0

Nem mesmo aliados de Brandão acreditam em pesquisa Escutec/Mirante; Instituto arrisca a própria credibilidade

Levantamento que aponta o governador-tampão com 33% das intenções de voto – mesmo internado há 30 dias, com dúvidas sobre a própria candidatura e com várias crises no governo – teve efeito contrário ao esperado e levou a base governista a se convencer de que o Palácio dos Leões começou a forçar a barra com a candidatura oficial

 

Flávio Dino, Márcio e Capelli têm tentado salvar a candidatura de Brandão, mas suas ações têm levado aliados importantes ao constrangimento de se expor nas redes sociais

Análise da notícia

Se esperava dar uma injeção de gás na base aliada com a divulgação da pesquisa Escutec/Grupo Mirante, nesta quinta-feira, 16, o Palácio dos Leões viu um efeito contrário desde a divulgação dos números.

O levantamento virou chacota nas redes sociais e em aplicativos de troca de mensagens, ao apontar o governador-tampão afastado Carlos Brandão (PSB) com 33% das intenções de votos, cinco pontos à frente do senador Weverton Rocha (PDT).

Desde a divulgação dos números no Imirante.com, os memes de internet, os deboches e os questionamentos mais sérios começaram a pipocar, observando a farsa do levantamento.

Brandão está há exatos 30 dias afastado do governo, com sérias desconfianças sobre a própria capacidade de enfrentar uma campanha, com problemas estruturais em sua gestão, crise no setor de transporte de ferry boat e falta de ação do governo em todas as áreas.

Não há, portanto, fato novo algum que justifique seu crescimento acentuado na pesquisa – a não ser a tentativa do Palácio dos Leões de salvar a candidatura oficial.

Um dos memes sobre a pesquisa põe Brandão de colete salva-vidas e diz que a pesquisa encomendada serviu para tentar salvar sua candidatura

A ação de salvamento da candidatura de Brandão foi tão orquestrada que os textos publicados na mídia alinhada ao Palácio dos Leões é um só, copiado do site do grupo que o contratou. (Veja aqui, aqui e aqui)

A divulgação da pesquisa Escutec/TV Mirante põe em xeque a credibilidade do próprio instituto, aliás já alertado pelo blog Marco Aurélio D’Eça, quando da pesquisa de maio, no post “Exata e Escutec terão maior prova de fogo em eleições desde 1994…”

De qualquer forma, para a base aliada, é como se os números simplesmente não tivessem existido.

E a única dúvida da população é: Brandão ainda é ou não candidato ao governo???

2

Exata e Escutec terão maior prova de fogo da credibilidade em eleições desde 1994…

Embora tecnicamente apresentando os mesmos patamares de votos para os principais candidatos a governador em suas pesquisas, institutos que devem ser a referência no atual pleito acabam em xeque pela relação dos postulantes com as empresas de comunicação que os contratam, remetendo à lendária disputa Roseana versus Cafeteira

 

Institutos de maior repercussão no Maranhão têm nestas eleições um teste de fogo para a credibilidade, dada à vinculação dos candidatos a grupos de mídia que fazem pesquisas

Análise da notícia

Contratados, respectivamente, pelo Grupo Mirante e pelo Sistema Difusora, os institutos de pesquisa Escutec e Exata devem se estabelecer como os principais parâmetros dos levantamentos sobre a corrida pelo Governo do Estado nestas eleições de 2022.

Mas também terão neste pleito uma prova de fogo para sua credibilidade desde a lendária disputa entre Roseana Sarney e Cafeteira, em 1994.

Para início de conversa, é preciso estabelecer que a Escutec é contratada do Grupo Mirante, hoje alinhado – ainda que não oficialmente – à candidatura do governador-tampão Carlos Brandão (PSB); a Exata, por sua vez, atua para a TV Difusora, hoje vinculada ao senador Weverton Rocha (PDT).

Embora não deva haver relação de causa e efeito entre pesquisas, contratantes e candidatos, não há dúvidas de que a opinião pública verá sempre influência de quem contrata os levantamentos na divulgação dos resultados.

Dito isto, é preciso estabelecer também que, tecnicamente, os números da Escutec e da Exata divulgados neste domingo, 1º, são praticamente os mesmos para Weverton e Carlos Brandão. A Escutec diz que Brandão tem 24% e Weverton 20%; já a Exata afirma Weverton à frente, com 22% contra 21% de Brandão.

Isso permite dizer que Weverton e Brandão têm hoje algo entre 20% e 25% das intenções de votos cada um, levando em conta cada margem de erro de cada levantamento.

Para a Escutec, contratada da Mirante, é Brandão quem está à frente; a Exata, parceira da Difusora, diz que quem lidera é Weverton.

Cafeteria e Roseana em 1994: eleição tumultuada até o último momento vitória amplamente questionada de Roseana Sarney

O blog Marco Aurélio D’Eça publicou, em novembro de 2020, o post “Como ler pesquisas eleitorais”.

Tratava-se de um Ensaio sobre o que são os levantamentos, ensinando a não levar-se apenas pelo vínculo de um instituto a um candidato ou a um grupo.

– Analistas e comentaristas equivocam-se em bombardear levantamentos ou vincular institutos a candidatos; pesquisa é estimativa, e como tal, nunca pode ser precisa, já que trabalha com variantes pré-estabelecidas – já dizia este blog, em 2020.

Não houvesse o vínculo de relação das duas principais emissoras de TV com os candidatos a governador, as pesquisas seriam analisadas dentro de uma liberdade estatística para dizer que as duas mostram exatamente a mesma coisa na corrida eleitoral neste momento.

Se decidirem bancar seus prognósticos até o fim da eleição, aquele instituto que alcançar melhor resultado no pleito terá superado no Maranhão sua maior prova de fogo desde as eleições de 1994, quando ainda sequer havia regulamentação de pesquisas na Justiça Eleitoral.

Aquela eleição – polarizada entre o então senador Epitácio Cafeteira e a então deputada federal Roseana Sarney (MDB) desmoralizou a credibilidade dos institutos de pesquisa, levando alguns à quase-extinção.

E a credibilidade é o preço alto a pagar no espaço mercadológico…

1

Pesquisas apontam acirramento entre Weverton e Brandão na disputa pelo Governo…

Institutos Exata e Escutec divulgaram seus números neste domingo, cada um com um postulante à frente, mas ambos em condição de empate técnico; demais adversários ainda distantes da briga pelo segundo turno

 

Brandão e Weverton devem mesmo polarizar a disputa pelo Governo do Estado, como demonstram números da Exata e da Escutec deste domingo

As pesquisas dos Institutos Exata e Escutec, divulgadas neste domingo, 1º, mostram que a disputa pelo Governo do Estado está mesmo polarizada entre o senador Weverton Rocha (PDT) e o governador-tampão Carlos Brandão (PSB).

A exata diz que Weverton está à frente, com 22%, seguido colado por Brandão, que registra 21%.

Já a Escutec aponta Brandão à frente, com 24%, seguido por Weverton com 20%.

A leitura correta destes números devem dizer que, tanto Weverton quanto Brandão estão hoje  num patamar entre 20% e 25%, levando em consideração a margem de erro de cada pesquisa.

Independentemente do conceito ou da metodologia usada por cada um dos levantamentos, os números mostram duas verdades:

1 – o senador Weverton está consolidado na casa dos 20% dos votos, ainda que não tenha avançado, mesmo em pré-campanha desde os primeiros números;

2 – Brandão ainda não conseguiu usufruir da força da máquina e most5ra pouca popularidade para quem está sentada na cadeira de governador.

Outro dado importante das duas pesquisas é que os demais candidatos – Edivaldo Júnior (PSD), Lahésio Bonfim (PSC), Roberto Rocha (PTB) e Josimar de Maranhãozinho ainda não conseguiram consistência para brigar por uma das vagas no segundo turno.

Como a tendência é que tanto Roberto Rocha quanto Josimar deixem a disputa, um novo levantamento, provavelmente no fim de maio, faz-se obrigatório para medir o impacto destas mudanças.

As pesquisas foram registradas na Justiça Eleitoral…

7

Pesquisas frustram Palácio dos Leões e consolidam Weverton como principal candidato a governador

Números divulgados no fim de semana reforçam que o senador – vítima de implacável ataque adversário contra sua candidatura – mantém-se na briga pela liderança da corrida eleitoral, polarizando a disputa contra o vice-governador Carlos Brandão e fortalecendo a percepção de vitória entre aliados no interior

 

Weverton mantém forte apoio popular e de lideranças em todo o Maranhão, o que o mantém à frente nas pesquisas de intenção de votos

Análise da notícia

O senador  Weverton Rocha (PDT) foi o candidato que mais sofreu ataques e perdas no período de abertura da janela partidária; o Palácio dos Leões – capitaneado diretamente pelo agora ex-governador Flávio Dino (PSB) – avançou sobre aliados, tomou partidos, cooptou prefeitos e deputados, e ocupou toda a mídia com notícias negativas contra o pedetista.

Mesmo assim, os números de Escutec e DataM confirmaram que Weverton mantém-se consolidado na disputa pela liderança da corrida eleitoral.

As duas pesquisas divulgadas no fim de semana pelas duas principais emissoras de TV confirmaram a força do senador mesmo após os ataques palacianos contra sua base; e frustraram Flávio Dino e Carlos Brandão.

A condição de empate técnico na liderança das duas pesquisas dá a Weverton fôlego novo e consolida o candidato pedetista como principal nome da disputa e o adversário a ser batido pelo Palácio dos Leões.

Algumas características históricas garantem a consolidação de Weverton.

Weverton tem vínculo direto com o povo mais simples, setor inalcançável pelo governador Carlos Brandão, de origem mais tradicional e coronelista

Ligado às lutas da esquerda desde o movimento estudantil, o senador do PDT tem relação direta com movimentos sociais, sindicatos de trabalhadores e com entidades representativas das lutas no campo, quilombolas, negros e indígenas.

Estes segmentos são inalcançáveis por Brandão, de história coronelista.

Apesar da cooptação desenfreada do Palácio dos Leões, Weverton manteve o apoio dos segmentos mais tradicionais do PT, da CUT, da Fetaema e Sindsep, grupos ligados diretamente à candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Essa relação histórica garante o vínculo direto com a população, o povo mais real do dia dia, outro setor de difícil para o atual governador.

Além disso, a importante posição do senador – mesmo diante do bombardeio comandado por Flávio Dino – deu aos prefeitos e lideranças do interior a certeza de que ele tem, sim, condições de vencer a eleição para o governo.

A percepção de vitória de um candidato é tão, ou mais importante, que os seus índices eleitorais.

Os próximos meses, já com Flávio Dino afastado do governo, e com Brandão comandando uma gestão pesada e envelhecida,  serão importantes na trajetória do senador, que espera, inclusive, ver alguns aliados atraídos pelos encantos do governo fazerem o caminho de volta.

Mas esta é uma outra história…

5

Com campanha no apartamento, Edivaldo Jr. fica parado nas pesquisas…

Ex-prefeito de São Luís não avançou absolutamente nada em suas intenções de votos em comparação com o levantamento da Escutec/Grupo Mirante feito em dezembro; neste período, suas ações se resumiram a receber em casa os deputados Edilázio Júnior César Pires

 

Com a campanha presa no apartamento, apenas com Edilázio Júnior e César Pires, Edivaldo vê seu nome estagnado na pesquisa Escutec

Discutindo política apenas em seu apartamento desde novembro de 2021 – e apenas com os deputados  César Pires (PV) e Edilázio Júnior (PSD) – o ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior (PSD) viu seus números paralisados na pesquisa Escutec/Grupo Mirante, divulgada nesta terça-feira, 22.

Edivaldo apareceu com os mesmos 12% da pesquisa anterior, divulgada no início de dezembro do ano passado. 

Os números refletem a dinâmica da campanha de Edivaldo, que se resume a reuniões em seu apartamento, sem nenhum tipod e movimentação de rua, nem em São luís, nem no interior do estado.

É provável que estes índices sejam reflexo do recall de sua passagem pela Prefeitura de São Luís.

Mas tendem a se perder caso o prefeito não saia de casa…

3

“Escolha pessoal” de Flávio Dino não favorece Carlos Brandão, revela Escutec…

Mesmo após declaração de apoio do governador e quase um mês de campanha pelo Maranhão – período em que chegou a carregar retrato do vice em pleno evento de governo – eleitor maranhense não se entusiasmou com o tucano, que manteve quase os mesmos índices de dezembro na pesquisa divulgada pelo Grupo Mirante

 

Flávio Dino chegou a carregar retrato de Brandão em evento do governo, mas não empolgou o eleitorado a seguir sua “escolha pessoal”

O vice-governador Carlos Brandão (PSDB) permanece estagnado na preferência do eleitorado maranhense, mesmo após quase 30 dias de campanha em seu favor patrocinada pelo governador  Flávio Dino (PSB).

Brandão tinha 14% em dezembro no cenário sem Roseana; agora, aparece com 19% o que pode significar variação dentro da margem de erro, segundo pesquisa Escutec divulgada nesta terça-feira, 22, pelo Grupo Mirante.

Na pesquisa de dezembro, os índices da “escolha pessoal” de Flávio Dino poderiam estar entre 11% e 17%, de acordo com a margem de erro; agora ele registra 19%, mas pode estar com 22% ou 16%.

Os números mostram que “a escolha pessoal” de Flávio Dino pelo seu vice não empolgou o eleitor, mesmo com o governador carregando seu candidato para todos os eventos de governo – quando chegou a exibir retrato do tucano em pleno evento de governo. 

A pesquisa Escutec revela que os índices que eram da ex-governadora Roseana Sarney (MDB) se diluíram entre vários candidatos ao longo dos últimos dois meses, o que reflete a dificuldade de crescimento do vice-governador, mesmo com toda a força do Palácio dos Leões em seu favor.

É natural que Brandão cresça nos próximos meses, a partir de sua posse como governador e pela força que a estrutura do governo faz em torno dele.

Mas a dificuldade que ele apresenta em empolgar de forma consistente o eleitorado mostra que a escolha pessoal de Flávio Dino é, de fato, muito pessoal.

Carregue ou não retratos em palanque…

1

A difícil missão da terceira via no Maranhão

Cada vez mais distantes do bloco principal de candidatos – liderado pelo senador Weverton Rocha – o senador  Roberto Rocha, o deputado federal Josimar Maranhãozinho, o ex-prefeito Edivaldo Júnior e o prefeito Lahésio Bonfim precisam encontrar um rumo para ainda sonhar com o segundo turno sonhado pelo Palácio dos Leões

 

Flávio Dino e Ricardo Capelli sonham em tirar Weverton Rocha do segundo turno, mas os candidatos esperados por ele não conseguem deslanchar nas pesquisas

A pesquisa Escutec divulgada nesta terça-feira, 22, pelo Grupo Mirante frustrou a cúpula do Governo Flávio Dino (PSB).

O Palácio dos Leões sonha – e trabalha – para tirar o senador Weverton Rocha (PDT) do segundo turno, para que o vice-governador Carlos Brandão (PSDSB) enfrente um nome alternativo, da chamada terceira via.

Mas, além de mostrar Weverton consolidado em primeiro lugar – com índices que podem variar entre 19% e 25% das intenções de voto – a pesquisa revelou que o bloco de candidatos que poderiam representar a chamada terceira via está cada vez mais distante da disputa pelo segundo turno.

O ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior (PSD) aparece em terceiro lugar, com 12%, empatado tecnicamente com o senador  Roberto Rocha (PSDB), com 11%, mas a distância para Brandão – que pode ter entre 16% e 22%, dependendo da margem de erro – aumentou consideravelmente.

Já os outros dois candidatos alternativos, Lahésio Bonfim (Agir) e Josimar Maranhãozinho (PL) mostram-se ainda mais distantes, com 6% e 5%, respectivamente.

Os números da Escutec/Imirante confirmam as análises do blog Marco Aurélio D’Eça e mostram que a eleição está polarizada entre Weverton e Brandão, que tendem a disputar cabeça a cabeça o grosso do eleitorado.

Mesmo levando em consideração o número de indecisos, a missão da terceira via torna-se cada dia mais difícil, à medida que se aproximam as convenções.

E não adianta os agentes do Palácio dos Leões forçar a barra para criar artificialmente uma competitividade que não existe neste bloco de candidatos.

Os números não mentem… jamais. 

5

Escutec confirma eleição polarizada entre Weverton e Brandão…

Senador mantém a liderança da corrida pelo Governo do Estado, mas agora tendo o vice-governador como principal adversário, assim como já havia antecipado o blog Marco Aurélio D’Eça

Weverton mantém liderança e Brandão agora ocupa o segundo lugar isolado, confirmando a polarização prevista no blog Marco Aurélio D’Eça

A primeira pesquisa Escutec/Imirante de 2022 sobre a sucessão do governo Flávio Dino (PSB) confirmou prognóstico do blog Marco Aurélio D’Eça e mostrou a corrida polarizada entre o senador Weverton Rocha (PDT) e o vice-governador Carlos Brandão (PSB).

Este cenário havia sido desenhado por este blog em 21/2 no post “As perdas e ganhos de Weverton e Brandão”.

Weverton mantém a liderança dos votos, com 22%, praticamente inalterado em relação à pesquisa de dezembro.

Brandão avançou nos votos dos demais candidatos – Roberto Rocha (PSDB), Edivaldo Júnior (PSD), Lahésio Bonfim (Agir) e Josimar Maranhãozinho (PL) – e agora aparece com 19%.

Levando-se em consideração a metodologia de cada instituto, os números da Escutec estão dentro dos cenários já apresentados pelos instituto Exata e DataIlha, mas descola Brandão dos demais candidatos na disputa pela segunda vaga no segundo turno.

A pesquisa mostra ainda que, ao contrário do que torce o Palácio dos Leões, a disputa deve se dar mesmo entre Weverton e Carlos Brandão, sem espaço aparente para uma terceira via.

E aponta para uma batalha imprevisível no segundo turno…

0

Imirante/O Estado divulga nesta terça-feira primeira pesquisa Escutec de 2022…

Levantamento vai balizar o desempenho dos candidatos à corrida pelo Governo do Estado e pelo Senado, dando continuidade à série histórica iniciada pelo instituto em março de 2021

 

O Instituto Escutec divulga nesta terça-feira, 22, no Imirante.com/O Estado, a primeira pesquisa de intenção de votos de 2022 sobre a sucessão do governador Flávio Dino (PSB).

O levantamento vai divulgar números da disputa pelo Governo do Estado e para o Senado, dando continuidade à série histórica iniciada em março de 2021.

Nesta pesquisa, o Instituto Escutec não incluirá mais o nome da ex-governadora Roseana Sarney (MDB) que anunciou em janeiro sua candidatura a deputada federal.

Na série do instituto realizada nos meses de março, junho, setembro e dezembro de 2021, o senador  Weverton Rocha (PDT) manteve a liderança em todos os cenários sem Roseana; a expectativa é que o desempenho do vice-governador Carlos Brandão (PSDB) possa refletir os efeitos de ter sido escolhido como candidato pelo governador Flávio Dino.

A pesquisa será divulgada na página do jornal O EstadoMaranhão no site imirante.com … 

0

Edivaldo mantém-se na briga pelo segundo turno, mas parece ter atingido o pico em setembro

Ex-prefeito de São Luís, que chegou a 16% das intenções de votos no principal cenário da pesquisa Escutec, perdeu quatro pontos e agora tem 12%, embora empatado tecnicamente com o vice-governador Carlos Brandão, que ficou parado nos 13%, apesar da “escolha pessoal” de Flávio Dino

 

Edivaldo com Gilberto Kassab, na filiação ao PSD, em agosto; efeito da surpresa parece começar a arrefecer nos números das pesquisas

Empatado tecnicamente com o vice-governador Carlos Brandão (PSDB) na disputa pelo segundo lugar, o ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior (PSD), é um forte candidato a governador, sobretudo pela capilaridade eleitoral que mantém na região metropolitana.

Mas os números da pesquisa Escutec divulgados nesta quinta-feira, 30, pelo Grupo Mirante, mostram que ele pode ter atingido o seu pico eleitoral em setembro; e começa a oscilar para baixo.

Na Escutec de três meses atrás, Edivaldo chegou a 16% das intenções de votos, à frente de Brandão, que registrara 13%; Já na pesquisa de dezembro, o ex-prefeito caiu quatro pontos, ficando com 12%, embora Brandão tenha se mantido estagnado, com os mesmos 13% da pesquisa anterior.

A leitura adequada dos números indicam que o pico registrado por Edivaldo em setembro tem explicação no próprio lançamento do seu nome; O ex-prefeito anunciou sua candidatura em julho, e fez sua filiação em agosto, o que se refletiu na pesquisa de setembro.

Os números da Escutec mostram que apenas Roseana e Weverton cresceram na pesquisa em relação a setembro, embora dentro da margem de erro

Agora, na virada do ano, o eleitorado começa a se estabilizar, já com um pouco mais de conhecimento dos candidatos em disputa.

O resultado é a consolidação do senador Weverton Rocha (PDT) como favorito, Carlos Brandão estagnado, apesar do apoio pessoal do governador Flávio Dino, e Edivaldo com tendência de queda.

É esta a realidade fria dos números.

E ele não mentem…jamais.