guarda Municipal. A GMI passa a ser gerida pelo ex-secretário da Educação, Josenildo José Ferreira, substituído por José Antonio Pereira da Silva que passa a chefiar duas pastas (além da Educação, a da Administração e Modernização).

Já para a Procuradoria, o prefeito Assis Ramos nomeia Alessandra Belfort Braga, procuradora concursada, que se torna a primeira mulher a ocupar o cargo.

– Rodrigo e Buzuca deixam excelentes legados, pela quantidade e qualidade dos serviços que prestaram ao município; saem por necessidades  imperiosas. Josenildo e Ribeiro deixam suas pastas de origem, mas permanecem conosco, em posições estratégicas, porque representam muito em termos de competência e compromisso. E a doutora Alessandra é a boa novidade, carregada de méritos, que vem oxigenar nossa boa equipe – comentou o prefeito Assis Ramos.

Não se sabe ao certo, mas pelo menos 5 outros secretários também deverão se desincompatibilizar, nos próximos dias, igualmente para disputarem vagas no legislativo municipal.

Da assessoria

1

Ivaldo Rodrigues retoma mandato na Câmara Municipal

Vereador vai se preparar para as eleições de outubro, e passa a ser opção do PDT também para composição de chapas em alianças com outros partidos

 

Ivaldo discursou na tribuna da Câmara Municipal na volta à Casa

O vereador Ivaldo Rodrigues (PDT) reassumiu nesta segunda-feira, 9, o seu mandato na Câmara Municipal de São Luís.

Ele deixou a Secretaria Municipal de Abastecimento um mês antes do prazo legal de desincompatibilização para quem vai concorrer às eleições e outubro.

A princípio candidato a um novo mandato na Câmara, Ivaldo também é uma das opções do PDT para composição de chapas majoritárias.

O partido deve firmar coligação com o DEM, do deputado estadual Neto Evangelista.

E Ivaldo é um dos nomes que podem ser indicados a vice do democrata…

5

A violenta guerra na base de Flávio Dino…

Atacado por aliados do Palácio dos Leões, o pré-candidato Duarte Júnior resolve contra-atacar mirando o comunista Rubens Jr., numa tensão que se arrasta desde a sua posse na Assembleia e envolve também os pré-candidatos Neto Evangelista e Dr. Yglésio

Membro do mesmo partido pelo menos até janeiro, Duarte Jr. iniciou nesta segunda-feria, um confronto direto com o aliado de base Rubens jr.

Com cinco pré-candidatos declarados à sucessão do prefeito Edivaldo Júnior (PDT) – Neto Evangelista (DEM), Duarte Júnior (PRB), Rubens Pereira Júnior (PCdoB), Bira do Pindaré (PSB) e Dr. Yglésio (PROS) – a base do governo Flávio Dino (PCdoB) vive uma guerra pré-eleitoral sem precedentes na história das eleições maranhenses.E a batalha inicial parece apenas um preâmbulo do que se dará quando a campanha propriamente dita começar de fato.

O mais recente capítulo da guera fratricida se deu nesta segunda-feira, quando Duarte Júnior foi exercer um Direito de Resposta no programa Bom Dia Brasil, da TV Difusora.

O clima tenso entre pré-candidato e apresentadores foi coroado com um disparo direto de Duarte no ex-colega de partido, Rubens Pereira Júnior.

– Eu sou ficha limpa. Eu não sou candidato porque meu pai é ficha suja e eu sou plano B – afirmou ele, numa referência direta ao comunista.

Eleito deputado estadual pela primeira vez com apenas 21 anos, Pereira Júnior só entrou na política, em 2006, por que seu pai, Rubens Pereira, foi declarado inelegível e não pôde disputar a reeleição naquele pleito.

O ataque a Pereira Júnior foi a primeira reação aberta de Duarte ao bombardeio que vem sofrendo na internet há duas semanas. 

Mas a guerra na base dinista não se limita a este fato; Duarte tem diferenças a acertar também com Neto Evangelista e com Dr. Yglésio.

Com Evangelista, ele se estranhou logo no início do mandato na Assembeia, quando partiu para cima do colega César Pires (PV). Com Yglésio a treta é mais recente, mas tende a continuar durante a campanha.

Tanto que o próprio Yglésio já declarou na Assembleia que vai fazer de tudo para evitar que Duarte chegue ao segundo turno.

No meio da batalha entre os “Menudos de Flávio Dino” – apelido dado pela imprensa por causa da idade e da imaturidade dos candidatos governistas – apenas Bira do Pindaré passa ao largo, esquecido que foi até como membro do grupo palaciano.

E quem se beneficia com toda a guerra, que expõe a falta de sucessores preparados no grupo do governador, é o deputado federal Eduardo Braide (Podemos), que segue cada vez mais favorito.

E a caminho da vitória em primeiro turno…

2

Em vídeo, Carlos Madeira mostra identidade no Bairro de Fátima

Pré-candidato do Solidariedade a prefeito de São Luís circula na comunidade, conversa com várias pessoas de sua infância e juventude e mostra conhecimento dos causos e causas da região onde morou

 

O pré-candidato do solidariedade a prefeito de São Luís, Carlos Madeira, divulgou em suas redes sociais um vídeo em que faz um périplo por sua comunidade, o Bairro de Fátima, mostrando identidade com os moradores.

Conhecido na infância por “Pedrinho” ou “Dedé”, Madeira ouviu histórias de senhoras e senhores que conviveram com ele na infância e na juventude, antes de se tornar juiz.

Bem descontraído nas conversas, o juiz federal entrou nas casas, tomou café, saboreou o sorvete de pregoeiro e se emocionou com as histórias dos seus comunitários.;

Nascido em família humilde e vitorioso pelo estudo, o candidato do Solidariedade tem identidade com as comunidades mais carentes por que veio dela.

O vídeo está disponível nas redes sociais do pré-candidato…

0

Eduardo Braide avança ainda mais na Assembleia de Deus…

Conduzido pelo pastor Fábio Leite, candidato do Podemos a prefeito de São Luís tem conseguido alcançar praticamente todas as igrejas e lideranças da maior denominação evangélica de São Luís

 

Eduardo Braide mostra-se cada vez mais à vontade para falar nos púlpitos da Igreja Assembleia de Deus em toda São Luís

Faltando menos de sete meses para as eleições de outubro, parece consolidada e irreversível a aliança do candidato do Podemos, Eduardo Braide, com a Assembleia de Deus em São Luís.

Cada vez mais à vontade no segmento religioso, Braide conta com a força e o prestígio do pastor Fábio Leite, que tem aberto as portas para ele no maior número de igrejas da denominação religiosa, a maior de São Luís.

O pastor Fábio Leite é o principal responsável por inserir o candidato do Podemos no contexto da juventude e das lideranças da AD

Seguindo o exemplo do deputado federal, diversos outros candidatos já fizeram o mesmo caminho, buscando relação com as lideranças evangélicas, não apenas da Assembleia de Deus, mas de utras denominações. (Releia aqui e aqui)

Ocorre que a relação de Braide é com a base e não apenas com os líderes da AD, sobretudo diante da articulação de Fábio Leite, ele próprio candidato a vereador pelo Podemos.

As lideranças da Assembleia de Deus mostram forte entusiasmo na recepção e na relação com Eduardo Braide

A Assembleia de Deus foi uma das responsáveis pela recuperação do prefeito Edivaldo Júnior (PDT) no segundo turno das eleições de 2016, contra o próprio Braide.

Desta vez, no entanto, parece que a aliança mudou de lado…