0

Dono de canal investigado pela PF planeja caravana a Brasília…

Valter Silva controla o perfil “Nação Patriota” no Youtube e faz campanha de arrecadação para levar militantes à capital federal no próximo sábado, 20, sem definir exatamente que tipo de evento pretende

 

O canal do perfil Nação Patriota faz campanha por caravana a Brasília, liderada por Valter Silva Oliveira, alvo da Polícia Federal no Maranhão

Dono do canal “Nação Patriota”, que tem quase 500 mil inscritos no Youtube, o engenheiro Valter César Silva Oliveira pretende levar uma caravana a Brasília, no próximo sábado 20.

Valter foi um dos alvos da operação da Polícia Federal, na terça-feira, 16, contra aliados do presidente Jair Bolsonaro que pregam na internet ações antidemocráticas, como a defesa de intervenção militar e o fechamento do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal.

Em seu canal, Valter Oliveira disponibiliza uma conta pessoal para depósito de aliados que pretendam colaborar com a caravana. (Acesse aqui)

Mas não há nenhuma indicação do que os militantes bolsonaristas pretendem realizar na capital federal.

Uma viagem de Imperatriz a Brasília dura cerca de três dias…

1

Outros destinos de recursos federais na pandemia serão investigados

Superintendente da Polícia Federal no Maranhão disse que as operações relacionadas à compra de EPIs se dará em vários outros municípios para onde foram encaminhadas verbas federais, via emendas parlamentares ou por transferências do Ministério da Saúde

 

Cassandra Parazi falou de novas investigações da polícia Federal a partir dos dados colhidos nesta primeira fase em São Luís

A operação que flagrou superfaturamento de mais de R$ 2,3 milhões na compra de máscaras contra coVID-19 pela Secretaria de Saúde de São Luís não se restringirá à capital maranhense.

De acordo com a superintendente da Polícia Federal no Maranhão, Cassandra Parazi, as ações ganharão também o interior.

– Nós estamos investigando fatos; e, a partir daí, a gente aumenta o objeto de investigação, para verificar a participação de outros municípios que fizeram mau uso dos recursos para adquirirem as máscaras e outros produtos – afirmou Parazi.

Os recursos para compra de EPI’s durante a pandemia foram distribuídos por transferência voluntária do Governo Federal, via Fundo Nacional de Saúde, e por emendas de deputados federais e senadores maranhenses.

O blog Marco Aurélio D’Eça contou em maio, com exclusividade, como funciona essa transferência, no post “Municípios receberam mais de R$ 1 bilhão para a saúde em 2020 no Maranhão…”.

Para São Luís, por exemplo, sabe-se que ao menos quatro parlamentares encaminharam recursos de emendas: os senadores Roberto Rocha (PSDB) e Weverton Rocha (PDT); e os deputados federais Márcio Jerry (PCdoB) e Eduardo Braide (Podemos).

Braide também encaminhou emenda para Icatu, outra prefeitura já na lista de investigadas pela Polícia Federal.

Mas há emendas de todos os deputados federais que abasteceram contas de diversas prefeituras no interior.

Além de São Luís, a PF trabalha inicialmente com um grupo de seis municípios que tiveram contato com a quadrilha chefiada pelo empresário Alexandre Chuairy: Timbiras, Matinha, Icatu, Cajapió, Lago do Junco e Porto Rico do Maranhão. (Entenda aqui)

Mas vai investigar outras que também adquiriram máscaras e outros EPI’s neste período…

1

PF afirma: “há servidores envolvidos” na compra de máscaras em SLZ

Delegados que comandam a operação entendem que os empresários responsáveis pela venda superfaturada de insumos para o combate a coVID-19 não agiram sozinhos na capital maranhense; foram apreendidos documentos e computadores da Secretaria Municipal de Saúde

 

Os policiais federais passaram a manhã em vários enderenços colhendo provas, inclusive na Secretaria Municipal de Saúde

O delegado Júlio Sombra, que participou desta terça-feira, 9, a ação da Polícia Federal disse acreditar, em entrevista coletiva no final da manhã que representantes da própria Secretaria de Saúde de São Luís têm participação no esquema de compra superfaturada de máscara para combate à coVID-19.

– A expertise policial indica que há servidores envolvidos; não sabemos neste momento quais, mas isso que a investigação tende a evoluir e identificar – disse Sombra.

A ação da PF foi comandada pelo delegado Sandro Jansen, da Delegacia de Combate aos Crimes contra o Patrimônio.

O esquema desbaratado nesta terça-feira pela Polícia Federal superfaturou em mais de R$ 2,3 milhões a venda de máscaras descartáveis.

O produto, que custa cerca de R$ 3,00, foi comprado por quase R$ 10,00 pela Saúde de São Luís.   

Pela convicção na participação de servidores da Semus é que a Polícia Federal apreendeu documentos e equipamentos na secretaria.

O delegado garantiu que as investigações irão continuar…

5

Perfis fake anti-STF se espalham nas redes sociais também no Maranhão…

Internautas escondidos em pseudônimos espalham as mesmas fakes news disseminadas pelos acusados que foram alvo da Polícia Federal na operação desta quarta-feira, 27; e também fazem ataques diretos a autoridades da Justiça, políticos e jornalistas no Facebook, no Twitter e no Instagram

 

Alguns dos alvos da Polícia Federal na operação contra fake news: velhos conhecidos da política, empresários, agitadores populares e blogueiros que pregam ódio contra as instituições

A Polícia Federal teria terreno fértil no Maranhão com a operação deflagrada nesta quinta-feira, 27, contra aliados do presidente Jair Bolsonaro acusados de propagadores de fake news e de ataques contra o Supremo Tribunal Federal.

Há no estado uma série de perfis fake usados para dar voz a esses envolvidos e a propagar as mesmas fake news e mensagens contra o STF iguais aos que ontem receberam a visita da PF.

Mesmo após operação da PF, o perfil Spry Tony continuou a divulgar ontem informações em defesa do blogueiro Allan dos Santos

Um dos mais efetivos atende pela alcunha de SpryTony e atua principalmente no Facebook.

Além de defender Bolsonaro, SpryTony mostra relação até internacional, com posts em inglês e de defesa dos Estados Unidos; e divulga sobretudo as ações do blogueiro Allan dos Santos, um dos alvos da Polícia Federal. (Veja print acima) 

Além de defender Bolsonaro e fazer apologia da direita, o “Maranhão de Direita” replica pelo Twitter agressões nacionais contra o STF

No Twitter, o principal responsável pela divulgação das ações de Allan dos Santos, da deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) e de outros acusados pela Polícia Federal é o grupo intitulado “Maranhão de Direita”.

Mas hashtags como “#STF Vergonha Nacional” ou expressões como “senhores canalhas do STF” também fazem fazem parte do repertório do propagador de fake news maranhense.

 Outro perfil com forte dose de ataques ao Supremo Tribunal Federal é o “bolsonaristaslz”, que atua diretamente no instagram.

No Instagram é o perfil “Bolsonaristaslz” quem espalha os ataques e provocações contra os ministros do Supremo Tribunal Federal

Além de fazer campanha antecipada pela reeleição de Bolsonaro em 2022, o perfil repercute campanhas contra o Supremo, como a que defende o impeachment dos ministros.

É claro que há diversos outros perfis nas redes sociais com ataques diretos ao STF, à democracia e com apologia da ditadura e de teses nazistas, fascistas e racistas.

Mas estes têm identificação clara e a maioria atua como gente conhecida na sociedade, fácil, portanto, para ações da Polícia Federal. 

Já os perfis fake escondem desejos mais criminosos que ideológicos, mais perigosos que “exóticos” 

Geralmente, perfis como “SpryTony”, do Facebook;  “Maranhãodedireita”, no Twitter; e “Bolsonaristaslz”, no Instagram, têm pouco ou nenhum seguidor e servem para disseminar as mensagens originadas onde a Polícia Federal suspeita tratar-se do “gabinete do ódio”.

Mas acabam sendo corroborados por políticos, empresários e jornalistas maranhenses com perfil de direita, que se deixam levar pelas fake news e as disseminam nos aplicativos de troca de mensagens.

E de lá elas se espalham feito pólvora por todos os segmentos da sociedade…

2

Direita maranhense faz protesto contra STF e Gilmar Mendes…

Ato da União da Direita Maranhense (UDM), defendeu a continuidade da Operação Lava Jato, a prisão em segunda instância e o impeachment do ministro

 

ESSAS FORAM AS “MAIS DE 500 PESSOAS” PRESENT5ES AO ATO NA POLÍCIA FEDERAL; menos de 100 para quem acompanhou

A União da Direita Maranhense organizou na manhã do domingo, 7, uma mobilização em Defesa da Lava a Jato e da manutenção da prisão em segunda instância.

os apoiadores do governo Jair Bolsonaro (PSL) defenderam também o impeachment de Gilmar Mendes.

– A situação de Gilmar Mendes ficou totalmente incompatível e insustentável com o cargo que exerce ao ferir o princípio da imparcialidade – disse Bruno Almeida, atual Coordenador Geral da UDM.

A mobilização ocorreu em frente a Polícia Federal na Av. Daniel de La Touche, e reuniu cerca de 500 participantes, segundo os organizadores.

Para observadores independentes, menos de 100 pessoas.

Além da UDM o movimento VemPraRua-MA também participou da manifestação…

1

A contundente crítica de Aluisio Mendes à Assembleia…

Deputado federal lamentou que a Casa tenha negado uma Moção de Aplausos ao trabalho da Polícia Federal pelo simples fato de essas ações terem atingido em cheio a corrupção no governo Flávio Dino

 

Aluísio entre representantes da Polícia Federal, na mesma homenagem da Câmara à instituição negada pela Assembleia

“Como policial federal de carreira e defensor da instituição na Câmara dos Deputados, me sinto envergonhado de ver o Poder Legislativo do Maranhão tão subserviente ao governo Flávio Dino, que tem criticado a Polícia Federal por ter descoberto desvio de recursos na sua gestão”.

 

“Todos nós, representantes do povo brasileiro, devemos aplaudir e apoiar a Polícia Federal, pois o combate à corrupção evita o desvio de recursos públicos e contribui para o desenvolvimento no nosso país”.

Aluisio Mendes, deputado federal

6

Flávio Dino extrapola em provocação à Polícia Federal…

Ao pressionar instituição por uma lista que seu governo já tem – ou deveria ter – desde 2015, governador comunista agride servidores públicos e se põe acima do bem e do mal

 

O governador Flávio Dino (PCdoB) passou dos limites.

Suas cobranças à Polícia Federal, inclusive levantando suspeição sobre a conduta dos profissionais que agiram não apenas na Operação Pegadores como também em outras ações envolvendo o governo comunista é o cúmulo do autoritarismo e da prepotência.

Essa agressão institucional pode ser lida nos prints que ilustram este post.

Mas Flávio Dino não tem nenhuma razão para cobrar da Polícia Federal.

Primeiro, que seu governo – se quisesse mesmo moralizar alguma coisa – já teria tido acesso à lista de funcionários fantasmas desde 2015, como provam relatórios de escutas telefônicas divulgados pela Polícia.

Além disso, o comunista tem instrumentos de controle, como a Controladoria-geral, a Secretaria de Transparências, a Procuradoria e outras instâncias do governo controladas por Rodrigo Lago, Rodrigo Maia e outros rodrigos da vida.

O desrespeito de Flávio Dino à Polícia Federal só não se compara ao seu desrespeito ao próprio eleitor maranhense que lhe confiou o voto.

Afinal, assistir ao governo comunista se desmanchar em corrupção e fazer de conta que nem é com ele, é de uma agressão sem tamanho.

Mas mostra o tamanho do caráter do governador.

Simples assim…

0

Imagem do dia: Aluisio Mendes prestigia posse de Fernando Segóvia…

O deputado Aluisio Mendes (PODE) participou na manhã desta segunda-feira, 20, da posse do novo diretor geral da Polícia Federal, Fernando Segóvia, no Ministério da Justiça. O parlamentar fez questão de reafirmar que continuará atuando na Câmara Federal em defesa do fortalecimento da Polícia Federal, uma das instituições mais respeitadas pelos brasileiros por sua forte atuação contra a corrupção e a criminalidade, em todas as áreas.

“Fernando Segóvia tem reconhecida competência para comandar a Polícia Federal e dar continuidade ao belíssimo trabalho que a instituição vem realizando em todo o Brasil. Fiz questão de prestigiar sua posse e dizer a ele que continuará contando com meu total apoio, como deputado, para defender melhores condições de trabalho e toda a estrutura para que a Polícia Federal possa continuar desenvolvendo suas ações em sua plenitude”, afirmou o deputado.

Aluisio Mendes já recebeu homenagens de diversas entidades representativas dos membros da Polícia Federal, como a Federação Nacional dos Policiais Federais (FENAPEF) e sindicatos estaduais, em reconhecimento por sua atuação em defesa da categoria e por mais investimentos em segurança pública.

0

Segóvia quer autonomia da Polícia Federal para propor acordo de delações..

Prerrogativa defendida pelo novo diretor geral da instituição garantiria, por exemplo, que a superintendência no Maranhão pudesse propor à ex-secretária Rosângela Curado a contar o que sabe em troca de amenização de punições

 

Segóvia, o ministro da Justiça e o presidente durante a pose nesta manha

Ao tomar posse nesta segunda-feira, 20, na direção-geral da Polícia Federal, o delegado Fernando Segóvia defendeu a prerrogativa da instituição para propor acordos de delações premiadas a envolvidos em crimes.

A PF tenta garantir esta autonomia, mas esbarra no Parecer do Ministério Público Federal, que se posiciona contrário.

Atualmente, apenas o MP pode propor acordos de delações.

Para Segóvia, os acordos de delação estabelecidos na própria fase de investigação diminuiria o tempo do processo, porque garantiria a conclusão dos inquéritos de forma mais rápida.

Com a PF tendo a prerrogativa de propor acordos deste tipo, o caso envolvendo a ex-secretária do governo Flávio Dino (PCdoB), Rosângela Curado, teria desfecho mais rápido, garantindo a punição de outros culpados.

A questão deve ser decidida em breve pelo Supremo Tribunal Federal…

2

Adjunta da SEAP é citada em relatório da Polícia Federal…

Camila Neves – alvo de polêmica por postar foto em Massachusetts mesmo vinculada à secretaria – acobertou ações de Danilo dos Santos, preso na Operação Turing

 

Camila com uma amiga, em Massachusets, EUA, enquanto mantinha vínculo com a SEAQP

O nome da ex-subsecretária Camila Neves é citado em investigações da Polícia Federal a respeito da criação de um esquema de apadrinhamento montado pelo ex-secretário adjunto de Administração, Logística e Inovação Penitenciária da Secretaria de Estado da Administração Penitenciária (Seap) Danilo dos Santos.

Danilo dos Santos foi preso na operação Turing, sob acusação de fraude licitações na pasta e de vazar informação da própria Polícia Federal.

Ao relatar a situação de Danilo dos Santos, a PF diz que Camila Neves, enquanto subsecretária, tinha conhecimento da situação irregular de Danilo dos Santos – que trabalhou por meses, mesmos em ser nomeado.

– Ainda no que concerne às personagens atuantes na secretaria em destaque, exsurgiu na investigação a senhora Camila Neves em fatos cujas circunstâncias denotam conhecimento, conivência e/ou até mesmo, possível conluio com o investigado DANILO, à época em que ela ocupou o cargo de Subsecretária da SEAP/MA – diz a PF.

E mais: que ela atuou em conluio com o então subordinado para encobrir sua situação, até mesmo prestando informações falsas em documento público sobre a real situação funcional do ex-adjunto.

Com informações de O EstadoMaranhão