2

Direita maranhense faz protesto contra STF e Gilmar Mendes…

Ato da União da Direita Maranhense (UDM), defendeu a continuidade da Operação Lava Jato, a prisão em segunda instância e o impeachment do ministro

 

ESSAS FORAM AS “MAIS DE 500 PESSOAS” PRESENT5ES AO ATO NA POLÍCIA FEDERAL; menos de 100 para quem acompanhou

A União da Direita Maranhense organizou na manhã do domingo, 7, uma mobilização em Defesa da Lava a Jato e da manutenção da prisão em segunda instância.

os apoiadores do governo Jair Bolsonaro (PSL) defenderam também o impeachment de Gilmar Mendes.

– A situação de Gilmar Mendes ficou totalmente incompatível e insustentável com o cargo que exerce ao ferir o princípio da imparcialidade – disse Bruno Almeida, atual Coordenador Geral da UDM.

A mobilização ocorreu em frente a Polícia Federal na Av. Daniel de La Touche, e reuniu cerca de 500 participantes, segundo os organizadores.

Para observadores independentes, menos de 100 pessoas.

Além da UDM o movimento VemPraRua-MA também participou da manifestação…

1

A contundente crítica de Aluisio Mendes à Assembleia…

Deputado federal lamentou que a Casa tenha negado uma Moção de Aplausos ao trabalho da Polícia Federal pelo simples fato de essas ações terem atingido em cheio a corrupção no governo Flávio Dino

 

Aluísio entre representantes da Polícia Federal, na mesma homenagem da Câmara à instituição negada pela Assembleia

“Como policial federal de carreira e defensor da instituição na Câmara dos Deputados, me sinto envergonhado de ver o Poder Legislativo do Maranhão tão subserviente ao governo Flávio Dino, que tem criticado a Polícia Federal por ter descoberto desvio de recursos na sua gestão”.

 

“Todos nós, representantes do povo brasileiro, devemos aplaudir e apoiar a Polícia Federal, pois o combate à corrupção evita o desvio de recursos públicos e contribui para o desenvolvimento no nosso país”.

Aluisio Mendes, deputado federal

6

Flávio Dino extrapola em provocação à Polícia Federal…

Ao pressionar instituição por uma lista que seu governo já tem – ou deveria ter – desde 2015, governador comunista agride servidores públicos e se põe acima do bem e do mal

 

O governador Flávio Dino (PCdoB) passou dos limites.

Suas cobranças à Polícia Federal, inclusive levantando suspeição sobre a conduta dos profissionais que agiram não apenas na Operação Pegadores como também em outras ações envolvendo o governo comunista é o cúmulo do autoritarismo e da prepotência.

Essa agressão institucional pode ser lida nos prints que ilustram este post.

Mas Flávio Dino não tem nenhuma razão para cobrar da Polícia Federal.

Primeiro, que seu governo – se quisesse mesmo moralizar alguma coisa – já teria tido acesso à lista de funcionários fantasmas desde 2015, como provam relatórios de escutas telefônicas divulgados pela Polícia.

Além disso, o comunista tem instrumentos de controle, como a Controladoria-geral, a Secretaria de Transparências, a Procuradoria e outras instâncias do governo controladas por Rodrigo Lago, Rodrigo Maia e outros rodrigos da vida.

O desrespeito de Flávio Dino à Polícia Federal só não se compara ao seu desrespeito ao próprio eleitor maranhense que lhe confiou o voto.

Afinal, assistir ao governo comunista se desmanchar em corrupção e fazer de conta que nem é com ele, é de uma agressão sem tamanho.

Mas mostra o tamanho do caráter do governador.

Simples assim…

0

Imagem do dia: Aluisio Mendes prestigia posse de Fernando Segóvia…

O deputado Aluisio Mendes (PODE) participou na manhã desta segunda-feira, 20, da posse do novo diretor geral da Polícia Federal, Fernando Segóvia, no Ministério da Justiça. O parlamentar fez questão de reafirmar que continuará atuando na Câmara Federal em defesa do fortalecimento da Polícia Federal, uma das instituições mais respeitadas pelos brasileiros por sua forte atuação contra a corrupção e a criminalidade, em todas as áreas.

“Fernando Segóvia tem reconhecida competência para comandar a Polícia Federal e dar continuidade ao belíssimo trabalho que a instituição vem realizando em todo o Brasil. Fiz questão de prestigiar sua posse e dizer a ele que continuará contando com meu total apoio, como deputado, para defender melhores condições de trabalho e toda a estrutura para que a Polícia Federal possa continuar desenvolvendo suas ações em sua plenitude”, afirmou o deputado.

Aluisio Mendes já recebeu homenagens de diversas entidades representativas dos membros da Polícia Federal, como a Federação Nacional dos Policiais Federais (FENAPEF) e sindicatos estaduais, em reconhecimento por sua atuação em defesa da categoria e por mais investimentos em segurança pública.

0

Segóvia quer autonomia da Polícia Federal para propor acordo de delações..

Prerrogativa defendida pelo novo diretor geral da instituição garantiria, por exemplo, que a superintendência no Maranhão pudesse propor à ex-secretária Rosângela Curado a contar o que sabe em troca de amenização de punições

 

Segóvia, o ministro da Justiça e o presidente durante a pose nesta manha

Ao tomar posse nesta segunda-feira, 20, na direção-geral da Polícia Federal, o delegado Fernando Segóvia defendeu a prerrogativa da instituição para propor acordos de delações premiadas a envolvidos em crimes.

A PF tenta garantir esta autonomia, mas esbarra no Parecer do Ministério Público Federal, que se posiciona contrário.

Atualmente, apenas o MP pode propor acordos de delações.

Para Segóvia, os acordos de delação estabelecidos na própria fase de investigação diminuiria o tempo do processo, porque garantiria a conclusão dos inquéritos de forma mais rápida.

Com a PF tendo a prerrogativa de propor acordos deste tipo, o caso envolvendo a ex-secretária do governo Flávio Dino (PCdoB), Rosângela Curado, teria desfecho mais rápido, garantindo a punição de outros culpados.

A questão deve ser decidida em breve pelo Supremo Tribunal Federal…

2

Adjunta da SEAP é citada em relatório da Polícia Federal…

Camila Neves – alvo de polêmica por postar foto em Massachusetts mesmo vinculada à secretaria – acobertou ações de Danilo dos Santos, preso na Operação Turing

 

Camila com uma amiga, em Massachusets, EUA, enquanto mantinha vínculo com a SEAQP

O nome da ex-subsecretária Camila Neves é citado em investigações da Polícia Federal a respeito da criação de um esquema de apadrinhamento montado pelo ex-secretário adjunto de Administração, Logística e Inovação Penitenciária da Secretaria de Estado da Administração Penitenciária (Seap) Danilo dos Santos.

Danilo dos Santos foi preso na operação Turing, sob acusação de fraude licitações na pasta e de vazar informação da própria Polícia Federal.

Ao relatar a situação de Danilo dos Santos, a PF diz que Camila Neves, enquanto subsecretária, tinha conhecimento da situação irregular de Danilo dos Santos – que trabalhou por meses, mesmos em ser nomeado.

– Ainda no que concerne às personagens atuantes na secretaria em destaque, exsurgiu na investigação a senhora Camila Neves em fatos cujas circunstâncias denotam conhecimento, conivência e/ou até mesmo, possível conluio com o investigado DANILO, à época em que ela ocupou o cargo de Subsecretária da SEAP/MA – diz a PF.

E mais: que ela atuou em conluio com o então subordinado para encobrir sua situação, até mesmo prestando informações falsas em documento público sobre a real situação funcional do ex-adjunto.

Com informações de O EstadoMaranhão

3

Operação Turing: empresários negam sofrer extorsão de blogueiros…

Depoimentos de Antonio Barbosa, da Dimensão Engenharia, e Pedro Ricardo Aquino, da Classi Segurança, desdizem a acusação da Polícia Federal, que resultou, inclusive, na prisão e condução de alguns titulares de blogs

 

Grampo do grampo
Delegados sustentaram operação em grampos telefônicos, desmentidos pelas supostas vítimas

Os empresários Antonio Barbosa de Alencar, da Dimensão Engenharia, e Pedro Ricardo Aquino, da Classi Segurança, negaram, em depoimento na Polícia Federal, qualquer tipo de extorsão sofrida pelos blogueiros indiciados na Operação Turing, promovida em março pela própria PF.

Ricardo Aquino depôs no dia 29 de março, segundo registro às folhas 1055/SR/PF/MA, que compõem o inquérito 021/2016; Barbosa, por sua vez, prestou depoimento em 31 de março.

A afirmação da PF, de que os blogueiros extorquiam empresários e políticos, é a base fundamental da investigação da Operação Turing.

Não sei, não conheço…
Antonio Barbosa da Dimensão Engenharia garantiu nunca ter sido procurado por blogueiros

Barbosa declarou ipsis literis que não acompanha blogs e que não conhece ou mantém relação de amizade com nenhum dos blogueiros citados.

– Reafirma nunca foi procurado por blogueiros e que não tomou conhecimento de nenhuma publicação ou investigação – diz trecho do depoimento de Barbosa.

Alheio total
Ricardo nega ter qualquer contato com qualquer blogueiro

O dono da Classi disse, por sua vez, que conhece os blogueiros – e outros do Maranhão – apenas através das postagens na internet. E nega que algum deles tenha feito qualquer tipo de pedido de aporte financeiro.

– Nunca teve contato com Luis Pablo, seja pessoalmente, seja por telefone. Que nunca houve pedido de dinheiro em qualquer oportunidade. Que nunca deu ou lhe foi pedido qualquer tipo de vantagem – disse o empresário.

Toda a argumentação da Polícia Federal para pedir a prisão e a denúncia contra os blogueiros se baseia em conversas telefônicas entre os próprios blogueiros. O inquérito, inclusive, surgiu de um outro, aberto para investigar esquema de corrupção envolvendo um outro policial federal, na Secretaria de Administração Penitenciária do governo Flávio Dino. (PCdoB).

A PF já ouviu – ou deve ouvir – também políticos , incluídos por ela própria na lista de supostas vítimas de extorsão.

São nomes como o ex-prefeito de Cururupu, Júnior Franco, e de Bacabeira, Reinaldo Calvet.

Mas esta é uma outra história…

0

Empresas investigadas pela Polícia Federal receberam mais de R$ 20 milhões da Seap em 2016…

De acordo com a investigação da Operação Turing, empresas prestavam serviços na Secretaria de Administração Penitenciária, sob a coordenação do adjunto Danilo Santos Silva, tido como cabeça da organização criminosa

As empresas que foram alvo da Operação Turing, deflagrada nesta terça-feira, 21, pela Polícia Federal, já receberam mais de R$ 20 milhões do governo Flávio Dino (PCdoB) apenas em 2016.

O total dos contratos chega próximo aos R$ 40 milhões.

São contratos sob a ordenação do ex-secretário-adjunto da Secretaria de Administração Penitenciária, Danilo Santos Silva, preso durante a operação e apontado pela PF como chefe da “organização criminosa”.

O maior contrato – de mais de R$ 17 milhões – foi fechado com a VTI, que atua com trabalhado cooperativado.

Também já receberam dinheiro em 2016 – pagos pelo próprio Danilo, que era ordenador de despesas na Seap – as empresas:

– Vitral Construção e Incorporação Nossa Senhora de Fátima LTDA.

– Monte Líbano Construções LTDA.

– Brasfort/ Fort & Fort LTDA.

Todas as empresas – e seus sócios – foram alvo da Operação Turim da Polícia Federal…

0

Federação da PF também já alertou para nulidade de ações comandadas por Pedro Meireles…

Site da Associação Nacional dos Policiais Federais ponderou, ainda durante as investigações do caso Décio, que o envolvimento do delegado com quadrilha de agiotas contaminou pelo menos duas de suas operações contra prefeitos

 

Pedro Meireles na chegada pra depor á Seic, em agosto de 2012

O envolvimento do delegado da Polícia Federal Pedro Meireles com agiotas do Maranhão e do Piauí preocupou a própria Federação dos Policiais Federais, entidade que congrega os representantes da instituição em todo o país.

No dia 6 d agosto de 2012, dias após a descoberta da quadrilha que, segundo a polícia, havia mandado matar o jornalista Décio Sá, o site da Fenapef publicou o post “Suspeitas sobre delegado pode comprometer ações da PF”, uma compilação de várias matérias sobre as acusações que começavam a surgir contra o delegado. (Leia aqui)

Meireles coordenou as operações Rapinas 1, 2, 3, 4, 5 e 6, Orthoptera 1 e 2, Donatários e Usura, que prenderam um total de 14 prefeitos, um vice e 6 ex-gestores, de dezembro de 2007 a maio de 2011.

– A polícia maranhense e a própria Polícia Federal – que no dia 26 [de julho de 2012] abriu uma sindicância para apurar “notícias veiculadas na imprensa” sobre Pedro Meireles – investigam se o delegado, em algumas das operações da PF nas quais esteve à frente, agiu em benefício da quadrilha que seria chefiada por Gláucio e Miranda. Meireles não negou, no depoimento de quarta, manter um vínculo de amizade com Gláucio – reproduziu o site da Fenapef.

Na mesma época, outra entidade vinculada a PF saiu em defesa de Pedro Meireles.

Em nota publicada neste blog em 19 de agosto de 2012, a Associação Nacional de Delegados de Polícia Federal contestou as notícias contra o associado.

– A Associação dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) esclarece que o associado vem desenvolvendo seu trabalho com seriedade e profissionalismo, com relevantes serviços prestados à sociedade maranhense e ao País – afirmou  anota, que chancelou as ações de Meireles pela participação também da Controladoria-Geral da União nas operações.  (Releia aqui)

Mas na nota da outra Associação da PF é ressaltada também as declarações da então delegada-geral de Polícia Civil do Maranhão, Cristina Menezes, logo após depoimento do delegado federal à Superintendência de Investigações Criminais (Seic)

– Há indícios da participação dele [Pedro Meireles] na quadrilha. Se houver necessidade, ele pode ser chamado – disse a delegada. (Relembre aqui)

E são exatamente estas questões todas envolvendo o delegado que estão sendo analisadas para embasar uma enxurrada de pedidos de anulação dos processos que resultaram das operações comandadas por ele.

É aguardar e conferir..

9

Pedro Meireles é demitido da Polícia Federal…

Delegado que surgiu como esperança de combate à criminalidade no Maranhão e se perdeu nas teias do envolvimento com agiotagem – descoberto a partir da morte do jornalista Décio Sá – estava afastado das funções desde 2012, e agora perde o cargo, por decisão do ministro da Justiça, Alexandre de Moraes

 

Meireles com Ronaldo Ribeiro no velório de Décio: amigos de infância, revelou o delegado

Foi publicada no Diário Oficial da União do dia 9 de dezembro a Portaria nº 1.353/2016, assinada pelo ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, que determina a demissão do delegado de Polícia Federal Pedro Meireles.

Meireles foi enquadrado nas penas da infrações disciplinares previstas no Artigo 43 da lei 4.878/65 e do Artigo 132 da Lei 8.112/90, com seus respectivos parágrafos.

Estrela das operações da PF a partir de 2007, Meireles era visto como o terror dos prefeitos maranhenses, pelas prisões que efetuava em conjunto com a Controladoria-Geral da União.

Leia também:

A gravidade das declarações de Pedro Meireles…

Porquê Ronaldo Ribeiro ligaria para Pedro Meireles?!?

O tripé da agiotagem no Maranhão…

Amigos de infância…

A relação de Décio Sá e Pedro Meireles…

Décio Sá com Pedro Meireles: de adversários a amigos íntimos em pouco tempo

Mas, a partir de 2012, com a morte do jornalista Décio Sá, descobriu-se – a partir de investigação da polícia maranhense e da própria PF – que Meireles selecionava as vítimas de suas ações de acordo com os interesses um grupo, que tinha o agiota Gláucio Alencar e o advogado Ronaldo Ribeiro como membros.

Extrato da portaria publicada no DOU do dia 9 de dezembro: demissão

Este blog foi o primeiro a levantar suspeitas sobre a atuação do delegado Meireles, quando a mídia maranhense inteira ainda aplaudia suas ações.

Pela ousadia, o titular do blog chegou a ser processado pelo delegado, em representação que acabou sobrestada à própria investigação contra ele.

A decisão do ministro Alexandre de Moraes deve encerrar a carreira de Meireles na Polícia Federal, mas não encerra a história da agiotagem no Maranhão.

Por que ainda faltam os outros elementos do tripé…