0

Escola Superior de Advocacia esclarece participação de Valeria Lauande em curso…

O diretor-geral da Escola Superior de Advocacia, da seccional maranhense da Ordem dos Advogados do Brasil, Fabiano Lopes, explicou que a aprticipaçãod e conselheiros da OAB-MA nas palestras não constitui nenhum tipo de ilgalidade.

O candidato da oposição à presidência da OAB, Thiago Diaz, questionou, em post publicado neste blog, a presença de sua adversária, Valéria Lauande, em uma das palestras. (Releia aqui)

– O evento desta terça-feira, 20, portanto, contou não somente com a palestra da conselheira federal pelo Maranhão, Valéria Lauande, mas também com o diretor-geral da ESA, Fabiano Lopes, que falou sobre “Gestão de Escritórios e o Jovem Advogado Empreendedor e com o advogado Gustavo Rocha, que abordou o tema “Processo Judicial Eletrônico” – justificou o diretor.

De acordo com Lopes, o envolvimento dos integrantes da diretoria da Ordem como candidatos não constitui impedimento para participação nos eventos.

Abaixo, a íntegra da nota:

Tendo em vista post publicado no dia 20.10.2015 sobre Curso de Iniciação à Advocacia promovido pela Escola Superior de Advocacia da OAB/MA temos a esclarecer:
Que o curso é uma atividade regular da Escola Superior de Advocacia (ESA) tendo o primeiro sido realizado em agosto de 2013 e objetiva contribuir com a formação profissional dos novos advogados.
Ao longo de sua realização, já contou com vários palestrantes que integram a diretoria da Seccional Maranhense ou que atuam como conselheiros seccionais ou presidentes de comissão.
A participação dos conselheiros e diretores da OAB não representam qualquer ilegalidade, posto que os integrantes da gestão, ainda quando candidatos nas eleições, permanecem nos seus cargos e podem participar, a qualquer tempo, mesmo no período eleitoral, dos eventos, cursos, seminários, posto que permanecem nos seus cargos e exercem todas as suas atuais funções e prerrogativas, tal como já decidiu a própria Comissão Eleitoral Nacional. A acusação contra a palestrante decorre do desconhecimento da lei.
O evento desta terça-feira, 20, portanto, contou não somente com a palestra da conselheira federal pelo Maranhão, Valéria Lauande, mas também com o diretor-geral da ESA, Fabiano Lopes, que falou sobre “Gestão de Escritórios e o Jovem Advogado Empreendedor e com o advogado Gustavo Rocha, que abordou o tema “Processo Judicial Eletrônico”.

São Luís, 21 de outubro de 2015

Fabiano Lopes
Diretor Geral Escola Superior de Advocacia (ESA)

3

União da oposição empata disputa na OAB-MA…

Pesquisa do Instituto Exata realizada entre quarta e quinta-feira mostra que a aliança entre os candidatos Thiago Diaz e Charles Dias empatou tecnicamente a disputa com a candidata do sistema, Valéria Lauande

 

Thiago Diaz e Charles Dias fortaleceram a oposição com aliança

Thiago Diaz e Charles Dias fortaleceram a oposição com aliança

A aliança formada entre os grupos dos advogados Thiago Diaz e Charles Dias teve um impacto fortíssimo na disputa pelo comando da seccional maranhense da Ordem dos Advogados do Brasil.

Pelo menos é o que mostra levantamento feito pelo Instituto Exata, com 480 advogados, divulgado pelo grupo oposicionista, ontem, durante encontro para oficialização da aliança entre os dois candidatos.

De acordo com o levantamento, a candidata Valéria Lauande, do grupo do atual presidente Mário Macieira – abertamente apoiada pelo governo Flávio Dino (PCdoB) – aparece com 41% das intenções de votos.

Os percentuais de Thiago Diaz, aliado a Charles Dias, somam 40% das intenções dos advogados.

O candidato Mozart Baldez tem 1%.

Outros 16% não souberam ou não quiseram responder e 2% declararam votar nulo.

Faltam 50 dias para a eleição na OAB-MA.

E o clima na oposição é o de virada…

0

OAB-MA: situação racha e oposição vai marchar unida…

Enquanto os partidários de Valéria Lauande/Carlos Macieira promoveram um racha às vésperas da eleição, os grupos dos advogados Thiago Diaz e Charles Dias se uniram pelo projeto de mudar a Ordem

 

Thiago e Charles, agora unidos

Thiago e Charles, agora unidos

Às vésperas da eleição que vai escolher o novo comando da seccional maranhense da Ordem dos Advogados do Brasil, os grupos “Renovar para Todos” e “Ordem e Mudança” decidiram se unir para fortalecer a luta da oposição.

Thiago Diaz vai disputar a presidência contra a candidata do atual comando da Ordem, Valéria Lauande, tendo o apoio de Charles Dias, que disputará vaga no Conselho Federal da OAB.

Agora podemos afirmar: somo todos, e vamos, enfim, renovar para todos – comemorou Thiago Diaz.

A união das oposições foi prevista, inclusive, em post deste blog. (Releia aqui)

Coincidentemente, a união dos dois oposicionistas se dá exatamente no momento em que a chapa de Valeria Lauande experimenta um racha pelo poder.

A indicação do advogado Caldas Góis Júnior para compor o Conselho Federal não agradou ao grupo de Daniel Blume, provocando o rompimento. (Leia aqui)

– Diante da precipitação dos fatos, notícias de ruptura na situação e coisas do gênero, não podíamos perde o “timing” e assim decidimos anunciar a união dos grupos, que será melhor explicada em encontro com todos – explicou Charles Dias.

O grupo de Valéria Lauande domina há mais de 30 anos a OAB-MA, o que ocasiona rachas como este.

Para consolidar a aliança entre os dois grupos, Thiago Diaz e Charles Dias farão um evento nesta quinta-feira, no Espaço Gaia, a partir das 19h…

1

OAB-MA discute abusos da polícia nos casos de agiotagem…

A seccional maranhense da Ordem dos Advogados do Brasil realiza hoje um debate sobre as ações da polícia e da Justiça no caso envolvendo agiotas no Maranhão.

Além das implicações legai aos envolvidos, em todos os níveis, os advogados discutem também eventuais abusos cometidos pela polícia – contra os acusados e contra seus defensores.

O seminário desde o início da manhã e deve durar o dia todo.

1

Daniel Leite desbanca Daniel Blume no TRE…

Confirmação do advogado para compor o pleno do TRE foi a grande surpresa das nomeações feitas pela presidente Dilma Rousseff (PT), já publicadas no Diário Oficial da União

 

Membros do TRE maranhense

Daniel Leite vai compor o TRE

O advogado Daniel Leite vai compor o Pleno do Tribunal Regional Eleitoral, como representante titular da OAB-MA.

A nomeação dele já foi publicada no Diário Oficial da União, e se constituiu a grande surpresa das indicções feitas pela presidente Dilma Rousseff (PT) para o TRE maranhense.

Leite compunha uma lista tríplice que tinha também os advogados Riod Filho e Daniel Blume, que já fazia parte do TRE, como jurisconsulto substituto; por isso, a indicação do próprio Blume era esperada como certa nos bastidores da Justiça Eleitoral.

Como membro titular, Daniel Leite passa a compor o Pleno do TRE como desembargador eleitoral pelos próximos dois anos, prorrogáveis por mais dois.

Além dele, também foi confirmado como membro titular o advogado Eduardo Moreira, que já funcionava como substituto.

No Tribunal de Justiça, foi escolhido o desembargador Lourival Serejo para compor o Pleno do TRE, em substituição ao também desembargador Froz Sobrinho.

Os novos membros titulares do TRE tomam possem no início de 2015…

37

Crocodilo Pedrosa ainda persegue Décio Sá…

 

Pedrosa não consegue esconder o ódio recalcado

Parece movida por ódio pessoal a postura de antipatia que o presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB-MA, Antonio Pedrosa, exibe contra o jornalista Décio Sá.

Depoi de chamar jornalistas de “gorilas diplomados”, de desdenhar da comoção pelo assasinato do jornalista e de até atribuir motivos nobres para algumas mortes, Pedrosa agora questiona a ação da polícia no caso.

Em entrevista à TV Cidade, ele disse, com cara odienta, que a investigação teve tratamento diferenciado porque Décio tinha relações com o governo e com o Sistema de Segurança.

O covarde Pedrosa parece nutrir um recalque pessoal não confessado, que o leva a odiar a vítima de crime tão brutal.

Para o presidente do Sindicato dos Jornalistas, Leonardo Monteiro, a postura de Pedrosa no caso já extrapolou os limites do bom senso.

– Ele, como advogado, deveria saber que a execução brutal de Décio Sá foi um atentado a democracia, à liberdade de imprensa e de expressão – disse Monteiro.

Mas a potura do crocodilo Pedrosa não é única na OAB maranhense. O próprio presidente da entidade, Mário Macieira, se tremia todo quando se referia a Décio Sá, autor de várias denúncias contra a atual gestão.

E sua vice, Valéria Lauande, fala abertamente do ódio que nutria – ou ainda nutre – pelo jornalista.

Lamentável para uma entidade tão importante…

11

Ensaio sobre gorilas e outros bichos…

Joaquim Haickel em texto lúcido...

Por Joaquim Haickel

Estando eu fora de São Luis e não podendo acompanhar de perto o desenrolar dos acontecimentos posteriores ao ato brutal e covarde ato que tirou a vida do jornalista Décio Sá, comentei, assim que acordei hoje cedo, uma notícia postada em seu blog que dava conta de uma infeliz postagem que o colega advogado, presidente da Comissão de Direitos Humanos da seccional maranhense da Ordem dos Advogados do Brasil, Antonio Pedrosa, fez no blog dele, que transcreverei em parte:

“… Não adianta agora, por outro lado – em nome da justiça que deve necessariamente ser feita – alçar o jornalista/vítima à condição de baluarte da democracia, o que nunca foi.”

Fica uma certa impressão de que jornalista que não seja do ponto de vista do autor do texto, um baluarte da democracia, pode ser assassinado. Que o homicídio deve ser apurado, mas que de pronto fique claro, que ele de certa maneira mereceu o que teve, pois não era um baluarte da democracia.

Ele continua:

“…O crime contra Décio Sá deve indignar, como deve indignar qualquer crime,  sem fundamento em nenhum espírito de corpo, ou privilégio que esconda as mazelas do jornalismo marrom…”

Ao contrário do que sugere a primeira frase, mais uma vez fica uma certa impressão de que o jornalista, que do ponto de vista do autor do texto, seja marrom, deve ser tratado de forma diferente daquele que o autor identifica como sendo azul ou vermelho ou da cor que ele escolha como aceitável.

Agora vem o pior:

“Não derramei lágrimas de crocodilo no velório, no qual não aceitaria confortavelmente comparecer. Sempre discordei dessa linha de jornalismo, que, no Estado, é composta por um pequeno número de gorilas diplomados. Não me surpreenderia se ao cabo das investigações se descobrissem motivos bem menos nobres para o assassinato”.

A quem interessa se o autor do texto se sente mais ou menos confortável em comparecer a um velório? Com toda certeza o falecido não daria a menor bola para sua presença. Era totalmente desnecessário dizer essa grosseira. Coisa feia!

No final ele diz claramente que Décio pode ter sido assassinado por um motivo menos nobre, como se houvesse nobreza em um assassinato, como se matar um jornalista marrom ou um gorila diplomado por um nobre motivo fosse aceitável. Que absurdo!

Discordar-se da linha jornalística, política ou ideológica de alguém é algo salutar.

Inadmissível é que alguém, principalmente um advogado, que está cansado de defender indiciados e réus sabidamente culpados, ainda por cima sendo presidente da Comissão de Direitos Humanos da seccional maranhense da Ordem dos Advogados do Brasil, segregue jornalistas- gorilas de jornalistas-lobos, de repórteres-ratos, de radialistas-cães, de blogueiros-chipanzés, de assessores de imprensa-lebres, praticando assim preconceitos previstos como crimes em nossa constituição.

Eu não estou falando do racismo, como alguns possam imaginar, mas do preconceito quanto a liberdade de escolha no seu mais amplo sentido, pois o jornalista que quiser ser um gorila marrom, pode sê-lo e assumir os riscos de ser assim, mas não pode ser assassinado por isso e muito menos pode ser cerceado de seu direito de escolher ser gorila e marrom, da mesma forma que ninguém pode ser cerceado em seu direito de ser um veado lilás.

Quem se sentir prejudicado pelo fato de ele ser como escolheu ser, que busque na justiça a devida reparação, e que todos nós defendamos o estado de direito a qualquer custo, menos ao custo da aceitação da intolerância.

Posso até admitir que o Pedrosa tenha sido infeliz no que escreveu, que tenha até pensado uma coisa um pouquinho diferente do que está escrito em seu texto, mas infelizmente o que está contido no seu subtexto é algo da maior periculosidade, algo que extrapola os limites do possível na vida em sociedade.

O que é pior é que ao invés dele refletir sobre o equívoco que cometeu, desculpar-se e colocar as coisas de maneira mais aceitável, ele postou em seu blog dois outros textos onde reafirma o que disse antes.

Pedrosa tem que entender que ele não é tão somente ele.

Ele é o presidente da Comissão de Direitos Humanos da seccional maranhense da Ordem dos Advogados do Brasil, secção do Maranhão. Ele nos representa.

Um jornalista pode escolher ser marrom e assumir os riscos de sua escolha.

À uma entidade como a OAB não é dada a possibilidade dessa escolha…

19

“Intolerância praticada por quem deveria repudiá-la”…

Por Joaquim Haickel

Acredito que não estou entendendo o que disse a OAB!

Quer dizer que alguém acha na entidade que congrega os advogados do Maranhão, categoria da qual faço parte, que, dependendo de como pensa ou de como se comporta um determinado cidadão, dependendo de se ele é ou não é diplomado, dependendo de se ele trabalha para esse ou para aquele grupo, dependendo de qualquer coisa ele pode ser mais ou menos assassinado?

Ah! A minha paciência tá no limite para com os hipócritas, seja ele quem for!

Isso é o cúmulo!

A intolerância praticada por quem deveria repudiá-la.

Alguém por ai deveria parar, pensar, criar coragem e se desculpar pela declaração no mínimo absurda e despropositada.