0

Famem prega vacinação “de domingo a domingo” nos municípios…

Após reunião da entidade com o governador Flávio Dino, presidente Erlânio Xavier pregou que o enfrentamento à CoVID-19 requer imunização em massa, sem paralisações em feriados ou fins de semana

 

Erlânio reuniu os diretores da Famem, remotamente, para conversa com o governador Flávio Dino sobre as ações contra a CoVID-19…

O presidente da Federação dos Municípios (Famem), prefeito Erlânio Xavier (PDT), pregou nesta terça-feira, 13, a intensificação da vacinação nos municípios maranhenses.

“É muito importante, prefeitas e prefeitas, quanto mais rápido nós vacinarmos, mais vacina o nosso estado vai receber. Então, nos cabe chamar nossos secretários e equipes, e vacinar de domingo a domingo. Enquanto tiver vacina no estoque, não tem que ter feriado, não tem que ter dia de domingo, porque quanto mais nós vacinarmos, mais estamos imunizando a nossa população”, ressaltou o presidente da entidade municipalista.

Erlânio reuniu a diretoria da Famem em encontro com o governador Flávio Dino nesta segunda-feira, 12, com quem discutiu o apoio governamental ás ações municipalistas.

“Contratamos já vacinadores e digitadores para acelerar o processo de imunização dos municípios e as equipes estão sob o comando das gestões municipais. Nosso objetivo é sempre ajudar”, afirmou o governador.

Estiveram presentes o presidente Erlanio Furtado Luna Xavier (Igarapé Grande); o 1º Vice-Presidente: João Luciano Silva Soares (Pinheiro); o 2º Vice-Presidente: José Carlos de Oliveira Barros (Vargem Grande); o Secretário Geral: João Igor Vieira Carvalho (São Bernardo); o 1º Secretário: Aluísio Carneiro Filho (Esperantinópolis); o Tesoureiro Fernando Portela Teles Pessoa (Tuntum); o 2º Tesoureiro: Alexandre Magno Pereira Gomes (São João dos Patos); o Diretor de Educação, Vanderly de Sousa do Nascimento Monteles (Anapurus); o Diretor de Saúde, Erik Augusto Costa e Silva (Balsas); o Diretor Jurídico, Amílcar Gonçalves Rocha (Barreirinhas); o Diretor de Representação de Brasília, Washington Luís de Oliveira (Bacuri); o 1º Conselheiro Fiscal, Deibson Pereira Freitas (Trizidela do Vale); o 2º Conselheiro Fiscal, Ubirajara Rayol Soares (Graça Aranha); o 1º Suplente Fiscal, Antonio Coelho Rodrigues (Sítio Novo) e o 2º Suplente Fiscal, Francisco Flávio Lima Furtado (Duque Bacelar).

1

Consórcio liderado pela Famem garante mais que vacina aos municípios

Além de acesso à compra do imunizante, grupo de prefeituras poderá conseguir produtos e serviços com mais agilidade e menos custos, além de garantia de maior volume de recursos federais e até internacionais

 

Erlânio Xavier conduz a articulação de prefeitos para cesso ás vacinas contra a COVID-19 e mostra influência municipalista

O consórcio criado pela Famem com objetivo de reunir municípios na compra de vacinas contra a CoVID-19 já tem 11 associados e deve comprar os primeiros imunizantes áinda em abril.

Mas o consórcio, formado com base na Lei nº. 11.107/2005, vai além do acesso à vacina.

Associado a um grupo de municípios, as prefeituras podem ter facilidade noa cesso a bens e serviços públicos, além de garantir maior volume de recursos federais e até internacionais.

– Quanto mais consorciados, maior a efetividade e poder de negociar em melhores condições a aquisição de produtos e serviços, ganhando agilidade no atendimento das demandas públicas – explica o presidente da entidade municipalista, prefeito Erlânio Xavier (PDT). 

A agilidade na realização de serviços e obras por intermédio de consórcios, se dá, por exemplo, por adesão às atas de obras públicas – como asfaltamento – sem a necessidade de realização de licitação própria.

– O consórcio é um importante meio de concretização do federalismo cooperativo e instrumento de implementação de políticas públicas mais eficientes, trazendo para o âmago municipal e regional as discussões de temas inerentes aos interesses intermunicipais – conclui Xavier, um dos mais influentes líderes municipalistas da atualidade.

0

500 vacinas por dia, promete prefeito de Santa Rita

O prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo, anunciou nesta segunda-feira (29), que ele tem como meta aplicar 500 doses da vacina contra covid-19 por dia. Na última sexta-feira (26), a Prefeitura recebeu 5360 doses, as quais são destinadas para a população quilombola e ribeirinha.

De acordo com a Prefeitura de Santa Rita, 871 famílias ribeirinhas vão receber a vacinação nos povoados Kelrú, Desmatado, Morada Nova, Santa Filomena I, Santa Filomena II, Centrinho III, Maribal, Canta Galo, Careminha, Areias, Porto Alegre, Santa Bárbara, Timbotiba, Domuqueque, Santa Luzia e Caruarú.

Outras 2.413 famílias de áreas quilombolas também vão receber a imunização. Os povoados dessas localidades são: Fé em Deus, Pedreiras, Cariongo, Santana, Santa Bárbara, Ilha das Pedras, Sítio do Meio, São José do Enfesado, Santa Luzia, Areias, Santa Rita do Vale, Cajueiro, Ilha das Pedras, Recurso, Fogoso, Jiquiri, Santa Filomena, Rampa, Morada Nova, Kelrú, Mulato, Abana Fogo, Vale quem Tem, Alto de Pedra, Careminha, Carionguinho, Timbotiba, São Raimundo da Felicidade e Maniva.

Com a aplicação de 500 doses, a Prefeitura de Santa Rita planejar imunizar a população ribeirinha e quilombola cadastrada em apenas 10 dias, garantindo uma maior segurança sanitária a toda população do município.

1

OAB cobra na Justiça cronograma de compra de vacinas pelo governo Dino

Entidade quer também que o governo seja obrigado a reinstalar o Hospital de Campanha com 200 leitos, nos moldes do que foi instalado em 2020 e fechado antes que a pandemia tivesse sido controlada

 

Em defesa do direito à saúde e da preservação da vida da população maranhense, a OAB Maranhão ingressou na Justiça com uma ação civil pública, com pedido de liminar, requerendo que o Estado do Maranhão seja obrigado a apresentar, em até 05 dias, o cronograma de aquisição de vacinas do Estado, bem como requerendo a reinstalação de novo hospital de campanha em São Luís com mínimo de 200 leitos, sendo 186 clínicos e 14 UTI, mesmo tamanho do hospital de campanha instalado no ano de 2020 e fechado antes que a pandemia tivesse atingido seu momento mais grave.

Em seu pedido, a OAB cobra que o Estado apresente também os documentos que comprovem quais as providências tomadas no sentido de adquirir novos imunizantes, devendo indicar com quais laboratórios iniciou negociação e apresentar as propostas formuladas, bem como que o Estado apresente, ainda, os dados quanto ao monitoramento, supervisão e avaliação de cada município, nos termos do item “4.10” do Plano Estadual de Vacinação (que atribui tal responsabilidade ao Estado), uma vez que a maioria dos municípios aplicaram menos de 80% (oitenta por cento) das vacinas recebidas.

Em sua ação, a Seccional Maranhense da Ordem leva em consideração: 1. Que o Maranhão está liderando o ranking de maior alta em média de mortes; 2. Que ocupamos a 23ª colocação do ranking de vacinação do País; 3. Termos ultrapassado, na capital, a taxa de 90% de ocupação de leitos de UTI exclusivos para Covid-19, e; 4. Termos, segundo os dados do Ministério da Saúde do Governo Federal, 126.369 doses de vacinas já recebidas pelo Estado e ainda não disponibilizadas aos municípios.

“Mais uma vez a OAB/MA vem cumprir o seu papel de defensora da constituição, da cidadania e da sociedade, e dessa vez pelo bem maior de nossa população que é a vida. Não conseguimos avançar no processo de imunização de nossa população e temos visto a cada dia os números de infecção e de mortes aumentando. Soma-se a isso o fato de que estamos as portas do colapso na rede pública e privada de saúde. O que buscamos é a preservação da vida e evitar que o caos se instale em nosso Estado e que a população não seja, mais ainda, a grande vítima de toda essa situação”, explicou o presidente da OAB Maranhão, Thiago Diaz.

Da assessoria

1

Zé Inácio faz balanço da pandemia e destaca a compra de vacinas pelo governo

O Deputado Zé Inácio (PT) usou a tribuna da Assembleia Legislativa do Maranhão, para fazer um balanço do avanço da pandemia no Brasil. De acordo com o parlamentar, a Fiocruz divulgou relatório em que constata que há um agravamento simultâneo da pandemia no Brasil com uma intensa e descontrolada contaminação pela covid-19 em todo o território nacional. 

“E a consequência disso é que, hoje, em nível de Brasil, temos 20 estados com leitos de UTI com ocupação acima de 80%. Desses 20 estados, 10 estão com ocupação acima de 90%. E diante das variantes da covid e, no caso aqui do Maranhão, já se constatou a variante P1, que é 10 vezes mais contagiosa do que a variante anterior, o vírus original”, destacou Zé Inácio.

O parlamentar também manifestou o seu irrestrito apoio às medidas restritivas adotadas pelo Governo do Maranhão e parabenizou a iniciativa do Governador Flávio Dino e seu vice, Carlos Brandão, na articulação da compra direta da vacina russa Sputinik V. 

Por fim, Zé Inácio criticou a lentidão do Plano Nacional de Vacinação, de responsabilidade do Governo Federal. “O Plano Nacional de Vacinação tem caminhado de forma muito lenta. Atualmente, menos de 5% da população brasileira já foi vacinada. E nesse ritmo, nós vamos passar mais de um ano sem sequer vacinar a metade da população”, ressaltou.

1

Brasil pode superar patamar de 3 mil mortes/dia por CoVID-19 nesta quarta

Ainda no início de março, entorno do ex-ministro Eduardo Pazuello já esperava que a combinação de aglomerações sistemáticas, novas variantes do coronavírus, dificuldade de isolamento social da população e falta de vacina levaria o Brasil a este triste recorde; último balanço aponta para 2.842 mortes em 24 horas

 

O patamar de 3 mil mortes foi avisado ao ex-ministro da Saúde ainda no início de março; e nada foi feito para evitar este triste recorde

Demitido do Ministério da Saúde na última segunda-feria, 15, o general Eduardo Pazuello tinha informações, desde o início de março, de que o Brasil alcançaria o total de 3 mil mortes/dia por coVId-19 ainda no mês de março.

No dia 5 de março, de acordo com o jornal Valor Econômico, Pazuello foi informado de uma triste combinação que levaria o país a bater este triste recorde: falta de vacinas, novas variantes do coronavírus, dificuldade de isolamento social da população e as aglomerações que ocorrem desde o fim do ano. (Saiba mais aqui)

Naquela época, os técnicos do MS apontavam que a linha das 3 mil mortes seria alcançada em duas semanas; mesmo assim, o então ministro não tomou qualquer atitude para barrar a proliferação do vírus.

Nesta terça-feira, 16, o Brasil alcançou nada menos que 2.842 mortes por CoVID-19 em apenas 24 horas. A diferença é de apenas 128 mortes para o patamar de 3 mil, o que pode ser alcançado nesta quarta-feira, 17.

Um triste recorde que foi anunciado e poderia ser evitado.

Mas pelo andar da carruagem, a política do ministério continuará a mesma de Pazuello…

2

Com apoio da Câmara, Braide mostra-se efetivo no combate à CoVID-19…

Prefeito de São Luís alia oferta contínua de leitos com aplicação sistemática de vacinas –  apesar da escassez de oferta de doses – e agora, com emenda de vereadores, garantirá maior quantidade de imunizantes, alcançando maior número de cidadãos

 

Braide tem buscado a oferta constante de leitos para tratamento da CoVID-19, mesmo com o aumento progressivo do número de casos em São Luís

Em meio à crise pela escassez de vacinas contra a CoVID-19 – e a notória má-vontade do governo Jair Bolsonaro – o prefeito Eduardo Braide (Podemos) tem sido extremamente efetivo no combate à pandemia.

Ele consegue aliar oferta contínua de leitos para tratamento de infectados pelo coronavírus – só ontem foram 10 novos leitos – às campanhas de vacinação em massa, mesmo com a falta contínua do imunizante.

Para se ter ideia da efetividade do prefeito de São Luís, a capital maranhense já está vacinando idosos com idade entre 75 e 79 anos; e já está agendando a vacinação dos que têm idade entre 70 e 74 anos.

O prefeito acompanha pessoalmente as campanhas de vacinação, que podem aumentar progressivamente com a ajuda dos vereadores

Para garantir essa ação contínua, Braide conta também com o apoio de vereadores, sob a liderança do presidente da Câmara, Osmar Filho (PDT).

Por intermédio da Câmara, receberá recursos de emendas coletivas para comprar vacinas diretas de fabricantes.

A contribuição dos vereadores garantirá a aceleração da campanha de vacinação, o que pode reduzir o prazo estimado para imunização de todos os ludovicenses.

Uma notícia e tanto para uma cidade que sofre com o aumento da pandemia…

2

Presidente da Famem destaca compra de vacina Sputnik por governadores

Erlânio Xavier diz que, no momento em que o Brasil passa por uma crise sem precedentes na pandemia de coronavírus, decisão dos governadores é uma forma de firmar um pacto pela vida

 

O presidente da Famem, Erlanio Xavier, comentou nesta sexta-feira, 12, a iniciativa do Consórcio   Nordeste em providenciar a compra de doses de vacina russa Sputnik V.

“O Brasil está passando por uma crise sem precedentes em termos de ameaça a vida. A decisão dos governadores em firmar este pacto pela vida neste momento em que a pandemia da Covid-19 ceifa mais de 2 mil mortes por dia é uma iniciativa sem precedentes na história deste país sacudido por um tragédia”, disse o prefeito de Igarapé Grande.

Numa negociação fechada no ano passado os governadores obtiveram desconto na compra do imunizante, ficando a unidade pelo valor de US$ 9,95.

O memorando sobre intenção de compra foi enviado em outubro do ano passado, quando aparentemente a pandemia estava em contenção.

De acordo com o porta voz do Consórcio Nordeste, o governador Wellington Dias (PI), a antecipação nas negociações além de baixar o valor da compra, foi acertada a compra de 39 milhões de vacinas.

A negociação fechada pelo Ministério da Saúde obteve 10 milhões de doses da vacina.

A Spunik ainda não foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em caráter emergencial.

1

Vereadores vão discutir compra de vacinas com secretário de Saúde

Reunião marcada para as 10h30 desta segunda-feira, 15, apresentará ao secretário Joel Nunes o balanço da emenda coletiva que visa garantir recursos para compra de vacinas em São Luís, além de discutir outras ações contra a CoVID-19

 

A sessão será remota na manhã desta segunda-feira, 15, na Câmara de São Luís; vereadores também vão discutir compra de vacinas com secretário de Saúde

O presidente da Câmara Municipal, Osmar Filho (PDT), convocou os vereadores de São Luís para uma reunião às 10h30 desta segunda-feira, 15, com o secretário municipal de Saúde, Joel Nunes.

Na pauta, a compra direta de vacinas para o combate à CoVID-19 na capital maranhense.

Osmar Filho liderou semana passada aprovação unânime do projeto de Lei que autorizou a Prefeitura de São Luís a compra vacinas diretamente dos fabricantes.

No dia seguinte, o presidente da Câmara organizou a aprovação de uma emenda coletiva para viabilizar recursos que garantirão a compra dessas vacinas.

Além de discutir a destinação dessa emenda coletiva, os vereadores vão tratar com o secretário de saúde outras ações contra a CoVID-19.

A sessão desta segunda-feira será realizada na parte da tarde, à partir das 16h, quando será votado um veto do prefeito a um projeto de 2019 aprovado na Casa.

Pór causa das restrições da pandemia, a sessão será remota…

0

Maranhão tem mais 71,4 mil doses de vacina

O Maranhão recebeu na tarde deste domingo (7), as novas doses da vacina Coronavac. Foram recebidas 71.400 doses do imunizante o que garantirá mais 34.024 pessoas imunizadas no estado. De acordo com a orientação do Ministério da Saúde, estão no público-alvo desta etapa profissionais de saúde e população idosa de 90 anos ou mais.

“Conforme a orientação do Ministério da Saúde será distribuída apenas a 1ª dose das vacinas. Assim que chegar a data da segunda dose, enviaremos a nova remessa de vacina para que seja garantido que aqueles que receberam a primeira dose, recebam também a segunda”, explicou a superintendente de Epidemiologia e Controle de Doenças da SES, Tayara Pereira.

A distribuição das vacinas começou ainda ontem, quando o Governo do Estado deve distribuir as doses referentes ao município de São Luís. Já na manhã desta segunda-feira (8) deve ser iniciada a distribuição para as regionais de saúde de Itapecuru, Rosário, Codó e Imperatriz. Cada gestor de regional deve distribuir para todos os municípios que compõe a regional de saúde. Já a aplicação das vacinas na população fica a cargo dos municípios.

Do blog de Gilberto Léda