2

Antecipação e recuo…

FLÁVIO DINO DISSE E MARCELO TAVARES DESDISSE: candidatura do comunista a presidente virou “brincadeirinha”

O secretário-chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares, afirmou a um programa de televisão no fim de semana que o governador Flávio Dino (PCdoB) apenas brincou ao assegurar pré-candidatura à Presidência da República, quando fez referência ao tema no mês passado. A disputa do próximo pleito ocorrerá somente em 2022.

“O governador falou isso em tom de brincadeira. O foco é governar novamente o Maranhão, de uma forma ainda melhor do que foi feita no primeiro governo. Falar sobre isso [disputa presidencial de 2022] agora é uma precipitação sem tamanho”, enfatizou.

Dino havia lançado o seu nome à disputa, no dia 22 de fevereiro, durante uma plenária extraordinária do PCdoB.

“Estou me preparando para 2022. Vocês nem notaram, já estou até com cinco quilos a menos. Vamos enfrentar o laranjal e a turma do mal”, anunciou, sem reservas, o comunista.

Ele reforçou o objetivo em seguida: “Eu adoro uma eleição, estou doido para disputar mais uma, essa em especial. A gente quer plantar a coisa certa para colher a coisa certa”.

Além da declaração direta, o comunista tem feito das críticas no twitter ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) a sua rotina diária. São tentativas reiteradas de se inserir no cenário nacional.

O alerta de Tavares e o recuo, agora, diante da grave crise financeira, econômica e institucional do Governo do Maranhão, com queda brusca nos indicadores sociais e fiscais, desempenho pífio em áreas como a Saúde e a bagagem de ter ampliado a extrema pobreza no Maranhão, mostram que Dino, se quiser disputar mesmo a eleição presidencial, terá primeiro de arrumar a casa.

Há, aliás, muito trabalho a ser feito. Afinal, não vai dar para sustentar uma eventual campanha dessa magnitude com discurso vazio em rede social.

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão

0

A independência e articulação de Arnaldo Melo…

Ex-governador e ex-presidente da Assembleia Legislativa transita bem em todos os grupos políticos o que o faz procurado cada vez mais no atual momento político do Maranhão; e tudo em nome das suas bases no Sertão Maranhense

 

Arnaldo Melo é um dos mais experientes políticos da Assembleia, com trânsito livre em todas as correntes políticas

Historicamente independente e articulado, com trânsito em todos os grupos políticos do estado, o deputado estadual Arnaldo Melo (MDB) reuniu-se com o chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares, tratando de assuntos relacionados à saúde no sertão maranhense.

O Secretário de Estado da Saúde Carlos Lula viabilizou a reunião e o Chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares, recebeu o colega, num diálogo habitual de deputados de vários mandatos.

Mostrando articulação política, Arnaldo Melo tratou sobre a implantação do centro de hemodiálise em Colinas, uma demanda histórica para pacientes que sofrem ao percorrerem longas distâncias para terem acesso às sessões de hemodiálise.

Melo já deixou claro que, se preciso, tratará com o próprio governador Flávio Dino (PCdoB) sobre o assunto, que considera de extrema relevância para o sertão.

Na conversa com o chefe da Casa Civil, Melo também tratou da questão envolvendo os hospitais prestadores de serviços ao SUS na região, cuja gestão é da Secretaria de Saúde do Estado.

Filiado ao MDB e formando bloco com o PV, Arnaldo pretende, ao seu estilo conciliador e articulado, viabilizar as ações que a região do sertão necessitam.

É aguardar e conferir…

0

Marcelo Tavares confirma conversas com Luis Fernando sobre cargo no governo…

Chefe da Casa Civil – e responsável pelas articulações para formação do novo governo Flávio Dino – diz que o assunto ainda está na fase de sondagens, “pelo menos por enquanto”

 

Luis Fernando com Marcelo Tavares, em foto divulgada nas redes sociais pelo próprio chefe da Casa Civil

O chefe da Casa Civil, deputado estadual Marcelo Tavares (PSB), confirmou a este blog “sondagens” ao prefeito de São José de Ribamar, Luis Fernando Silva (PSDB), sobre cargos no governo Flávio Dino (PCdoB).

A informação foi dada ontem, pelo blog do jornalista Gilberto Léda. (Leia aqui)

Ao blog Marco Aurélio D’Eça, Tavares confirmou as possibilidades, mas as classificou como “sondagens apenas”.

E completou: “pelo menos por enquanto”.

Luis Fernando Silva era prefeito de Ribamar, em 2009, quando renunciou na metade do segundo mandato para se tornar o principal auxiliar da então governadora Roseana Sarney (MDB).

No posto de homem forte do governo, transformou-se no principal adversário de Flávio Dino nas eleições de 2014, mas desistiu da disputa em cima da hora, insatisfeito com os rumos de sua candidatura no então governo Roseana Sarney (MDB).

Na época, a candidatura do agora prefeito foi substituída pelo empresário Edinho Lobão (MDB); e Luis Fernando passou a se aproximar de Dino, chegando a ser cogitado como secretário no início do governo comunista.

Uma nova renúncia de Luis Fernando no meio de outro mandato garantiria também melhor articulação do governo Flávio Dino nas eleições municipais de São José de Ribamar.

Que pode ter o conselheiro Edimar Cutrim como principal candidato, história, inclusive, já contada neste blog. (Relembre aqui)

É aguardar e conferir…

0

Marcelo Tavares diz que especulações erram sobre mudanças no governo…

Deputado estadual confirmou que reassumirá a chefia da Casa Civil – abrindo vaga para Edivaldo Holanda na Assembleia – mas diz que os demais nomes já ventilados estão equivocados

 

O deputado estadual Marcelo Tavares (PSB) comentou nesta terça-feira, 5, em uma roda de conversas com jornalistas, que “quase tudo o que já se publicou” sobre mudanças no governo Flávio Dino está errado.

Quando instado a confirmar impressão de um dos interlocutores, de que um desses erros seria a citação de Raimundo Curtrim (PCdoB) para a Secretaria de Administração Penitenciária, Tavares foi lacônico.

– Não vou comentar nomes para não parecer que não gostamos de a ou de B; mas garanto que quase tudo está errado no que diz respeito às mudanças no governo – afirmou.

O deputado confirmou apenas que irá mesmo voltar à chefia da Casa Civil, o que garantirá novo mandato na Assembleia ao suplente Edivaldo Holanda (PTC).

Ele entende que, “já na próxima semana”, estará de volta ao governo…

1

Imagem do dia: o xeque-mate de Othelino Neto…

Presidente da Assembleia Legislativa atrai para sua base e apoio o deputado Marcelo Tavares, que muitos apontavam como um dos principais adversários na disputa pelo comando da Casa

 

O deputado estadual eleito Marcelo Tavares (PSB) declarou nesta quarta-feira, 24, apoio à reeleição do colega Orthelino Neto (PCdoB) para o comando da Assembleia Legislativa.

Com o apoio de Tavares, Othelino praticamente consolida sua reeleição por aclamação, já que o ex-presidente era tido como também candidato ao mesmo posto.

A aliança com Marcelo Tavares é o xeque-mate de Othelino Neto.

1

PCdoB vai contra Marcelo Tavares em Cajapió..

Prefeito  do PCdoB, do governador Flávio Dino, com vice indicado pelo deputado federal Aluisio Mendes, vai enfrentar o candidato ligado ao chefe da Casa Civil

 

 

Aluisio Mendes entre o prefeito do PCdoB e seu vice, indicado pelo PTdoB

Aluisio Mendes entre o prefeito do PCdoB e seu vice, indicado pelo PTdoB

Uma disputa entre membros do governo Flávio Dino (PCdoB) deve marcar a eleição em Cajapió.

O prefeito Nonato Silva é o candidato do partido do governador, que tem como presidente o secretário de Articulação Política Márcio Jerry.

Ele vai ter como vice João Bispo Serejo, do PTdoB, indicado pelo deputado federal Aluisio Mendes (PTN).

O projeto do PCdoB em Cajapió é evitara vitória do secretário-chefe da Casa Civil do próprio governo Flávio Dino, o ex-deputado Marcelo Tavares, que tem como candidato Marcone Marques, do PP.

Marcelo Tavares e os candidatos da oposição aos comunistas em Cajapió

Marcelo Tavares e os candidatos da oposição aos comunistas em Cajapió

A família de Tavares é toda de Cajapió, onde o pai, o lendário Denizard Almeida, foi prefeito por vários mandatos.

Mas ele não conseguiu suplantar a hegemonia imposta por Márcio Jerry com o PCdoB, que atua da mesma forma em vários municípios.

E este clima de disputa interna deve marcar a eleição em outras várias cidades…

0

Juscelino Filho coordena reunião da bancada maranhense…

Deputado federal liderou encontro dos parlamentares com o secretário-chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares, que representou o governo Flávio Dino nas discussões sobre a BR-135 e a Lei de Diretrizes Orçamentárias

 

Juscelino coordenou a reunião com a bancada, que garantiu retomada das obras da BR-135

Juscelino coordenou a reunião com a bancada, que garantiu retomada das obras da BR-135

Foi realizada na Câmara dos Deputados, na tarde de terça-feira, 5, reunião da Bancada Federal do Maranhão coordenada pelo deputado Juscelino Filho (DEM).

Entre outros assuntos da pauta, os parlamentares deliberaram sobre a situação da obra de duplicação da BR 135 e deram encaminhamento à uma ação conjunta da Bancada junto ao Governo Federal, onde foi solicitada audiência com o presidente em exercício, Michel Temer, para evitar que as obras que foram iniciadas hoje, sejam paralisadas novamente.

Por determinação do próprio Temer, após ouvir os membros da bancada, as obras foram reiniciadas nesta quarta-feira, 6.

Sobre as indicações das emendas LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) 2017, na divisão das três emendas indicadas, os parlamentares decidiram designar uma para investimento no ensino superior por meio da implantação de uma sede do ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica) na Base de Alcântara, outras para garantir recursos para continuação das obras de duplicação da BR 135 no segundo trecho, de Bacabeira a Miranda do Norte que ainda está em fase de licitação, e a terceira para apoio e manutenção das unidades de saúde do estado.

Conforme definido na reunião, as obras da BR serão acompanhadas e vistoriadas pelos próprios parlamentares com frequência. A Bancada fará sua primeira visita às obras na segunda-feira, dia 11 de julho, junto a Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara dos Deputados.

O secretário-cehfe da Casa Civil, Marcelo Tavares, participou da reunião em, Brasília…

0

Marcone Marques é o candidato do PP em Cajapió…

Com apoio do chefe da Casa Civil do Governo do Estado, Marcelo Tavares, candidato reúne militância para organizar a campanha

 

Marcone é cumprimentado por eleitores de Cajapió

Marcone é cumprimentado por eleitores de Cajapió

Centenas de pessoas, entre lideranças e a população, participaram neste sábado, 21, da reunião do Partido Progressista de Cajapió.

O encontro aconteceu no Clube César Bastos, localizado no município.

Liderada pelo pré-candidato a prefeito e presidente da comissão provisória do partido, Marcone Marques, a reunião tratou sobre questões como a péssima situação que vem atravessando o município além da insatisfação da população com a atual gestão municipal.

Problemas na saúde, educação e infraestrutura foram levantados durante o encontro.

Também foram apresentados os pré-candidatos a vereadores do município.

Encontro reuniu lideranças e populares do município

Encontro reuniu lideranças e populares do município

Para Marcone Marques a reunião serviu para ouvir os anseios da população bem como pontuar as principais questões de interesse do grupo.

“Estamos Unidos em torno de um só objetivo. Uma Cajapió melhor para a nossa gente que hoje sofre com todo o descaso da atual gestão”, reiterou o médico.

Durante o evento, Dr. Marcone também justificou a ausência do ex-deputado, Marcelo Tavares que já manifestou apoio a sua candidatura e participaria do ato.

“Hoje a capital maranhense passa por uma séria onda de atentados e o secretário Marcelo como membro atuante do governo precisou ficar em São Luís para atender a convocação do governador Flávio Dino que solicitou a permanência de todos os secretários e o cancelamento de agendas pessoais para junção de forças e estratégias de combate à violência”, completou.

No encontro foi estabelecida agenda positiva onde será convocada nova reunião para captação de sugestões e propostas da população e lideranças por uma Cajapió que possa crescer e desenvolver.

4

Flávio Dino gera discórdia entre José Reinaldo e Marcelo Tavares…

Sobrinho do ex-governador considera injusta a decepção do tio com o governo comunista e considera desnecessária a crítica ao supersecretário Márcio Jerry

 

José Reinaldo e Marcelo: Tio já vê decepção. sobrinho ainda sonha no governo comunista

José Reinaldo e Marcelo Tavares: tio já vê decepção e sobrinho ainda sonha no governo comunista

O clima é de discórdia no seio da família Tavares no Maranhão.

Sobrinho do ex-governador José Reinaldo Tavares (PSB), Marcelo Tavares – chefe da Casa Civil do governo Flávio Dino (PCdoB) – considera que o tio tem sido injusto com o comunista.

E reclama até das críticas ao supersecretário de Comunicação e Articulação Política Márcio Jerry.

José Reinaldo tem se mostrado a aliados contrariado com o tratamento recebido por Flávio Dino. Acha que foi abandonado após ascensão do comunista ao poder.

E criticou duramente os superpoderes de Márcio Jerry, que ganhou ainda mais força por decisão do governador Flávio Dino.

Aos amigos, o ex-governador lembra que perdeu a família, foi humilhado e ridicularizado no Maranhão – e chegou a ser preso – em nome de um projeto de poder, primeiro com Jackson Lago (PDT), em 2006; depois, com o Flávio Dino, a partir de 2010.

E acha José Reinaldo que deveria ter maior participação no naco de poder maranhense – e, sobretudo, o compromisso de Dino pelo seu sonho de chegar ao Senado.

E a insatisfação é ainda maior com o tratamento dado ao próprio sobrinho Marcelo Tavares.

Mas o sobrinho acha exatamente o contrário. Entende  ele que é o ex-governador quem está sendo injusto com Flávio Dino.

Não é de se estranhar a posição de Marcelo Tavares.

De postural servil, ele prefere manter-se calado a questionar a forma como vem sendo aproveitado pelo governador e seu principal auxiliar.

Mas de José Reinaldo, também não se estranhará o futuro.

Frio  e calculista, ele sabe esperar a hora.

E trabalha nos bastidores para que ela chegue…

2

Mera expressão do desejo…

Deputados veem no chefe da Casa Civil Marcelo Tavares uma tábua de salvação na relação com o governador Flávio Dino, mas os fatos mostram que é Márcio Jerry quem ainda dá as cartas no governo

 

A relação no Palácio continua a mesma: Jerry determina, Marcelo executa

A relação no Palácio continua a mesma: Jerry determina, Marcelo executa

 

Desde que o governador Flávio Dino (PCdoB) anunciou sua reforma administrativa, mexendo em atribuições da Casa Civil e da Secretaria de Assuntos Políticos, deputados passaram a medir a força política dos respectivos secretários – Marcelo Tavares e Márcio Jerry.

E para deputados, principalmente os que conviveram com Tavares em sua época de parlamentar, a decisão de Dino de dar a ele as atribuições de interlocução com a Assembleia, significou que o hoje chefe da Casa Civil passará a ter mais poder do que antes.

A reabertura da Assembleia mostrou que esta expectativa dos deputados era muito mais expressão do desejo do que a realidade propriamente dita. Tavares, de fato, passou a fazer a interlocução com a Casa. Mas a decisão continua sendo tomada por Jerry, principal auxiliar do governador.

Nos dois primeiros dias de trabalho em plenário, quando os deputados discutiram a formação dos blocos, a antecipação da eleição da Mesa Diretora e o próprio comando da Assembleia, Tavares seguiu à risca a sistemática do governo Flávio Dino: ouviu deputados, ponderou demandas, mas precisou ouvir Jerry, e o próprio Dino, antes de tomar decisões.

O interlocutor administrava a pressão de membros do Blocão para que os cargos da Mesa fossem alterados. Mas o martelo só foi batido segunda-feira, após o levante do PCdoB e do PDT contra a liderança de Eduardo Braide (PMN) – que, por sua vez, tentava, com auxílio de Tavares, vencer OthelinoNeto (PCdoB) na disputa pela vice-presidência.

Ontem, no auge do debate sobre a formação dos blocos, foi aos telefonemas disparados do Palácio dos Leões – e não às orientações do chefe da Casa Civil, que estava presente na Assembleia – que os deputados atenderam para reagrupar os blocos.

E a movimentação mostrou que Tavares, de fato, está sendo o interlocutor dos deputados no governo. Mas para atender ao que é determinado pelo Palácio.

Adaptada da coluna Estado maior, de O EstadoMaranhão, de 04/02/2016