1

Roberto Rocha diz que grupo de Flávio Dino comprou partidos para Brandão

Em entrevista à TV Mirante, senador chama de “prostituição política” a movimentação do governo maranhense para tentar impedi-lo de disputar as eleições de outubro

 

Roberto Rocha bateu forte na articulação política do grupo de Flávio Dino: “prostituição política”, definiu o senador

O senador Roberto Rocha (PTB) bateu fortemente, em entrevista à TV Mirante, nesta terça-feira, 5, na articulação política do grupo de Flávio Dino (PSB), e acusou o ex-governador de promover uma verdadeira prostituição política nas eleições do Maranhão.

– Eles fizeram foi comprar partidos; e muitos pra impedir que eu assumisse – afirmou o senador, ao jornalista Clóvis Cabalau, do programa Bastidores.

Roberto Rocha disse que sua chegada ao PTB foi a convite da própria direção nacional da legenda, para impedir que Brandão e Dino comprassem mais um partido.

– Se eu não assumisse o PTB, o PTB iria com Flávio Dino – revelou.

O senador disse que o mesmo aconteceu com o Podemos, que o grupo do governo tomou do prefeito Eduardo Braide em troca de espaços.

Embora não tenha revelado a que cargo concorrerá, Rocha disse que sua disposição é disputar a eleição majoritária no Maranhão.

Segundo ele, até agosto – época das convenções – ainda há muito tempo para definições sobre candidatura.

8

Roberto Rocha é o candidato de Bolsonaro no Maranhão

Presidente não quer relação com o deputado federal Josimar Maranhãozinho e não acredita na viabilidade do prefeito Lahésio Bonfim; e quer o senador filiado a um partido ligado ao seu governo

 

Roberto Rocha sempre foi o preferido de Bolsonaro no Maranhão; e agora o presidente deu aval ao senador para buscar partido de sua base

O senador  Roberto Rocha recebeu o aval direto do presidente Jair Bolsonaro (PL) para buscar entendimento com um dos partidos que devem compor a base governista nas eleições de 2022.

Essa movimentação já gerou pelo menos um efeito: a desistência do prefeito de São Pedro dos Crentes, Dr. Lahésio Bonfim, de se filiar ao PTB; o partido, comandado pela deputada estadual Mical Damasceno, pode ser o caminho de Rocha.

Roberto Rocha sempre foi o preferido de Bolsonaro para encarar a disputa pelo governo no Maranhão, num contraponto aberto com o grupo do governador Flávio Dino (PSB).

Mesmo filiado ao PL, Bolsonaro não espera ver uma candidatura do deputado federal Josimar Maranhãozinho, e já vetou aliança do partido com a esquerda.

Também não acredita na viabilidade de Lahésio Bonfim, apesar da simpatia pelo prefeito.

O grande empecilho de Roberto Rocha no PTB ainda é o assédio do Palácio dos Leões à legenda.

Nos últimos dias, áudios com agressões impublicáveis espalhadas em grupos de evangélicos acusam Mical Damasceno de ter negociado apoio a Carlos Brandão.

A deputada não se manifestou sobre o assunto.

Roberto Rocha tem até segunda-feira, 4, para decidir sua filiação…

0

Lahésio Bonfim vai mudar de novo de partido…

Prefeito de São Pedro dos Crentes, que já tentou sua candidatura pelo PSL, pelo PROS, e estava no Agir36 é esperado para filiação agora no PTB, partido da deputada estadual Mical Damasceno

 

Dr. Lahésio com os novos parceiros do PTB: partido terá candidatos a senador, deputados federais e estaduais

O prefeito de São Pedro dos Crentes, pré-candidato a governador Dr. Lahésio Bonfim, deve trocar mais uma vez de partido.

Ele agora deve deixar o Agir36, onde entrou há menos de três meses, para se filiar ao PTB.

Lahésio já tentou ser candidato pelo PSL, pelo PROS e entrou no Agir36 quando o ex-PTC mudou de nome.

No PTB, ele terá a companhia do Pastor Bel como candidato a senador.

Além de Mical Dasmaceno, Lahésio vai ter o apoio do deputado estadual Pastor Cavalcante e do deputado federal Josivaldo JP.

Ele tem até o dia 1º de abril para confirmar a filiação…

0

Dr. Lahésio deve disputar eleição pelo PTB…

Prefeito de São Pedro dos Crentes é candidato a governador e estava em um partido já com encaminhamento de alianças no maranhão; ele pretende concorrer pela base bolsonarista no estado

 

O prefeito de São Pedro dos Crentes, Lahésio Bonfim, já definiu o partido pelo qual tentará se eleger governador do Maranhão.

Fora do PSL, partido pelo qual reelegeu-se gestor municipal, ele agora está filiado ao PTB.

A informação foi confirmada por Rômulo Arruda, vice-prefeito da cidade, que também deixou o PSL. Ele é primo de Dalton Arruda, pré-candidato a deputado estadual pelo PSD.

2

PTB se afasta de Flávio Dino e recua em relação a Edivaldo Jr.

Deputada Mical Damasceno, que preside o partido no estado, afirma ao blog Marco Aurélio D’Eça que não vai estar mais junto à base do Governo do Estado; e diz que que encerrou as conversas com o prefeito de São Luís sobre 2022

 

Mical damasceno elegeu-se na base do governo Flávio Dino, mas agora está na base do governo Jair Bolsonaro

A deputada estadual Mical Damasceno (PTB) foi alcançada nesta terça-feira, 6, pelo titular do blog Marco Aurélio D’Eça com duas perguntas relacionadas às eleições de 2022:

1 – por que ela, como presidente regional do PTB, não participou da reunião com o governador Flávio Dino (PSB) sobre a organização da base governista para o pleito?;

2 – como ela encarou o anúncio do ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior, de que iria se filiar ao PSD?

Sobre a primeira pergunta, a deputada foi taxativa.

– Como a gente não vai mais andar junto com o governo eu não tinha o que fazer na reunião; Não fazemos mais parte do grupo do governador; e ele já tinha ciência  – afirmou.

A presidente do PTB chegou a levar Edivaldo para encontros com líder do segmento evangélico, mas decidiu encerrar as conversas com o ex-prefeito

Desde que assumiu o comando do PTB, Mical Damasceno tem fortalecido o  projeto bolsonarista  no Maranhão; e chegou a cogitar a filiação de Edivaldo Júnior para concorrer ao governo.

Sobre o assunto Edivaldo, ela também foi taxativa.

– Encerramos a covnersa com Edivaldo. Por enquanto não temos mais pressa de sentar com ninguém sobre o governo. A prioridade vai ser a proporcional – descartou a parlamentar.

Mical disse que está se dedicando agora à montagem da nova sede do PTB, na Rua do Arizirial, que deve ser inaugurada até o mês de agosto.

Segundo ela, é possível a presença do presidente nacional petebista, Roberto Jefferson, na festa de inauguração.

E é vida que segue…

1

Ausente da reunião, Edivaldo confirma afastamento de Flávio Dino

Pré-candidato a governador, natural que o ex-prefeito de São Luís fosse convidado ao Palácio dos Leões – até por que muitos não-dirigentes partidários também participaram; e no dia seguinte ao encontro, ele anuncia filiação ao PSD

 

Na foto oficial do encontro com Dino não há registro de Edivaldo Júnior e sua atual fiel escudeira, Mical Damasceno: rompimento consolidado

A reunião desta segunda-feira, 5, entre o governador Flávio Dino (PSB), seus pré -candidatos a governador, dirigentes partidários e aliados políticos só confirmou um fato: seu rompimento com o ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior.

Pré-candidato a governador – e até então tido como aliado de Dino – natural que o ex-prefeito fosse convidado ao Palácio, assim como foram o vice-governador Carlos Brandão (PSDB), o senador  Weverton Rocha (PDT), o secretário Simplício Araújo (Solidariedade) e o deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL).

Até por que, vários outros aliados que não  presidem partidos também estavam presentes, como o presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto, os secretários Rubens Pereira Júnior, Jefferson Portela, Fábio Capelli, Marcelo Tavares, Rodrigo Lago e Felipe Camarão, além dos deputados Zé Inácio, Rafael Leitoa e Helio Soares.

Não há informações de que Edivaldo Júnior tenha sido convidado para o encontro.

E se recebeu o convite, não compareceu.

No dia seguinte ao encontro, o ex-prefeito fez questão de anunciar sua filiação ao PSD, alinhado à base do presidente Jair Bolsonaro e à oposição no Maranhão.

Os gestos de carinho entre Edivaldo Júnior e o governador Flávio Dino, demonstrados ao longo dos últimos nove anos, parecem ter ficado no passado

O ex-prefeito e o governador não se falam desde o segundo turno das eleições de 2020, quando Flávio Dino pressionou, sem sucesso, pelo apoio de Edivaldo ao deputado Duarte Júnior no segundo turno das eleições.

Logo no início do ano, Edivaldo decidiu deixar o PDT, reforçando o afastamento do grupo.

Desde então, passou a flertar com o PSD, do deputado federal Edilázio Júnior, e com o PTB, hoje controlado pela deputada estadual Mical Damasceno; Mical e Edilázio querem Edivaldo candidato a governador.

Aliás, ainda na base de Dino – apesar de declaradamente bolsonarista – Mical Damasceno também não participou do encontro, apesar de comandar o PTB.

Sinal de que Flávio Dino deve contar menos um partido em sua base a partir de agora…

0

PTB e PSD disputam filiação de Edivaldo Júnior

Partidos ligados ao presidente Jair Bolsonaro querem a filiação do ex-prefeito para ganhar peso na mesa de negociações das eleições de 2022, mas esbarram em sua insegurança e no medo que ele tem da reação do Palácio dos Leões, embora já afastado da agenda do governo Flávio Dino

 

Tanto o PSD quanto o PTB apostam no carisma popular de Edivaldo Júnior em 2022, mas ele ainda tem muita insegurança em relação às reações de Flávio Dino

Tanto o comando do PSD quanto o do PTB já anunciaram publicamente que pretendem ter o ex-prefeito de São Luís Edivaldo Júnior (sem partido) como candidato a governador nas eleições de 2022.

Ele já falou diretamente com o presidente nacional pessedista, Gilberto Kassab, e esteve com a presidente regional petebista Mical Damasceno em reunião com pastores evangélicos.

Tanto o PSD quanto o PTB apostam que Edivaldo representa claramente o sentimento conservador e bolsonarista nas eleições de 2022; e de tudo fazem para tê-lo em suas fileiras.

A insegurança natural do ex-prefeito e o medo de reações do Palácio dos Leões – de quem ele se afastou desde as eleições de 2020 – têm gerado dificuldades de ações mais públicas sobre as eleições.

Edivaldo Júnior não foi incluído na última pesquisa do Instituto DataIlha, ligada aos Leões, mas ele aparece bem posicionado na última pesquisa Escutec, de março deste ano.

A mesma Escutec deve anunciar no próximo sábado nova pesquisa, com o nome do ex-prefeito de São Luís incluído, o que deve acirrar ainda mais a disputa entre PSD e PTB.

Não se descarta, inclusive, uma aliança entre os dois partidos, abrindo mais uma frente contra o projeto do governador Flávio Dino (PSB).

Mas esta é uma outra história…

0

Edivaldo reúne-se com evangélicos, mas mantém silêncio nas redes

Ciceroneado pela deputada estadual Mical Damasceno – agora controladora do PTB maranhense – ex-prefeito de  São Luís tem sido apresentado a pastores e líderes do segmento, mas ainda mantém as conversas restritas aos bastidores

 

Mical tem levado Edivaldo para reuniões como esta, com o pastor Coutinho, da Assembleia de Deus; mas os encontros se mantêm nos bastidores

O ex-prefeito de São Luís Edivaldo Júnior (sem partido) tem cumprido uma intensa agenda de conversas com pastores evangélicos maranhenses, sobretudo os da Assembleia de Deus.

Essas conversas, segundo informou a própria ao blog Marco  Aurélio D’Eça, estão sendo articuladas pela deputada estadual Mical Damasceno, que quer Edivaldo como candidato a governador.

O ex-prefeito, no entanto, parece evitar a divulgação desses encontros, pelo menos neste primeiro momento de arrumação de candidaturas ao governo.

Nas redes socais, Holandinha optou por postagens mais pessoais e memórias de sua passagem pela prefeitura. 

No controle do PTB maranhense – e com aval da direção nacional – Mical Damasceno quer ocupar o vácuo de lideranças do bolsonarismo no Maranhão, sobretudo por ter ao seu lado a maior base eleitoral orgânica dentre todos os aliados do presidente no estado.

Resta aber quando o ex-prefeito, ainda sem partido, se manifestará sobre seu projeto eleitoral para 2022…

0

“Mical é forte e está consolidada no PTB”, garante Roberto Jefferson

Em mensagem direta ao editor do blog Marco Aurélio D’Eça, presidente nacional do partido diz que a deputada estadual será responsável por organizar as chapas de deputado estadual e federal para 2022

 

Mical Damasceno com Roberto Jefferson e a vice-presidente nacional do PTB Gracyela Nienov

O presidente nacional do PTB encaminhou nesta sexta-feira, 11, mensagem direta ao editor do blog Marco Aurélio D’Eça em que reafirma a força da deputada estadual Mical Damasceno no partido.

– Marco Aurélio D’Eça, recebi sua matéria dizendo que o PTB pode mudar de mãos novamente. Não acredite nisso, não. A Mical é forte e está consolidada. Ela é a presidente estadual do PTB – afirmou o ex-deputado.

Ele contestou post do blog, que apontava riscos para a parlamentar continuar no comando do partido.

Também em conversa com o editor do blog, a própria Mical admitiu que houve gestões de pessoas do Piauí – “empresários, não políticos” – em busca do comando do partido no estado.

Roberto Jefferson, n o entanto, garantiu que é dela o comando partidário.

– Ela vai organizar o partido no estado e fazer a chapa de federal e de estadual – frisou Jefferson.

O presidente nacional nada falou sobre candidatura própria do PTB a governador; mas Mical damasceno reafirmou o projeto de ter o ex-prefeito Edivaldo Júnior como candidato.

Ela revelou, inclusive, conversas já realizadas entre o ex-prefeito e líderes da igreja  Assembleia de Deus.

Esta, no entanto, é uma outras história…

1

PTB pode mudar novamente de mãos…

Presidente nacional do partido, Roberto Jefferson, quer no comando uma liderança com força estadual, o que não conseguiu com a deputada estadual Mical Damasceno

 

Mical Damasceno mostra insegurança quanto às garantias do presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson

A deputada estadual Mical Damasceno anda assustada com o risco de perder o controle do PTB, no qual está há apenas três meses, desde que o deputado federal Pedro Lucas Fernandes decidiu transferir-se para o PSL.

Ela chegou a gravar vídeo em que demonstra certa insegurança com a possibilidade de perder o comando da legenda; e mandou recado ao presidente nacional Roberto Jefferson.  

Partido tradicional da política brasileira, o PTB precisa superar a cláusula de barreira nas eleições de 2022 e, para isso, precisa ter candidatos de peso à Câmara Federal; mas Mical Damasceno não tem conseguido atrair novos filiados.

O presidente nacional da legenda, Roberto Jefferson, tem conversado com senadores e deputados federais maranhenses em busca de quadros que possam dar musculatura política ao PTB.

A grande dificuldade da deputada estadual é o pouco trânsito que ela tem em Brasília e a dificuldade de relacionamento com a bancada maranhense.

Numa tentativa de mostrar força, ela vem tentando atrair o ex-prefeito Edivaldo Júnior para ser candidato pela legenda. Ele resiste ao risco de se vincular ao projeto do presidente Jair Bolsonaro.

O objetivo de Jefferson é claro: eleger o máximo de deputados federais em uma chapa forte nas eleições de 2022.

Mical terá que desdobrar para cumprir esta meta…