11

Ibope desmente comunistas e confirma polarização entre Flávio Dino e Roseana…

Pesquisa divulgada nesta quinta-feira, pela TV Mirante/Rede Globo mostra Flávio Dino com 43% das intenções de voto, apenas nove pontos percentuais à frente de Roseana Sarney; Roberto Rocha e Maura Jorge mantêm-se abaixo dos dois dígitos

 

POLARIZADOS. Flávio Dino e Roseana polarizam disputa pelo Governo do Estado, bem distantes dos demais candidatos

A pesquisa Ibope divulgada nesta quinta-feira, 23, pelo JMTV-2ª Edição, da TV Mirante, desmentiu pesquisas dos institutos Exata e DataIlha, vinculados ao governo comunista.

De acordo com o levantamento, Flávio Dino tem apenas 43% das intenções de voto, contra 34% de Roseana Sarney, uma diferença de apenas 9 pontos percentuais – e não os mais de 30% apontados pelos governistas.

Por estes levantamentos, há uma tendência de que a disputa pode mesmo ir para um segundo turno, levando em consideração a margem de erro, que é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos.

O Ibope também mostrou que existe uma consolidada polarização entre Flávio Dino e Roseana. Essa polarização faz com que os candidatos Roberto Rocha (PSDB) e Maura Jorge (PSL) não consigam decolar.

Essa polarização entre Flávio Dino e Roseana – que pode, inclusive, ser fator de decisão em primeiro turno – já vem sendo prevista pelo blog desde o início do ano. (Releia aqui e aqui)

De acordo com a pesquisa, os dois estão rigorosamente empatados, cada um com 3% das intenções de votos, bem distantes da disputa por vaga em um eventual segundo turno.

Ramon Zapata, do PSTU marcou 1% na pesquisa; Odívio Netto, do PSOL, não pontuou.

O Ibope achou ainda 8% de eleitores que declararam votar nulo ou em branco e outros 7% de eleitores que não souberam ou não quiseram responder, o que totaliza 15% de “indecisos”.

O instituto ouviu 1008 eleitores, entre os dias 17 e 23 de agosto. A pesquisa foi registrada no TRE-MA sob o número 0052/2018.

 

1

Com apoio de Bolsonaro, Maura Jorge quer superar Roberto Rocha e disputar segundo turno…

Candidata do PSL aposta no apoio do presidenciável que disputa a liderança das pesquisas para suplantar o adversário do PSDB e alcançar a polarização hoje existente entre a ex-governadora Roseana Sarney e o governador Flávio Dino

 

PALANQUE FORTE. Maura Jorge aposta na força de Bolsonaro para superar Roberto Rocha e chegar à polarização entre Roseana e Flávio Dino

Com a candidatura do deputado estadual Eduardo Braide (PMN) praticamente descartada da disputa pelo governo – ele que ocupa a terceira posição nas pesquisas – a ex-prefeita Maura Jorge (PSL) aposta suas fichas em uma estratégia clara para chegar ao segundo turno.

Apoiada pelo candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL) – que figura sempre entre os principais candidatos nacionais – ela espera superar o senador tucano Roberto Rocha e chegar em condições de brigar pelo segundo turno nas eleições maranhenses.

De acordo com pesquisas já divulgadas, Maura Jorge ocupa a quinta posição na disputa, mas conta com dois fatores importantes para começar a brigar pela polarização com Flávio Dino (PCdoB):

1 – Eduardo Braide, que ocupa o terceiro lugar, dá cada vez mais sinais de que não será candidato a governador, o que dissemina suas intenções de votos entre os demais candidatos;

2 – Assim como seu candidato a presidente, Geraldo Alckimin, o senador Roberto Rocha (PSDB) também não consegue empolgar como candidato a governador, na quarta posição, pouco à frente da própria Maura.

E é exatamente para suplantar Roberto Rocha, que Maura Jorge trabalha.

A ex-prefeita de Lago da Pedra sabe que, com o apoio de Bolsonaro, tem condições de ultrapassar o senador tucano e começar a polarizar com a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) – e com o o próprio Flávio Dino – a vaga no segundo turno.

E para isso, vai intensificar o contato com o eleitor nos municípios…

0

Vários caminhos…

Para além do debate entre os grupos de Flávio Dino e Roseana Sarney – com eventuais entradas de Eduardo Braide – a campanha no Maranhão tem vários outros atores, que devem levar a eleição para uma disputa de segundo turno

 

A disputa tende a se polarizar entre Roseana e Flávio Dino, como vem se mostrando…

Embora o debate que tenha ganhado força nas últimas semanas envolva apenas o governador Flávio Dino (PCdoB), a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) e, vez por outra, o deputado estadual Eduardo Braide (PMN), a eleição para o governo do Maranhão reúne, ao menos, outros quatro ou cinco candidatos.

O senador Roberto Rocha (PSDB) tem reafirmado a inclusão do seu nome na disputa, representando o palanque nacional dos tucanos. Também reafirma seu nome a ex-deputada e ex-prefeita Maura Jorge, ainda filiada ao Podemos, mas em discussão com o PSL.

O time de candidatos se completa com o ex-secretário Ricardo Murad (PRP)e com o coronel do Exército José Ribamar Monteiro Segundo, que pretende ser o representante no estado de ninguém menos do que o presidenciável Jair Bolsonaro.

…Mas há diversos outros atores no processo, que devem levar a disputa para um segundo turno

Sem falar, é claro, nas tradicionais candidaturas da ultra-esquerda, com PSOL e PSTU.

Este grupo de candidatos deve movimentar o horário eleitoral gratuito e, de acordo com as pesquisas já divulgadas, encaminha claramente uma possibilidade de segundo turno nas eleições de outubro.

E todos sabem que um segundo turno é uma nova eleição.

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão

0

Roberto Rocha de volta à cena…

Senador do PSDB passou a ver complô de comunistas e sarneysistas contra sua candidatura, que, sequer, conseguiu se viabilizar entre os partidos maranhenses

 

Roberto Rocha se isola e reclama de polarização sem ele

Após período de férias natalinas em que praticamente isolou-se do debate eleitoral no Maranhão, o senador Roberto Rocha (PSDB) – ou pelo menos os seus aliados mais próximos – voltou à cena com um discurso que em nada lembra um candidato em condições de vencer o pleito: o tucano resolveu ver um suposto complô entre sarneysistas e dinistas para polarizar a eleição entre o governador Flávio Dino (PCdoB) e a ex-governadora Roseana Sarney (MDB).

Para Rocha – ou seus aliados mais próximos – isso teria o objetivo de isolá-lo na eleição de outubro.

O senador tucano só não percebe que seu isolamento ocorre por causa de sua própria postura, que ora acena para os dinistas, ora para os sarneysistas, sem criar vínculo algum com qualquer grupo político.

O resultado é um PSDB sem alianças às vésperas da campanha.

Livres de qualquer complô, são os números que dizem que a eleição está polarizada entre Flávio Dino e Roseana.

O desempenho de Roberto Rocha nesses mesmos levantamentos não justifica os protestos do senador contra a possibilidade de haver uma eleição polarizada. Há muita água para rolar até outubro e insinuar um complô a essa altura é mera especulação.

Cabe ao senador do PSDB botar o bloco nas ruas e tentar se imiscuir no embate entre comunistas e sarneysistas.

Mas ele não conseguirá esse feito apostando apenas em intervenções nacionais nos partidos políticos, achando que, a ele, basta o tempo de TV. É preciso convencer o eleitor sobre sua credibilidade.

E antes de chegar ao bloco Dino/Roseana, terá que superar outros nomes, como os de Ricardo Murad (PRP), Maura Jorge (PODE) e Eduardo Braide (PMN).

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão

2

Os quatro polos da eleição de 2018…

Com o comando do Palácio dos Leões, Flávio Dino polariza equivocadamente com a ex-governadora Roseana Sarney, tendo o senador Roberto Rocha como terceira via e um quarto campo, hoje encarnado pela ex-prefeita Maura Jorge

 

CARA OU COROA. Roseana e Flávio Dino como faces da mesma moeda; o eleitor com apenas dois lados para escolher

O governador Flávio Dino (PCdoB) vem tentando, desde o início do seu mandato, polarizar o seu projeto de poder com o da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB).

OUTRA VIA. Rocha, Madeira, Hilton, Braide e Wellington podem representar outra opção

Para ele, a polarização é fundamental porque, ao fim dos quatro anos do primeiro mandato, terá sempre alguém para jogar a culpa do fracasso.

Mas, assim, ele acaba tratando a si próprio e ao grupo Sarney como dois lados da mesma moeda. Uma espécie de cara ou coroa, que o eleitor terá de escolher.

E o jogo eleitoral de 2018 não terá apenas dois lados; se desenhará em pelo menos quatro vias, cada uma delas com propostas claras ao eleitor.

O senador Roberto Rocha (PSB), por exemplo, que hoje encarna o anti-comunismo mais claramente no embate político, tem a vantagem de ter, em seu projeto, a força do PSDB, que chega a 2018 com forte palanque presidencial.

CONTRAPONTO. Maura Jorge encarna o antagonismo ideológico com Dino

Além dele, surge no interior e nas redes sociais a ex-prefeita Maura Jorge (Podemos), que encarna uma espécie de anti-dinismo, formando o quarto pólo da disputa, que pode ser ocupado também por Eduardo Braide (PMN), Hilton Gonçalo (ainda no PCdoB), Wellington do Curso (PP) ou qualquer um que queira fugir do tripé Dino/Roseana/Roberto Rocha.

Flávio Dino não tem conseguido convencer na comparação entre o seu projeto e o do grupo Sarney. (Entenda aqui)

E terá ainda mais dificuldades com outras três forças de bombardeio ao seus quatro anos de promessa de mudança do Maranhão em todos os aspectos.

Este bombardeio deve confirmar, ao menos, a garantia de segundo turno, o que não ocorre desde 2006.

E o segundo turno, como se sabe, é uma outra eleição…

21

Polarização à vista: Castelo ataca, Tadeu rebate…

Castelo e Palácio caminham para polarização da campanha em SL

O ex-prefeito de São Luís, Tadeu Palácio (PP), ocupou ontem a rádio Capital para rebater acusações da deputada estadual Gardeninha Castelo (PSDB), filha do prefeito João Castelo.

Para Palácio, Gardeninha tem sido “perversa e mentirosaao tentar defender a administração do pai.

Minutos antes, a deputada afirmoui que a pesquisa Escutec, que dá 70% de rejeição a Castelo, fora manipulada por Tadeu Palácio .

Claro que essa pesquisa não é real, ele foi encomendada pelo Tadeu Palácio, trata-se de uma pesquisa manipulada – afirmou a parlamentar.

Mas os ataques de Gardeninha ao prefeito – e suas respostas imediatas – mostram que a eleição deverá mesmo ficar polarizada entre Castelo e Tadeu Palácio.

– Se o eleitor tiver a condição de comparar as duas gestões, ele saberá perceber qual foi a melhor. E se verá que adminsitração será aprovada – disse Tadeu Palácio.

A comparação, portanto, é tudo o que o ex-prefeito espera…

3

Ildon e Madeira rigorosamente empatados em Imperatriz…

Marques e Madeira: "pau-a-pau" em Imperatriz

É de rigoroso empate técnico a disputa eleitoral em Imperatriz, faltando cerca de oito meses para a eleição.

De acordo com pesquisa Escutec, o candidatos Ildon Marques (PMDB) e Sebastião Madeira (PSDB), disputam voto a voto em todos os quatro cenários pesquisados.

A pesquisa Escutec foi divulgada em primeira mão no blog de Gilberto Léda, desde o início desta manhã. (Leia aqui)

No cenário 1, em que são apresentados como candidatos apenas Ildon, Madeira e o comunista Edmilson Sanches, é Ildon quem aparece na frente, com 36,7% dos votos, seguido de Madeira, com 36%. Sanches alcança 17%.

Num cenário com seis nomes na disputa, é Madeira quem aparece na frente, com 32,7%, menos de três pontos à frente de Marques, que soma 29,9%.

Neste cenário, segundo Gilberto Léda, o Escutec incluiu também os candidatos Pastor Porto (PPS), que chega a 12,9%; Carlinhos Amorim (PDT), com 9% e o petista Expedito Barroso, que aparece com, 0,5%.

Com este número de candidatos Edmilson Sanches soma apenas 8,8%.

Numa disputa sem a participação de Ildon Marques, Sebastião Madeira venceria com 44,9% contra 38,5% do comunista Edmilson Sanches, que se consolida como principal opção da esquerda.

O Escutec ouviu 603 pessoas, entre os dias 21 e 23 de janeiro. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral sob o número 0003/2012.