0

César Pires critica desmonte de serviços de saúde no Maranhão

A demissão de funcionários e a precarização dos serviços na rede estadual de saúde foram duramente criticados pelo deputado César Pires (PV), em discurso na Assembleia Legislativa do Maranhão. Para ele, falta competência na gestão de Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e outras unidades de saúde da rede estadual, comprometendo gravemente a qualidade da assistência prestada à população maranhense.

“São mais de 120 trabalhadores demitidos das UPAs, que com certeza farão muita falta no atendimento de urgência e emergência prestado à população, em São Luís e no interior do Maranhão. Além disso, o governo quer entregar aos municípios a manutenção de várias unidades de saúde, que são de responsabilidade do Estado”, enfatizou.

César Pires citou ainda que o atraso no pagamento dos médicos, a falta de medicamentos e materiais cirúrgicos e a baixa oferta de leitos são alguns problemas registrados na rede estadual que podem levar muitos pacientes à morte.

“O governo prioriza os gastos com propaganda e desmonta serviços de saúde que antes funcionavam com excelência. É uma gestão incompetente, que fracassa em uma área vital que é a saúde pública”, afirmou.

O deputado concluiu dizendo que as ambições pessoais dos governantes do Maranhão estão valendo mais que a vida humana.

“O governo do fracasso continua vendendo nome lá fora, pactuando com os grandes setores da mídia e da política nacional para fazer uma frente contra Bolsonaro, mas esquece de fazer uma frente a favor do povo do Maranhão”, finalizou.

4

A tola economia de Flávio Dino…

Nenhum gasto desnecessário com propaganda causou tanta rejeição quanto o orgulhoso banner do governador comunista dizendo que cortou meio bilhão da Saúde, mas sem apresentar resultados melhores no setor

 

“ECONOMIA?”.Wellington atingiu o âmago do governo com sua crítica

Sumiu como que por encanto do noticiário comunista o banner divulgado no início da semana exaltando o governador Flávio Dino por ter “economizado” mais de R$ 500 milhões no setor da Saúde entre 2015 e 2017.

A economia de Dino gerou um colapso no setor, com hospitais fechados ou sucateados, UPAs abandonadas e total destruição da autoestima de médicos, enfermeiros e outros profissionais que trabalham para o estado.

CAMPANHA TOLA. O banner orgulhoso de Dino. Festa do caos

– Que economia é essa, pra manter hospitais fechados? que economia foi essa, que acabou com as UPAs? Pra quê economizar enquanto falta medicamentos em todos os hospitais? O governador se orgulha de economizar na Saúde enquanto o trabalhador enfrenta filas em atendimento precário. Flávio Dino deveria se envergonhar dessa economia tola – criticou o deputado Wellington do Curso (PP), em discurso na Assembleia Legislativa.

A “economia tola” de Flávio Dino, exibida com orgulho pela própria gestão da SES e na mídia alinhada ao governador, foi criticada também nas redes sociais.

Para os maranhenses, não faz sentido cortar tantos recursos da Saúde para comprometer toda a qualidade do atendimento.

Só na cabeça de Flávio Dino e dos seus…

0

Cortes comemorados por Flávio Dino resultaram na má qualidade da Saúde…

Propaganda governista se ufana de ter economizado meio bilhão no setor. Resultado: corrupção e sucateamento das unidades de saúde, vistas como de excelência até o fim de 2014

 

SUCATEAMENTO. Destaque mostra a economia que Dino diz ter feito. Para quê, exatamente?

Na ânsia de se defender do escândalo de desvios de recursos protagonizado pelo IDAC – e desbaratado pela Polícia Federal – o governo Flávio Dino (PCdoB) acabou por confessar uma mea culpa no setor.

A propaganda comunista revela que, entre 2014 – quando foram investidos R$ 925,6 milhões na saúde do Maranhão – e o fim de 2016, o corte no setor foi de R$ 508, 2 milhões.

Flávio Dino diz que economizou mais de meio bilhão em dois anos. E qual o resultado disso?

A resposta é óbvia e pode ser vista a olho nu, com uma simples visita às unidades de Saúde:  UPAs sucateadas, hospitais fechados, centros de referência abandonados e funcionários desmotivados.

A economia que Flávio Dino diz ter feito na Saúde serviu apenas para sucatear o setor em dois anos.

E ao que parece, essa economia também deve ter sido feita em outros setores.

Isso explicaria o sucateamento do Maranhão como um todo.

Simples assim…