1

À espera de Tadeu Palácio, PSL conversa com Deus-e-o-mundo…

Presidente da legenda, vereador Chico Carvalho, já se reuniu com Eduardo Braide, Rubens Pereira Júnior e Neto Evangelista, mas ainda vai se reunir com a direção nacional para definir caminhos nos municípios

 

Chico Carvalho ainda espera por Tadeu Palácio, que sumiu depois que Jair Bolsonaro deixou o PSL

O presidente do PSL no Maranhão, vereador Chico Carvalho, negou que tenha fechado questão em torno de qualquer candidato nas eleições de São Luís.

Segundo Carvalho, a sigla tem sido procurada por vários candidatos, mas a prioridade é a candidatura do ex-prefeito Tadeu Palácio.

– O que há de fato é que o partido ainda aguarda a posição do ex-prefeito Tadeu Palácio, que é do PSL. Além disto, teremos uma reunião no próximo dia 4 de fevereiro com a Direção Nacional para saber das demandas e caminhos a serem seguidos pelas direções estaduais – revelou o vereador, em nota encaminhada ao blog Marco Aurélio D’Eça.

Enquanto espera pela decisão de Palácio, Chico Carvalho vem conversando com outros pré-candidatos, sem definição de aliança com nenhum deles.

– Já recebi Rubens Pereira, pai do secretário Rubens Júnior, conversei com o deputado Eduardo Braide e também recebi o deputado Neto Evangelista e o ex-deputado Stênio Rezende. E assim continuarei fazendo porque política se faz com conversas também. Mas não se pode falar em aliança com qualquer nome colocado neste instante para a disputa – declarou Chico Carvalho.

0

Saída de Bolsonaro desestimulou candidatos do PSL em São Luís…

Melhor posicionado do partido nas pesquisas, ex-prefeito Tadeu Palácio não mais tratou do assunto após a crise gerada pelo presidente; outros cotados como candidatos devem esvaziar a legenda

 

Ao lado da esposa Gardênia, Tadeu Palácio foi um entusiasmado militante da campanha de Bolsonaro em 2018; e apostava na força do presidente para voltar á Prefeitura de São Luís

Partido pelo qual Jair Bolsonaro foi eleito, o PSL chegou a cogitar candidatura própria a prefeito de São Luís, apostando em se beneficiar de uma eventual popularidade do presidente.

Mas a crise provocada pela tentativa do presidente de se apossar da legenda – e a consequente saída do seu grupo – acabou por desestimular os interessados em concorrer à Prefeitura de São Luís.

O ex-prefeito Tadeu Palácio, por exemplo, chegou a se filiar ao PSL, a convite do vereador Chico Carvalho; e apareceu em pesquisas com até 6% das intenções de votos.

Mas desde a saída de Bolsonaro da legenda, Palácio não voltou a tratar do assunto publicamente.

Quando Palácio se filiou ao PSL – também ao lado da mulher, Gardênia – a imagem de Bolsonaro ainda era usada pelo partido de Chico Carvalho

Eleitor de Bolsonaro, o ex-prefeito fez campanha pública para ele em, 2018; e apostava em uma eventual popularidade do presidente para tentar voltar ao comando de São Luís.

Outros bolsonaristas que chegaram a ser cotados como candidatos – o médico Allan Garcês, a ex-candidata a governadora Maura Jorge, e do líder da Direita Maranhense, coronel Monteiro – devem também deixar o PSL, sobretudo pelo difícil relacionamento com Carvalho.

O resultado é que, sem Bolsonaro, o PSL tende a voltar a ser o que sempre foi no país, um partido do grupo dos chamados nanicos – apesar do crescimento meteórico em 2018.

E, agora, não terá sequer as coligações, que sempre garantiram eleição de representantes à Câmara…

4

Tadeu Palácio ganha força no PSL após derrocada de bolsonaristas…

Ex-prefeito é diretamente ligado ao vereador Chico Carvalho, que se fortaleceu com a saída do presidente Jair Bolsonaro e conduzirá o processo eleitoral no partido em 2020

 

Carvalho é o aval de Tadeu Palácio para candidatura pelo PSL em São Luís

A ex-candidata a governadora Maura Jorge já anunciou sua saída do PSL; com ela, devem seguir para o novo partido de Jair Bolsonaro os também bolsonaristas Allan Garcêz e Coronel Monteiro.

A saída dos bolsomínions fortalece o projeto de candidatura do ex-prefeito Tadeu Palácio pelo PSL.

Palácio é historicamente ligado a Carvalho, que o chamou ára a legenda com o intuito de lança-lo candidato a prefeito.

O problema é que o próprio Tadeu Palácio só foi para o PSL porque apostava em ter a popularidade do presidente vinculada ao seu nome.

De qualquer forma, ele passa a ser o único representante da legenda na disputa de 2020…

3

De como o Brasil caminhou até a crise do PSL com Bolsonaro…

A guerra entre adversários e partidários do presidente pelo controle do partido expõe o baixo calão, as grosserias, estupidez e boçalidade do grupo que chegou ao poder no país com a vitória de 2018, também uma estupidez coletiva

 

JOICE COM BOLSONARO; O AMOR ACABOU POR CAUSA DO DINHEIRO DO PSL; agora sobram ofensas, agressões e preconceito, marca deste governo

Editorial

Eleito em 2018 por uma espécie de estupidez coletiva, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) inaugurou seu mandato com a exposição de um vídeo pornô em que pretendia dar lição de moral à nação.

Depois disso, como lembra o jornalista Reinaldo Azevedo, ordenou festa para o Golpe de 64, comemorou torturadores, discriminou minorias,  defendeu assassinatos em defesa da propriedade, atacou ambientalistas, ridicularizou esposas de líderes internacionais, tentou usar a Polícia Federal em seu favor, manipulou dados oficiais, agrediu adversários…

É um ignorante no comando do país.

Por tudo isso, a guerra interna no seu partido, o PSL – com todos os requintes de grosseria, ofensas mútuas, palavras de baixo calão e agressões pessoais – soa apenas como mais uma etapa neste processo que deve durar ao menos quatro anos.

Espera-se que só quatro anos.

Jair Bolsonaro já demonstrou ao mundo que não está preparado para ser presidente da República.

Agora, os seus correligionários também demonstram despreparo tanto quanto ele, usando a linguagem de animais, porcos, cadelas, ratos e veados, como fazem Joice Hasselmann e Carlos Bolsonaro.

E o Brasil que nasceu da estupidez ainda tem que aguentar toda esta porcalhada…

2

O valor da guerra de Bolsonaro pelo PSL: R$ 700 milhões…

Presidente da República e seus filhos descobriram a mina que é a máquina partidária – com recursos dos fundos partidário e eleitoral – e decidiram se apossar da sigla, expondo aliados e o próprio governo ao ridículo

 

BOLSONARO E SUA TROPA DE CHOQUE CASEIRA: 01,02 e 03 estão de olho nos R$ 700 milhões que chegarão ao PSL até 2020

Não há nada de nobre na articulação do governo Jair Bolsonaro para tomar de assalto o PSL, partido que lhe deu legenda para concorrer a presidente em 2018.

A guerra suja que se assiste desde que Bolsonaro resolveu classificar de “queimado” o presidente da legenda, Luciano Bivar, em vídeo publicado no blog Marco Aurélio D’Eça, tem um interesse meramente financeiro.

O PSL, que já existia bem antes da entrada de Bolsonaro, vai receber até o final de 2019 nada menos que R$ 115 milhões do Fundo Partidário.

Em 2020, a bufunfa é ainda maior: algo em torno de R$ 600 milhões.

Tudo isso despertou o interesse da família agora encastelada no Palácio do Planalto.

E os filhos  01, 02 e 03 partiram pra pilhar o partido e afastar adversários.

Simples assim…

1

“O PSL terá candidato a prefeito”, afirma Chico Carvalho…

Presidente regional da legenda, vereador de São Luís diz que o desempenho dos seus pré-candidatos na pesquisa Escutec/O Estado – sobretudo o de Tadeu Palácio – o credencia a falar de candidatura própria

 

CHICO CARVALHO GARANTE CANDIDATURA DO PSL, e mostra clara preferência por Tadeu Palácio

O vereador Francisco Carvalho, presidente regional do PSL, avaliou positivamente o desempenho dos pré-candidatos do seu partido na pesquisa Escutec/O Estado, divulgada no fim de semana.

– Somados, os nomes do PSL chegam a 8%. Tadeu Palácio está na casa dos 5%. Isso é um desempenho para poucos – afirmou Carvalho, minimizando o fato de a rejeição de Palácio ser uma das mais altas.

Mesmo diante do momento ruim do partido – com a crise envolvendo o presidente Jair Bolsonaro e a direção nacional – Carvalho disse que o PSL segue seu caminho naturalmente, pronto para disputar as eleições de 2020.

– O PSL sempre disputou eleições no Maranhão; sempre mantivemos representantes na Câmara e na Assembleia, antes mesmo de termos o presidente; E o PSL terá candidato a prefeito – afirmou o vereador.

A preferência de Carvalho fica notória em favor de Tadeu Palácio, mas ele prefere não citar nomes neste momento da campanha.

Os partidos têm até julho de 2020 para definir os candidatos…

4

Pesquisa aponta fracasso do bolsonarismo em São Luís

Além da reprovação do próprio presidente, a soma dos votos dos candidatos cotados no PSL sequer atinge os dois  dígitos nas intenções de votos, o que reforça a tese de pouca influência do Governo Federal no pleito de 2020

 

PREFERIDO POR CHICO CARVALHO NO PSL, TADEU PALÁCIO TEM O MELHOR DESEMPENHO ENTRE OS NOMES DO PARTIDO, mas sua rejeição é a segunda maior entre todos os candidatos

É um fracasso retumbante o desempenho eleitoral dos pré-candidatos a prefeito pelo partido do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

A pesquisa do Instituto Escutec, divulgada no fim de semana pelo jornal O EstadoMaranhão,  incluiu nada mesmo que quatro nomes do PSL – Tadeu Palácio, Coronel Monteiro, Allan Garcês e Sílvio Antonio –  e, mesmo assim, a soma deles não chega aos dois dígitos.

O cenário 1 do levantamento Escutec, por exemplo, incluiu todos eles juntos; o melhor desempenho foi o do ex-prefeito Tadeu Palácio, que alcançou 4,8%. Coronel Monteiro ficou na casa de 1,7% e os dois outros nomes só registraram 1% de intenção de votos.

O melhor desempenho de um candidato ligado ao presidente Jair Bolsonaro foi o de Tadeu Palácio no cenário 5, quando ele alcançou 5,7% das intenções. O outro bolsonarista incluído, Sílvio Antonio, ficou com 1%.

Aliás, essa performance do ex-prefeito o colocaria no pelotão intermediário da disputa, com chances de chegar a brigar pela segunda posição.

Mas sua rejeição é de 19,1%, a segunda maior da pesquisa Escutec; em eleições, a rejeição pode ser um limitador do desempenho de um candidato.

TANTO O CORONEL MONTEIRO QUANTO O MÉDICO ALLAN GARCÊS SOFREM O DESGASTE DE BOLSONARO, e apresentam desempenho pífio nas pesquisas

Além do pífio desempenho dos candidatos a prefeito, o PSL registra também forte rejeição ao governo Bolsonaro.

De acordo com a Escutec, nada menos que 59% da população ludovicense rejeitam sua condução do país; outros 48,2% consideram o governo ruim ou péssimo.

A pesquisa revelou também que 53,8% dos eleitores de São Luís não votariam de jeito nenhum em um candidato de Bolsonaro.

O levantamento revela, portanto, que menos de um ano depois de ter sacudido o país o bolsonarismo caminha para a desimportância nas eleições de 2020.

É aguardar e conferir…

0

Bolsonaro implode PSL e inviabiliza projeto do partido em São Luís

Presidente jogou à própria sorte a legenda pela qual se elegeu e deixou órfão de projeto eleitoral os aliados que estavam se movimentando pela sucessão do prefeito Edivaldo júnior

 

CHICO CARVALHO COM TADEU PALÁCIO E A MULHER, GARDÊNIA; partido perde importância sem a chancela de Jair Bolsonaro

O presidente regional, vereador Chico Carvalho, tentou atrair até o deputado federal Hildo Rocha (MDB) para a legenda.

Levou o ex-prefeito Tadeu Palácio e fez festa de pré-candidato a prefeito.

Sem falar no demais membros da legenda, como Allan Garcez e Maura Jorge, também cotados como opções para a prefeitura.

Todos eles estão órfãos, depois que o presidente Jair Bolsonaro decidiu atacar o próprio partido pelo qual se elegeu.

Sem o recall da eleição de Bolsonaro, o PSL perde qualquer importância que poderia ter nas eleições de 2020.

Ainda há tempo de alguns desses pré-candidatos buscar nova legenda.

E provavelmente eles assim o farão…

1

Desprezo de Bolsonaro torna PSL em São Luís desimportante em 2020…

Presidente praticamente descartou a legenda como opção de poder, ao mostrar-se totalmente distante das questões envolvendo o partido, além de atacar o presidente Luciano Bivar

 

BOLSONARO DECIDIU ABANDONAR O PSL À PRÓPRIA SORTE, após usar a legenda para virar presidente da República

O candidato que sair do PSL na s eleições de 2020 não terá qualquer importância no contexto político de São Luís.

Já não tinha alguma, diante do desgaste do governo Jair Bolsonaro e do evidente arrependimento dos que optaram por ele em 2018.

Agora, que o próprio Bolsonaro despreza o partido, nenhum dos nomes que vierem a ser apresentado como opção para prefeito de São Luís terá qualquer perspectiva de vitória.

Em guerra interna contra o comando do partido, ele simplesmente chegou a pedir a um correligionário de Recife (PE) para que não publicasse uma foto ao seu lado se fosse citar o nome de Bivar. (Veja o vídeo abaixo)

É evidente que a onda Bolsonaro que o levou ao governo está passando cada vez mais rápido e sua influência no processo de 2020 já não é nenhuma.

E seu partido, o PSL, também só ganhou importância a partir da própria vitória do presidente.

Agora, sem ele como vitrine, voltará a ser um mero partido nanico.

Conhecida até pouco tempo atrás como legenda de aluguel.

Simples assim…

3

A rejeição de Bolsonaro e os candidatos do PSL em São Luís…

Antipatia ao presidente na capital maranhense reflete diretamente na performance dos candidatos do partido que, ainda por cima, vivem em guerra pelo controle da legenda com o presidente regional Chico Carvalho

 

CHICO CARVALHO COM BOLSONARO: PSL em crise interna e presidente rejeitado em São Luís

Eleito na esteira de um dos maiores golpes políticos do Brasil, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) começa a sentir a antipatia popular nos grandes centros do país, sobretudo as capitais.

E São Luís não é diferente.

Na capital maranhense, menos de 1/4 da população ainda acredita na gestão bolsonarista, segundo revela pesquisa do Instituto Prever, divulgada no fim de semana.

E a antipatia a Bolsonaro se reflete na preferência aos possíveis candidatos do seu partido a prefeito. Nada menos que 63% dos eleitores não querem votar em candidato apoiado elo presidente.

Além disso, o PSL não se entende em São Luís.

Vinculados diretamente ao presidente, o médico Allan Garcês e o Coronel Monteiro tentam se viabilizar como opção, mas são rejeitados pelo vereador Chico Carvalho, presidente regional da legenda.

Carvalho prefere o ex-prefeito Tadeu Palácio, que aderiu ao bolsonarismono meio da campanha, em 2018.

O fato é que, pelo que se vê em, São Luís, a onda da eleição de Bolsonaro parece ter passado em São Luís.

E quem aposta em seus frutos para se dar bem na políica poderá ficar de fora do poder.