1

De como a Caema destruiu a avenida Santo Antonio do Calhau…

Empresa escava buracos na via para obras intermináveis de correção de água e esgotos, mas não faz os reparos no asfalto; o resultado é este, com carros afundados nas crateras deixadas pelas obras

 

Construída há sete anos, na gestão do prefeito João Castelo (PSDB), a avenida Santo Antonio do Calhau é uma antiga vítima da Caema.

A companhia de águas do Governo do Estado nunca fez uma obra que prestasse em lugar algum, para parece ter predileção pela destruição da via, que liga o Calhau ao Vinhais, como alternativa à avenida Daniel de La Touche.

Na semana que passou, a Caema cavou esta cratera para corrigir problemas de encanação de água, mas deixou esta cratera sem recuperação asfáltica.

Resultado: as chuvas levaram a areia jogada no buraco e soltou o asfalto.

Pelo menos cinco carros afundaram na rua após as chuvas da madrugada de sexta-feira.

Ontem à noite, ainda havia veículos atolados, como se vê nestas imagens.

Mais à frente, outra obra da Caema – uma vala aberta na via – está cada vez mai funda e em breve impedirá o tráfego na região.

Quanto aos prejuízos causados aos donos de automóveis, a saída é um processo contra a Caema.

Mais um contra esta incapaz companhia…

5

Governo Flávio Dino: ineficiente e gastador…

Sem nenhuma obra marcante nos três anos de mandato, comunista gasta sempre mais do que prevê no orçamento de sua comunicação, com propaganda enganosa até de obra que não existe

 

ALMAS GÊMEAS. Márcio Jerry recebe milhões com camarada Flávio Dino para vender obras que não existem

Nestes três anos de mandato, o comunista Flávio Dino (PCdoB) gastou nada menos que R$ 139,6 milhões com orçamento da Secretaria de Comunicação, chefiada pelo seu lugar-tenente Márcio Jerry.

Foram R$ 66,7 milhões em 2016 e mais R$ 72,9 milhões em 2017.

Mas os gastos com a propaganda não escondem a ineficiência e a incompetência do seu governo.

Nestes três anos, Flávio Dino não apresentou qualquer obra de peso para o desenvolvimento do Maranhão; o estado continua nas últimas posições do desenvolvimento social e a miséria que ele prometeu combater aumentou entre 2015 e 2018.

CARA DE NHÔ ZÉ. Flávio Dino observa o sistema Italuís, que ele não conseguiu sequer ligar o canos e, mesmo assim, gasta milhões para anunciá-lo em propaganda enganosa

É um governo de fraudes, portanto, já que sua propaganda – caríssima – serve apenas para enganar a população.

Um exemplo é o gasto milionário para anunciar o “Novo Sistema Italuís”, obra que simplesmente não existe por que o comunista não conseguiu ligar os canos do projeto deixado por Roseana Sarney.

É um governo gastador e ineficiente.

Simples assim…

3

Governo Flávio Dino erra e deixa São Luís sem água…

Todo o novo sistema Italuís foi construído no governo Roseana Sarney; a Flávio Dino cabia apenas fazer a interligação final entre o novo e o antigo sistema. mas seu governo não conseguiu fazer o básico e a capital maranhense sofre com a falta d’água

 

Moradores do Anjo da Guarda fazem fila em busc ade água; problema se repete em praticamente toda São Luís

O governo Flávio Dino mandou fechar as torneiras de quase 160 bairros de São Luís desde a quarta-feira, 6, para fazer uma coisa básica: interligar o sistema antigo ao novo sistema Italuis.

O Italuis novo foi todo construído no governo Roseana Sarney.

A Flávio Dino cabia – apenas e tão somente – fazer a interligação final, além de umas poucas obras complementares.

Mas a incompetência da Caema, marca do governo comunista, gerou o caos em São Luís.

O sistema, que deveria voltar a funcionar desde o sábado, 9, acabou rompendo e piorando a situação de vários bairros.

O resultado são as imagens acima, que mostram o caos da falta d’água em pleno século XXI.

Esta é a mudança provocada pelo governo comunista que assola o Maranhão…

0

A (in)segurança comunista…

Governo comunista – já protagonista de vários escândalos no setor – não consegue controlar a ação violenta de bandidos de facções, gerando terror na população

 

Execução de Chacal e seu padastro policial pode ter desencadeado a onda de violência

O governo Flávio Dino (PCdoB) provocou um desmonte nas instituições públicas e nos setores governamentais em todos os níveis.

Mas nenhum outro setor vive mais problemas que a Segurança Pública, desde que o aparelhamento comunista se instalou no sistema.

Prefeitos revelam que são eles os responsáveis pela manutenção de todos os aspectos policiais no interior – desde alimentação até combustível para viaturas. O resultado é uma distorção que resultou em casos escabrosos, como a do mecânico Irialdo Batalha, em Arari, ou a do empresário morto após ter sido enjaulado, em Barra do Corda.  

Mas para criar uma sensação artificial de segurança, o governo – dizia-se em todas as rodas – teria mantido um pacto de não agressão com facções criminosas: deu a ela o controle absoluto do sistema penitenciário em troca do fim das ações nas ruas das grandes cidades.

Ao que tudo indica, este pacto acabou ou foi precipitado pelas ações recentes de lado a lado.

Desde a morte do criminoso conhecido por Chacal, no fim de semana – executado na Maioba ao lado do padrasto, que era policial militar – uma onda de ações criminosas se espalhou por comunidades da periferia de São Luís, deixando um clima de terror na população assustada com a falta de segurança.

Em alguns bairros – como Bairro de Fátima, Vinhais Velho, Barreto e Liberdade já há até toque de recolher, gerando um clima de favela carioca nas comunidades de São Luís.

E o chefe da Segurança comunista Jefferson Portela, parece preferir perseguir delegados que denunciam a falta de estrutura.

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão

0

Hildo Rocha diz que Maranhão perde turistas por incompetência do governador…

Hildo na sessão solene da Câmara Federal

Durante Sessão Solene em homenagem do Dia mundial do Turismo, o deputado federal Hildo Rocha lamentou o péssimo desempenho do Maranhão no setor.  Segundo o parlamentar, infelizmente o estado está na contramão dos avanços que o Brasil vem alcançando em relação ao turismo nacional.

“De acordo com dados da INFRAERO, ocorreu queda de 17,64% no movimento de turistas no Aeroporto de São Luís somente nos seis primeiros meses deste ano, o que veem trazendo sérios prejuízos para o comércio e setor hoteleiro”, destacou Hildo Rocha.

Trabalho destruído

Rocha lembrou que a então governadora Roseana Sarney dinamizou o setor turístico por meio do Plano de Desenvolvimento Integral do Turismo no Maranhão. O deputado ressaltou que o Maranhão possui um dos maiores potenciais turísticos do Brasil.

“Além da capital, São Luís, com suas belas praias e o Centro Histórico, os Lençóis Maranhenses, a Chapada da Mesa, o Delta do Parnaíba existem tantas outras atrações para mostrar ao Brasil e o mundo. No entanto, apesar de todo esse potencial, o Governo do Estado não tem desenvolvido políticas para incrementar o turismo maranhense”, declarou.

Rocha denunciou incompetência do governo Flávio Dino

O parlamentar lembrou que até mesmo obras estruturantes iniciadas pelo governo anterior foram abandonadas pela atual administração.

“A transmetropolitana, via moderna de transito rodoviário, que ligaria a BR-135 diretamente as praias de São Luís, Ribamar e Raposa foram abandonadas pelo governador”, comentou.

Recursos assegurados

Rocha destacou ainda que os recursos adquiridos pela governadora, por meio de financiamento do BNDES, eram suficientes para fazer toda a obra que já deveria estar servindo para melhorar a mobilidade urbana.

“O percurso da entrada de São Luís até a praia do Araçagi poderia ser feito em menos de 10 minutos.  Mas, a obra que se encontra em marcha lenta. O terminal do aeroporto de Barreirinhas, também já deveria estar pronto há mais de dois anos. Tudo isso causa prejuízos ao turismo do Maranhão”, afiançou o deputado.

Estatísticas

Rocha disse que o turismo mundial mobiliza 1,2 bilhão de viajantes por ano e gera receita cambial em torno de 1,2 trilhão de dólares.

“O setor cresceu, no ano passado, quase o dobro da economia em geral, e constitui um mercado muito disputado, no qual cada país atua intensamente para aumentar sua participação. Cada estado da nossa federação pode buscar parte desses turistas”, frisou.

De acordo com o parlamentar, entre 2010 e 2015, o total de turistas internacionais aumentou em 26%. Nesse curto período, o Japão saltou de 8,6 para 19,7 milhões de turistas; a Tailândia praticamente dobrou o número de visitantes; a Arábia Saudita conseguiu um acréscimo de 65%, e o México, de 38%.

“Provavelmente, esses países decidiram aumentar de forma maciça os investimentos em turismo, e já colhem os frutos mesmo em meio a uma época de crise mundial”, observou Rocha.

Ações eficientes

O deputado destacou os esforços do Governo Federal, por meio do Ministério do Turismo, para fomentar o setor turístico brasileiro.

“O trabalho desenvolvido pelo atual governo possibilitou que o setor atingisse recordes em 2016: 6,6 milhões de estrangeiros, um incremento de 4,8% de turistas internacionais em relação ao ano anterior. O movimento injetou na economia U$$ 6,2 bilhão, de acordo com dados divulgados recentemente pelo Banco Central do Brasil”, declarou Rocha.

“O turismo gera emprego e renda, estimula o desenvolvimento, promove a convivência entre os povos e dá boa resposta econômica mesmo em períodos de crise. É, portanto, uma atividade muito indicada para o Brasil, que dispõe de grandes atrativos naturais e pode se transformar, em prazo relativamente curto, num importante destino mundial”, sublinhou Hildo Rocha.

4

A insegurança de Luis Fernando em relação a Gil Cutrim…

Incomparavelmente mais preparado que o ex-aliado – inventado por ele mesmo – prefeito de São José de Ribamar acaba tornando-se menor ao divulgar sua gestão com base apenas na anterior

 

CRIADOR E CRIATURA
Gil Cutrim foi cria de Luis Fernando

Não há nenhuma dúvida para qualquer maranhense médio de que o prefeito de São José de Ribamar, Luis Fernando Silva (PSDB), seja um dos gestores mais bem preparados do Maranhão.

Mas ele também carrega uma insegurança sem tamanho.

Insegurança esta reforçada na atual gestão, com releases e informações feitas apenas para comparar seu mandato ao do ex-prefeito Gil Cutrim (PDT).

Ora, foi o próprio Luis Fernando quem inventou Gil Cutrim como político; devia fazer a mea culpa pública, portanto, não comparações desmedidas.

Ao tentar diminuir a gestão do antecessor citando o pedetista em cada release encaminhado à imprensa, LF mostra-se político inábil, vaidoso e inseguro da própria capacidade.

E pra quem já foi cotado para ser governador do Maranhão, a postura acaba por alcançar a mediocridade.

É simples assim…

10

Holandinha é a herança maldita do próprio Holandinha…

Falência da Prefeitura de São Luís já nos primeiros dias de 2017 mostra que o prefeito pedetista não se preparou, sequer, para receber a própria gestão

 

Bastou passar as eleições para que o prefeito voltasse ao estilo depressivo que marcou seus quatro anos

O corte de energia elétrica de cinco secretarias municipais em São Luís é o ápice prematuro do custo que a população vai pagar por ter reelegido o prefeito Edivaldo Júnior (PDT).

Reeleito a fórceps – em um esquema de compra de votos e crime eleitoral sem precedentes na capital maranhense – o pedetista não conseguiu nem mesmo preparar a gestão para ele próprio.

Holandinha é hoje a herança maldita do próprio Holandinha.

Em apenas 15 dias de gestão no segundo mandato, São Luís convive com atraso em pagamento da limpeza urbana, dos serviços médicos e hospitalares, alagamentos em hospitais e destruição do asfalto meia-boca jogado nas ruas durante a eleição.

Em 2013, quando assumiu o mandato, Edivaldo utilizou como desculpa uma tal “herança maldita” recebida do ex-prefeito João Castelo (PSDB).

Foi a justificativa para sumir durante os quatro anos de gestão.

Agora, em 2016, Edivaldo recebe a prefeitura do próprio Edivaldo.

E São Luís ganha como presente a falências dos serviços públicos essenciais.

Um custo alto pela renovação do mandato do prefeito…

1

Médico filma o caos no Socorrão II após chuvas…

O vídeo acima foi gravado por um médico do Hospital Clementino Moura, o Socorrão II, após as chuvas desta segunda-feira, 9. Sem nenhuma estrutura garantida pela gestão do prefeito Edivaldo Júnior (PDT), a unidade de saúde fica completamente vulnerável a qualquer situação. É a triste realidade da reeleição de Holandinha em São Luís

 

12

Mais um custo da eleição de Holandinha: falta até exame de sangue nos socorrões…

Sinais de falência da gestão do pedetista, já evidenciados na falta de merenda na Educação, na corrupção da licitação do transporte e na paralisação das obras intensificadas na eleição, chega agora aos hospitais municipais e mostra que os efeitos de manter o prefeito no cargo chegará bem antes ao eleitor de São Luís

 

Pcientes aora têm que pagar pelos próprios exames no Socorrão

Falta até exame de sangue no Hospital Djalma Marques, o Socorrão I, segundo revelou o jornal O EstadoMaranhão, nesta quarta-feira, 14.

Para garantir o tratamento, pacientes internados na unidade de saúde são obrigados a pagar pelos exames na rede privada – e ainda ter que arcar com custo de transporte e coleta.

Em outubro, o Conselho Regional de Medicina já havia denunciado que faltava até material básico no Socorrão, como papel higiênico e algodão. (Relembre aqui)

A falência do sistema de Saúde é mais um exemplo do alto custo para o eleitor de São Luís que teve a reeleição do prefeito Edivaldo Júnior (PDT).

Helena Duailibe e Edivaldo Júnior não conseguem explicar motivos da falência na saúde

Desde a sua vitória em primeiro turno – baseada em suspeitas de abuso de poder econômico e compra de votos já denunciadas à Justiça Eleitoral – Holandinha começou a paralisar todo os serviços intensificados no período eleitoral, numa prova de que eram mesmo eleitoreiros.

As obras, que chegaram a funcionar até nas noites de domingo, já não são vistas em nenhuma comunidade.

A licitação do transporte, que prometia ônibus com ar-condicionado até este mês de dezembro, também foi denunciada à Justiça por suspeita de fraudes e favorecimentos da Secretaria de transportes a empresas sem condições de operar o sistema. (Saiba mais aqui e aqui)

E na escolas municipais falta merenda escolar básica, submetendo os alunos a pedaços de frutas como lanche diário – e algumas escolas ainda obrigadas a encerrar as aulas por falta de alimentos. (Releia aqui)

São serviços básicos para o cidadão ludovicense.

E o caos nestes setores mostram o erro que foi reeleger Edivaldo Júnior.

Agora é esperar mais quatro anos…

5

Gestão de Edivaldo se desmancha em plena campanha…

Enquanto prefeito se desdobra para superar a rejeição altíssima – trocando o expediente pela caça ao voto – energia de secretarias é cortada por falta de pagamento, escolas são despejadas por atraso no aluguel, telhados de feiras desabam por falta de reforma e artistas cobram da Fumc cachês atrasados há meses

 

Feira do Fialho virou ferro retorcido dias depois da passagem de Edivaldo

Feira do Fialho virou ferro retorcido dias depois da passagem de Edivaldo

O prefeito Edivaldo Júnior (PDT) está em plena campanha, usando toda a estrutura que tem à disposição para a caça aos votos, na tentativa de superar a rejeição altíssima, próximo dos 40%.

Enquanto ele troca o expediente na prefeitura por caminhadas e passeatas eleitorais, sua gestão vai se desmanchando aos olhos do eleitor de São Luís.

Na semana passada, uma escola foi fechada para reforma, em pleno início do semestre letivo, deixando centenas de crianças sem aulas no Centro da capital maranhense. (Releia aqui)

Praticamente no mesmo dia, surgiram notícias de que a Cemar cortou a energia da Secretaria Municipal de Trânsito, por falta de pagamentos.

Já nesta semana, dias depois de o prefeito fazer caminhada pela Vila Fialho, o telhado da feira do bairro simplesmente desabou, por falta de manutenção da atual gestão em São Luís. (Releia aqui)

A escola fechada por que Edivaldo não paga os aluguéis...

A escola fechada por que Edivaldo não paga os aluguéis…

No mesmo dia, artistas e atletas que participaram dos eventos culturais promovidos por ocasião da passagem da tocha olímpica por São Luís, fizeram protesto em frente à Fumc, para receber seus cachês atrasados.

Nesta terça-feira, 30, uma escola foi despejada pela enésima vez de um prédio no Planalto Turu por causa do atraso de oito meses no aluguel. (Releia aqui)

Enquanto isso, o prefeito faz caminhada de manhã, de tarde  e de noite, na tentativa de se reeleger para mais quatro anos de mandato.

Enquanto sua gestão se desmancha diante dos olhos do eleitor…