3

Operação Turing: empresários negam sofrer extorsão de blogueiros…

Depoimentos de Antonio Barbosa, da Dimensão Engenharia, e Pedro Ricardo Aquino, da Classi Segurança, desdizem a acusação da Polícia Federal, que resultou, inclusive, na prisão e condução de alguns titulares de blogs

 

Grampo do grampo
Delegados sustentaram operação em grampos telefônicos, desmentidos pelas supostas vítimas

Os empresários Antonio Barbosa de Alencar, da Dimensão Engenharia, e Pedro Ricardo Aquino, da Classi Segurança, negaram, em depoimento na Polícia Federal, qualquer tipo de extorsão sofrida pelos blogueiros indiciados na Operação Turing, promovida em março pela própria PF.

Ricardo Aquino depôs no dia 29 de março, segundo registro às folhas 1055/SR/PF/MA, que compõem o inquérito 021/2016; Barbosa, por sua vez, prestou depoimento em 31 de março.

A afirmação da PF, de que os blogueiros extorquiam empresários e políticos, é a base fundamental da investigação da Operação Turing.

Não sei, não conheço…
Antonio Barbosa da Dimensão Engenharia garantiu nunca ter sido procurado por blogueiros

Barbosa declarou ipsis literis que não acompanha blogs e que não conhece ou mantém relação de amizade com nenhum dos blogueiros citados.

– Reafirma nunca foi procurado por blogueiros e que não tomou conhecimento de nenhuma publicação ou investigação – diz trecho do depoimento de Barbosa.

Alheio total
Ricardo nega ter qualquer contato com qualquer blogueiro

O dono da Classi disse, por sua vez, que conhece os blogueiros – e outros do Maranhão – apenas através das postagens na internet. E nega que algum deles tenha feito qualquer tipo de pedido de aporte financeiro.

– Nunca teve contato com Luis Pablo, seja pessoalmente, seja por telefone. Que nunca houve pedido de dinheiro em qualquer oportunidade. Que nunca deu ou lhe foi pedido qualquer tipo de vantagem – disse o empresário.

Toda a argumentação da Polícia Federal para pedir a prisão e a denúncia contra os blogueiros se baseia em conversas telefônicas entre os próprios blogueiros. O inquérito, inclusive, surgiu de um outro, aberto para investigar esquema de corrupção envolvendo um outro policial federal, na Secretaria de Administração Penitenciária do governo Flávio Dino. (PCdoB).

A PF já ouviu – ou deve ouvir – também políticos , incluídos por ela própria na lista de supostas vítimas de extorsão.

São nomes como o ex-prefeito de Cururupu, Júnior Franco, e de Bacabeira, Reinaldo Calvet.

Mas esta é uma outra história…

4

Áudios indicam trama para extorquir nova prefeita de Bom Jardim…

Conversas gravadas ainda em 2015, mostram como duas vereadoras se uniram para fazer achaques e arrancar benesses da então vice-prefeita Malrinete Gralhada, durante processo de cassação de Lidiane Leite

 

Vereadoras Sônia Brandão (a que mais fala nos áudios) e Sandra do Salomão: trama de achaques

Vereadoras Sônia Brandão (a que mais fala nos áudios) e Sandra do Salomão: trama de achaques

exclusivoUma trama montada para extorquir a prefeita de Bom Jardim, Malrinete Gralhada (PMDB), descoberta agora, aponta para o envolvimento de pelo menos duas vereadoras nos achaques à peemedebista.

Este blog teve acesso a áudios de conversas das vereadoras Sônia Brandão e Sandra do Salomão, que indicam trama para arrancar inclusive dinheiro da atual prefeita.

Malrinete Gralhada assumiu o comando de Bom Jardim em meados de 2015, quando a prefeita Lidiane Leite foi presa, após exibir-se como milionárias nas redes sociais.

Os áudios das duas vereadoras é de 2015, mas mostram como elas já tramavam tratar a vice em uma eventual queda da titular.

– Eu quero é minha vida resolvida, não sou besta não! Eu quero emprego pra fulano de tal; tá aqui! Eu quero meu dinheiro todo mês na minha conta pra eu tentar a reeleição e buscar o futuro, tá aqui. Honrou comigo, ela pode botar a Lidiane pra tá do lado dela e eu nem me importo. Eu vou pensar em mim, não vou pensar nos outros, não! Agora, não honrou meu compromissos? Aí eu desço é o cacete, não sou besta não! – diz Sônia Brandão, a que mais fala nos áudios gravados. (ouça abaixo)

O que fica claro nas gravações é que a armação do achaque é contra a própria Malrinete Gralhada; ou seja, a trama das duas vereadoras – que envolve também outros membros da Câmara – se deu após o afastamento de Lidiane Leite.

Isso pode ser claramente entendido em outro trecho dos áudios:

– Se ela vacilar comigo, minha filha, eu sei quem é que tá pronto a me ajudar a derrubar ela do poder. Tu tá pensando que eu sou besta, Sandra? Não sou besta, não! Besta é quem pensa que eu sou besta. O que ela vai ter aí, durante esses anos todos, só se o povo achar Lidiane com muito dinheiro pra tirar ela do poder – diz Sônia Brandão, em outro trecho. (Abaixo)

No total, este blog teve acesso a um conjunto de sete áudios das conversas entre Sandra do Salomão e Sônia Brandão, a que mais fala. São mais de duas horas de gravação, que o blog deve usar em posts distintos.

E os áudios mostram que, assim como Lidiane Leite, a atual prefeita Malrinete Gralhada também vive pressionada pela Câmara de Vereadores.

Numa trama de achaques e negociações de fazer tremer Bom Jardim…