0

Hildo Rocha retrata a realidade do saneamento brasileiro…

Por meio de números, em exposição inaugurada nesta terça-feira na Câmara Federal, deputado maranhense expõe o problema em âmbito nacional

 

HILDO ROCHA POSA EM FRENTE AO PAINEL DO MARANHÃO, na exposição de sua autoria, que fala do saneamento básico no Brasil

Foi inaugurada nesta terça-feira a exposição “Cenário do Saneamento Básico no Brasil – Desafios e Oportunidades”, organizada pelo deputado federal Hildo Rocha, em parceria com o Instituto Trata Brasil. Instalada no corredor da Câmara dos Deputados, a exposição é composta por painéis gigantes que mostram dados referentes a: tratamento e distribuição de água; esgoto sanitário e tratamento de lixo domiciliar.

O parlamentar disse que a escolha do local se deve ao perfil do público-alvo. “Por aqui passam todos os parlamentares federais; senadores; assessores; técnicos; jornalistas e o público em geral. O nosso objetivo é sensibilizar essas pessoas para a situação crítica em que o Brasil se encontra no setor de saneamento ambiental”, destacou.

O Brasil em números

Hildo Rocha ressaltou que os números e demais dados que retratam a realidade de todas as unidades da federação estão organizados de maneira didática, com ilustrações que facilitam a leitura e o entendimento das informações contidas em cada painel.

“A exposição é um retrato do Brasil em números do atual sistema de saneamento que temos em nosso país”, explicou.

Universalização dos serviços

Dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), 2017, indicam que o Brasil possui cerca de 35 milhões de pessoas sem acesso ao abastecimento de água tratada, o que significa toda a população do Canadá. Cerca de 100 milhões de brasileiros não têm acesso à coleta dos esgotos, o que representa duas vezes a população da Espanha. E em relação ao volume de esgoto tratado, o país trata somente 46%.

“Essa realidade é preocupante. Se não houver investimentos maciços, no setor do saneamento ambiental, dificilmente as metas de universalização serão atingidas em 2033, ano em que 100% da população brasileira deverá ter acesso a água potável, esgoto sanitário e lixo tratado adequadamente. Por meio dessa exposição, pretendemos fazer um alerta e sensibilizar, especialmente, as pessoas que de alguma forma tem envolvimento com essas questões”, declarou Hildo Rocha.

Evento prestigiado

DEPUTADO DISCURSA PARA PLATÉIA DE DEPUTADOS, ESPECIALISTAS, SERVIDORES E ATIVISTAS AMBIENTAIS, durante inauguração de sua exposição

O evento foi prestigiado por dezenas de congressistas entre os quais o Presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia. Antes de visitar a exposição, Rodrigo Maia recebeu em audiência o deputado Hildo Rocha e representantes de empresas públicas e da iniciativa privada que atuam no setor de saneamento.

0

Fábio Braga alerta para questão da água potável em Nina Rodrigues e Vargem Grande…

Fábio Braga mostrou preocupação

O deputado Fábio Braga (Solidariedade) abordou em discurso na tribuna da Assembleia Legislativa o problema do saneamento básico em municípios maranhenses.

Ele citou diretamente os municípios de Nina Rodrigues e Vargem Grande, que sofrem com a falta de água potável.

– Faço um apelo ao governador Flávio Dino (PCdoB) para que essa questão da água potável em Vargem Grande e Nina Rodrigues seja solucionada em curto espaço de tempo e de maneira satisfatória. Tenho confiança de que o governador fará, sim, em nossa região e em várias cidades do Maranhão, com que o saneamento e a água potável cheguem aos lares maranhenses, melhorando as estatísticas do estado – ponderou.

O deputado apresentou levantamento da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental, com dados que mostram que, em 2015, 34% dos lares brasileiros estavam fora de rede de esgoto, o que significa mais de 70 milhões sem acesso ao esgotamento sanitário com a qualidade mínima recomendada pela Organização Mundial de Saúde.

– Além disso, há outra realidade preocupante: enquanto 88% dos domicílios no sudeste do Brasil têm esgoto ligados a rede, o Norte tem apenas 22%, o Nordeste 42%, o Sul 65%, e o Centro-Oeste, 53% – lamentou.

O parlamentar mostrou que o problema é mais grave pela falta de prioridades do poder público.

– Hoje há mais escolas públicas com internet (41%) do que com saneamento básico (36%). Não criticando, claro, a relevância do acesso à internet, mas, apenas mostrando que apesar da sua incontestável importância social, o saneamento básico é um dos segmentos mais atrasados da infraestrutura brasileira. O país precisa urgentemente torna-lo uma prioridade de Estado e não de governo – cobrou.

0

Maranhense é aprovado para vice-presidência regional da Assemae…

Ronald Damasceno, secretário-geral da Federação Maranhense dos Consórcios Intermunicipais vai atuar regionalmente no setor de saneamento ambiental

 

Damasceno, ao receber a aprovação para a Assemae…

O secretário-geral da Federação Maranhense de Consórcios Intermunicipais (Femaci), Ronald Damasceno, teve a indicação aprovada pelo Conselho Deliberativo Nacional da Assemae para a vice-presidência da Regional Nordeste do Saneamento Ambiental da entidade nacional, em reunião realizada em Brasília.

O maranhense com os colegas de todo o Brasil

– Esse é um momento muito importante para o fortalecimento dos consórcios públicos na região Nordeste e no Maranhão, onde o trabalho e a vontade política dos gestores têm atuado em favor da consolidação de ações visando melhorias de políticas públicas – ressaltou Ronald Damasceno.

1

Tecnologias a serviço da economia e do meio ambiente: exemplos que o Maranhão pode adotar…

Hildo Rocha e Integrantes da comitiva durante visita à usina que transforma parte do esgoto sanitário em energia elétrica

O deputado federal Hildo Rocha (PMDB), que é membro da Comissão de Desenvolvimento Urbano da Câmara Federal, participou de viagem de intercâmbio à China para conhecer tecnologias de comprovada eficácia na utilização de recursos naturais sem prejuízos para o meio ambiente.

Rocha visitou as cidades de Pequim, Shenzhen, Hong Kong, Macau e Shanghai.

“A China hoje tem muito a nos ensinar no que se refere ao saneamento básico. Eles têm investido bastante em pesquisas e utilização de novas tecnologias para os serviços de saneamento ambiental. Em Hong Kong, conhecemos o sistema de tratamento de esgoto, que é bastante avançado. Após passar por várias etapas, os dejetos são transformados em energia e o liquido é tratado e devolvido ao mar praticamente puro, sem poluir o meio ambiente”, destacou Rocha.

De acordo com o parlamentar, a localização, as características territoriais e a densidade populacional da China foram fatores que contribuíram para apressar o desenvolvimento das tecnologias.

“Por não terem água suficiente e cientes de que a quantidade água potável disponível no planeta está a cada dia mais escassa, os chineses se esforçaram para encontrar alternativas viáveis. Os avanços são notáveis”, destacou Rocha.

Aproveitamento da água do mar

De acordo com Hildo Rocha, algumas das experiências que deram certo na China podem ser facilmente implantadas no Brasil, como é o caso da utilização da água do mar nas residências.

“Hong Kong, por exemplo, utiliza água do mar nas residências. Por meio de um sistema simples de filtragem eliminam-se as bactérias. Não há necessidade de se retirar o sal, pois a água é aproveitada apenas para uso nas descargas de aparelhos sanitários. Dessa forma a população da cidade, que é de mais de sete milhões de habitantes, economiza aproximadamente 30% de água potável. É, sem dúvida, uma economia gigantesca e um benefício incalculável para o planeta”, ressaltou.

Uma das usinas de tratamento de esgotos visitadas na China

São Luís

Para o deputado Hildo Rocha o uso da agua do mar, sem retirar o sal, é viável em São Luís.  O parlamentar argumentou que isso contribuirá para acabar com o racionamento.

“A maior parte da agua consumida em São Luís vem do Rio Itapecuru. A captação é feita a sessenta quilômetros de distância. Isso contribui para elevar os custos do tratamento do produto. Não faz sentido que depois de passar por todas as etapas boa parte dessa água seja utiliza em descarga de sanitários. Por isso, defendo que a tecnologia desenvolvida em Hong Kong seja aproveitada em São Luís para acabar com o racionamento e diminuir os custos do fornecimento da água consumida em São Luis. Seria uma forma mais racional de aproveitarmos os recursos naturais”, argumentou Hildo Rocha.

Rocha citou ainda o processo de dessalinização que é utilizado na China, e em outros. Entretanto, o deputado ponderou que os sistemas de dessalinização ainda são demasiadamente caros.

0

Rafael Leitoa representa presidência da Assembleia em inauguração da ETE Vinhais…

Obra iniciada no governo Roseana – que deixou assegurados projetos e recursos para sua conclusão – foi entregue segunda-feira pelo governador Flávio Dino

 

 

Rafael Leitoa acompanha discurso de Flávio Dino na obra entregue ontem

Rafael Leitoa acompanha discurso de Flávio Dino na obra entregue ontem

Na manhã de segunda-feira (08), o deputado Rafael Leitoa (PDT), participou da entrega da Estação de Tratamento de Esgoto – ETE Vinhais.

A Estação será responsável por tratar 40% do esgoto de São Luís, atendendo 50 bairros e aproximadamente 350 mil moradores.

Uma obra importante para a cidade de São Luís, mas principalmente para o Estado do Maranhão e CAEMA.

Iniciada no governo Roseana Sarney, a estação é capaz de tratar, inicialmente, na primeira etapa, setecentos litros de esgoto por segundo, dando mais qualidade de vida à população de São Luís, tendo em vista que atenderá de imediato milhares de ludovicenses.

O governo anterior deixou assegurados recursos e projetos para a conclusão da obra.

“O governador Flávio Dino cumpre mais um quesito no governo dele, que é concluir com êxito os investimentos que vieram para o Maranhão. E não perder o foco, porque com certeza, investindo em saneamento, a gente investe em qualidade de vida, aumenta o nosso IDH do Estado e a gente vai com certeza elevar a qualidade de vida do nosso povo”, comemorou Rafael Leitoa.

0

Verde defende investimentos em saneamento básico…

Verde participa da mesa dos trabalhos na Assembleia

Verde participa da mesa dos trabalhos na Assembleia

O deputado estadual Júnior Verde (PRB) destacou a importância dos investimentos em saneamento básico, durante encontro promovido pela Federação Maranhense de Consórcios Intermunicipais (Femaci), na Assembleia Legislativa, na última terça, 31, quando foi discutida a conjuntura do saneamento no país e, principalmente, no Maranhão.

– O saneamento tem que estar na pauta de prioridade de todos os gestores. Investir em saneamento é investir em saúde pública. A cada 1 real, se economiza de 7 a 10 reais em gastos com a saúde pública, considerando que muitas doenças são ocasionadas pela falta desta politica social e, ainda mais, se considerarmos que  investir em saneamento é investir em infraestrutura permanente na qualidade das nossas vias urbanas –  ressaltou Júnior Verde.

O painel ‘Saneamento Ambiental no Brasil e sua realidade no Maranhão’ contribuiu para discutir a política de investimentos em saneamento ambiental. Entre as 100 maiores cidades brasileiras, São Luís ocupa a 83ª posição em termos de saneamento básico, de acordo com o novo “Ranking do Saneamento nas 100 Maiores Cidades”, publicado pelo Instituto Trata Brasil em parceria com a GO Associados.

A capital maranhense oferece serviços de água tratada a 80,62% dos habitantes, mas apenas 45,5% deles têm acesso à coleta de esgoto. Somente 8,07% do esgoto gerado é tratado. O estudo considera os números oficiais do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento Básico (SNIS) – do Ministério das Cidades – ano base 2014.

 – Saneamento nunca foi um problema, mas uma solução para conter muitas doenças causadas pela falta dele. Essa é uma pauta permanente que teremos aqui na Assembleia – garantiu o parlamentar .

0

Wellington cobra água para o Caratatiua…

Parlamentar ouviu relatos de moradores da área e constatou que, embora não forneça uma gota d’água, a Caema continua cobrando as contas mensais

O deputado estadual Wellington do Curso (PPS) cobrou o fornecimento de água ao bairro Caratatiua e a disponibilização de um “caminhão-pipa” pela CAEMA para a localidade.

welingtonOs moradores da Rua Gonçalves Dias estão há seis meses sem água, enquanto que os da Travessa das Palmeiras já ultrapassam um ano, segundo relatos dos próprios populares. Apesar de a água não chegar até a casa dos moradores, o que chega todo mês é a conta de água com valores exorbitantes quando a realidade é o consumo inexistente. Vale mencionar que, como conseguinte negativo do não fornecimento de água, os moradores, em sua maioria classe baixa, ainda têm que pagar por ‘baldes de água’, já que não podem ficar sem. Por isso, solicitamos que a CAEMA adote providências, a fim de solucionar a problemática que assola a população há meses: a falta d’água”, completou o deputado Wellington.

Segundo o moradores, mesmo sem fornecimento de água, a Caema cobra mensalmente as contas.

O parlamentar pretende aprofundar o tema em contato com a própria companhia…

0

Bacabeira terá Plano Municipal de Saneamento Básico…

Prefeito Alan Linhares assinou decreto que cria os Comitês que serão responsáveis pelo processo de elaboração e operacionalização do Plano

 

Alan Linhares fala com os membros do Comitê gestor sobre os projetos de Bacabeira...

Alan Linhares fala com os membros do Comitê gestor sobre os projetos de Bacabeira…

A Prefeitura de Bacabeira terá seu Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB) ainda em 2015.

A notícia foi dada pelo prefeito Alan Linhares durante a assinatura do decreto que cria o Comitê de Coordenação e Comitê Executivo, que serão responsáveis pelo processo de elaboração e operacionalização do Plano, respectivamente.

De acordo com o decreto nº 014/2015, o Comitê de Coordenação tem até 30 dias para aprovar seu plano de trabalho. Após ser elaborado e aprovado deverá ser encaminhado na forma de Projeto de Lei à Câmara Municipal de Bacabeira.

Na última quinta-feira, 16, foi realizada, na sede da Secretaria Municipal de Portos, Indústria, Comércio e Meio Ambiente, a primeira reunião dos Comitês. O prefeito Alan Linhares participou do encontro e falou da importância do Plano para o município.

– Esse Plano vai contemplar um diagnóstico da situação atual e irá nos direcionar na implantação da nossa política de saneamento. E mais, vai propiciar ao nosso município acessar recursos federais para ampliar as nossas redes de saneamento – ressaltou o gestor.

O Comitê de Coordenação é composto por representantes do Poder Executivo, Poder Legislativo e Sociedade Civil, e o Comitê Executivo por uma equipe de técnicos especializados.

Planos Municipais de Saneamento Básico

A Lei nº 11.445 de 2007, conhecida como a Lei de Saneamento Básico, tornou obrigatória a elaboração da Política e do Plano de Saneamento Básico pelos titulares dos serviços.

E o decreto nº 7.217/2010 determinou que, a partir de 2014, o acesso a recursos da União, quando destinados a serviços de saneamento básico, estará condicionado à existência do Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB).

O PMSB é um instrumento de planejamento que estabelece diretrizes para a prestação dos serviços públicos de saneamento, e deve atender os princípios básicos, entre eles a universalização.