1

Lula quer PT com PDT, PCdoB, PSB e MDB no mesmo palanque no MA…

Movimentos do ex-presidente deixam claro que ele pretende em uma aliança de centro-esquerda, que pode reunir o governador Flávio Dino e a ex-governadora Roseana Sarney no palanque do senador Weverton Rocha; reação de lideranças petistas e emedebistas maranhenses – com pouca ou nenhuma influência nas instâncias nacionais – tem mais a ver com a tentativa de manter espaços no segundo e terceiro escalões de um eventual governo do vice tucano Carlos Brandão

 

Weverton Rocha participou de jantar exclusivo com o ex-presidente Lula e a bancada do PT, movimento que repercutiu diretamente no debate eleitoral de 2022 no Maranhão

A intensa repercussão da movimentação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), na semana passada, reforçou a tese de uma aliança de centro-esquerda que reúna não apenas o PT, mas também o PDT, o PCdoB, o PSB e também o MDB nas eleições de 2022.

E esta aliança indica a possibilidade de um palanque no Maranhão que reúna o atual governador e pré-candidato a senador, Flávio Dino (PCdoB), e a ex-governadora Roseana Sarney (MDB), no palanque do senador Weverton Rocha (PDT) ao Governo do Estado.

Interlocutor frequente de Flávio Dino, Lula fez dois gestos na direção da aliança: 

1 – recebeu Weverton Rocha em um jantar com a bancada do PT no Senado e os dirigentes nacionais do partido; 

2 – Foi recebido pelo ex-presidente José Sarney (MDB).

Apesar de não comandar seus partidos, tanto Weverton quanto Sarney têm forte influência na direção nacional dessas legendas, o que pode garantir a aliança.

A reação de algumas lideranças locais do PT e do MDB – com pouca ou nenhuma influência influência nas instâncias nacionais de seus partidos – foi, num primeiro momento, a de minimizar a movimentação de Lula.

Os petistas maranhenses têm indicações no segundo e terceiro escalões do governo Flávio Dino; os emedebistas, a maioria da chamada velha guarda sarneysista, são mais vinculados às ideias do presidente Jair Bolsonaro.

Estas lideranças fazem gestos ao atual vice-governador Carlos Brandão (PSDB) – que deve assumir o comando do estado em abril de 2022 – tentando garantir posições no eventual governo tucano-bolsonarista.

A questão é que os movimentos de Lula rumo ao centro-esquerda visam, exatamente, neutralizar o PSDB como opção de poder a Jair Bolsonaro.

E mostram que o caminho natural do PT é com PDT, PCdoB, PSB e MDB…

1

Com Sarney, Lula busca o MDB…

Ex-presidente articula ampla aliança do PT com partidos de centro-esquerda, e vê no ex-presidente do Senado a figura mais importante da legenda; aliança pode repercutir também nas eleições do Maranhão

 

Os ex-presidentes Lula e Sarney trataram de eleições 2022; o petista quer o MDB em seu palanque nacional

A aproximação do PT com o MDB – pauta do encontro dos ex-presidentes Lula (PT) e José Sarney (MDB) – pode ter forte repercussão nas eleições do Maranhão.

Lula quer formar uma ampla aliança de centro-esquerda, o que inclui, além do PT, também o PDT, o PSB, o PCdoB e o MDB.

Ao senador Weverrton Rocha, pré-candidato do PDT, ele já garantiu articulações pelo apoio do PT; a Sarney, Lula pediu influência na articulação do MDB.

Weverton Rocha,. do PDT, foi recebido pelo líder do PT em jantar com a bancada petista, esta semana

No Maranhão, os emedebistas já mantêm uma aproximação com o PDT de Weverton Rocha desde as eleições de 2020, embora ainda haja lideranças do partido que defendem candidatura própria e até aproximação com o vice-governador Carlos Brandão (PSDB).

A eventual aliança nacional PT/MDB pode consolidar no Maranhão a aliança MDB/PDT.

É aguardar e conferir…

2

José Sarney no centro do jogo político

Ex-presidente tem sido procurado por pré-candidatos, senadores, deputados federais e até membros do Judiciário em busca de conselhos sobre como proceder no atual momento político brasileiro

 

Sarney é o principal interlocutor político para candidatos como Lula e Bolsonaro; e para membros do Senado e do STF também

Aos 91 anos recém-completados, sem mandato e aposentado da vida política, o ex-presidente José Sarney continua no centro do jogo de poder em Brasília.

Em menos de uma semana, ele foi procurado tanto pelo presidente Jair Bolsonaro quanto pelo ex-presidente Lula (PT), ambos candidatos a presidente em 2022.

Neste período de turbulência em Brasília, o ex-senador  também tem sido buscado por senadores, deputados federais e até membros do Judiciário.

Ele é o principal conselheiro político de Brasília neste momento.

Pela postura conciliatória do ex-presidente, é pouco provável que ele faça gestos em prol de aliança do MDB com o beligerante Bolsonaro; mas o atual mandatário tenta, ao menos, minimizar os riscos da CPI da COVID, que tem o senador Renan Calheiros como relator.

A propósito, Calheiros também esteve com Sarney semana passada, logo após forte discurso na instalação dos trabalhos da comissão.

A relação de Sarney com Lula é mais orgânica e solidificada, embora os dois tenham se afastado após o impeachment de Dilma, em 2016. O candidato do PT quer aliança com o MDB.

De uma forma ou de outra, Sarney  mostra que ainda é o principal líder político brasileiro.

Mesmo há anos sem mandato…

1

“MDB não fará restrição a nenhuma força política em 2022”, diz Roberto Costa

Deputado estadual anunciou para 2 de julho a convenção partidária em que será definido o comando do novo diretório; a partir de então, a legenda começará a discutir a sucessão do governador Flávio Dino com os atores que já manifestaram interesse na disputa

 

João Alberto apoia as posições do deputado Roberto Costa no comando do MDB maranhense; partido não terá restrição de alianças em 2022

O MDB maranhense não term qualquer restrição a nenhum grupo político nas eleições de 2022.

Esta é a posição anunciada pelo vice-presidente estadual, deputado Roberto Costa, após reunião do diretório estadual, na última sexta-feira, 23, e com o presidente estadual, ex-senador João Alberto, nesta segunda-feira, 26.

– O partido irá discutir de forma ampla com todas as forças políticas do estado sem fazer restrições – afirmou Costa.

Na reunião com João Alberto, ficou definido que a data da convenção partidária será em 2 de julho, quando o diretório escolherá seu novo comando.

É a partir desta convenção que o MDB passará a discutir sua relação com as demais forças políticas maranhenses e sua chapa de candidatos a deputado federal e estadual.

Na reunião da última sexta-feira, 23, o MDB regulamentou o número de membros de cada diretório.

Ao diretório estadual coube o número de 45 membros. Aos municípios que têm menos de 100 mil habitantes ficou deliberado a quantidade de 15 membros e aqueles com mais de 100 mil habitantes têm direito a 31 membros.

Além do apoio de João Alberto, a posição de Roberto Costa tem o aval da ex-governadora Roseana Sarney – que deve assumir o comando estadual emedebista – e do presidente nacional da legenda, deputado federal Baleia Rossi (SP).

4

O que temem os tais cardeais do MDB no Maranhão?!?

Incomodados com as ações e declarações públicas do deputado estadual Roberto Costa – figura mais efetiva do partido na atualidade – figurões emedebistas, com ou sem mandato, se escondem em declarações “sem identificação” para contrapor o parlamentar

 

Todas as ações de Roberto Costa no MDB seguem alinhamento ao que pensam Baleia Rossi e Roseana Sarney, embora incomodem outros figurões da legenda

O deputado estadual Roberto Costa figura na atualidade como a liderança proeminente do MDB no Maranhão.

Ele conduz o partido de forma inequívoca e traça os projetos políticos e eleitorais que resultaram em um alinhamento claro aos segmentos mais progressistas da política local; e de renovação das práticas do próprio MDB – inclusive com vistas às eleições de 2022.

Nessas ações, deixa claro o alinhamento ao presidente nacional Baleia Rossi (SP) e ao projeto da ex-governadora Roseana Sarney, que deve assumir o comando estadual em junho ou julho.

Mas o parlamentar tem incomodado figurões do MDB, com ou sem mandato.

Tais figurões poderiam fazer o contraponto público a Roberto Costa, mas, demonstrando medo – sabe-se lá de quê – preferem ficar escondidos atrás de declarações “sem identificação” em blogs e outros meios de comunicação.

O que temem os figurões do MDB maranhense?

Se não querem o alinhamento do partido ao projeto de poder do governador Flávio Dino (PCdoB), por que não declaram publicamente?

Além de Roseana e Costa, o MDB maranhense tem em seus quadros figuras de peso e outras nem tanto, como os ex-senadores Edison Lobão e João Alberto; os deputados federais Hildo Rocha e João Marcelo, além dos estaduais Arnaldo Melo e Socorro Waquim.

Se nem um deles tem coragem de questionar publicamente as ações e declarações de Roberto Costa, significa que é Roberto Costa quem ,de fato, dá as cartas no MDB maranhense.

É simples assim…

4

PDT deve reunir outros seis partidos em 2022…

Legenda que tem o senador Weverton Rocha como melhor colocado nas pesquisas de intenção de votos para o Governo do Estado já tem aliança com DEM, PRB e PSL; e pode reunir ainda o PTB, o MDB e o Cidadania

 

A reunião de Brasília, semana passada, deu uma forte dimensão do tamanho da aliança que o PDT constrói para 2022

O PDT, partido do senador Weverton Rocha, trabalha com a perspectiva de reunir, ainda neste primeiro semestre, nada menos que seis legendas em uma pré-coligação para o Governo do Estado.

Líder na maioria dos cenários de todas as pesquisas de intenção de votos, Weverton já reúne ao seu lado DEM, PRB e PSL; e pode consolidar aliança com MDB, PTB e Cidadania.

O MDB tem a ex-governadora Roseana Sarney como opção em 2022, embora ela mesma já tenha decidido não ser candidata a governadora

O grupo mais tradicional do MDB defende aproximação com o vice-governador Carlos Brandão, mas a ala mais jovem prefere aliança com os pedetistas, repetindo o projeto de 2020.

O PTB está hoje sob o comando da deputada estadual Mical Damasceno, mas ainda recebe forte influência do deputado federal Pedro Lucas Fernandes; Fernandes, inclusive, já se articula com o PSL, do vereador Chico Carvalho.

Por fim, o PDT engatou forte aproximação com o Cidadania, da senadora Eliziane Gama, outra opção para o Governo do Estado.

Esta aproximação pode resultar em aliança para 2022.

É aguardar e conferir…

1

Flávio Dino já pede votos em Marcelo Tavares para vaga no TCE

Governador tem atuado pessoalmente em favor do chefe da Casa Civil no contato direto com os deputados estaduais, que irão escolher, em agosto, o substituto do conselheiro Nonato Lago; escolha nada tem a ver com a eventual candidatura do vice-governador Carlos Brandão em 2022

 

 

Flávio Dino tem interesse pessoal na escolha de Marcelo Tavares para o TCE; pouco importam os problemas do vice Carlos Brandão

O governador Flávio Dino (PCdoB) tem pedido votos pessoalmente a deputados estaduais em favor do chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares, para a vaga que será aberta em agosto no Tribunal de Contas do Estado.

Assim como adiantou o blog Marco Aurélio D’Eça, no início de fevereiro, a ida de Tavares para o TCE não é um pleito de interesse do vice-governador Carlos Brandão (PRB) – como tentam alimentar seus aliados – mas um compromisso do próprio Dino com o auxiliar, que coordenou por duas vezes sua campanha ao governo.

Dino pede votos diariamente a todos os parlamentares que sentam com ele; fez isso, por exemplo, com o deputado Roberto Costa (MDB), quando da vista deste ao Palácio dos Leões, semana passada.

– O governador não tratou nada de eleições 2022, nem citou nome de nenhum candidato ao governo; mas fez questão de pedir um compromisso pessoal meu com a indicação de Marcelo Tavares para o TCE – contou ao blog o próprio Roberto Costa, que já declarou apoio a Marcelo.

A vaga de Nonato Castro será aberta em agosto, com a sua aposentadoria do TCE; a escolha será de responsabilidade da Assembleia Legislativa, que vota o nome do escolhido,dentre qualquer cidadão maranhense que atenda aso pré-requisitos.

Com a saída de Marcelo Tavares da Casa Civil, Brandão perderá o seu principal aliado no Palácio dos Leões…

 

3

Roberto Costa e a modernização do MDB e do próprio grupo Sarney…

Com diálogos para além do sectarismo político-ideológico, alinhando-se com grupos de governo e de oposição – à esquerda e à direita – deputado estadual rompe com o círculo vicioso da guerrilha na Assembleia e reposiciona seu partido para 2022, impondo o nome da própria ex-governadora Roseana Sarney no debate da sucessão de Flávio Dino

 

Com Flávio Dino, Roberto Costa consolida projeto de reformulação do MDB e põe o partido no debate da sucessão de 2022

Análise de conjuntura

A imagem desta quarta-feira, 17, do deputado estadual Roberto Costa (MDB) com o governador Flávio Dino (PCdoB), é o que se pode classificar de ápice de um movimento iniciado lá atrás pelo líder emedebista.

À frente das conversas eleitorais do MDB, Costa modernizou o discurso, tirou o partido do sectarismo oposicionista e buscou diálogo para além do que se convencionou chamar de grupo Sarney, fortalecendo não apenas o partido, mas a própria ex-governadora Roseana Sarney, a face mais brilhante deste segmento político estadual.

– Não adianta ficar entrincheirado com discurso de oposição quando já não se sabe quem é governo e quem é oposição; o diálogo abre oportunidades de trabalho e acena com espaços de poder, o objetivo de todo partido – avalia o parlamentar.

Os diálogos de Roberto Costa podem ser divididos em três fases.

Na primeira fase, ainda em 2019, ele buscou alinhamento com grupos mais independentes do governo, como o PDT  e o PSB – partidos com os quais já tinha uma história política, desde a época do movimento estudantil.

A reaproximação com o senador Weverton Rocha e seu grupo resultou, por exemplo, na aliança do MDB com o PDT e o DEM no primeiro turno das eleições de 2020 e o alinhamento conjunto a Eduardo Braide (Podemos) no segundo turno.

No mesmo ano de 2019 Costa aproximou-se também dos setores mais abertos do PCdoB, representados sobretudo pelo agora secretário de Cidades Márcio Jerry.

A aproximação com Weverton e com Jerry foi comunicada aos líderes do grupo Sarney e à ex-governadora Roseana Sarney, que deram aval ao deputado. Tanto que foi sem traumas a saída do MDB do bloco de oposição na Assembléia para formação de novo bloco, agora independente.

Cinco dias antes do encontro com Flávio Dino, Roberto Costa recebeu Marcio Jerry e Weverton Rocha em seu gabinete na Assembleia

Este gesto, combinado com a aliança com Weverton e Jerry resultou na terceira fase do diálogo, agora com o próprio governador Flávio Dino (PCdoB).

– Flávio Não é mais a mesma pessoa do início do governo; é totalmente diferente daquele que foi eleito em 2014 – avaliou Costa, após o encontro de ontem. 

O deputado do MDB justifica que sua ida ao Palácio dos Leões – apenas cinco dias depois de receber Weverton Rocha e Márcio Jerry em seu gabinete na Assembléia – foi uma forma de agradecer o apoio do PCdoB à candidatura do aliado baleia Rossi (MDB-SP) na disputa pela presidência da Câmara.

Mas o próprio Costa deixa claro que o encontro extrapola a troca de gentilezas e acena para 2022.

– O Flávio Dino deve chegar à Brasília como senador; nós todos, o MDB incluído, precisamos saber de que forma estaremos posicionados neste projeto; e temos cacife para estar no debate – ensina.

Hábil negociador, político de capacidade de articulação intrínseca, com estas declarações, Roberto Costa acena que já trabalha na quarta fase dos seus diálogos emedebistas, incluindo o partido no cenário da sucessão de 2022.

E mostra também que é hoje o mais brilhante detentor de mandato no MDB do Maranhão.

Simples assim…

2

Imagem do dia: Roberto Costa e Flávio Dino

Deputado estadual e vice-presidente do MDB esteve pela primeira vez no gabinete do governador em seis anos e meio do governo comunista; e a impressão de lado a lado é de que será apenas o primeiro de vários até 2022

 

Roberto Costa e Flávio Dino no gabinete do governador: conversas sobre a pandemia, economia do estado e acenos para as eleições de 2022

O vice-presidente estadual do MDB, deputado Roberto Costa, foi recebido nesta quarta-feria, 17, pelo governador Flávio Dino (PCdoB). Foi a primeira visita do emedebista em seis anos e meio de governo comunista.

O encontro serviu para mostrar que nem Flávio Dino, nem Roberto Costa são os mesmos líderes políticos de 2014, quando o governador elegeu-se pela primeira vez. “Flávio Dino é outra pessoa”, definiu Costa, para retratar o amadurecimento político-ideológico do governador.

Os secretários Rubens Pereira Júnior e Marcelo Tavares também participaram do encontro, num reforço ao teor político do encontro

O próprio Roberto Costa amadureceu, rompeu amarras ideológicas, modernizou o MDB e hoje foram bloco independente na Assembleia, com aceno aberto para as eleições de 2022.

Mas esta é uma outra história…

3

Roseana deve disputar vaga de deputada federal…

Apesar de cotada para a disputa senatorial, ex-governadora deve ser uma das puxadoras de votos no MDB, segundo informa o vice-presidente da legenda no maranhão, deputado Roberto Costa

 

O nome da ex-governadora Roseana Sarney vinha sendo especulado como uma das possíveis opções de candidata a senadora em 2022.

Esta hipótese foi descartada nesta quinta-feira, 28, pelo vice-presidente e principal interlocutor do MDB, deputado estadual Roberto Costa.

Segundo Roberto, Roseana deve ser uma das puxadoras de votos do MDB na disputa pelas vagas da Câmara Federal.

De uma forma ou de outra, a ex-governadora estará na disputa…