1

Investigação do Ministério Público pode envolver Flávio Dino, Bolsonaro e Carlos Brandão com empresa acusada de fraude

Procuradoria da República vai investigar denúncias de favorecimento à construtora maranhense Engefort, acusada de fraudar licitações na Codevasf e que, só no Maranhão, recebeu quase R$ 100 milhões em obras

 

O próprio ex-secretário Clayton Noleto anunciou obras em favor da Engefort, acusada de fraudar licitações em todo o país

O PSOL apresentou à Procuraodria-Geral da República, nesta terça-feira, 12, denúncia contra a empreiteira maranhense Engefort, acusada de fraudar licitações no governo Jair Bolsonaro (PL).

A empresa, que é de Imperatriz, também atuou no governo Flávio Dino/Carlos Brandão (ambos do PSB), onde ganhou obras de mais de R$ 60 milhões, desde 2019.

Segundo denúncia do jornal Folha de S. Paulo, a Engefort usava uma empresa de fachada para fraudar as concorrências no governo Bolsonaro, sobretudo na Codevasf, onde ganhou mais de 70% das licitações, em vários estados.

No Maranhão, a empreiteira atuou na recuperação da MA-020, no trecho Coroatá e Vargem Grande, e na MA-006.

A representação do PSOL pede que sejam investigadas as relações da empreiteira – e seus sócios –  com o presidente Jair Bolsonaro, com o ex-ministro do desenvolvimento Regional, Marcelo Moreira, e com o presidente da Codevasf.

Caberá á PGR decidir se abre ou não investigação…

1

Governo Flávio Dino/Brandão tem relação com empreiteira suspeita do governo Bolsonaro

Maranhense Engefort tem vencido todas as licitações do Governo Federal usando empresa de fachada em nome de familiares de seus sócios; e ganhou obras também no governo maranhense, anunciada pelo próprio ex-secretário Clayton Noleto

 

Placa e máquinas da Engefort anunciando obras do governo Flávio Dino na MA-020; empresa é suspeita de fraudar licitações no governo Bolsonaro

 

A empreiteira maranhense Engefort Construtora e Empreendimentos, denunciada nacionalmente por suspeita de fraudes em licitações no governo Jair Bolsonaro (PL), atuou também no governo maranhense, e realizou obras na gestão de Flávio Dino (PSB), que continuam sob a gestão do governador-tampão Carlos Brandão (PSB).

De acordo com denúncia do jornal Folha de S. Paulo, a Engefort já tem garantidos no governo Bolsonaro nada menos que R$ 640 milhões, dinheiro vencido em concorrência única ou na companhia de sua “irmã” de fachada.

No Maranhão, a a empreiteira atuou na obra de recuperação da MA-020, no trecho entre Coroatá e Vargem, Grande, conforme mostra twitter do ex-secretário de Infraestrutura Clayton Noleto.

Clayton Noleto anuncia no Twitter, ainda em 2020, as obras da MA-020 e anuncia licitação de R$ 70 milhões para a MA-006

Na mesma época, respondendo a internautas, Noleto anuncia “Edital de licitação para investimentos de R$ 70 milhões na MA-006”.

A Engefort atua principalmente na Codevasf; das 99 concorrências de pavimentação da Codevasf realizadas em 2021 por meio de um tipo de licitação simplificada chamada pregão eletrônico, que ocorre de forma online, a a empresa venceu 53.

E foi a única que participou de todas as concorrências…

2

Justiça Eleitoral deve intensificar ações contra pesquisas falsas…

Divulgação de números manipulados por interesses de contratantes e fraudes na aplicação dos questionários estão na mira de juízes e membros do Ministério Público; e devem levar a uma mudança de postura dos institutos nas eleições de 2022

 

As pesquisas fake manipulam a vontade do eleitor e fraudam o processo eleitoral; Justiça Eleitoral estará de olho nelas

Uma força-tarefa está sendo montada na Justiça Eleitoral com um objetivo definido para as eleições de outubro: o maior controle na fiscalização de pesquisas eleitorais.

O objetivo é banir do cenário político as pesquisas fake, manipuladas por interesses de contratantes para beneficiar ou prejudicar determinados candidatos.

Na semana passada, a Justiça barrou duas pesquisas – dos institutos DataIlha e MBO – por irregularidades na aplicação dos questionários; após conseguir derrubar a decisão judicial, DataIlha publicou seus números, que apresentaram intensas discrepâncias em relação às pesquisas aprovadas no Tribunal Regional Eleitoral.

O objetivo da Justiça Eleitoral e do Ministério Público é impor maior rigor na liberação de pesquisas e exigir uma mudança de postura dos institutos de pesquisas, a fim de garantir o balizamento de cenários mais reais para o eleitor.

Só deverão permanecer em atividades institutos com conduta absolutamente ilibada na relação com as pesquisas.

O que também melhorará o ambiente eleitoral…

3

352 suspeitos de fraudar cotas raciais da Ufma…

Alunos foram convocados por comissão que inclui OAB e Ministério Público Federal e terão que provar terem direito às vagas disponíveis para afrodescendentes e indígenas e podem perder o direito de estudar e até mesmo o diploma, no caso dos já formados

 

Alguns dos alunos denunciados por fraude nas cotas raciais da Ufma: autodeclarados pretos com características de brancos

A Universidade Federal do Maranhão convocou 352 alunos de seus cursos – alguns já formados – para provar o direito de entrar na faculdade por intermédio das cotas raciais disponíveis.

Esses alunos e ex-alunos são suspeitos de fraudar as cotas e estão sendo investigados desde 2020, quando foram denunciados, inclusive pelo blog Marco Aurélio D’Eça.

A investigação aberta na Ufma descobriu o que a OAB-MA e o Ministério Público Federal chamam de “afrodescendência de conveniência”, quando brancos utilizam medidas cosméticas para se apagar por negros.

– Até bronzeamento artificial, cacheamento de cabelos e mudanças no aspecto do nariz são feitos para fraudar as cotas – revelou relatório da Comissão de Hétero-identificação criada pela Ufma. 

Há fraudes também nas cotas para indígenas.

As fraudes nas cotas da Ufma foram denunciadas no blog Marco Aurélio d’Eça em junho de 2020, nos posts “Ufma investiga suspeitos de fraude em cotas…” e “Medicina da Ufma é campeã em suspeitas de fraudes em cotas…”

– Entre os estudantes de Medicina denunciados, a maioria entrou como “autodeclarado preto ou pardo” ou “candidatos pretos ou pardos”. Pelas fotos, pode-se constatar que a maioria é branca, bem nascida; e boa parte é de fora do Maranhão – disse o blog, à época.

Caso não consigam comprovar sua identidade racial, esses estudantes serão expulsos dos cursos ou terão os diplomas cancelados.

Além disso, deverão responder criminalmente perante a Justiça Federal…

0

Autor de denúncias contra Sidarta Gautama, Cesar Pires destaca ação contra o juiz

Ainda no ano passado, o deputado revelou liminares suspeitas dadas pelo magistrado em favor de estudantes de fora do estado para garantir vaga no curso de Medicina da Uema em Caxias

 

O deputado César Pìres (PV) ressaltou na tribuna da Assembleia a investigação que o Tribunal e Justiça abriu contra o juiz Sidarta Gautama, de Caxias. Pires é autor de denúncias contra Gautama, suspeito de conceder liminares irregulares de transferência de alunos para a Uema de Caxias.

– Naquela época, recebemos denúncias de professores e estudantes da Uema em Caxias, que nos relataram que a transferências de alunos por decisão judicial sobrecarregaram o curso de Medicina em todos os aspectos, tanto estrutural quanto em recursos humanos, prejudicando a qualidade do ensino – lembrou César Pires.

Contra Sidarta Gautama pesam acusações graves de irregularidades na concessão de liminares nas quais alunos que não passaram pelo tradicional processo seletivo da Uema foram matriculados no Curso de Medicina (Campus Caxias).

O juiz concedeu 17 decisões com o mesmo argumento: os estudantes que pediam transferência sofriam de doenças psicológicas e distância da família.

– Agora parabenizo também o Tribunal de Justiça, por cortar na própria carne e abrir investigação para apurar a conduta do juiz – enfatizou.

1

Auxílio de R$ 600 beneficiou mais de mil mortos no Maranhão

Dinheiro do Governo Federal que deveria ajudar as pessoas sem renda suficiente durante a pandemia de coronavírus beneficiou já falecidos e até funcionários públicos de todos os níveis no estado

 

Nada menos que 1,3 mil mortos receberam o auxílio emergencial do Governo Federal no Maranhão.

O dinheiro, que vem sendo pago desde abril, foi uma forma de garantir aos que não têm renda suficiente um recurso a mais durante o período em que as atividades estiveram paralisadas no Brasil.

Mas o auxiliou acabou abastecendo até mesmo contas bancárias de servidores públicos federais, estaduais e municipais.

As irregularidades constam de auditoria preliminar encaminhado aos ministros do Tribunal de Contas da União (TCU).

E ainda podem aumentar, diante do cruzamento com outras fontes de dados…

4

Justiça barra licitações em Coroatá já nos primeiros dias da nova gestão..

Titular da 2ª Vara, respondendo pela 1ª Vara, juiz Francisco Ferreira de Lima suspendeu tanto os pregões quanto as tomadas de preços determinados pelo prefeito Luiz Filho, em apenas 15 dias de mandato

 

Luiz Filho com o pai, Luiz da Amovelar: 15 dias de gestão e problemas coma Justiça

O juiz da 2ª Vara, respondendo pela 1ª Vara, Francisco Ferreira de Lima, determinou na última terça-feira, 17, a suspensão de todas as licitações da Prefeitura de Coroatá, na gestão do prefeito Luiz Filho (PCdoB), que acaba de completar os primeiros 15 dias.

O juiz atendeu a petição do escritório Amorim, Galdino & Moura, que alegaram falta de acesso de empresários locais aos editais de concorrência.

Na decisão, o juiz suspendeu tanto os pregões quanto as tomadas de preços determinadas por Luiz Filho.

Os advogados tentaram ter acesso aos editais de forma administrativa, tentando garantir a igualdade dos participante. Não tiveram sucesso.  Ajuizaram Mandado de Segurança, pedindo a suspensão de todas as licitações.

O juiz Ferreira Lima determinou ainda que a Prefeitura de Coroatá disponibilize imediatamente os editais das licitações.

E que todo o processo seja reiniciado…

Veja abaixo a decisão do juiz:

1

Vídeo do dia: as imagens não mentem, jamais..

O bi-secretário Márcio Jerry – de Comunicaçao e de Articulação Política – é também o presidente do PCdoB maranhense há pelo menos quatro anos.

Nesta condição, comandou todas as ações do partido nas eleições de 2014.

Partia de Jerry qualquer decisão para gravações de programa, contratação de gente e divulgação de candidatos comunistas – proporcionais e majoritários.

É incabível, portanto, que o bi-secretário não saiba quem é Jean Carlos de Oliveira, que, sob sua batuta, gravou programas para o PCdoB nas eleições de 2014.

É simples assim…

7

Dados da Econométrica contratada por funcionário da prefeitura vazam dois dias antes…

Comentários em redes sociais e aplicativos de mensagens apontam que o instituto – contratado por um assessor do próprio Edivaldo Júnior – dará o prefeito 5 pontos percentuais à frente

 

Print da conversa sobre a Econométrica; dois dias antes?

Print da conversa sobre a Econométrica; dois dias antes?

Contratada pelo blog do jornalista John Cutrim, uma pesquisa do Instituto Econométrica está prevista para ser divulgada nesta sexta-feira, 14.

Mas, desde a quarta-feira, 12, já havia comentários sobre seus resultados.

De acordo com o vazamento 48 horas antes da publicação, Edivaldo Júnior (PDT) vai aparecer à frente de Eduardo Braide (PMN).

Contratante da pesquisa, John Cutrim é assessor da Secretaria de Comunicação do próprio Edivaldo Júnior; e  diz ter pago R$ 10 mil do próprio bolso.

– E só adiantando: Econométrica vai colocar Edivaldo 5 pontos à frente – disse um membro de um grupo de Whatsapp, ainda na noite de quarta-feira, 12. (Veja o print acima)

Abre-se um debate no grupo e um participante pergunta quando sairá a Econométrica. É um terceiro que responde:

– Sexta-feira.

O segundo membro, então, complementa:

– Vou adiantar isso no blog.

Dado do registro Econométrica: R$ 10 mil "pagos" por John Cutrim e divulgação dois antes do prazo

Dado do registro Econométrica: R$ 10 mil “pagos” por John Cutrim e divulgação dois antes do prazo

Em outro grupo, críticas ao posicionamento do TRE

Em outro grupo, críticas ao posicionamento do TRE

Na tarde do mesmo dia, Holandinha já havia pedido a proibição da divulgação dos números da Escutec por que, segundo ele, os números foram divulgados antes do prazo determinado pelo registro. (Releia aqui)

Além da pesquisa Econométrica, outro instituto vinculado a Edivaldo tem pesquisa programada para divulgação.

O vazamento das informações das pesquisas gerou, inclusive, um debate em redes sociais.

Alguns questionaram o fato de que nenhuma ação contra o prefeito prospera no Tribunal Regional Eleitoral, enquanto que as dele contra adversários são julgadas a toque de caixa.

– Tu não tá vendo que Edivaldo ganha todas no TRE? Não vacila … – disse um dos membros de grupo de WhatsApp, ao ser levantado que a pesquisa Econométrica deveria ser suspensa.

– A Justiça pra Edivaldo sempre foi rápida. Imagine no segundo turno e perdendo – ponderou outro em outro grupo.

Tanto a Econométrica quanto a DataM tiveram contratos com a Prefeitura de São Luís na gestão Edivaldo Júnior.

Essas denúncias foram feitas ainda no primeiro turno.

Mas nunca foram julgadas pela Justiça Eleitoral…

5

Há algo de suspeito no ar…

Em São Luís, institutos sem tradição alguma fazem pesquisas com mais de mil entrevistas  por um custo até dez vezes menor que o preço cobrado por empresas tradicionais para levantamentos com 805 eleitores; porquê a Justiça Eleitoral insiste em fingir que não vê o problema?!?

 

fraude

Editorial

Há quatro pesquisas de intenção de votos em São Luís registradas no TRE-MA para divulgação nos próximos dias.

Uma delas é a do Ibope, contratada pelo Grupo Mirante e supervisionada pela Rede Globo.

Valor para 805 entrevistas: R$ 63,5 mil.

Pesquisa do Ibope, instituto renomado no país custa R$ 63,5 mil para 805 entrevistas....

Pesquisa do Ibope, instituto renomado no país custa R$ 63,5 mil para 805 entrevistas….

As outras três são de institutos de pesquisas sem a menor tradição no ramo – e outros com histórico de suspeitas em seus levantamentos. A do notório DataM, por exemplo, será com 1 mil entrevistados, 200 a mais que a do Ibope, a um preço seis vezes menor: R$ 10 mil.

A do Instituto Prever, também com 1 mil questionários custará R$ 8.000.

E eis que surge um tal Impar Comunicações/Henrimond Comunicações, que fará 1.100 entrevistas ao custo de R$ 7 mil;

Ou seja, gastará R$ 6,36 por cada um dos questionários aplicados.

Leia também:

Um apelo aos juízes eleitorais…

Ecos de uma terra sem lei…

A mãe de todas as corrupções é a corrupção no Judiciário…

...Mas um tal JHneriMond consegeu fazer quase o dobro das entrevistas com um custo quase 10 vezes menor; será mesmo?

…Mas um tal HenriMond diz que faz quase o dobro das entrevistas com um custo quase 10 vezes menor; será mesmo?

Pesquisas de intenção de votos são legítimas quando usadas para orientar candidatos e eleitores sobre os rumos da corrida eleitoral. mas passam a ser perniciosas e até criminosas ao processo quando usadas para tentar influenciar a vontade popular.

Levantamentos deste tipo envolvem custos altíssimos, como treinamento e diárias de entrevistadores, fiscais e supervisores de equipes; alimentação, transporte e gastos com impressão e montagem dos questionários, sem  falar nos custos com estatísticos, analistas e tabuladores.

Impossível, portanto, que se consiga fazer pesquisas com menos de R$ 7,00 por questionário; há menos que elas sejam manipuladas e fantasiosas, apenas para atender a um interesse específico.

Mas isso é também manipular a vontade do eleitor e tentar forçar uma realidade inexistente no cenário real.

Em outras palavras, são fraudes pura e simplesmente.

E aqui se faz uma pergunta: por que os juízes eleitorais continuam fingindo que não veem nada disso? Por que o Ministério Público Eleitoral faz de conta que não é com ele?

Êh, Maranhão que não muda…