0

Wellington defende motoristas de vans e transporte alternativo…

Na manhã desta segunda-feira (11), o deputado estadual Wellington do Curso foi ao encontro de motoristas de vans que realizaram uma paralisação no km 42 da BR-135, no povoado Bacabeira, a 58 km de São Luís. De acordo com os motoristas, o protesto foi motivado após a apreensão de 62 vans na semana passada.

Na ocasião, o deputado Wellington entrou em contato com o presidente da Agência de Mobilidade Urbana, Lawrence Melo, e marcou uma reunião em caráter de urgência, que aconteceu ainda agora pela manhã e fez com que os motoristas desfizessem a manifestação e acompanhasse o parlamentar até à MOB.

“Fomos até o local em que os motoristas de vans estavam mobilizados, atendendo à solicitação feita por eles. Lá, tendo por objetivo conciliar os interesses tanto dos motoristas quanto do estado do Maranhão, entrei em contato imediatamente com o presidente da MOB, que logo nos recebeu. Assim, foi suspensa a manifestação. Terminamos a reunião ainda agora, no início da tarde e, após mais de 3 horas de discussão, conseguimos encontrar medidas que atendem a ambos, entre elas um novo prazo para a regularização do transporte. Nosso mandato é assim: no meio do povo e de resultados”, disse Wellington.

Como encaminhamentos da reunião entre o deputado Wellington do Curso, a MOB e os motoristas alinhou-se que será concedido o prazo de 45 dias, após a publicação da Portaria da MOB, para que os motoristas apresentem toda a documentação e, assim, regularizem a situação do veículo.

Além disso, em relação às multas, o presidente da Agência Estadual comprometeu-sem em avaliar os casos de forma individualizada.

2

Wellington solicita informações ao DENASUS sobre auditorias na Saúde no MA…

O deputado Wellington do Curso solicitou ao chefe de sessão de auditoria, Chang Yi Ran e a supervisora técnica, Âmparo Silva, no Departamento Nacional de Auditoria do SUS-DENASUS, informações sobre as auditorias realizadas nos últimos quatro anos, na área de saúde em todo o Estado pelo Ministério da Saúde, na tarde desta quinta (07).

“A saúde no Maranhão está um caos, que por falta de atendimento nos Hospitais Macrorregionais e a retirada de algumas especialidades nas UPA´s, como o caso de Araçagy, e o fechamento da Maternidade Maria do Âmparo, em São Luís o Hospital em Matões do Norte. Com base em várias denúncias que tenho recebido, solicitei ao DENASUS informações dos relatórios das auditorias realizadas e dos recursos repassados pela União ao governo do Estado e Municípios nos últimos quatro anos”, declara o deputado Wellington do Curso.

0

Júnior Verde e Wellington debatem situação de duas categorias profissionais..

Parlamentar debate convalidação dos “sub judice” da Polícia Militar e a segurança no transporte coletivo maranhense

 

Sob a presidência do deputado Júnior Verde (PRB), as Comissões de Administração e de Segurança da Assembleia Legislativa realizaram audiência pública, terça-feira (26), para discutir a problemática da segurança no Transporte Coletivo Remunerado de Passageiros Semiurbano e Intermunicipal e a convalidação dos militares e bombeiros sub judicenomeados pelo Governo do Estado. 

O deputado Wellington do Curso (PSDB) participou do debate, que contou ainda com representantes de sindicatos e cooperativas da categoria.

Em relação aos militares sub judice do concurso da Polícia Militar de 2012 e 2017, nomeados em 2014, 2015, 2016 e 2017 (já em atividade, mas que ainda correm risco de perder os cargos em razão do processo na justiça ainda não ter transitado e julgado, ou seja, ainda caber recurso), ficou decidido que um documento será encaminhado ao governador do Estado, por intermédio do deputado Júnior Verde, relatando todas as situações.

O advogado dos militares sub judice, Edilson Máximo Araújo da Silva, disse que a situação desses militares só terá segurança jurídica quando a administração pública estadual convalidar os atos administrativos de nomeação de todos eles.

“A questão não é a de que o Estado recorreu, mas da remessa necessária para a instância de segundo grau, o que pode implicar em nova apreciação da justiça e uma decisão desfavorável”, esclareceu.

O deputado Júnior Verde esclareceu que, em maio, apresentou a Indicação 366, com encaminhamento de ofício ao governador do Estado, ao secretário de Estado de Segurança Pública, Jefferson Portela, e ao comandante da Polícia Militar, coronel Jorge Luongo, solicitando a apreciação da Lei 9.784/99, que trata e permite a convalidação jurídica de todos os policiais militares e bombeiros nos anos de 2015/2016/2017, em torno de 2 mil nomeados do concurso da PMMA e CBMMA, de 2012.

Falta de segurança no transporte coletivo urbano e semiurbano

O presidente do Sindicato dos Usuários de Transporte Coletivo Urbano, Semiurbano, Rodoviário e Aéreo do Maranhão, Paulo Henrique Silva, destacou o empenho da Polícia Militar, mas lembrou que ainda falta segurança nos meios de transporte, principalmente na zona rural de São Luís.

“O número de assaltos cresceu, não só com os motoristas e cobradores, mas também com os usuários que, além de serem assaltados, são agredidos. Uma situação que precisa ser imediatamente resolvida”, afirmou.

Gabriel Ferreira, presidente do Sindicato do Transporte Alternativo do Maranhão, chamou atenção para as regiões da Cidade Operária, Mercado Central, João de Deus e São José de Ribamar.

“Quem roda por esses lugares, sofre assalto praticamente todos os dias. Os cobradores e motoristas já têm medo dos próprios passageiros. Os militares precisam atuar mais de perto e com mais agilidade, porque está complicado trabalhar”, contou.

Em seguida, o promotor de Justiça, José Cláudio Cabral, apresentou a contribuição do Ministério Público para mudar o cenário de insegurança e de violência nos transportes que circulam na capital e interior.

“Estamos usando tecnologia para mapear a Grande Ilha de São Luís, como os locais, horários e dias da semana de maiores ocorrências. Esses números são repassados à Polícia Militar, que é quem fica responsável por elaborar estratégias de combate à criminalidade”, explicou.

Para Wellington do Curso (PSDB), a população precisa de mais ações enérgicas em relação à segurança. “Falar de transporte é falar de qualidade de vida. A quantidade de assaltos para quem utiliza os transportes na grande Ilha é uma preocupação de quem utiliza transporte sem segurança”, pontuou o parlamentar.

Depois de ouvir os relatos, Júnior Verde, presidente da Comissão de Administração, disse que ficou claro que a falta de segurança nos meios de transporte coletivo é uma reclamação constante. O parlamentar garantiu que o Governo do Estado “será provocado para fazer intervenções em diferentes pontos da capital, principalmente nos locais de maior vulnerabilidade, conforme relatos feitos na audiência”.

“Nós provocamos esse momento com seguimentos do transporte coletivo complementar, porque os usuários estão vulneráveis a assaltos, diariamente. Uma situação lamentável, que vamos levar à Secretaria de Segurança para que tome providências urgentes e a tranquilidade chegue a todos que utilizam os ônibus e vans”, acentuou Verde.

0

“Prefeitura não pode virar cabide de empregos para parentes e amigos”, dispara Wellington…

Após receber inúmeras denúncias de aprovados em concurso público 2014/2015 que aconteceu em Paraibano e no recente seletivo de 2017, o deputado estadual Wellington do Curso (PP) se posicionou quanto à confusão presente na atual gestão à frente da Prefeitura, ao ignorar o concurso que foi validado pela Justiça e insistir fazendo contratações temporárias, além de realizar um seletivo que também foi denunciado por irregularidades e questionado na justiça.

Sobre a situação, Wellington deixou claro que a Prefeitura de Paraibano, há 500 km de São Luís, não pode ser vista como um cabide de emprego e cobrou um posicionamento por parte da Prefeitura.

“Recebemos inúmeras denúncias e iremos nos reunir na próxima quinta-feira com os aprovados no concurso. É inadmissível que a máquina pública, que a Prefeitura vire cabide de empregos para parentes ou amigos. O concurso foi validado pelo Judiciário. Logo, o correto seria a Prefeitura nomear e não ficar realizando contratações duvidosas. Uma das funções de um deputado estadual é fiscalizar e é o que temos feito. Vamos cobrar um posicionamento do prefeito e vamos formalizar denuncia no Ministério Publico para averiguar as irregularidades “, disse o professor e deputado Wellington.

Sobre a situação, o advogado Ferdinan Guimarães esclareceu a recente decisão da Câmara Cível que garante o direito dos aprovados.

“Recentemente, saiu uma a decisão judicial em que fica claro que o concurso foi validado. Juridicamente, os aprovados possuem a expectativa de direito e uma administração séria e responsável, tão somente, daria continuidade ao trâmite de nomeação. Essas contratações temporárias e irregulares ferem a moralidade e a ética, além de antijurídicas”, esclareceu o advogado Ferdinan que ressaltou que a prefeitura fez um seletivo que também apresentou irregularidades e a situação foi judicializada.

0

Um importante debate sobre suicídio..

Deputado Wellington do Curso promove nesta terça-feira audiência pública para tratar do Plano de Valorização da Vida, ferramenta contra a prática de atentar contra a própria vida

 

O deputado estadual Wellington do Curso (PP) utilizou a tribuna da Assembleia Legislativa, na semana passada, para convidar toda a população para uma audiência pública que discutirá o Plano Estadual de Valorização da Vida e o combate ao suicídio no Maranhão.

A Audiência irá acontecer às 14h, da próxima terça-feira, 4, no auditório Fernando Falcão da Assembleia Legislativa do Maranhão.

– Infelizmente o crescimento de suicídios no Maranhão tem aumentado, e isso tem nos preocupado. Afinal, isso se trata de políticas públicas. Ouvimos a população, coletamos dados e informações, decidimos apresentar o Projeto de Lei Nº 136/2017 que dispõe sobre a criação do Plano Estadual de Valorização da Vida e Prevenção ao Suicídio. Ainda convidamos mestres e doutores na área, a sociedade civil, órgãos de prevenção para juntos, debatermos esse tema e lutarmos para combatermos esse aumento de suicídios em nosso Estado – disse Wellington.

Como palestrantes sobre o tema o doutor e especialista em psiquiatria Ruy Palhano e o psicólogo Paulo Guilherme, responsável pelo programa de saúde mental da Unidade de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário.

Para o deputado Wellington é um tema de suma importância para ser debatido, levando em conta o aumento de casos de suicídios em nosso Estado.

0

Cartão acessibilidade é aprovado na Assembleia…

Projeto de autoria do deputado Wellington do Curso garante à pessoa com dificuldade de mobilização acesso aos serviços públicos estaduais

Wellington, em conversa com portadores de necessidades especiais: inclusão social

O Projeto de Lei 071/2017, de autoria do deputado Wellington do Curso (PP) foi aprovado em todas as comissões da Assembleia Legislativa do Maranhão. O Cartão Acessibilidade tem como objetivo simplificar o acesso da pessoa com deficiência aos serviços públicos estaduais existentes.

– Com o Cartão Acessibilidade, a pessoa com deficiência e mobilidade reduzida, titular do cartão, poderá se identificar facilmente em todos os serviços públicos, estando a presente Lei em total sintonia com o recém-sancionado Estatuto da Pessoa com Deficiência (Lei Federal n. 13.146, de 06 de julho de 2015). É uma forma de defender os direitos das pessoas com deficiência. Assim, é necessário que o Governo do Estado analise atenciosamente esta questão, uma vez que, estaremos contribuindo para a melhoria das condições de vida das pessoas com deficiência – pontuou Wellington.

Entenda o projeto:

O Cartão Acessibilidade tem por objetivo simplificar o acesso da pessoa com deficiência aos serviços públicos estaduais existentes, incluindo informações e permitindo a unificação dos demais serviços, a exemplo do cartão de passe livre e acesso intermunicipal em um só. Sendo assim, o Cartão será instrumento comprobatório da condição de deficiência do seu titular.

Para ser emitido, a pessoa com deficiência deverá comparecer à Secretaria Estadual de Saúde, ou, ainda, aos Conselhos Municipais das Pessoas com Deficiências e Prefeituras Municipais e deverá estar munida dos seguintes documentos, em via original e cópia:

I – Registro Geral (RG);
II – Cadastro da Pessoa Física (CPF);
III – comprovante de endereço;
IV – laudo médico emitido por órgão público, com CID, atestando a deficiência, não devendo exceder 60 (sessenta) dias entre a data de emissão do laudo e sua apresentação para solicitação do Cartão Acessibilidade.

1

“É nosso jeito de fazer Política”, diz Wellington, em homenagem a Fufuca…

Presidente regional do PP, deputado parabenizou o “amigo-irmão” por ter chegado à 2ª vice-presidência da Câmara Federal

 

Wellington e Fufuca: aliados

É com grande alegria que recebemos a notícia de que o nosso amigo e irmão deputado federal maranhense André Fufuca (PP) foi eleito 2ª vice-presidente da Câmara Federal. Certamente, é resultado do empenho e da dedicação de Fufuca como um dos deputados federais mais atuantes. Por isso, para nós, enquanto presidente do Partido Progressista municipal de São Luís, é motivo de orgulho saber que nosso novo jeito de fazer política está bem representado. Parabenizamos ao deputado André Fufuca, que Deus continue abençoando a sua vida e desejamos uma excelente atuação como vice-presidente na Câmara e que, assim, os interesses da população continuem sendo prioridades. Ficamos felizes por saber que o novo jeito progressista está bem representado”

Wellington do Curso, deputado estadual e presidente regional do PP

15

O erro estratégico de Wellington, Eliziane e Fábio Câmara…

Ao protelar decisão sobre o segundo turno das eleições em São Luís, ex-candidatos deixam que os votos recebidos por eles no primeiro turno se diluam, se sua interferência, entre Edivaldo Júnior e Eduardo Braide, perdendo o timming do debate político

 

Fábio, Wellington e Eliziane: ao esperar de mais, poderão ficar esquecidos

Fábio, Wellington e Eliziane: ao esperar de mais, poderão ficar esquecidos

Passados quatro dias da eleição em primeiro turno, o deputado estadual Wellington do Curso (PP), a deputada federal Eliziane Gama (PPS) e o vereador Fábio Câmara (PMDB) seguem em silêncio sobre posicionamento de apoio no segundo turno.

É um erro estratégico.

Sem participação efetiva no segundo turno, os três ex-candidatos verão, já a partir da primeira pesquisa, seus votos diluídos entre Edivaldo Júnior (PDT) e Eduardo Braide (PMN), sem interferência direta deles, o que os tirará do jogo sucessório definitivamente.

Até o PSTU, de pouca efetividade no processo, já anunciou voto nulo no segundo turno, tomando posição clara diante do seu eleitor.

Qualquer que seja a posição de Wellington, Fábio Câmara e Eliziane – de neutralidade, em favor de Edivaldo ou de Eduardo – ela deveria ter sido tomada já nos primeiros dias do segundo turno, a exemplo do que fez a vereadora Rose Sales (PMB).

Apenas dois dias depois de encerrado o primeiro turno, Rose Sales declarou apoio a Eduardo Braide e passou a acompanhá-lo em todos os compromissos de campanha, mantendo-se ativa no jogo sucessório, mesmo fora da disputa.

A essas alturas, os cerca de 150 mil votos recebidos por Wellington, Eliziane e Fábio Câmara já se reposicionaram na disputa, independentemente da posição dos ex-candidatos.

E à medida que o tempo avança no segundo turno, eles vão ficando cada vez mais esquecidos no processo.

E a política não perdoa o isolamento…

1

Wellington emite nota de Repúdio à injúria de Márcio Jerry…

Candidato do PP classifica de rasteira a tentativa do “inquieto e fanfarrão” secretário de Flávio Dino de vinculá-lo a facção criminosa e afirma que o comunista vem tentando interferir fraudulentamente no processo eleitoral em São Luís

 

Wellington vai á Justiça

Wellington vai à Justiça contra Márcio Jerry

O candidato Wellington do Curso (PP) emitiu “Nota de Repúdio” na noite desta quinta-feira, 29, contra as “atitudes rasteiras e as tentativas fraudulentas” do secretário de Articulação Política do governo Flávio Dino (PCdoB), jornalista Márcio Jerry, de interferir no processo eleitoral, em favor do candidato do Palácio dos Leões, Edivaldo Júnior (PDT).

Na manhã de hoje, Márcio Jerry publicou uma série de twittes nas redes sociais – depois usados por blogs alinhados à campanha de Holandinha – em que tenta vincular Wellington a facções criminosas que agem em São Luís.

Márcio com Dino e Edivaldo: fanfarronices

Márcio com Dino e Edivaldo: fanfarronices

– Claro que essa iniciativa tem um escancarado objetivo eleitoreiro, quando faz o uso ardiloso das redes sociais, especialmente na véspera das eleições e já encerrada a propaganda eleitoral, com a visível intenção de impossibilitar-me o amplo e necessário esclarecimento à população. Uma covardia a mais – afirmou Wellington.

O candidato do PP anunciou que vai processar criminalmente o auxiliar de Flávio Dino, “com objetivo de reprimir esta e outras tantas atidudes rasteiras”.

Abaixo, a íntegra da nota de Wellington:

Repúdio a uma injúria

Encontrava-me hoje na praça D. Pedro II gravando um programa de televisão e, também, concedendo uma entrevista à TV Mirante, quando, um pouco adiante, um grupo de esposas e parentes de presidiários se aglomerava em frente ao Palácio dos Leões solicitando um encontro com membros do governo.

Ao verem os equipamentos de televisão que faziam a minha gravação e, a partir daí, me reconhecerem, algumas delas se aproximaram para pedir alguns selfs, algo que, como candidato a prefeito, sempre me ocorre quando saio às ruas de São Luís.

Tratei todas elas com o respeito e a sobriedade com que sempre trato as pessoas. Nada, além disso.

Para minha surpresa e indignação, tomei conhecimento de que o secretário de comunicação do Estado, o inquieto e fanfarrão Marcio Jerry, cometeu a irresponsabilidade de acusar-me de associação com o crime organizado, utilizando, para isso, as redes sociais e os blogs de sua facção, todos financiados com a verba publicitária do Governo do Estado.

Claro que essa iniciativa tem um escancarado objetivo eleitoreiro, quando faz o uso ardiloso das redes sociais, especialmente na véspera das eleições e já encerrada a propaganda eleitoral, com a visível intenção de impossibilitar-me o amplo e necessário esclarecimento à população. Uma covardia a mais.

Por tudo isso, venho comunicar aos meus conterrâneos que estou ingressando em juízo para processar o referido agressor, dentro do que faculta o artigos 243 da Lei 4.737/65 e artigos 17 e 18 da Resolução TSE 23457/2015, tudo com o objetivo de reprimir essa e tantas outras atitudes rasteiras com que o secretário Marcio Jerry busca interferir fraudulentamente no processo eleitoral.

Wellington do Curso

deputado estadual

5

“Edivaldo, não fuja..venha debater comigo”, provoca Wellington na propaganda…

Candidato do PP critica a ausência do prefeito no debate da TV Guará e diz que espera que o pedetista deixe de se esconder da população, após três anos “ausente” de São Luís

 

Wellington mantém contato com o povo e cobra de Edivaldo explicações à população

Wellington mantém contato com o povo e cobra de Edivaldo explicações à população

O candidato do PP à Prefeitura de São Luís, Wellington do Curso, faz um desafio público ao prefeito, em sua atual propaganda eleitoral na televisão.

– Edivaldo, não fuja. Não se esconda das responsabilidades. Venha debater comigo – provoca Wellington, criticando a fuga do prefeito do debate da TV Gauará.

Afirmando estar preparado para o debate com o prefeito, Wellington lembra que o candidato do PDT se escondeu durante três anos atrás do comando da prefeitura, e agora se esconde, também, de dar respostas ao povo.

A pari desta segunda-feira, 26, dois debates ainda estão previstos nas emissoras de TV.

No dia 27, terça-feira, será o debate da TV Difusora; doi dais depois, o confronto é na TV Mirante, encerrando a propaganda eletrônica na campanha, a três dias do pleito.

– É hora de o eleitor saber quem foge das responsabilidades e quem tem atitude em seu favor – pregou o candidato do PP.

Edivaldo já confirmou presença na Difusora  na Mirante…