2

Roberto Costa mostra que MDB caminha para aliança governista…

Ao revelar sua tendência pessoal de votar em Flávio Dino para o Senado e que o partido tende a apoiar um aliado de Dino ao governo, vice-presidente da legenda sepulta pretensão de candidatura de Roseana, ela própria já comunicada pela cúpula do PT que a preferência é pelo senador  Weverton Rocha no Maranhão

 

A relação de Roberto Costa e Flávio Dino tem-se estreitado ao longo dos dois mandatos do governador comuno-socialista

No mesmo dia em que a ex-governadora  Roseana Sarney apareceu em primeiro lugar na pesquisa Econométrica sobre o Governo do Estado, com 24,6%, o vice-presidente do MDB, deputado Roberto Costa, assumiu publicamente a tendência de aliança do partido com o governo Flávio Dino (PSB).

– Eu, pessoalmente, tenho a tendência muito forte de votar no Flávio para o Senado uma vez que o partido [o MDB] já disse que não tem interesse na discussão ao Senado – afirmou o deputado, na quinta-feria, 29, ao jornalista John Cutrim.

A declaração sepulta de uma vez por todas qualquer debate em torno de uma candidatura de Roseana Sarney ao governo, uma vez que ele adiantou, ainda, que o MDB tende a seguir o candidato apoiado por Flávio Dino.

A própria Roseana Sarney já havia descartado candidatura ao governo, mas ainda não havia manifestado posicionamento sobre candidaturas a governador.

Parte do seu grupo tem mais simpatia pelo vice-governador Carlos Brandão (PSDB), mas Roberto Costa mostra-se mais alinhado ao o senador Weverton Rocha (PDT), que lidera as pesquisas nos cenários sem a ex-governadora.

A própria Roseana já foi comunicada pelo ex-presidente Lula e pelos ex-ministros Gilberto Carvalho e José Dirceu que o PT vai apoiar Weverton e quer – tanto ela quanto o MDB – apoiando o senador pedetista.

Mas esta é uma outra história…

3

MDB nega iniciativa pessoal de Roseana em ação contra Flávio Dino…

Documento do partido rechaçou informações de blogs e explica que o processo na Justiça Eleitoral, referente às eleições de 2018, leva assinatura da coligação “Maranhão Quer mais”

 

Ação contra Flávio Dino tem assinatura da coligação e não de Roseana ou do MDB

O MDB do Maranhão rechaçou nesta sexta-feira, 23, em nota pública, a afirmação divulgada no mesmo dia, em vários blogs maranhenses, dando conta de que uma ação eleitoral contra o governador Flávio Dino seja uma inciativa pessoal da ex-governadora Roseana Sarrney.

– Foi, sim, uma ação da Coligação Maranhão Quer Mais, que, além de Roseana, abrigava candidatos ao Senado da República, à Câmara Federal e Assembleia Legislativa do Maranhão – diz o documento.

Na nota, o partido que é hoje presidido por Roseana, diz que este tipo de ação é usada em eleições para que nãos e tenha dúvida do resultado do pleito. E cabe à Justiça Eleitoral a decisão final.

Abaixo a íntegra da nota:

NOTA

Notícias divulgadas em blogs e emissoras de rádio sobre ação no Tribunal Superior Eleitoral, com imputações de ilegalidades na campanha do então candidato à reeleição ao Governo do Estado, Flávio Dino, no pleito de 2018, atentam contra a verdade quando afirmam tratar-se de uma iniciativa pessoal da ex-governadora Roseana Sarney. Foi, sim, uma ação da Coligação Maranhão Quer Mais, que, além de Roseana, abrigava candidatos ao Senado da República, à Câmara Federal e Assembleia Legislativa do Maranhão.

Muitas coligações, em todo o Brasil, utilizam-se desse tipo de ação para que não haja dúvida sobre o resultado de eleições. 

Trata-se, portanto, de iniciativa que respeita a legislação vigente, de caráter coletivo, de mais de uma centena de candidatos, que buscam manifestação da Justiça Eleitoral sobre a lisura do pleito.   

Tais processos estão submetidos à alta corte eleitoral do país e a ela exclusivamente cabe julgar a procedência dessas praticas. 

São Luís, 23 de julho de 2021.

1

As quatro opções do MDB para o governo…

 

Da Coluna Repórter Tempo

O MDB está sendo movimentado por quatro frentes em relação à sucessão estadual. Uma pequena corrente do partido mantém sua aposta na improvável candidatura da ex-governadora Roseana Sarney ao Governo do Estado, embora ela esteja mais inclinada a disputar uma cadeira na Câmara Federal.

Outra corrente está trabalhando para levar o partido a uma aliança com o PDT em torno da candidatura do senador Weverton Rocha, a exemplo do que aconteceu na disputa em São Luís, no ano passado.

Uma terceira frente se prepara para pressionar no sentido de que o partido participe de uma aliança em torno do vice-governador Carlos Brandão (PSDB).

E uma quarta banda emedebista já defende uma aliança do MDB com o PSD em torno da provável candidatura do ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Jr.. Tudo indica que o braço maranhense do MDB definirá sua posição num grande debate interno.

0

“Grande arrancada que começa agora”, diz Roseana em posse no MDB

Sem explicar exatamente o significado da frase, dita só no final do seu discurso, ex-governadora assume comando do partido sem deixar claro como se posicionará em 2022

 

Roseana em discurso no MDB: projeto de fortalecimento da legenda, sem menções às eleições de 2022

A ex-governadora Roseana Sarney tomou posse nesta sexta-feira, 2, da presidência do MDB maranhense, em convenção estadual realizada na sede do partido.

Transmitida pelas redes sociais do partido e das suas principais lideranças, a pose reuniu toda a cúpula emedebista, mas não deixou clara a posição do partido nas eleições de 2022.

Só ao fim do discurso – em que falou de suas metas como comandante da legenda – Roseana usou uma frase mais de efeito, mesmo sem explicar claramente o que isso significa.

– Uma grande arrancada que começa agora – afirmou, após citar uma série de medidas e ações que pretende implementar como presidente do MDB.

O deputado federal Hildo Rocha declarou que o MDB é independente, “tanto no maranhão quanto em Brasília”, embora, aqui, o partido se alinhe informalmente ao governo Flávio Dino (PSB) e, lá, tanto Rocha quanto João Marcelo Souza sigam na base de apoio do presidente Jair Bolsonaro.

Mantido vice-presidente da legenda – e mais ativo militante emedebista no Maranhão – o deputado estadual Roberto Costa voltou a dizer que o partido irá conversar com todas as correntes, sem veto.

– Não vamos olhar no retrovisor. É olhar para as pessoas que precisam de ajuda e melhorar o nosso estado – afirmou Costa, no mais contundente discurso político da convenção.

Em meio ao evento, durante entrevista à TV Mirante, Roseana foi perguntada sobre candidatura ao governo.

Respondeu que isso será decidido “de forma democrática dentro do MDB”.

1

Roseana vai assumir comando do MDB nesta sexta

O deputado Roberto Costa anunciou, na sessão desta quarta-feira (30), que o MDB realizará convenção partidária na próxima sexta-feira (2), na qual a ex-governadora Roseana Sarney assumirá a presidência da agremiação no Maranhão.

“Entrará, no comando do partido, a nossa ex-governadora, ex-senadora, ex-deputada federal e uma das maiores lideranças que o Maranhão já teve”, destacou o deputado.

Costa lembrou o período em que o ex-senador João Alberto comandou o MDB no Estado, reconhecendo que, durante esse período, o partido fortaleceu sua base e ganhou destaque. “Nosso grande líder, João Alberto, continuará tendo voz ativa e será o nosso presidente de honra”, ressaltou.

Segundo o parlamentar, Roseana assumirá com a missão, também, de articular o projeto da legenda para 2022, fortalecendo a chapa proporcional para deputado estadual e elegendo uma grande bancada para deputado federal, capitaneada por ela, como candidata a deputada federal.

“Vivemos um momento de união entre as lideranças, como o deputado João Marcelo, o deputado Hildo Rocha, o ex-senador Edson Lobão Filho (que também comporá a Executiva do partido) e nomes que vêm da nova geração partidária, a exemplo do presidente nacional da Juventude do MDB, Dr. Assis Filho, ex-secretário nacional de Juventude”, salientou.

Novo momento

O deputado frisou que as alianças a serem discutidas precisarão ser feitas de forma muito clara e transparente.

“Nós pensaremos o Maranhão pós-pandemia e em um projeto de reconstrução da economia do nosso estado. Essa deve ser a grande preocupação da classe política. Que possamos restabelecer a igualdade, a volta do emprego para o trabalhador e que o Maranhão volte a viver dentro de sua normalidade. O MDB terá um papel decisivo nesse sentido”, frisou.

Roberto Costa concluiu afirmando que assumirá o cargo de vice-presidente da agremiação e que as decisões todas serão tomadas de forma consensual, ouvindo as lideranças do partido, os deputados federais, os deputados estaduais, os prefeitos, ex-prefeitos e vereadores.

1

No comando do MDB, Roseana entra no tabuleiro político de 2022

Ex-governadora passa a ser dirigente partidária com aval nacional para discutir a formação de alianças e montagem de chapas; primeiro passo é unificar oposição sarneysista com PSD, PSC e PV

 

Roseana tem agora a condição de liderar um bloco com partidos remanescentes do grupo Sarney para sentar à mesa de negociações

A ex-governadora Roseana Sarney tem uma missão imediata no comando do MDB maranhense, posto que deve assumir no próximo dia 7: unificar o discurso dos partidos não-alinhados ao projeto de poder do governador Flávio Dino (PSB).

Fazem parte deste grupo, além do MDB, o PSD o PV e o PSC.

Roseana chega ao tabuleiro político de 2022 três dias depois da segunda pesquisa da Escutec sobre a corrida pelo governo – o que deve fortalecer seu discurso, embora ela já tenha descartado ser candidata a governadora.

Sem perspectiva de candidaturas majoritárias em 2022, PSD, PSC e o próprio MDB conversam com outros grupos, inclusive os ligados ao próprio governo Flávio Dino.

Já o PV segue acéfalo no estado desde que o ex-ministro Sarney Filho mudou-se definitivamente para Brasília e o deputado estadual Adriano Sarney passou a demonstrar cada vez mais desilusão com a política. 

Caberá à ex-governadora reanimar a tropa, unificar o grupo e fortalecer o projeto de 2022, sentando à mesa com força para negociar por alto.

Seja qual for os voos dela e dos seus aliados…

0

Em conversa com Clóvis Cabalau Roberto Costa fala sobre CPI dos combustíveis e MDB em 2022

Na manhã desta sexta-feira (14) o Deputado estadual Roberto Costa concedeu entrevista ao quadro Bastidores, no Bom Dia Mirante, conduzido pelo jornalista Clóvis Cabalau. Na ocasião, o parlamentar falou sobre a CPI do combustível e gás de cozinha, e também sobre a posição do MDB frente às eleições de 2022 para Governador no estado Maranhão.

Em um balanço do trabalho da Comissão Parlamentar de Inquérito dos combustíveis e do gás de cozinha, o deputado e relator da CPI destacou que A comissão fez em seu primeiro momento um levantamento que pudesse nortear o trabalho, em seguida estará convidando representantes para prestar esclarecimentos, sendo eles: Presidente do Sindicato dos Postos; Representante da SEFAZ; Representante da Agência Nacional do Petróleo; Representantes de Distribuidoras (Petrobras e Ipiranga);

Roberto enfatizou ainda que o partido está aberto para diálogo com outras forças partidárias.

“Nós não vamos fazer política olhando para o retrovisor, vamos fazer diálogos com todas as forças exatamente como fizemos nas eleições municipais de 2020.”.

Assista a entrevista na íntegra no link a seguir: https://globoplay.globo.com/v/9515034/

1

Lula quer PT com PDT, PCdoB, PSB e MDB no mesmo palanque no MA…

Movimentos do ex-presidente deixam claro que ele pretende em uma aliança de centro-esquerda, que pode reunir o governador Flávio Dino e a ex-governadora Roseana Sarney no palanque do senador Weverton Rocha; reação de lideranças petistas e emedebistas maranhenses – com pouca ou nenhuma influência nas instâncias nacionais – tem mais a ver com a tentativa de manter espaços no segundo e terceiro escalões de um eventual governo do vice tucano Carlos Brandão

 

Weverton Rocha participou de jantar exclusivo com o ex-presidente Lula e a bancada do PT, movimento que repercutiu diretamente no debate eleitoral de 2022 no Maranhão

A intensa repercussão da movimentação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), na semana passada, reforçou a tese de uma aliança de centro-esquerda que reúna não apenas o PT, mas também o PDT, o PCdoB, o PSB e também o MDB nas eleições de 2022.

E esta aliança indica a possibilidade de um palanque no Maranhão que reúna o atual governador e pré-candidato a senador, Flávio Dino (PCdoB), e a ex-governadora Roseana Sarney (MDB), no palanque do senador Weverton Rocha (PDT) ao Governo do Estado.

Interlocutor frequente de Flávio Dino, Lula fez dois gestos na direção da aliança: 

1 – recebeu Weverton Rocha em um jantar com a bancada do PT no Senado e os dirigentes nacionais do partido; 

2 – Foi recebido pelo ex-presidente José Sarney (MDB).

Apesar de não comandar seus partidos, tanto Weverton quanto Sarney têm forte influência na direção nacional dessas legendas, o que pode garantir a aliança.

A reação de algumas lideranças locais do PT e do MDB – com pouca ou nenhuma influência influência nas instâncias nacionais de seus partidos – foi, num primeiro momento, a de minimizar a movimentação de Lula.

Os petistas maranhenses têm indicações no segundo e terceiro escalões do governo Flávio Dino; os emedebistas, a maioria da chamada velha guarda sarneysista, são mais vinculados às ideias do presidente Jair Bolsonaro.

Estas lideranças fazem gestos ao atual vice-governador Carlos Brandão (PSDB) – que deve assumir o comando do estado em abril de 2022 – tentando garantir posições no eventual governo tucano-bolsonarista.

A questão é que os movimentos de Lula rumo ao centro-esquerda visam, exatamente, neutralizar o PSDB como opção de poder a Jair Bolsonaro.

E mostram que o caminho natural do PT é com PDT, PCdoB, PSB e MDB…

1

Com Sarney, Lula busca o MDB…

Ex-presidente articula ampla aliança do PT com partidos de centro-esquerda, e vê no ex-presidente do Senado a figura mais importante da legenda; aliança pode repercutir também nas eleições do Maranhão

 

Os ex-presidentes Lula e Sarney trataram de eleições 2022; o petista quer o MDB em seu palanque nacional

A aproximação do PT com o MDB – pauta do encontro dos ex-presidentes Lula (PT) e José Sarney (MDB) – pode ter forte repercussão nas eleições do Maranhão.

Lula quer formar uma ampla aliança de centro-esquerda, o que inclui, além do PT, também o PDT, o PSB, o PCdoB e o MDB.

Ao senador Weverrton Rocha, pré-candidato do PDT, ele já garantiu articulações pelo apoio do PT; a Sarney, Lula pediu influência na articulação do MDB.

Weverton Rocha,. do PDT, foi recebido pelo líder do PT em jantar com a bancada petista, esta semana

No Maranhão, os emedebistas já mantêm uma aproximação com o PDT de Weverton Rocha desde as eleições de 2020, embora ainda haja lideranças do partido que defendem candidatura própria e até aproximação com o vice-governador Carlos Brandão (PSDB).

A eventual aliança nacional PT/MDB pode consolidar no Maranhão a aliança MDB/PDT.

É aguardar e conferir…

2

José Sarney no centro do jogo político

Ex-presidente tem sido procurado por pré-candidatos, senadores, deputados federais e até membros do Judiciário em busca de conselhos sobre como proceder no atual momento político brasileiro

 

Sarney é o principal interlocutor político para candidatos como Lula e Bolsonaro; e para membros do Senado e do STF também

Aos 91 anos recém-completados, sem mandato e aposentado da vida política, o ex-presidente José Sarney continua no centro do jogo de poder em Brasília.

Em menos de uma semana, ele foi procurado tanto pelo presidente Jair Bolsonaro quanto pelo ex-presidente Lula (PT), ambos candidatos a presidente em 2022.

Neste período de turbulência em Brasília, o ex-senador  também tem sido buscado por senadores, deputados federais e até membros do Judiciário.

Ele é o principal conselheiro político de Brasília neste momento.

Pela postura conciliatória do ex-presidente, é pouco provável que ele faça gestos em prol de aliança do MDB com o beligerante Bolsonaro; mas o atual mandatário tenta, ao menos, minimizar os riscos da CPI da COVID, que tem o senador Renan Calheiros como relator.

A propósito, Calheiros também esteve com Sarney semana passada, logo após forte discurso na instalação dos trabalhos da comissão.

A relação de Sarney com Lula é mais orgânica e solidificada, embora os dois tenham se afastado após o impeachment de Dilma, em 2016. O candidato do PT quer aliança com o MDB.

De uma forma ou de outra, Sarney  mostra que ainda é o principal líder político brasileiro.

Mesmo há anos sem mandato…