0

Braide assegura chapa de vereadores do MDB em São Luís…

Com prazo até à zero hora deste sábado, 6, para conseguir montar a chapa de candidatos pelo partido do aliado Cléber Verde – que venceu a disputa com a família do governador  Carlos Brnadão, mas perdeu a nominata que já havia sido montada pela antiga direção emedebista – prefeito foi a campo e já posou com os aliados

 

Braide com os novos emedebistas de São Luís; chapa pronta para a disputa pela Câmara Municipal

O jornalista Isaias Rocha publicou em seu blog, nesta sexta-feira, 5, o que seria a chapa com a qual o MDB vai disputar as eleições à Câmara de São Luís; nela, aparece o prefeito Eduardo Braide (PSD), avalista da adesão do partido à sua candidatura.

Braide precisa ter todos os 32 nomes de candidatos – respeitando a proporção de mulheres – até zero hora deste sábado, 6, embora, na prática, esse prazo ainda dure outros cinco dias, até que as listas cheguem à Justiça Eleitoral.

A imagem publicada por Isaias mostra com um grupo de 32 pessoas, entre elas alguns já conhecidas como candidatos.

  • o farmacêutico Assan Kaid é uma das apostas da sigla;
  • também forma fileira ao lado de Braide o jornalista Ciro Nolasco.

Na foto, o próprio Cleber Verde aparece ao lados dos candidatáveis, numa reviravolta que deve garantir chapa a um dos principais paridos da coligação do prefeito.

0

Em época de campanha, até para-raio vale para atacar adversários…

Decisão técnica da Federação Maranhense de Futebol determinou a realização do jogo entre Sampaio e Imperatriz de portões fechados no Estádio Nhozinho Santos, por falta do equipamento de proteção nas tempestades, o que levou aliados do governo Brandão a apontar culpa de Braide na decisão

 

No entendimento científico dos técnicos da FMF, os raios que possam atingir o Nhoz9nho Santos só chegarão ás arquibancadas, não ao campo de jogo

Em São Luís, os raios que podem atingir torcedores nas arquibancadas em eventual tempestade no Estádio Nhozinho Santos não atingem – sabe-se lá por que – quem estiver no campo jogando futebol. 

Pelo menos é esta a conclusão que se tira do laudo técnico da Federação maranhense de Futebol, que proibiu a presença da torcida, mas manteve o jogo entre o Sampaio Correa e o Imperatriz pelo Campeonato Maranhense.

– Se a preocupação é com os raios, nesse caso, todos estão em risco, não só o torcedor. Estarão em campo dois times, além dos suplentes, arbitragem e demais profissionais que trabalharão no jogo – questionou o presidente do Sampaio Corrêa, Sérgio Frota.

A mídia alinhada ao Palácio dos Leões tem usado o episódio para cutucar o prefeito Eduardo Braide (PSD) como culpado, por que, segundo a versão, a ausência de para-raios – ou de para-raios sem funcionamento adequado – é responsabilidade do prefeito.

O curioso é que esse mesmo estádio serviu para outros jogos até semana passada, sem qualquer decisão referente à qualidade dos equipamentos de segurança.

E campanha eleitoral só está começando…

0

Dinheiro que Brandão quer emprestado, Braide já tem guardado…

Nem o mais tolo entre os ingênuos imagina que o governador queira usar o empréstimo de quase R$ 2 bilhões para outra coisa que não seja campanha política; o problema, é que ele esqueceu de fazer a lição de casa – como fez o prefeito de São Luís para garantir o mesmo valor sem precisar endividar o município – e vai entregar ao sucessor um Maranhão ainda mais endividado do que recebeu

 

Brandão precisou endividar o estado para conseguir o mesmo dinheiro que Braide conseguiu com eficiência de gestão

Editorial

Se conseguir  viabilizar nas instituições financeiras os dois empréstimos aprovados em pouco mais de um mês pela Assembleia Legislativa – um de R$ 350 no BNDES e outro de R$ 1,9 bilhão no Banco do Brasil – o governador Carlos Brandão entregará ao sucessor, em 2026, um Maranhão endividado em nada menos que R$ 5,5 bilhões, fora os juros:

  • o estado já deve R$ 3,3 bilhões em dívidas da Caema, com a União e com os municípios; (Saiba mais aqui) 
  • com os novos empréstimos, serão mais R$ 2,2 bilhões, o que aumenta o passivo para R$ 5,5 bilhões.

Nessa conta não estão incluídos os juros das novas dívidas e nem o parcelamento de uma outra dívida, de 2014, que gera despesa de R$ 276 milhões a cada seis meses ao Maranhão.

Ninguém em sã consciência imagina que Brandão vai usar estes novos empréstimos em alguma outra cosia que que não seja campanha política de aliados, em São Luís e no interior; mas ele um exemplo que deveria seguir, bem ao seu lado, na Praça Pedro II: o prefeito Eduardo Braide (PSD).

Enquanto Brandão endivida o Maranhão para ter em caixa mais R$ 2,2 bilhões em ano eleitoral, Braide conseguiu praticamente este mesmo valor apenas com gestão eficiente e aumento de arrecadação; a prefeitura garantiu mais de R$ 2 bilhões a mais em seu caixa, entre 2022 e 2023.

  • no total, foram R$ R$ 2.097.429.789,00 a mais que o esperado nos últimos dois anos;
  • em 2022, Braide esperava arrecadar R$ 4,1 bilhões, mas superou esta estimativa em R$ 1,3 bilhão;
  • em 2023, o orçamento municipal previa R$ 4,3 bi, mas ao fim do exercício chegaram R$ 795 milhões a mais.

São dois exemplos de gestão pública, lado a lado, na Praça Pedro II.

E os dois estarão em avaliação nesta campanha eleitoral…

0

De como Braide criou as condições para seguir “sozinho” na política…

Prefeito de São Luís tem hoje uma gestão controlada – com forte arrecadação e sem necessidade de endividamento, ao contrário do governo Brandão – o que permite a ele conduzir os serviços básicos e manter investimentos sem precisar desesperadamente correr atrás dos governos federal e estadual, além de uma equipe azeitada e leal, o que dá a ele condições de até esnobar a classe política e escolher partidos para compor sua chapa à reeleição

 

Com o controle da gestão, Eduardo Braide consegue manter o mínimo de sua vida em família, o que pesa em sua decisão político-eleitoral

Análise da Notícia

Na semana passada, alguns blogs e portais de São Luís anunciaram que o prefeito Eduardo Braide (PSD) iria repetir sua chapa de 2020, mantendo a atual vice Esmênia Miranda; e que esse gesto – na análise desses blogs e portais – significaria dizer que o prefeito mandava recado ao governador Carlos Brandão (PSB) de que não concorreria ao governo em 2026.

A informação – e sobretudo a interpretação dada pelos autores da notícia – intrigou este blog Marco Aurélio d’Eça, que foi atrás da raiz, ouvindo aliados de Braide e de Brandão, líderes partidários e políticos independentes, culminando com uma longa conversa nesta terça-feira, 26, com o deputado estadual Fernando Braide (PSD), irmão do prefeito.

Da “investigação”, pode-se extrair pelo menos três pontos principais:

  • 1- o prefeito só decidirá sobre vice nas convenções, e a eventual manutenção de Esmênia Miranda não terá qualquer influência sobre 2026;
  • 2 – Eduardo Braide tem uma base de partidos e aliados que mantém dede 2020 e pretende repetir nestas eleições, fechando portas para aventureiros;
  • 3 – a relação de Braide com o governo Carlos Brandão – ou a ausência dela – não tem qualquer influência sobre suas decisões políticas ou eleitorais.

Braide tem hoje uma máquina absolutamente azeitada, com recordes de arrecadação e recursos próprios que lhe permitem tocar os serviços básicos e fazer investimentos sem a necessidade de estar com o pires na mão; para se ter ideia dessa força, houve recorde de arrecadação entre 2022 e 2023, segundo o portal Observatório da Blogosfera: (Leia aqui)

  • No total, foram R$ R$ 2.097.429.789,00 a mais que o esperado nos últimos dois anos;
  • em 2022, Braide esperava arrecadar R$ 4,1 bilhões, mas superou esta estimativa em R$ 1,3 bilhão;
  • em 2023, o orçamento municipal previa R$ 4,3 bi, mas ao fim do exercício chegaram R$ 795 milhões a mais.

Para efeito de comparação, enquanto o governador Carlos Brandão (PSB) busca endividar o Maranhão em mais R$ 2,2 bilhões, Braide conseguiu esta mesma receita apenas com ajustes fiscais, o que lhe permite fazer obras importantes no trânsito, asfaltamento nos bairros e obras básicas, que, se não são de excelência, ao menos garante a popularidade em alta.  

Para a maior parte dos políticos ouvidos por este blog Marco Aurélio d’Eça, esta situação dá a ele a condição de escolher aliados e adversários. Na conversa específica com Fernando Braide isso também salta aos olhos:

– O Eduardo tem o controle da gestão; e ninguém pode negar que a prefeitura cumpre seu papel, com alta avaliação da população. Ele conseguiu organizar todos os aspectos da máquina, dedica-se 100% a ela; não faz sentido apostar em largar tudo isso para concorrer a um governo endividado, gigantesco e descontrolado, o que tirará ainda mais sua relação com a família; por isso, não acredito que ele vá para uma eleição apostando em outra daqui dois anos – ponderou o irmão do prefeito.

Com gestão enxuta, arrecadação em alta, obras e serviços garantidos por receita própria, o prefeito de São Luís navega em céu de brigadeiro, esnobando políticos, ignorando alianças e fazendo adversários tentando adivinhar o seu futuro, em 2024 e 2026.

E com todo este cacife, pouco importa quem será o seu companheiro de chapa…

0

MDB de Brandão joga a toalha na disputa contra Braide…

Saída dos candidatos a vereador pelo partido – que poderão se filiar ao PP – confirma que a cúpula estadual da legenda já não vê possibilidades de impedir a aliança com o prefeito de São Luís; há especulações de que a família do governador também pode migrar para o PSDB

 

A articulação de Cléber para dar o MDB a Braide – com aval de baleia Rossi – passará também pelas eleições de 2026

A notícia de que os pré-candidatos a vereador pelo MDB de São Luís migrariam todos para o PP, do ministro dos Esportes André Fufuca, praticamente consolida a aliança emedebista com o prefeito Eduardo Braide (PSD) na capital maranhense.

Segundo o blog do jornalista Isaias Rocha, Fufuca está conversando com os dirigentes do MDB mais próximos do governador Carlos Brandão (PSB) para abrigar a chapa de candidatos a vereador (entenda aqui); isso mostra que os Brandão perderam mesmo a briga com Braide e já têm convicção de que não terão o partido nas eleições de outubro.

Na última terça-feira, 19, este blog Marco Aurélio d’Eça já havia mostrado que os familiares de Brandão – o irmão que comanda o diretório estadual e sobrinhos – estariam propensos a deixar o MDB após derrota para o deputado federal Cléber Verde; isso foi contado no post “PSDB ainda sem chapa para disputar em São Luís…”.

De lá pra cá, cresceram as especulações apontando que os Brandão perderam o interesse no MDB e se preparam para desembarcar da legenda; sobretudo por que, segundo os próprios emedebistas, a aliança com Braide passa por 2026.

Nada, portanto, eles poderão fazer com o partido…

0

Auxiliares de Braide podem indicar futuro do prefeito em 2026

Aliados do governador Carlos Brandão estão atentos à saída de secretários da prefeitura neste período que antecede o fim do prazo de desincompatibilização dos que vão disputar as eleições de outubro

 

O secretário David Col Debella é um dos mais cotados para vice de Braide e sua movimentação indicará o desejo do prefeito

A movimentação dos auxiliares de Eduardo Braide (PSD) passaram a ser vistas por aliados do governador Carlos Brandão (PSB) como indicativo do futuro político do prefeito de São Luís.

Para o Palácio dos Leões, mudanças no secretariado nestes próximos 15 dias podem apontar se Braide será candidato ou não a governador nas eleições de 2026, caso seja reeleito prefeito.

Os brandonistas estão de olho em quatro movimentações específicas: as dos secretários de Governo, Márcio Andrade, de Obras, David Col Debella, e de Trânsito, Diego Rodrigues; nesta quinta-feira, 21, já deixou a Secretária de Saúde Joel Nunes, outro auxiliar na mira do governo.

Para a base governista de Brandão, esses secretários são homens de confiança de Braide e um deles será seu vice nestas eleições, caso ele decida concorrer ao Governo do Estado em 2026.

Se algum deles deixar o governo em abril – ou em junho, para casos específicos de quem vai concorrer às eleições majoritárias – significa que o prefeito tem mesmo pretensões de ser candidato nas eleições de 2026, caso se reeleja em 2024.

Caso contrário – e, sobretudo, se a atual vice Esmênia Miranda for mantida no posto – entende-se que Braide, se reeleito, ficará os quatro anos no mandato de prefeito.

E isso tem impacto significativo no projeto do governador Carlos Brandão, seja para concorrer ao Senado, seja para ficar no cargo e eleger um candidato da sua escolha ao governo.

Os movimentos de Braide, portanto, não apenas decidem seu futuro, como também influenciam diretamente o futuro do próprio Brandão.

E neste contexto, a candidatura do deputado Duarte Jr. (PSB) é, para o governo, apenas um detalhe burocrático…

0

Eduardo Braide tentou boicotar candidatura de Wellington do Curso…

Prefeito que impediu a filiação do adversário no DC também buscou os dirigentes do Partido Novo para evitar que lançassem a candidatura do deputado estadual, cujo campo de atuação é o seu, na direita mais conservadora

 

Análise da notícia

O prefeito Eduardo Braide (PSD) fez diversas gestões no Partido Novo para tentar evitar a filiação do deputado estadual Wellington do Curso; ele chegou a oferecer espaços no governo e propostas para as eleições de 2026.

Foi barrado no Novo pela disposição do ex-candidato a governador Dr. Lahésio Bonfim, que não quer nenhum outro nome de centro-direita na disputa pelo Governo do Estado em 2026; e Braide não deixa de ser uma ameaça para Lahésio.

Wellington foi anunciado nesta sexta-feira, 15, em vídeo com Lahésio e o presidente do Novo, Leonardo Arruda, como numa espécie de resposta ao post do blog Marco Aurélio d’Eça intitulado “Lahésio decide pelo Novo e anuncia Wellington candidato…”.

Com a candidatura de Wellington anunciada pelo Novo, já são quatro os candidatos confirmados pelos seus partidos em São Luís; além de Braide e Wellington, a disputa tem Duarte Júnior (PSB) e Fábio Câmara (PDT).

  • Braide e Wellington vão disputar majoritariamente os votos de centro-direita;
  • Duarte e Câmara, atuarão com as pautas mais à esquerda.

Leonardo e Lahésio apresentaram Wellington após post deste blog Marco Aurélio d’Eça, mostrando o atropelo do ex-candidato a governador

Não é certo se Braide ou Wellington recebam declarações de apoio do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) ou de bolsonaristas de peso; mas tanto Duarte quanto Fábio Câmara devem vincular suas campanhas a Lula, uma vez que tanto PSB quanto PDT estão na base do governo do PT.

É possível que nas próximas semanas um quinto nome seja confirmado, o deputado estadual Dr. Yglésio (ainda no PSB).

Que deve, finalmente, viabilizar legenda para concorrer…

0

Aliança do MDB com Braide passa por 2026…

Decisão do presidente do partido, Baleia Rossi, agora confirmada pela própria Executiva Nacional, abre caminho futuro com o prefeito de São Luís e sinaliza que não vê consistência no projeto político liderado pelo governador Carlos Brandão na sucessão estadual maranhense

 

Aliado ao MDB, Braide foi levado por Hildo Rocha e Cleber Verde aos ministérios das Cidades e da Pesca, sinalizando campo aberto em Brasília

A decisão do MDB de apoiar a reeleição do prefeito de São Luís, Eduardo Braide (PSD), sinaliza para além das eleições de outubro; a aliança – já ratificada pela Executiva Nacional – deve confirmar espaços de poder para o partido na gestão municipal, mas sugere também dois pontos políticos adicionais:

  • 1: em caso de vitória do prefeito em 2024, o MDB deve estar em um eventual palanque político com Braide nas eleições de 2026;
  • 2: o MDB nacional não viu consistência no projeto político do governador Carlos Brandão (PSB) alinhavado para a sua sucessão, daqui a pouco mais de dois anos.

– Nós temos um compromisso formal com o prefeito Braide, de ajudá-lo na gestão de São Luís; isso implica aliança política para além das eleições de 2024 – disse ao blog Marco Aurélio d’Eça o deputado federal Cléber Verde, principal articulador do apoio a Braide. 

Os Brandão foram levados ao MDB por uma articulação que partiu de setores remanescentes do grupo Sarney para evitar a hegemonia de Cléber Verde no partido.

Foi oferecido ao governador o comando estadual, então presidido pela deputada federal Roseana Sarney, que abriu mão em favor do irmão do governador, Marcus Brandão, homem-forte da Assembleia Legislativa e eminência-parda do próprio governo.

Convencido de que teria o controle absoluto da legenda, Marcus encaminhou seus dois filhos para filiação ao partido:

Mas o projeto anti-Cleber Verde construído pelos setores históricos emedebistas não deu certo e o deputado federal venceu a queda-de-braço com o grupo de Brandão, levando o MDB para o apoio a Braide, agora com aval do presidente nacional e da própria Executiva Nacional.

Resta aos Brandão agora – governador e seu grupo – definir seu futuro no partido…

0

MDB estadual quer discussão interna sobre apoio a Braide, já decidido pela Executiva Nacional

Em nota, Executiva Estadual comandada pelo empresário Marcus Brandão diz que respeita o que chama de “direcionamento dado pela Direção Nacional”, reafirma que o irmão do governador Carlos Brandão continuará na presidência e diz que o debate entre os filiados e lideranças partidárias “é o meio legítimo para as deliberações que se fizerem necessárias”

 

A nota do MDB traz a assinatura genérica da própria Executiva, e abre para necessidade de deliberação de filiados e lideranças

A Executiva Estadual do MDB divulgou nesta quarta-feira, 13, Nota Oficial em que levanta a necessidade de que a decisão tomada pela Executiva Nacional do partido – de apoiar a reeleição do prefeito de São Luís, Eduardo Braide (PSD) – seja referendada pela militância da legenda.

No documento distribuído à imprensa, o MDB estadual chama de “direcionamento” a decisão tomada pela “Direção Nacional do Partido”, mas reafirma que o “meio legítimo para as deliberações que  se fizerem necessárias” ocorrerão após “discussão interna entre filiados e lideranças partidárias”.

A nota, assinada diretamente pela “Executiva Estadual do MDB-MA”, foi divulgada após forte repercussão do vídeo divulgado nesta terça-feira, 12, em que o presidente nacional Baleia Rossi deixa claro que o partido vai apoiar a reeleição de Braide.

Amigos do Maranhão, com muita alegria estou recebendo aqui na sede nacional o prefeito de São Luís Eduardo Braide. Depois de muita conversa pensando no que é melhor para São Luís, o MDB define apoiar a reeleição do Braide; parabéns Cleber Verde pela decisão”, declarou Baleia Rossi. (Relembre aqui)

O documento da executiva estadual divulgada um dia depois da declaração de Rossi reafirma ainda que o presidente Marcus Brandão, irmão do governador  Carlos Brandão – eleito em convenção – continuará à frente do partido; e diz que “há normalidade no funcionamento dos diretórios e executivas provisórias nos municípios de todo o Maranhão.”

0

Duarte Jr. não tem por que reclamar de Brandão…

Governador tem atuado desde meados do ano passado pela unidade da base governista em torno do deputado federal ligado ao agora ministro do STF, o que já resultou na saída do páreo dos pré-candidatos Edivaldo Júnior e Neto Evangelista, além da evidente má-vontade em relação à liberação do deputado Yglésio Moyses para buscar novo partido

 

Duarte pode se frustrar coma perda do MDB, mas não pode negar que Brandão tem buscado viabilizar sua candidatura na base governista

Análise da Notícia

Se viu sua candidatura a prefeito de São Luís esvaziada pelo anúncio de apoio do MDB ao prefeito Eduardo Braide (PSD), o deputado federal Duarte Jr. (PSB) só não pode reclamar de corpo mole do governador Carlos Brandão (PSB) e do seu grupo; desde setembro, Brandão faz evidentes esforços para dar consistência à coligação de Duarte e unificar a base em torno do nome do aliado do ministro Flávio Dino.

Foi a partir do apoio de Brandão que se viu pré-candidatos bem posicionados nas pesquisas deixarem a disputa na capital maranhense, a exemplo do ex-prefeito Edivaldo Júnior (sem partido) e do deputado Neto Evangelista (União Brasil); Brandão também vem impondo resistências à saída do deputado estadual Yglésio Moyses do PSB.

A dificuldade de unidade em torno de seu nome tem relação com a própria forma de convivência política de Duarte Júnior.

O candidato socialista opera pela imposição de cima para baixo ao invés do diálogo, o que afasta aliados na base do governo; sua candidatura é muito dependente da imposição – ainda que velada – do agora ministro do Supremo Tribunal Federal, Flávio Dino, o que também inibe partidos.

Mesmo o MDB, que agora declarou apoio ao prefeito Eduardo Braide, vem sendo trabalhado fortemente pelo governador para estar na base de Duarte Júnior, o que só não ocorreu por causa da maior articulação nacional do deputado federal Cleber Verde e do ex-deputado Hildo Rocha.

Para ser justo, mesmo a contragosto Brandão não se impôs limites para trabalhar pela candidatura do indicado de Flávio Dino e teve significativos avanços nos últimos meses.

Faltou disposição e capacidade de relacionamento ao próprio candidato, que agora sente o golpe do esvaziamento e pode acabar sendo mais uma vítima da maldição da reta final nas eleições de São Luís, como ocorreu em 2012, 2016 e 2020.

Mas esta é uma outra história…