1

Vacina contra a CoVID-19 ainda sem data para o Maranhão

Nem o Governo do Estado e muito menos as prefeituras divulgaram oficialmente programação para compra do medicamento que pode livrar o estado da pandemia de coronavírus e ajudar a salvar vidas; única ação sobre o tema é da senadora Eliziane Gama

 

Esta idosa inglesa de 90 anos foi a primeira pessoa no mundo a receber a vacina contra o coronavírus, num dia histórico para a humanidade

No dia histórico para a saúde mundial – em que o Reino Unido inicia a vacinação contra a CoVID-19 – ainda faltam informações oficiais sobre a vacinação da população maranhense.

A única manifestação sobre o assunto foi da senadora Eliziane Gama (Cidadania), que pretende encontrar formas de trazer a Coronavac, vacina desenvolvida pelo governo chinês, em parceria com o Instituto Butantã.

– Com a saúde não se brinca. Nesta visita oficial ao Instituto Butatan e ao governo de São Paulo vamos discutir a chegada da CoronaVac a todos os estados, especialmente ao Maranhão. Nós queremos contribuir com a organização da logística para uma campanha de vacinação em massa após liberação da ANVISA – destacou Eliziane Gama.

Eliziane Gama é a única autoridade maranhense a falar oficialmente sobre a vacina; falta manifestação do governador e de prefeitos

Mas nem o governador Flávio Dino (PCdoB), muito menos os prefeitos apresentaram cronograma de recebimento e vacinação da população.

A única informação sobre Dino é uma ação dele no STF para comprar a vacina, ainda sem data para julgamento.

No Reino Unido, a vacinação começou nesta terça-feira, 8, marcando um dia histórico para a saúde mundial.

4

Em busca de votos, Duarte espalhou coVID-19 em São Luís

Mesmo com o resultado positivo para a doença recebido no dia 6, candidato do Republicanos continuou em campanha, abraçando, beijando e trocando afagos com eleitores, o que caracteriza crime contra a saúde pública

 

Duarte Júnior nesta terça-feira, já doente de coVID-19, em contato inclusive com crianças, na Madre Deus, conforme sua própria rede social

O candidato do Republicanos a prefeito de São Luís, Duarte Júnior, pode ter cometido um crime contra a saúde pública em seu desejo de buscar votos.

Ele anunciou nesta quarta-feira, 11, que estava suspendendo sua agenda de campanha por que apresentava sintomas da coVId-19.

O problema é que documento da Secretaria de Saúde a qual o blog Marco Aurélio D’Eça teve acesso nesta mesma quarta-feira, 11, mostra que o resultado do exame de Duarte saiu, na verdade, no dia 6 de novembro, ou seja, cinco dias atrás.

Na Santa Bárbara, Duarte cumprimentou eleitores sem máscara, espalhando o coronavírus em comunidades carentes

Isso quer dizer que Duarte está há cinco dias fazendo campanha, abraçando eleitor, trocando afagos, mesmo sabendo que estava acometido de coVID-219.

Em nota, Duarte disse que só hoje faria exame para saber se tinha coVID-19, mas na verdade, já sabia que estava doente desde o dia 5.

Além de uma irresponsabilidade, o candidato republicano pode ser enquadrado no Artigo 268 do Código Penal, por crime contra a saúde pública.

É impossível saber quantas pessoas Duarte contaminou nestes cinco disas em que fez campanha mesmo doente.

Mas o fato é que ele cometeu um crime…

Veja abaixo o documento da SES que comprova a doença do candidato:

 

0

Para Jeisael, candidatos desrespeitaram a vida do próprio eleitor

Candidato da Rede Sustentabilidade – que respeitou os protocolos sanitários durante sua convenção – criticou duramente os que promoveram aglomeração e não seguiram as medidas para proteger vidas

 

Convenção de Jeisael seguiu o protocolo exigido pelas autoridades sanitárias do Maranhão; as exigências foram desrespeitada por vários candidatos

O candidato da Rede Sustentabilidade a prefeito de |São Luís, jornalista Jeisael Marx, criticou durante os candidatos quer realizaram convenções sem seguir as normas sanitárias exigidas contra a pandemia de coronavírus.

– Se no processo eleitoral um candidato desrespeita a vida das pessoas, desrespeita a lei deliberadamente, o que será capaz de fazer se eleito? – provocou, no Twitter.

A maioria dos candidatos realizou convenção sem a devida proteção contra a CoVID-19, incluindo os de maior estrutura partidária – Eduardo Braide (Podemos), Duarte Júnior (Republicanos) Neto Evangelista (DEM) e Rubens Pereira Júnior (PCdoB).

Jeisael Marx foi um dos poucos que seguiram o protocolo sanitário.

– Nossa convenção da Rede Sustentabilidade foi sem aglomeração, todos de máscara, acesso controlado. Quem desrespeita a lei e põe em risco vidas humanas no processo eleitoral, já deixa clara a falta de apreço pelo que é correto. O que serão capazes de fazer se eleitos? – disse Jeisael no Twitter.

0

Maranhão vive expectativa de novo pico da coVID -19

Autoridades públicas do estado já admitem que um rebote da doença possa ocorrer até o final de 2020 ou no início de 2021; e já tomam providências sanitárias para evitar corrida em massa a hospitais e clínicas

 

Já em ritmo de retomada de vários setores da economia, o Maranhão poderá ter uma nova onda de coVID-19 no final de 2020 ou início de 2021.

A previsão é governador Flávio Dino (PCdoB), que decidiu adiar flexibilização de novos setores da economia até o resultado do inquérito sorológico no estado, que irá indicar o índice de pessoas que já foram contaminadas.

– Tivemos uma diminuição de casos, porém, talvez tenhamos, nos próximos meses, especialmente no limiar do ano de 2021, um ciclo de novo agravamento do coronavírus. Podemos ter – disse Flávio Dino.

Para o governador, o rebote de coVID-19 ocorrerá pela falta de uma vacina contra o coronavírus, embora as notícias apontem esperança de um remédio ainda em 2020.

– Isso significa que devemos prevenir – afirmou o governador.

O secretário de Saúde, Carlos Lula, já tem agendada reunião com os secretários municipais de saúde para tomar medidas de prevenção contra uma nova onda do vírus…

1

Carlos Lula desautoriza Flávio Dino sobre vacina russa…

No mesmo dia em que o governador do Maranhão anuncia adesão ao protocolo do uso do medicamento contra a coVID-19, secretário de Saúde critica a pressa no que chamou de Vale Tudo e diz que as autoridades “alimentam uma falsa” esperança que pode resultar em tragédia

 

O governador Flávio Dino anunciou neste fim de semana a adesão do Maranhão aos protocolos de uso da vacina desenvolvida pela Rússia contra o coronavírus. Segundo o presidente russo Vladimir Putin, a nova “arma” será testada em massa a partir de outubro.

Mas, a julgar por artigo de sua autoria publicado em jornais, o secretário de Saúde Carlos Lula não dá o apoio à decisão do governador.

Fazendo um paralelo histórico das pandemias, Lula criticou a pressa com que autoridades – não apenas russas, mas de todo o mundo – forçam a barra pela vacina contra o coronavírus e lembra o exemplo dos Estados Unidos, nos anos 70, quando a gripe suína assolou o povo americano e uma vacina anunciada às pressas levou muitos à morte ao invés de proteção.

– A vacina é uma possibilidade quase palpável, mas há um percurso que não deve ser interrompido por interesses que sobreponham a segurança e a eficácia cientificamente comprovadas – alertou o secretário, lembrando, inclusive, que a pressa da vacina levou à derrota de Gerald Ford nas eleições dos EUA.

E alertou:

– A história é uma eterna repetição. Já no final do século 19 Karl Marx fazia o alerta, que permanece atual: Hegel havia dito que fatos de suma importância tendiam a se repetir duas vezes. Marx completou: “a primeira como tragédia, a segunda como farsa”

A postura crítica de Carlos Lula em contraponto ao anuncio entusiasmado de Flávio Dino faz lembrar o então ministro da Saúde, Henrique Mandetta, logo no início da Pandemia de coronavírus, em contraponto ao negacionismo do presidente Jair Bolsonaro.

A postura de Mandetta custou-lhe o cargo de ministro…

Leia abaixo o artigo do secretário:

 

3

São Luís volta a agir como se a pandemia tivesse acabado

Bares, restaurantes, praias e shoppings voltam a receber multidões no fim de semana, a maioria sem máscara; e as autoridades também ignoram as medidas de proteção e de restrição nos estabelecimentos

 

Os bares e vilas de lanchonetes ficaram lotados, sem a menor preocupação com coVID-19 durante o fim de semana

Quem passeou por São Luís no fim de semana teve a impressão de que a cidade está absolutamente livre da pandemia de coronavírus.

O blog Marco Aurélio D’Eça visitou os principais locais de aglomeração desde a sexta-feira, 17 – bares, restaurantes, praias e shoppings – e constatou que a capital maranhense vive uma acelerada volta à normalidade.

De acordo com o último boletim da Secretaria de Saúde, deste domingo, 19, o Maranhão já registra 106.335 casos, com 2.708 mortes.

Na sexta-feira e no sábado, bares da Lagoa da Jansén, da Península da Ponta D’Areia, e da Avenida Litorânea realizaram festas, inclusive com música ao vivo; e extrapolaram o horário de 0h00, estabelecido para encerramento.

Nestes bares, alguns funcionários – só alguns – utilizavam os equipamentos exigidos de proteção (máscaras e face shield); mas ninguém exigia os cuidados necessários aos clientes.

A impressão que se teve desse passeio é que as autoridades também deixaram as exigências de lado; algumas viaturas policiais foram vistas, mas nenhuma abordagem foi feita nos bares e restaurantes.

Nas praias, as mesas na areia ficaram lotadas, mas ninguém respeitou a exigência do distanciamento e do uso de proteção individual

No domingo, as praias da região do Calhau e da Ponta D’Areia foram as vilãs.

Bares e restaurantes também ignoravam as medidas de segurança; praticamente ninguém usava máscaras na areia e muito menos nas mesas dos estabelecimentos, que seguiram sem distanciamento.

O maior rigor se dá mesmo nos shoppings centers, em que o controle de entrada segue com teste de febre e higienização com álcool em gel; mas não há controle sobre o total de pessoas no estabelecimento.

O “nem aí!” com a pandemia segue também nas casas.

Tem sido comum se vê festas em residências, inclusive com música ao vivo, que segue proibida. Nesses eventos não há a menor preocupação com uso de máscaras ou higienização.

A tendência é que a normalidade aumente nas próximas semanas do chamado período de férias de verão maranhense.

Simples assim…

2

Após abertura de bares, números da coVID-19 voltam a crescer em SLZ

Alerta é do epidemiologista Antônio Augusto Moura Silva, que aponta crescimento nos novos casos registrados na Região Metropolitana da capital, após quatro semanas de queda; taxa de transmissão também aumentou

 

Os gráficos do epidemiologista Moura da Silva mostram o crescimento de casos de coVID-19 na região metropolitana (imagem: blog do Gilberto Léda)

O número de casos de coVID-19 na região metropolitana de São Luís votou a crescer pela segunda semana consecutiva, após registrar queda no final de junho.

O alerta foi dado nesta quinta-feira, 9, pelo epidemiologista Antonio Augusto Moura Silva, que mostra também aumento do índice de contágio, agora acima de 1 por pessoa infectada.

O aumento no número de infectados em São Luís começou exatamente após liberação de funcionamento de bares e restaurantes, a partir do sábado, 27 de junho.

Desde então têm-se registrado aglomerações e festas em toda São Luís, principalmente a partir das quintas-feiras, quando começa o fim de semana.

O médico Antônio Augusto Moura Silva é professor-doutor titular do Departamento de Saúde Pública da Universidade Federal do Maranhão (Ufma), e professor de Epidemiologia do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva da Ufma.

O alerta o encaminhado também para os diretores da Secretaria de Estado da Saúde…

0

Apenas dois municípios seguem sem casos de coVID-19 no MA

De acordo com boletim oficial da Secretaria de Estado da Saúde, Lagoa do Mato e São Félix de Balsas não registraram nenhum caso da doença, que atinge 215 municípios e já ceifou a vida de 2012 maranhenses

 

O Maranhão registra casos de coVID-19 em 2015 dos 2017 municípios.

Apenas São Félix de Balsas e lagoa do Mato ainda não foram afetados pelo novo coronavírus, segundo boletim oficial da Secretaria de Estado da Saúde.

Agora já são 2012 mortes registradas em exatos três meses – entre os dias 29 de março, quando foi registrada a primeira vítima fatal, e 29 de junho, quando foi superada a casa dos 2 mil óbitos.

O Maranhão é o sétimo estado a ultrapassar o total de duas mil mortes; e se aproxima-se dos 80 mil casos…

1

Maranhão registra mais mil mortes por coVID-19 em apenas 27 dias

Media de óbitos a cada 24 horas aumentou significativamente na comparação entre a primeira e milésima mortes; e deve superar ainda nesta segunda-feira a simbolicamente triste marca dos 2 mil na pandemia de coronavírus

 

O período entre as mil mortes no Maranhão diminuiu significativamente neste mês de junho, ampliando a média de óbitos a cada 24 horas

O Maranhão registrou a primeira morte por coVID-19 no dia 29 de março, oito dias depois do primeiro caso de contaminação por coronavírus no estado. (Leia aqui)

A partir daí, foram mais 63 dias até que a milésima morte fosse registrada, no dia 2 de junho.

Mas entre o milésio óbito e a marca de duas mil mortes foram preciso apenas 27 dias.

Neste domingo, 28, foram registrados 1.982 óbitos por coVID-19. Se a média diária se mantiver, a triste marca de 2 mil óbitos será superada nesta segunda-feira, 29. (Veja gráfico abaixo)

Boletim da Secretaria de Saúde aponta 1982 óbitos; são menos de 20 mortes para chegar a duas mil, o que deve ocorrer nesta segunda-feira, 29

Na comparação entre os dois períodos, o estado teve entre a primeira e a milésima mortes uma média de 15,87 óbitos por dia; já entre a morte de número mil e as duas mil essa média subiu para 37,03 a cada 24h.

São quase 20 mortes a mais a cada dia neste mês de junho, na comparação com o primeiro período a partir de 29 de março. 

Mesmo assim, o Maranhão vem afrouxando as regras de distanciamento social e liberando o funcionamento de praticamente todo o setor produtivo.

1

Duarte Jr. mostra população exposta à coVID-19 em ônibus

Sem nenhum tipo de controle ou fiscalização por parte da Prefeitura de São Luís, coletivos circulam lotados por todo o dia, ampliando os riscos de proliferação do coronavírus; Gestão Edivaldo, como de praxe, permanece em silêncio

 

Duarte Júnior usou um dos coletivos de São Luís, que estava superlotado e sem nenhum tipo de fiscalização da Prefeitura de São Luís

O deputado estadual Duarte Júnior (Republicanos) fez nesta quarta-feira, 17 uma inspeção pessoal no sistema de transporte coletivos de São luís, para averiguar os riscos de proliferação do coronavírus.

Foram constatados aglomerações nos Terminais de Integração e superlotação dos ônibus, expondo a população a riscos de contaminação por coVID-19.

A Prefeitura de São Luís não pôs nenhum tipo de fiscalização, nem nos terminais e muito menos no acesso aos ônibus.

– Não há qualquer controle de entrada e saída de passageiros. Não há dúvida de que o distanciamento social só existe para quem pode pagar por ele. Imaginem se as aulas presenciais retornarem – alertou o parlamentar.

Duarte fez questão de viajar em um dos ônibus, exibindo os riscos a que estão expostos passageiros e trabalhadores do transporte.

Como ocorre em qualquer questão envolvendo sua gestão, o prefeito Edivaldo Júnior (PDT) permanece em silêncio.

Seguido pelo silêncio da SMTT…