0

Brandão ataca a TV Difusora para justificar covardia de fugir ao debate…

Sem ter como explicar sua ausência no programa desta quinta0feria, 18, governador-tampão disse que a emissora não tem isenção, como se o debate não fosse apenas com os próprios adversários

As desculpas de Brandão para fugir do debate não convenceram nem mesmo o seu padrinho político, Flávio Dino

Diante da repercussão negativa, o governador-tampão Carlos Brandão (PSB) inventou uma desculpa esfarrapada para justificar sua covardia de fugir do debate da TV Difusora, nesta quinta-feira, 18.

Segundo Brandão, a emissora não teria isenção para realizar o programa, diante de críticas que faz à sua gestão.

Ocorre que o debate não é com a emissora, mas com os próprios candidatos.

A  justificativa de Brandão não se sustenta em nenhum aspecto; o governador fugiu por que,  segundo seu próprio padrinho político, o ex-governador Flávio Dino (PSB), é despreparado para o cargo que ocupa.

A fuga de Brandão repercutiu negativamente nesta quinta-feira, 18…

1

Para Flávio Dino, quem foge de debates é despreparado…

Ao criticar o presidente Jair Bolsonaro, ex-governador comunista – que tem no sucessor-tampão Carlos Brandão sua “escolha pessoal” para disputar o governo – avaliou em suas redes sociais que a ausência no confronto de ideias com adversários representa não apenas covardia, mas também “a falta de condições mínimas” para governar

 

Essa opinião de Flávio Dino sobre quem foge dos debates cabe bem ao governador Carlos Brandão; e o comunista deve saber muito bem quem é o seu sucessor-tampão

O ex-governador comunista Flávio Dino (PSB) é, desde 2018, um crítico dos que fogem ao debate eleitoral.

Mas seu sucessor-tampão Carlos Brandão (PSB) fugiu do debate da TV Difusora nesta quinta-feira, 18.

– Não é apenas covardia. É  falta de condições mínimas (…) É um perigo entregar os nossos destinos a uma pessoa tão despreparada – disse Dino, ainda em 2018, quando o então candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL) fugia de todos os debates.

Mesmo após sua equipe de campanha assinar o documento e aceitar as regras do debate da TV Difusora, Brandão fugiu do programa sem dar explicações; só hoje ele publicou nota em suas redes sociais alegando que a Difusora não é isenta para realizar debates.

O medo do governador, quem apresenta sinais de impressionante despreparo, repercutiu fortemente nas redes sociais e na imprensa.

E Flávio Dino deve bem conhecer quem é o seu tampão…

2

Brandão foge e Edivaldo é destaque em debate da Difusora…

Ex-prefeito de São Luís usou à exaustão dois bordões certeiros – “Sou o único dos candidatos com experiência de gestão” e “Vou fazer como governador por que já fiz como prefeito” – para se diferenciar dos outros concorrentes, provocando também adversários diretos, como o senador Weverton Rocha e o ex-prefeito Dr. Lahésio

 

Diante do púlpito vazio do governador Carlos Brandão, que fugiu ao debate, Edivaldo mostra firmeza ao tentar se diferenciar dos demais candidatos

Além da covardia do governador-tampão Carlos Brandão (PSB), que fugiu sem dar explicações, o debate da TV Difusora, o primeiro entre os candidatos a governador, foi marcado também pelo forte desempenho do ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior (PSD).

Experimentado em duas eleições majoritárias – quando elegeu-se e reelegeu-se prefeito da capital maranhense – Edivaldo destacou-se entre os concorrentes, com dois bordões que devem ser a tônica de sua campanha:

1 – “Sou o único dos candidatos com experiência de gestão”;

2 – “Vou fazer como governador por que já fiz como prefeito”.

Mostrando firmeza nas respostas e apresentando de forma clara suas propostas, Edivaldo também fez o contraponto a seus adversários diretos na disputa por uma das vagas no segundo turno, provocando, ainda que sutilmente, tanto o senador Weverton Rocha (PDT) quanto o também ex-prefeito Dr. Lahésio Bonfim (PSC).

Em relação a Lahésio, Edivaldo expôs sua contradição de ter se apresentado como pobre na pré-campanha quando, na verdade, é milionário, sendo o candidato mais rico entre os postulantes ao governo.

Além de Brandão, que fugiu sem dar explicações, o candidatos Joás Moraes (DC) também faltou  ao debate na Difusora.

Mas justificou sua ausência…

2

Despreparado, Brandão deve fugir do primeiro debate entre os candidatos

Governador-tampão marcou agenda no interior do Maranhão no intervalo do horário em que a TV Difusora vai reunir os postulantes ao Governo do Estado

 

Brandão tem agenda na região de Caxias no mesmo período de horas em que sua assessoria confirmou sua presença no debate da TV Difusora, em São Luís

O despreparo do governador-tampão Carlos Brandão (PSB) ficou evidente durante a sabatina do imirante.com, na última segunda-feira, 15, quando se enrolou e exibiu seu racismo em uma resposta sobre as comunidades tradicionais quilombolas.

Se em uma emissora-amiga e sem a pressão de adversários ele conseguiu criar um fato negativo contra si mesmo, imagine em um confronto direto com os adversários…

Talvez por isso, o tampão deve fugir do primeiro debate entre os candidatos, marcado para o meio-dia desta quinta-feira, 18, na TV Difusora; pelo menos é o que indica sua agenda de campanha.

A menos que consiga vir de jatinho de São João do Sóter, onde tem agenda marcada para as 11h – e voltar depois para Eugênio Barros, onde marcou compromisso às 15h – Brandão não conseguirá estar na Difusora no intervalo entre as 12 e as 14h15.

De qualquer forma, o debate entre os candidatos a governador acontece na TV Difusora nesta quinta-feira.

É esperar a presença do governador Carlos Brandão…

2

Exata e Escutec terão maior prova de fogo da credibilidade em eleições desde 1994…

Embora tecnicamente apresentando os mesmos patamares de votos para os principais candidatos a governador em suas pesquisas, institutos que devem ser a referência no atual pleito acabam em xeque pela relação dos postulantes com as empresas de comunicação que os contratam, remetendo à lendária disputa Roseana versus Cafeteira

 

Institutos de maior repercussão no Maranhão têm nestas eleições um teste de fogo para a credibilidade, dada à vinculação dos candidatos a grupos de mídia que fazem pesquisas

Análise da notícia

Contratados, respectivamente, pelo Grupo Mirante e pelo Sistema Difusora, os institutos de pesquisa Escutec e Exata devem se estabelecer como os principais parâmetros dos levantamentos sobre a corrida pelo Governo do Estado nestas eleições de 2022.

Mas também terão neste pleito uma prova de fogo para sua credibilidade desde a lendária disputa entre Roseana Sarney e Cafeteira, em 1994.

Para início de conversa, é preciso estabelecer que a Escutec é contratada do Grupo Mirante, hoje alinhado – ainda que não oficialmente – à candidatura do governador-tampão Carlos Brandão (PSB); a Exata, por sua vez, atua para a TV Difusora, hoje vinculada ao senador Weverton Rocha (PDT).

Embora não deva haver relação de causa e efeito entre pesquisas, contratantes e candidatos, não há dúvidas de que a opinião pública verá sempre influência de quem contrata os levantamentos na divulgação dos resultados.

Dito isto, é preciso estabelecer também que, tecnicamente, os números da Escutec e da Exata divulgados neste domingo, 1º, são praticamente os mesmos para Weverton e Carlos Brandão. A Escutec diz que Brandão tem 24% e Weverton 20%; já a Exata afirma Weverton à frente, com 22% contra 21% de Brandão.

Isso permite dizer que Weverton e Brandão têm hoje algo entre 20% e 25% das intenções de votos cada um, levando em conta cada margem de erro de cada levantamento.

Para a Escutec, contratada da Mirante, é Brandão quem está à frente; a Exata, parceira da Difusora, diz que quem lidera é Weverton.

Cafeteria e Roseana em 1994: eleição tumultuada até o último momento vitória amplamente questionada de Roseana Sarney

O blog Marco Aurélio D’Eça publicou, em novembro de 2020, o post “Como ler pesquisas eleitorais”.

Tratava-se de um Ensaio sobre o que são os levantamentos, ensinando a não levar-se apenas pelo vínculo de um instituto a um candidato ou a um grupo.

– Analistas e comentaristas equivocam-se em bombardear levantamentos ou vincular institutos a candidatos; pesquisa é estimativa, e como tal, nunca pode ser precisa, já que trabalha com variantes pré-estabelecidas – já dizia este blog, em 2020.

Não houvesse o vínculo de relação das duas principais emissoras de TV com os candidatos a governador, as pesquisas seriam analisadas dentro de uma liberdade estatística para dizer que as duas mostram exatamente a mesma coisa na corrida eleitoral neste momento.

Se decidirem bancar seus prognósticos até o fim da eleição, aquele instituto que alcançar melhor resultado no pleito terá superado no Maranhão sua maior prova de fogo desde as eleições de 1994, quando ainda sequer havia regulamentação de pesquisas na Justiça Eleitoral.

Aquela eleição – polarizada entre o então senador Epitácio Cafeteira e a então deputada federal Roseana Sarney (MDB) desmoralizou a credibilidade dos institutos de pesquisa, levando alguns à quase-extinção.

E a credibilidade é o preço alto a pagar no espaço mercadológico…

1

Roseana lidera corrida pelo governo; Weverton é o melhor da base…

Ex-governadora alcança 30% das intenções de votos em pesquisa Exata, divulgada nesta terça-feira, 23, pela rádio Difusora FM; sem ela, senador do PDT lidera em todos os cenários, sempre acima dos 30 pontos percentuais

 

Roseana lidera a disputa pelo Governo do Estado, embora já tenha declarado que não pretende disputar as eleições majoritárias de 2022

A ex-governadora Roseana Sarney (MDB) aparece em primeiro lugar na pesquisa do Instituto Exata para o Governo do Estado, divulgada nesta terça-feira, 23, no programa Ponto & Vírgula, da rádio Difusora FM.

No principal cenário pesquisado, ela soma 30% das intenções de votos, contra 20% do senador Weverton Rocha (PDT), o governista mais bem posicionado.

O cenário principal da pesquisa Exata mostra que Weverton Rocha é o mais bem posicionado pré-candidato ligado à base do governo Flávio Dino

Ainda de acordo com o levantamento, o ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior (PDT) soma 10%; o deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) aparece com 7% e o vice-governador Carlos Brandão (PSDB) tem 6% das intenções de voto, um ponto à frente do Dr. Lahésio (PSL), com 5%.

Neste cenário, o índice de indecisos é de 13%; outros 9% declararam que votariam branco ou nulo se as eleições fossem hoje.

Weverton vence em todos os cenários sem Roseana

 

Weverton Rocha vence em todos os cenários sem a ex-governadora Roseana Sarney, sempre com intenção de votos acima dos 30%

A pesquisa Exata avaliou outros dois cenários, ambos sem a ex-governadora Roseana e sem o ex-prefeito Edivaldo Júnior; nestes cenários, Weverton Rocha mantém ampla vantagem sobre os adversários, superando a casa dos 30% de intenções de voto.

No primeiro cenário ele vai a 32%, contra 16% de Carlos Brandão e 13% de Josimar de Maranhãozinho. Nulos e brancos somariam 20%;. outros 19% não quiseram ou não souberam responder.

Weverton vence tanto no cenário com Josimar e Brandão quanto no confronto direto com o vice-governador

No confronto direto com Carlos Brandão, Weverton chega a 36% das intenções de votos, contra 20% do vice-governador. Neste cenário, 23% declararam votar nulo ou branco e outros 21% não souberam ou não quiseram responder.

A pesquisa Exata ouviu 1.403 eleitores em todo o Maranhão; a margem de erro da pesquisa é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos…

2

Fórmula de debates parece cansada; é preciso buscar alternativas

Programas envolvendo candidatos – com regras amarradas e participação em massa – se transformam em meras repetições do que ocorre na propaganda eleitoral, tornando-se enfadonhos e pouco influentes no processo eleitoral

 

O aspecto dos próprios candidatos nesta imagem mostra o cansaço da fórmula adotada para realização de debates eleitorais

Opinião

O debate da TV Difusora, exibido nesta quinta-feira, 12, frustrou as expectativas e não trouxe nenhuma novidade capaz de influenciar diretamente a votação do próximo domingo, 15.

Confirmou um conceito do blog Marco Aurélio D’Eça: o de que as emissoras vão precisar pensar em algo que substitua este tipo de programa e as tais entrevistas com candidatos – estas ainda mais insuportáveis.

A fórmula é ultrapassada, cansativa, chata.

Com regras muito amarradas e pouca oportunidade de confronto direto entre os que mais importam ao eleitor, os debates viraram apenas mais um apêndice de tudo o que se diz na propaganda.

Este tipo de evento de campanha é coisa do passado; é preciso criar algo novo para substituí-lo.

Nestas eleições, duas emissoras, a própria Difusora e a Band-MA, buscaram uma alternativa – com apenas dois candidatos se enfrentando por vez – que, se aperfeiçoada, pode se transformar numa alternativa aos modorrentos e cansativos debates.

Ao longo da história, os debates viraram a culminância da campanha eleitoral, momento em que sempre tinha algo novo capaz de influenciar o resultado do pleito.

Mas com a fórmula que se usa ainda hoje – superpovoado e cheio de “amarras pseudodemocráticas” – perdeu o sentido, a força e o impacto eleitoral.

Em outras palavras:  cansou!!!

3

Debate da Difusora deve expor ausências de Braide e Duarte

Atualmente líder nas pesquisas, candidato do Podemos cobrava presença nos programas em 2016; seu adversário do Republicanos foi contaminado pela coVID-19 e queria participar de casa, o que não foi aceito pelos demais participantes

 

Neto Evangelista participou sozinho de pinga fogo, hoje, na TV Difusora; seu adversário, Eduardo Braide, se ausentou, ao contrário da postura de 2016 quando insistia para participar

Os candidatos Eduardo Braide (Podemos) e Duarte Júnior (Republicanos) enfrentam acentuado desgaste nesta reta final da campanha, que deve se acentuar nesta quinta-feria, 12, com a ausência do debate da TV Difusora.

O desgaste de Braide, que deve ser explorado pela emissora, se dá pelo fato de que, em 2016 – quando ocupava as derradeiras posições nas pesquisas – ele chegou a apelar por participação em debates; e criticou duramente a ausência do adversário Edivaldo Júnior (PDT).

Hoje, o candidato justifica que tem sido hostilizado pela TV Difusora.

Duarte Júnior tenta participar de c asa do debate da Difusora, o que não está sendo aceito pelos demais participantes

Duarte Júnior, por sua vez, envolveu-se numa intensa polêmica ao revelar que estava se ausentando da campanha por causa de infecção por coVID-19, enquanto a mesma Difusora revelou que esta infecção se deu desde o dia 5 de novembro.

Ao contrário de Braide, Duarte ainda tentou participar, por videoconferência, o que não foi aceito pelos demais participantes.

Os dois candidatos, que disputam com Neto Evangelista (DEM) vaga no segundo turno das eleições, apresentam visível desgaste, que vem se refletindo nas pesquisas.

E a ausência do debate de hoje pode se refletir ainda mais nas pesquisas a serem divulgadas antes do primeiro turno…

0

Com eleição acirrada, debate da Difusora pode definir vagas no 2º turno

Programa da TV Difusora ganhou ainda mais importância após cancelamento do debate da TV Mirante; e – assim como ocorreu em 2016 – deve influenciar diretamente o resultado do primeiro turno em São Luís

 

Todos os candidatos foram convidados para o debate da Difusora FM, que será transmitido ao vivo pela TV Difusora, como último do primeiro turno

Ganha cada vez mais importância o debate da TV Difusora, marcado para a próxima quinta-feira, 12 – o último antes do primeiro turno das eleições em São Luís.

Em 2016, o último programa deste tipo, exibido pela TV Mirante três dias antes do pleito, desbancou então favoritos e resultou na ida do então azarão Eduardo Braide (Podemos) ao segundo turno.

Em 2020, sob orientação da Globo, a Mirante desistiu do debate no primeiro turno, o que levou a TV Difusora a encampar o programa já marcado na rádio Difusora FM, levando-o para o mesmo dia e horário do que seria realizado na Mirante.

A campanha de mídia e propaganda – além do acirramento da disputa pelas vagas no segundo turno – gera uma forte expectativa em torno do programa, que pode influenciar diretamente a decisão do eleitor.

Placas de outdoor com anúncio do debate da Difusora foram vandalizadas no fim de semana, numa tentativa de esconder o programa da população

O debate da Difusora ganhou tanta repercussão que outdoors de propaganda foram vandalizados no fim de semana, como que para impedir que o eleitor tomasse conhecimento do programa.

E ganha feições ainda mais dramáticas quando se sabe das relações dos candidatos Eduardo Braide (Podemos) e Duarte Júnior (Republicanos) com a emissora.

Mas esta é uma outra história…

0

Braide e Neto se encaram diretamente na reta final

Última semana antes do primeiro turno será marcada por confrontos diretos entre os dois candidatos na TV – o que pode representar uma antecipação do segundo turno – e pelo debate da TV Difusora, que marca o fim da campanha

 

Além do debate da TV Difusora, Neto e Braide têm agenda juntos na TV Band e na própria Difusora, em confrontos diretos que antecipam o segundo turno

Os candidatos Eduardo Braide (Podemos) e Neto Evangelista (DEM) vão protagonizar nesta semana uma polarização que pode ser uma antecipação do segundo turno das eleições em São Luís.

A partir de hoje, eles estarão em confronto direto na televisão, o que culminará com o debate da TV Difusora, na próxima quinta-feira, 12.

Já nesta segunda-feira, 9, está marcado para a TV Band, a partir das 13 hora, um embate direto entre Braide e Neto, sorteados para serem os primeiros a participar de programa na emissora.

Na quinta-feria, novo confronto direto, desta feita no programa Bom DFia Maranhão, da TV Difusora, a partir das 7h.

Os dois programas marcarão uma polarização direta entre Braide e Neto, que pode antecipar o que se dará no segundo turno, caso ambos passem no primeiro turno.

O debate da Difusora substituirá a expectativas que se formou em torno do debate da TV Mirante, cancelado por causa da pandemia.

O programa pode influenciar diretamente o resultado do pleito…