0

Lula diz a Roseana que quer PT e MDB juntos no Maranhão

Ex-presidente jantou com a ex-governadora e com o também ex-presidente José Sarney na noite de quinta-feira, 19; entusiasmou-se com os números da emedebista nas pesquisas, sondou sobre “as chances do senador Weverton” e disse que quer um palanque reunindo partidos de centro-esquerda, incluindo PDT, PSB, PCdoB e PSOL

 

Lula foi recebido em petit comitè por Roseana e José Sarney no apartamento da ex-governadora; e conversou sobre as eleições de 2022

O ex-presidente Lula (PT) disse à ex-governadora Roseana Sarney (MDB) que pretende ter PT e MDB no mesmo palanque, tanto na corrida presidencial quanto nas eleições estaduais.

Lula jantou com Roseana e com o também ex-presidente José Sarney – em petit comitè, nesta quinta-feira, 19 – e mostrou-se entusiasmado com os números da ex-governadora nas pesquisas.

Embora tenha reafirmado que ainda não se decidiu a concorrer nas eleições de 2022, Lula frisou que o PT pretende formar a aliança de centro-esquerda que inclua também o MDB, o PDT, o PSB, o PCdoB e o PSOL.

Segundo apurou o blog Marco Aurélio D’Eça, Lula não se manifestou em momento algum sobre suas preferências nas eleições maranhenses; mas sondou os Sarney sobre “as possibilidades do senador Weverton Rocha (PDT)”.

Ao ouvir, tanto de Roseana quanto de José Sarney que ela não pretende disputar as eleições majoritárias – embora lidere as pesquisas -, Lula reforçou que quer PT e o MDB novamente juntos no mesmo palanque.

E disse ser fundamental que a centro-esquerda se una em todo o Brasil contra “o risco autoritário que representam os candidatos da direita”.

 Lula deixa São Luís no início da noite desta sexta-feira, 20…

2

Roseana ressalta simpatia por aliança com PSD de Edivaldo Júnior…

Ex-governadora lembra que o PSD – novo partido do ex-prefeito – sempre compôs com o MDB; e deixa claro que irá conversar com todas as forças políticas, embora tenha “simpatia de compormos com estes partidos da oposição”

Site destaca declaração de abertura de conversas de Roseana  e Edivaldo em 2022

Continua repercutindo fortemente a entrevista da ex-governadora Roseana Sarney (MDB) ao quadro Bastidores, do programa Bom Dia Mirante, nesta terça-feira, 10.

Um dos aspectos que chamaram atenção foi a possibilidade que ela abriu de aliança com o ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior, que hoje pertence ao PSD, partido-irmão do MDB.

– Nós não descartamos nenhuma conversa. É claro que o PSD é um partido que sempre compõe conosco, como também o PV. E nós temos a simpatia de compormos com os partidos da base da oposição – afirmou, ao ser questionada pelo jornalita Clóvis Cabalau.

A entrevista de Roseana Sarney a Clóvis Cabalau repercutiu fortemente em todo o Maranhão desde ontem

Embora não tenha descartado, inclusive, uma candidatura própria ao governo, Roseana mostrou-se aberta ao diálogo com todas as forças políticas, incluindo as alinhadas ao governo Flávio Dino (PSB).

Roseana e Edivaldo somam, juntos, algo em torno de 70% dos votos da Grande São Luís para as eleiçoes de 2022. A ex-governadora lidera os cenários em que aparece, com o ex-prefeito disputando o segundo lugar com o senador Weverton Rocha (PDT).

A aliança entre os dois cria uma nova força política na sucessão do governador Flávio Dino.

A aliança MDB , PSD, PV e até mesmo com PSC e PTB, foi tema de post do blog Marco Aurélio D’Eça logo em seguida ao anúncio de que Edivaldo se filiaria ao partido, que tem por presidente o deputado federal Edilázio Júnior.

Publicado em 8 de julho, o post “Edilázio já articula aliança do PSD com PV, PSC, PTB e MDB…” falava exatamente desta aliança, que mostraria força na corrida pela sucessão de Flávio Dino.

Aliança esta admitida agora pela própria Roseana…

0

Roseana refaz posição sobre disputar o governo: “é uma decisão partidária”…

Antes completamente refratária à ideia de concorrer à sucessão do governador Flávio Dino – mesmo liderando todas as pesquisas – ex-governadora agora deixa a entender que, se o MDB decidir pelo se nome, ela pode entrar na disputa

 

Roseana agora já repensa disputar o governo, e não mais a Camara, desde que o MDB decida por isso; ela comanda o MDB

Em sua mais nova entrevista ao quadro Bastidores, do programa Bom Dia Mirante, a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) mudou de opinião sobre uma eventual candidatura ao governo em 2022.

Antes decidida a não entrar na disputa – e concorrer a uma vaga de deputada federal – ela agora mostra-se mais disposta ao projeto, desde que seja uma decisão partidária.

– Muita gente fica me perguntando por que eu, que lidero todas as pesquisas, não concorro ao governo. Minha vontade é não disputar. Mas isso não depende só de mim, é uma decisão partidária. É precipitado descartar logo uma candidatura ao governo – disse Roseana, ao jornalista Clóvis Cabalau.

Roseana registra entre 25% e 30% de intenções de votos para o governo, mesmo descartando candidatura. Mas o principal operador do MDB, deputado estadual Roberto Costa, demonstra interesse em uma aliança do partido na base do governo Flávio Dino.

Costa já até declarou voto pessoal para Flávio Dino ao Senado.

A mudança de postura de Roseana, que preside a legenda no Maranhão, pode levar a uma mudança de postura também do partido.

Afinal, como presidente, ela própria é a principal instância e decisão partidária.

Simples assim…

2

Roberto Costa mostra que MDB caminha para aliança governista…

Ao revelar sua tendência pessoal de votar em Flávio Dino para o Senado e que o partido tende a apoiar um aliado de Dino ao governo, vice-presidente da legenda sepulta pretensão de candidatura de Roseana, ela própria já comunicada pela cúpula do PT que a preferência é pelo senador  Weverton Rocha no Maranhão

 

A relação de Roberto Costa e Flávio Dino tem-se estreitado ao longo dos dois mandatos do governador comuno-socialista

No mesmo dia em que a ex-governadora  Roseana Sarney apareceu em primeiro lugar na pesquisa Econométrica sobre o Governo do Estado, com 24,6%, o vice-presidente do MDB, deputado Roberto Costa, assumiu publicamente a tendência de aliança do partido com o governo Flávio Dino (PSB).

– Eu, pessoalmente, tenho a tendência muito forte de votar no Flávio para o Senado uma vez que o partido [o MDB] já disse que não tem interesse na discussão ao Senado – afirmou o deputado, na quinta-feria, 29, ao jornalista John Cutrim.

A declaração sepulta de uma vez por todas qualquer debate em torno de uma candidatura de Roseana Sarney ao governo, uma vez que ele adiantou, ainda, que o MDB tende a seguir o candidato apoiado por Flávio Dino.

A própria Roseana Sarney já havia descartado candidatura ao governo, mas ainda não havia manifestado posicionamento sobre candidaturas a governador.

Parte do seu grupo tem mais simpatia pelo vice-governador Carlos Brandão (PSDB), mas Roberto Costa mostra-se mais alinhado ao o senador Weverton Rocha (PDT), que lidera as pesquisas nos cenários sem a ex-governadora.

A própria Roseana já foi comunicada pelo ex-presidente Lula e pelos ex-ministros Gilberto Carvalho e José Dirceu que o PT vai apoiar Weverton e quer – tanto ela quanto o MDB – apoiando o senador pedetista.

Mas esta é uma outra história…

3

MDB nega iniciativa pessoal de Roseana em ação contra Flávio Dino…

Documento do partido rechaçou informações de blogs e explica que o processo na Justiça Eleitoral, referente às eleições de 2018, leva assinatura da coligação “Maranhão Quer mais”

 

Ação contra Flávio Dino tem assinatura da coligação e não de Roseana ou do MDB

O MDB do Maranhão rechaçou nesta sexta-feira, 23, em nota pública, a afirmação divulgada no mesmo dia, em vários blogs maranhenses, dando conta de que uma ação eleitoral contra o governador Flávio Dino seja uma inciativa pessoal da ex-governadora Roseana Sarrney.

– Foi, sim, uma ação da Coligação Maranhão Quer Mais, que, além de Roseana, abrigava candidatos ao Senado da República, à Câmara Federal e Assembleia Legislativa do Maranhão – diz o documento.

Na nota, o partido que é hoje presidido por Roseana, diz que este tipo de ação é usada em eleições para que nãos e tenha dúvida do resultado do pleito. E cabe à Justiça Eleitoral a decisão final.

Abaixo a íntegra da nota:

NOTA

Notícias divulgadas em blogs e emissoras de rádio sobre ação no Tribunal Superior Eleitoral, com imputações de ilegalidades na campanha do então candidato à reeleição ao Governo do Estado, Flávio Dino, no pleito de 2018, atentam contra a verdade quando afirmam tratar-se de uma iniciativa pessoal da ex-governadora Roseana Sarney. Foi, sim, uma ação da Coligação Maranhão Quer Mais, que, além de Roseana, abrigava candidatos ao Senado da República, à Câmara Federal e Assembleia Legislativa do Maranhão.

Muitas coligações, em todo o Brasil, utilizam-se desse tipo de ação para que não haja dúvida sobre o resultado de eleições. 

Trata-se, portanto, de iniciativa que respeita a legislação vigente, de caráter coletivo, de mais de uma centena de candidatos, que buscam manifestação da Justiça Eleitoral sobre a lisura do pleito.   

Tais processos estão submetidos à alta corte eleitoral do país e a ela exclusivamente cabe julgar a procedência dessas praticas. 

São Luís, 23 de julho de 2021.

1

As quatro opções do MDB para o governo…

 

Da Coluna Repórter Tempo

O MDB está sendo movimentado por quatro frentes em relação à sucessão estadual. Uma pequena corrente do partido mantém sua aposta na improvável candidatura da ex-governadora Roseana Sarney ao Governo do Estado, embora ela esteja mais inclinada a disputar uma cadeira na Câmara Federal.

Outra corrente está trabalhando para levar o partido a uma aliança com o PDT em torno da candidatura do senador Weverton Rocha, a exemplo do que aconteceu na disputa em São Luís, no ano passado.

Uma terceira frente se prepara para pressionar no sentido de que o partido participe de uma aliança em torno do vice-governador Carlos Brandão (PSDB).

E uma quarta banda emedebista já defende uma aliança do MDB com o PSD em torno da provável candidatura do ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Jr.. Tudo indica que o braço maranhense do MDB definirá sua posição num grande debate interno.

0

“Grande arrancada que começa agora”, diz Roseana em posse no MDB

Sem explicar exatamente o significado da frase, dita só no final do seu discurso, ex-governadora assume comando do partido sem deixar claro como se posicionará em 2022

 

Roseana em discurso no MDB: projeto de fortalecimento da legenda, sem menções às eleições de 2022

A ex-governadora Roseana Sarney tomou posse nesta sexta-feira, 2, da presidência do MDB maranhense, em convenção estadual realizada na sede do partido.

Transmitida pelas redes sociais do partido e das suas principais lideranças, a pose reuniu toda a cúpula emedebista, mas não deixou clara a posição do partido nas eleições de 2022.

Só ao fim do discurso – em que falou de suas metas como comandante da legenda – Roseana usou uma frase mais de efeito, mesmo sem explicar claramente o que isso significa.

– Uma grande arrancada que começa agora – afirmou, após citar uma série de medidas e ações que pretende implementar como presidente do MDB.

O deputado federal Hildo Rocha declarou que o MDB é independente, “tanto no maranhão quanto em Brasília”, embora, aqui, o partido se alinhe informalmente ao governo Flávio Dino (PSB) e, lá, tanto Rocha quanto João Marcelo Souza sigam na base de apoio do presidente Jair Bolsonaro.

Mantido vice-presidente da legenda – e mais ativo militante emedebista no Maranhão – o deputado estadual Roberto Costa voltou a dizer que o partido irá conversar com todas as correntes, sem veto.

– Não vamos olhar no retrovisor. É olhar para as pessoas que precisam de ajuda e melhorar o nosso estado – afirmou Costa, no mais contundente discurso político da convenção.

Em meio ao evento, durante entrevista à TV Mirante, Roseana foi perguntada sobre candidatura ao governo.

Respondeu que isso será decidido “de forma democrática dentro do MDB”.

1

Roseana vai assumir comando do MDB nesta sexta

O deputado Roberto Costa anunciou, na sessão desta quarta-feira (30), que o MDB realizará convenção partidária na próxima sexta-feira (2), na qual a ex-governadora Roseana Sarney assumirá a presidência da agremiação no Maranhão.

“Entrará, no comando do partido, a nossa ex-governadora, ex-senadora, ex-deputada federal e uma das maiores lideranças que o Maranhão já teve”, destacou o deputado.

Costa lembrou o período em que o ex-senador João Alberto comandou o MDB no Estado, reconhecendo que, durante esse período, o partido fortaleceu sua base e ganhou destaque. “Nosso grande líder, João Alberto, continuará tendo voz ativa e será o nosso presidente de honra”, ressaltou.

Segundo o parlamentar, Roseana assumirá com a missão, também, de articular o projeto da legenda para 2022, fortalecendo a chapa proporcional para deputado estadual e elegendo uma grande bancada para deputado federal, capitaneada por ela, como candidata a deputada federal.

“Vivemos um momento de união entre as lideranças, como o deputado João Marcelo, o deputado Hildo Rocha, o ex-senador Edson Lobão Filho (que também comporá a Executiva do partido) e nomes que vêm da nova geração partidária, a exemplo do presidente nacional da Juventude do MDB, Dr. Assis Filho, ex-secretário nacional de Juventude”, salientou.

Novo momento

O deputado frisou que as alianças a serem discutidas precisarão ser feitas de forma muito clara e transparente.

“Nós pensaremos o Maranhão pós-pandemia e em um projeto de reconstrução da economia do nosso estado. Essa deve ser a grande preocupação da classe política. Que possamos restabelecer a igualdade, a volta do emprego para o trabalhador e que o Maranhão volte a viver dentro de sua normalidade. O MDB terá um papel decisivo nesse sentido”, frisou.

Roberto Costa concluiu afirmando que assumirá o cargo de vice-presidente da agremiação e que as decisões todas serão tomadas de forma consensual, ouvindo as lideranças do partido, os deputados federais, os deputados estaduais, os prefeitos, ex-prefeitos e vereadores.

1

No comando do MDB, Roseana entra no tabuleiro político de 2022

Ex-governadora passa a ser dirigente partidária com aval nacional para discutir a formação de alianças e montagem de chapas; primeiro passo é unificar oposição sarneysista com PSD, PSC e PV

 

Roseana tem agora a condição de liderar um bloco com partidos remanescentes do grupo Sarney para sentar à mesa de negociações

A ex-governadora Roseana Sarney tem uma missão imediata no comando do MDB maranhense, posto que deve assumir no próximo dia 7: unificar o discurso dos partidos não-alinhados ao projeto de poder do governador Flávio Dino (PSB).

Fazem parte deste grupo, além do MDB, o PSD o PV e o PSC.

Roseana chega ao tabuleiro político de 2022 três dias depois da segunda pesquisa da Escutec sobre a corrida pelo governo – o que deve fortalecer seu discurso, embora ela já tenha descartado ser candidata a governadora.

Sem perspectiva de candidaturas majoritárias em 2022, PSD, PSC e o próprio MDB conversam com outros grupos, inclusive os ligados ao próprio governo Flávio Dino.

Já o PV segue acéfalo no estado desde que o ex-ministro Sarney Filho mudou-se definitivamente para Brasília e o deputado estadual Adriano Sarney passou a demonstrar cada vez mais desilusão com a política. 

Caberá à ex-governadora reanimar a tropa, unificar o grupo e fortalecer o projeto de 2022, sentando à mesa com força para negociar por alto.

Seja qual for os voos dela e dos seus aliados…

0

Em conversa com Clóvis Cabalau Roberto Costa fala sobre CPI dos combustíveis e MDB em 2022

Na manhã desta sexta-feira (14) o Deputado estadual Roberto Costa concedeu entrevista ao quadro Bastidores, no Bom Dia Mirante, conduzido pelo jornalista Clóvis Cabalau. Na ocasião, o parlamentar falou sobre a CPI do combustível e gás de cozinha, e também sobre a posição do MDB frente às eleições de 2022 para Governador no estado Maranhão.

Em um balanço do trabalho da Comissão Parlamentar de Inquérito dos combustíveis e do gás de cozinha, o deputado e relator da CPI destacou que A comissão fez em seu primeiro momento um levantamento que pudesse nortear o trabalho, em seguida estará convidando representantes para prestar esclarecimentos, sendo eles: Presidente do Sindicato dos Postos; Representante da SEFAZ; Representante da Agência Nacional do Petróleo; Representantes de Distribuidoras (Petrobras e Ipiranga);

Roberto enfatizou ainda que o partido está aberto para diálogo com outras forças partidárias.

“Nós não vamos fazer política olhando para o retrovisor, vamos fazer diálogos com todas as forças exatamente como fizemos nas eleições municipais de 2020.”.

Assista a entrevista na íntegra no link a seguir: https://globoplay.globo.com/v/9515034/