0

Imperatriz: Prefeitura discute entretenimento no município

Reunião com representantes do setor discutiu o alinhamento para cumprimento das determinações sanitárias evitando a estagnação econômica causada pelo fechamento das atividades

 

Para evitar a estagnação da economia local, preservando o emprego e a renda dos trabalhadores, a Prefeitura de Imperatriz, reuniu-se com representantes de estabelecimentos comerciais de entretenimentos da cidade, visando um alinhamento no cumprimento do decreto municipal, 94/2020, e demais medidas sanitárias de enfrentamento à pandemia do Novo Coronavírus.

De acordo com secretário de Governo e Projetos Estratégicos, Eduardo Soares Sousa, além de medidas sanitárias e epidemiológicas, o Decreto inclui uma série de ações de natureza econômica, com o objetivo de enfrentar os reflexos nas empresas e na vida dos contribuintes, mas em caso de descumprimento das normas haverá penalidade.

“A prioridade da Prefeitura é que todas as atividades econômicas do município funcionem. O decreto é justamente pra isso. Porém, é preciso obedecer as normas e protocolos pra se evitar o contágio da Covid-19. Com prudência e obediência tudo pode funcionar, entretanto, quem desobedecer sofrerá sanções e, se o nível de desobediência continuar subindo, teremos que dá um passo atrás e fechar ao invés de só flexibilizar”, disse Eduardo Soares.

A reunião aconteceu no Complexo Administrativo Doutor Carlos Gomes de Amorim, Rua Rafael de Almeida Ribeiro, 600, São Salvador. O encontro foi coordenado pela secretarias municipais de Governo e Projetos Estratégicos, Segov; Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Semmarh; Planejamento Urbano, Seplu; Superintendência da Defesa Civil.

0

Imperatriz: prefeitura fiscaliza comércio no fim de semana…

Secretarias municipais continuam com a fiscalização em diversos locais de Imperatriz, para garantir as normas de funcionamento e cuidados de combate ao novo coronavírus. Na última sexta-feira, 18, e sábado, 19, equipes das secretarias de Governo, Saúde e Guarda Municipal percorreram o centro comercial da cidade, shoppings e supermercados.

De acordo com o secretário de Governo, Eduardo Soares, as ações de fiscalização ainda continuam, mesmo que os dados mostrem diminuição de casos na cidade.

“Todo trabalho preventivo continua. Os números estão diminuindo, mas é resultado da prevenção e tratamento antecipado dos sintomas iniciais”, afirma.

O secretário chama a atenção para o fato de que ainda existem pessoas contraindo o vírus. Mesmo com a abertura do comércio, as empresas devem seguir as normas do último decreto, e o município vai continuar com os serviços de fiscalização.

Para o combate do novo coronavírus na cidade, a Prefeitura de Imperatriz, mantém, atualmente, quatro ambulatórios para a prevenção da doença. O atendimento pode ser encontrado na Unidade Básica de Saúde, UBS, da Vila Cafeteira e Milton Lopes, na zona urbana; e Coquelândia e Vila Conceição, na zona rural que, além dos casos de Covid – 19, também contam com atendimento normal para a população.

1

Simplício Araújo e os protocolos sanitários para reabertura do comércio

Secretário de Indústria, Comércio e Energia construção de medidas conjuntas com as entidades de classe de todos o setores contribuiu para reabertura gradual do comércio com controle do contágio

 

Simplício Araújo coordenou reuniões com diversos setores da iniciativa privada para montar os protocolos que permitirão reabertura do comércio

Os debates para a construção de protocolos sanitários visando a reabertura gradual do comércio, iniciada no dia 1º de junho no Maranhão, entre a Secretaria de Indústria, Comércio e Energia (Seinc), liderada pelo secretário Simplício Araújo e segmentos empresariais e entidades de classe estão contribuindo para o controle do contágio do novo coronavírus no Maranhão.

O cumprimento dessas articulações e a sinergia entre a Seinc e as atividades econômicas foram determinantes para colocar o Maranhão entre os três estados com a maior diminuição da contaminação.

A taxa de contágio do Maranhão está em 0.93, segundo dados do projeto Covid-19 Analytics, feito em parceria pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e a Fundação Getúlio Vargas (FGV). O Estado só fica atrás do Pará, com 0.89 e Roraima, com 0.90. Quando o número está abaixo de 1, significa que a média de pessoas contaminadas está abaixo de uma, indicando uma redução no ritmo da epidemia.

Para o secretário Simplício Araújo, para consolidar esse controle e, posteriormente, zerar os contágios, os segmentos e a população devem cooperar. “O combate é de todos nós. A Seinc continua ouvindo os segmentos empresariais e as entidades representativas de classe, mantendo e aberta a novos diálogos, visando uma retomada segura para todos os maranhenses”, frisou.

Um outro estudo feito por um grupo da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) registra que, pela terceira semana consecutiva, os casos e óbitos por coronavírus estão diminuindo em São Luís.

As visitas aos locais, garantidas por medidas de proteção, também influenciaram na decisão de reabertura das atividades

Formulação de protocolos

Além da Seinc, a Secretaria de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop) – ouvindo os segmentos sem fins lucrativos, também participa da formulação das medidas sanitárias. Por outro lado, a Casa Civil é responsável por receber, formatar e publicar os protocolos por meio de portarias, ouvindo a Seinc, Sedihpop e o Comitê Cientifico de Prevenção e Combate ao Coronavírus no Maranhão.

A Seinc elaborou uma cartilha para orientar empresários sobre as normas sanitárias gerais que devem ser cumpridas por todos os segmentos empresariais autorizados a funcionar. Acesse a cartilha: www.seinc.ma.gov.br.

No mesmo site encontra-se modelos de cartazes que devem ser afixados nos estabelecimentos, visando informar sobre o cumprimento dos protocolos sanitários.

0

Mais um início de semana com reaberturas…

Shoppings centers voltam a funcionar nesta segunda-feira, com restrições de lotação; Câmara Municipal também reabre forma gradual a atividades; e a Sedel inicia discussão para retomada do calendário esportivo no estado

 

O comércio da Rua Grande e outros centros começar já está praticamente todo de volta; e tende a reabrir gradualmente nos próximos dias

 

Esta segunda-feira, 15 marca mais uma etapa da reabertura gradual das atividades econômicas no Maranhão.

A partir de hoje, os shoppings centres voltam a funcionar, com restrição de horário e de lotação; e com regras rígidas de proteção e higienização – à exceção das praças de alimentação e cinemas, que continuarão fechados.

O governo Flavio Dino (PCdoB) já havia autorizado a reabertura de igrejas católicas e evangélicas, que voltaram a funcionar neste fim de semana – também com regras de lotação e higienização.

A partir de hoje, a Câmara Municipal também começa a funcionar com atividades presenciais, de forma gradual, até retomar todas as suas ações.

E a Secretaria de Esportes e Lazer (Sedel) já definiu agenda com federações e associações esportivas para retomada de treinos, campeonatos e eventos esportivos.

O Maranhão tem hoje quase 60 mil casos de coVID-19 e quase 1,5 mil óbitos.

0

Ivaldo Rodrigues quer abertura de comércio agrícola

Vereador argumenta que o setor é fundamental para fazer girar a roda da economia no campo e na zona rual – setores essenciais para o enfrentamento da pandemia – e encaminha solicitação ao Governo do Estado

 

Ivaldo Rodrigues apresentou a Indicação em sessão remota da Câmara Municipal, que aprovou a proposta por unanimidade

O vereador Ivaldo Rodrigues (PDT) defendeu em sessão remota da Câmara Municipal, nesta quarta-feira, 10, a reabertura do comércio de produtos e insumos agropecuários.

Para Ivaldo, este setor é fundamental para fazer funcionar o setor agrícola, a zona rural e o campo, que produzem alimentos essenciais para enfrentamento da Pandemia.

– A produção agrícola e a comercialização de todo o setor que movimenta o abastecimento alimentar são prioridades nesse momento crítico de pandemia que estamos vivendo. Não temos como deixar de alimentar as pessoas nos hospitais, as pessoas que estão em casa, e as pessoas que estão trabalhando. Para isso é necessário que o comercio especializado esteja autorizado a funcionar, obedecendo às normas de segurança necessárias –  destaca Ivaldo Rodrigues.

Ivaldo Rodrigues tem relação próxima com a Zona Rural de São Luís, com ações e políticas de incentivo e apoio em sua trajetória

Ivaldo apresentou à Câmara Indicação ao Governo do Estado com, a solicitação para reabertura deste setor da economia.

Pela proposta do vereador, seriam abertas lojas de venda de peças, equipamentos, e máquinas agrícolas.

Aprovada na Câmara, a Indicação, que pede caráter de urgência no decreto, com disciplinamento e autorização de funcionamento, será analisada pelo Comitê de Combate à Pandemia da Covid-19.

1

Em meio à normalização da rotina, Flávio Dino convoca coletiva

Comércio praticamente voltou a funcionar em todos os setores, população voltou às praias e às áreas de lazer e o números da coVID-19 voltaram a aumentar no Maranhão, mas há quem pressione por mais abertura

 

A vida praticamente voltou ao normal na avenida Litorânea, com pessoas fazendo cooper e passeando; apenas os bares não funcionam; só alguns, melhor dizendo

O governador Flávio Dino convocou para as 10 horas desta segunda-feira, 8, coletiva de imprensa para apresentar novas medidas relacionadas à pandemia de coronavírus.

Na semana passada, Dino afrouxou as regras de isolamento liberando diversos setores do comércio para funcionamento, o que gerou fortes aglomerações em São Luís – com forte aumento de casos e de de mortes no interior.

No final de semana, clubes de reggae, barzinhos e alguns restaurantes na periferia abriram normalmente as portas, alguns, inclusive, com festas de pagode.

Sem falar nos supermercados, cada vez mais relaxados quanto às regras de funcionamento. 

Mesmo assim, há quem espere do governador medidas ainda mais liberais em relação ao funcionamento do comércio, com abertura de novos setores.

Representantes do setor de bares e restaurantes, shoppings center’s, academias também forçam a barra para voltar a funcionar.

Neste domingo,7, o Maranhão teve novo recorde de mortes,  com 38 óbitos registrados em 24 horas.

E o Maranhão se aproxima dos 50 mil casos de coVID-19…

3

Justiça volta a fechar tudo no interior maranhense…

Alguns municípios, como Codó, tiveram forte aumento nos casos de coronavírus desde a abertura das atividades comerciais, o que levou a novo fechamento das atividades; em outras cidades, a Justiça e o Ministério Público estão cobrando explicações das prefeituras

 

Diante do número do aumento dos casos de coVID-19, as autoridades de Codó decidiram acordar pela volta do fechamento radical do comércio (imagem: blog o Acélio Trindade)

O Município de Codó determinou nesta quinta-feira, 4, pela terceira vez, o fechamento total das atividades na cidade por causa do aumento dos casos de coronavírus.

Um acordo do Ministério Público com a prefeitura foi homologado pelo juiz Marco André Teixeira Tavares, determinando a volta da validade do decreto anterior, mais radical, que fecha tudo, desta quarta até a terça-feira, 9.

Já a partir da quarta-feira, 10, ficarão proibidos os serviços não-essenciais e qualquer forma de comercialização de  bebidas. (Entenda aqui)

Codó tem hoje 1.254 casos confirmados de CoVID-19, com 38 mortes, registrando aumento significativo desde a reabertura do comércio.

Além de Codó, a Justiça de vários municípios está determinando o fechamento ou cobrando informações das prefeituras por causa do aumento de casos de coVID-19 após abertura geral das atividades.

Em São Luís, as autoridades vão aguardar as análises da semana que vem para decidir se mantém ou revogam a reabertura.

Mas esta é uma outra história…

3

Dino ainda inseguro quanto abertura de igrejas, shoppings e academias

Governador diz que ainda estuda uma forma de garantir a reabertura dos cultos, mas ressalta que não há como liberar o funcionamento de ambientes fechados, o que já ocorre em Imperatriz, Santa Inês, Balsas, Barra do Corda e Bacabal

 

Principal centro de compras fechado de São Luís, o Shopping da Ilha mantém a maior parte dos seus serviços indisponíveis na quarentena

O governador Flávio Dino (PCdoB) não pretende liberar, agora, o funcionamento de shoppings centers, academias de ginástica e restaurantes.

Com relação às igrejas evangélicas e católicas, por outro lado, ele pretende aprofundar estudos, mas conta com o bom senso de padres e pastores evangélicos, com os quais reuniu-se na última quinta-feira, 28. (Relembre aqui)

Apesar de ter liberado para funcionamento clínicas, salões de beleza e barbearias, lojas de móveis e decoração, de informática, livrarias, papelarias e revistarias, nenhum desses serviços podem funcionar em shoppings. 

– Nós consideramos que o risco sanitário é maior. Ambientes fechados, intensidade de pessoas, dificuldades de manutenção de medidas preventivas. (…) A diretriz do Governo do Estado é de que, em relação a estas duas atividades [academias e shoppings] ainda não é o momento de fazer a reabertura – completou.

Interior já reaberto

Nos maiores municípios maranhenses, as academias de ginásticas, os shoppings centers e as igrejas já voltaram a funcionar

Mas a a maior parte das prefeituras já reabriram praticamente todo o setor de comércio e serviços em seus municípios.

Em grandes cidades, como Imperatriz, Balsas, Santa Inês, Barra do Corda e Bacabal as atividades já voltaram plenamente, incluindo igrejas, shoppings centers e academias de ginástica.

O próprio Dino disse em sua coletiva desta sexta-feria, 29, que os prefeitos têm liberdade para decidir, de acordo com a realidade de suas cidades.

– Os municípios têm os seus prefeitos, então nós não vamos nos intrometer no exercício das competências municipais – esquivou-se o governador.

E o Maranhão beira as mil mortes por coVID-19…

6

“Libera-geral” de Flávio Dino simboliza fim da quarentena no MA

Ao lavar as mãos para o controle do distanciamento social decretado por ele mesmo, Governo do Estado estimula população a sair às ruas e gerar aglomerações em vários pontos, diante do novo recorde de casos de coVID-19 e da falta de fiscalização, também desprezada pelas autoridades

 

A festa popular na Rua Grande simbolizou o fim do isolamento social na Grande São Luís, mas as aglomerações se espalham desde sábado também pelo interior

Editorial

O primeiro dia do “libera-geral” das atividades comerciais, decretado pelo governador Flávio Dino (PCdoB), simbolizou nesta segunda-feira, 25, também o fim da quarentena da pandemia de coronavírus no Maranhão.

Sem controle das próprias autoridades, sem a necessária fiscalização – da qual Dino e os prefeitos lavaram as mãos – a população foi em massa aos principais centros comerciais de São Luís.

Numa demonstração clara de que parece ter cansado na luta contra a pandemia, Flávio Dino não deu entrevistas, não divulgou notas e se limitou a publicar em suas redes sociais um pedido para que a própria população fiscalizasse o cumprimento do seu decreto.

E no dia em que o Maranhão batia mais um recorde de mortes pela coVID-19 – com 1,5 mil novos casos e 33 mortes em 24 horas – as lojas, liberadas ou não, abriram as portas; e gente com ou sem máscaras foi às ruas, decretando o fim simbólico do isolamento social.

Mas o fim da quarentena já havia sido decretado no fim de semana, com praias e parques cheios e até bares e grupos fazendo festas, em São Luís e no interior. 

Flávio Dino se limitou a pedir que a população denuncie seus vizinhos, colegas e concorrentes, lavando as mãos em relação às próprias responsabilidades na pandemia

O pior é que as autoridades não demonstram mais o mesmo interesse na luta pelo controle de suas medidas contra a coVID-19.

Nas redes sociais, o discurso de secretários, auxiliares e aliados políticos do governo comunista era o mesmo: “o governo não pode tutelar o povo; o cidadão precisa ter consciência”.

Sem fiscalização, sem controle e sem coerção policial, o movimento nas ruas só tende a aumentar, à medida que mais pessoas forem percebendo o desinteresse do governo.

E assim, o Maranhão precisará de milagre para não entrar em colapso no atendimento à coVID-19…

1

Volta do comércio é teste, admite Flávio Dino…

Governador revelou em entrevista coletiva que o retorno de algumas atividades comerciais a partir da próxima segunda-feira, 25, faz parte de uma tentativa de dar seguimento à vida normal, mas não detalhou os riscos deste experimento

 

Flávio Dino não tem garantias – ou pelo menos não as apresentou – de que a abertura do comércio será sem riscos para a contaminação de coVID-19

Trata-se de um experimento a tentativa do governador Flávio Dino (PCdoB) de voltar à normalidade a partir da próxima segunda-feira, 25, com a reabertura de algumas atividades comerciais.

O teste foi admitido pelo próprio governador em sua entrevista coletiva da tarde desta quinta-feira, 21.

Dino autorizou a abertura de pequenas empresas, de porte familiar, em que trabalham apenas o dono e seus parentes.

 “Se a experiência não funcionar”, o governador recuará, admitiu ele durante a entrevista.

Mas Flávio Dino, em momento algum, apresentou qualquer estudo que estimasse número de vidas que poderiam se perder em caso de um recrudescimento no número de casos da coVID-19 durante o período de abertura comercial.

Em outras palavras, o “experimento” comunista pode ser a a primeira fase da volta ao normal no Maranhão.

Mas pode levar a novas mortes no estado…