0

Quatro coisas que, talvez, você não sabia sobre a seleção na copa…

Ferramenta bilionária de marketing, a equipe de futebol da CBF tem por trás interesses milionários em todos os níveis, que podem influenciar diretamente o desempenho em campo

 

Ronaldo Fenômeno com seu pupilo Gabriel Jesus: desempenho ruim avalizado por Tite

Você sabia que o centroavante Gabriel Jesus tem contrato de administração de carreira com a empresa R9, do ex-jogador Ronaldo, a mesma que contrata as palestras de coach do técnico Tite?!?

Você sabia que as aparições do russo Yury Torsky, aquele torcedor russo que envergava a bandeira brasileira eram bancadas pela Brahma, inclusive viagens e hospedagem nos dias de.jogos, a mesma que patrocina a seleção brasileira?!? (Veja aqui)

O russo Torsky: contrato da Brahma com exposição na Globo e viralização na internet

Você sabia que o fretamento de uma aeronave e hospedagem exclusivas para as famílias dos jogadores, todas juntas, bancadas pela CBF, foi uma sugestão da Rede Globo para produção de matérias específicas da repórter Glenda Koslowski?!?

O palestrante Tite: dispensa de psicólogo e frases de auto-ajuda para estímulo dos jogadores

Você sabia que a dispensa dos psicólogos da CBF por Tite era uma aposta dele e da R9 para valorizar suas palestras de incentivo, para negociá-las pós-vitória na copa?!? (Saiba mais aqui)

São apenas alguns dos interesses que giram em torno da milionária seleção de brasileiros.

Só para constar…

2

Mais uma cortina de fumaça…

Neymar - potencializado pela Rede Globo - torna a seleção cada vez mais dependente de suas firulas

Neymar – potencializado pela Rede Globo – torna a seleção cada vez mais dependente de suas firulas

Com gol nos acréscimos, a Seleção Brasileira venceu hoje o Peru, por 2 X1, na fraca estreia na Copa América, disputada no Chile. A vitória, potencializada pela Rede Globo, foi uma espécie de cortina de fumaça para um futebol medíocre apresentado pelo Brasil, absolutamente dependente do insuportável craque Neymar. Foi assim também no ano passado, na Copa do Mundo disputado no Brasil, quando a seleção vencia seus adversários quase que na marra – e com muita ajuda do juiz – e o resultado todo o mundo conhece.

1

Escândalo do futebol: em 2013 este blog já abordava o assunto..

Este blog republica abaixo o post “O escândalo da CBF e o silêncio conivente da Rede Globo…”, publicado em 24/03/2013, que retrata os esquemas da Nike, da Traffic e da própria Rede Globo, que hoje tenta se esquivar da corrupção que impera no futebol mundial

 

mafia cbf globo

Rede Globo e CBF juntas no esquema, que tem ainda Nike e Traffic

A máfia que controla o futebol brasileiro é calçada em uma base formada pela CBF,  Rede Globo, a multinacional Nike, e uma empresa de marketing esportivo chamada Traffic.

Nas adjacências, eles recebem o apoio de outras figuras, como os ex-jogadores Pelé e Ronaldo Fenômeno, além de ministros ligados à área esportiva e parlamentares, recrutados para varrer toda a sujeira para debaixo do tapete.

Esta máfia controla desde as transmissões esportivas até a convocação de jogadores e os amistosos caça-níqueis da seleção brasileira.

Pouco importa os resultados em campo; pouco importa vitórias em Copas do Mundo e outros torneios.

O que importa é o lucro de levar a seleção para amistosos com países miseráveis, em troca de milhões de reais – com lucro dividido entre todos os membros do esquema.

Por isso é que a Rede Globo não deu uma linha sequer sobre as denúncias do ex-jogador Romário (PSB), hoje deputado federal.

Para a Globo, não é interessante derrubar o capo do futebol, José Maria Marin, e seus vassalos.

Ao esquema Nike/Globo/Traffic interessa apenas manipular os tolos a torcer pela seleção de brasileiros convocados dentro de um esquema.

romario

Romário: ainda falando sozinho

A Nike decide com quem a seleção deve jogar e quem deve ser convocado. A Traffic vende os amistosos mundo a fora, além das propagandas em estádios e TVs.

À CBF cabe disponibilizar a estrutura dos jogos.

E a Globo arregimenta torcida, com matérias ufanistas e fantasiosas em sua programação, com o objetivo de despertar a tola torcida, que acredita em tudo caladinha – e até chora pelas derrotas, muitas fabricadas nos bastidores.

Por isso é que Romário vai continuar falando sozinho.

Pelo menos até a Copa de 2014 – que, aliás, já tem dono.

E não é o Brasil…

7

Seleção da Nike em mais um dèrbi caça-níquel…

Ronaldinho: só badalação...

A seleção que a multinacional Nike impõe aos brasileiros faz mais uma apresentação promocional nesta quarta-feira, naqueles lugares – e com adversários de países – onde a empresa tenta promover seus produtos.

É por isso que mentiras como Ronaldinho Gaúcho vão e craques como Káká não –  já que este último é patrocinado pela Adidas.

A presença de Gaúcho tem o objetivo de atrair a mídia e a torcida.

Por isso a Rede Globo, parceira da Nike em projetos deste tipo, foca toda a cobertura em torno dele.

Mesmo ao lado de craques como Thiago Silva, Lucas ainda tem a preferência de Mano

Ele nem precisa jogar, basta badalar à vontade.

Ao seu lado, excrecências como Lucas Leiva, Sandro (?) e Daniel Alves, que só são convocados por que também têm acordo com a Nike.

Para se ter idéia da desimportância deste jogo, o titular do blog escreveu todo o post e não conseguiu lembrar o nome do adversário.

Mas isso parece ser o que menos importa para a CBF…

 

3

Seleção de brasileiros vai cometer crime contra a humanidade…

Neymar e seus sassaricos: mais uma estrela do show caça-níquel

Será um crime contra a humanidade o que a Seleção de Brasileiros vai cometer ao jogar contra a seleção do Gabão, ainda este ano.

Medíocre desde que vendeu a alma à Nike, há mais de dez anos, a Seleção de Brasileiros tem realizado cada vez mais amistosos caça-níqueis ao redor do mundo.

Visto como o “melhor do planeta”, o futebol brasileiro é vendido ao redor do mundo como espetáculo. O cachê é altíssimo para entrar em campo, como nos maiores shows da terra.

E pagam caro para vê-lo, não importa de onde venha o dinheiro.

Mas, explorar um país miserável da Africa apenas por que suas crianças querem ver ronaldinhos e neymar’s da vida, é uma crueldade sem tamanho.

Não se vê seleções da Alemanha ou da França, por exemplo, explorando países miseráveis em nome da expansão do futebol.

A seleção de brasileiros se presta a isso por que se acha.

Cada vez mais medíocre e caça-níquel, vai explorando os povos sofridos em nome do espetáculo. Felizmente, quando o jogo é pra valer, ficam pra trás.

O melhor castigo para os crimes de guerra que comete ao longo do ano.

E vem aí o novo maracanaço…

5

A desimportância da Seleção Brasileira…

A partida de hoje à noite entre brasileiros e argentinos é uma tolice caça-níquel inventada pelos donos do futebol brasileiro – ente eles a Globo, a Nike e, agora, Ronaldo Nazário e a Traffic.

Pouco importa para o futuro da seleção – e para o planejamento da Copa do mundo.

O que vale na "seleça" é apenas aparecer com a marca do patrocinador, nada mais...

São poucos os jogadores destes times de hoje que estarão em campo nas próximas semanas. Na seleção dos amistosos europeus só entram os patrocinados.

Ainda tentaram dar um ar oficial ao jogo, utilizando o nome da antiga Copa Roca, o que foi vetado pelos donos da marca. Inventaram, a idiota epíteto “Clássico das Américas”.

Bem fez o gremista Mário Fernandes, que esnobou a convocação caça-níquel.

Só o apelo comercial de Brasile Argentina justificam a partida em Belém

Jogar pela seleção não tem qualquer importância, mesmo com a insistência de querer transformar a convocação no ápice da carreira de um boleiro.

E a realidade das ruas tem mostrado o pouco apelo do futebol de seleções fora dos períodos de Copa.

É cada vez maior o número de torcedores que esnobam a seleção em favor de um jogo do seu clube – muito mais emocionante e  com mais apelo.

O que se viu em Belém do Pará, com brasileiros envergando a bandeira da seleção argentina, numa espécie de protesto, é um exemplo disto.

Sem falar no esquema pró-Corínthians da Globo e da CBF para favorecer o time paulista na reta final do Brasileirão – coisa bem mais importante que seleção – tirando jogadores dos grandes clubes na reta final.

Qual a importância de amistosos com México e Guatemala? Ver Neymar sacaricar e passar na Globo por semanas? Valorizar jogadores do esquema, apresentando-os a empresários europeus com a camisa amarelinha?

Desde a “profissionalização” do futebol, a Seleção Brasileira só serve pra isso.

No mais, não tem qualquer importância…

4

Vasco de volta também à base da seleção…

Já não há mais dúvidas de que o Vasco da Gama voltou ao seu lugar na elite do futebol brasileiro.

Quatro vezes campeão brasileiro, campeão da Mercosul e da Libertadores, inúmeras vezes campeão carioca, o Gigante da Colina havia oito anos não ganhava um título importante e nem figurava entre os melhores do Brasil.

Em 2011 tudo mudou.

Atual campeão da Copa do Brasil, o Vasco lidera o campeonato brasileiro e está na segunda fase da Copa Sulamericana, já com vaga garantida na Copa Libertadores de 2012.

E voltou também a ceder jogadores para a Seleção Brasileira de Futebol.

Só na convocação de hoje são três: o zagueiro Dedé, o volante Rômulo e o meia Diego Souza, três dos melhores em atividade no país em suas posições.

É certo que, neste momento, uma convocação acaba desequilibrando o campeonato brasileiro, em fase de decisão para, pelo menos, cinco times.

Mas mostra o Vasco de tradições voltando a figurar no panteão dos campeões…

5

Todo o mundo já sabe disto…

Seleção alemã: show de futebol cada vez melhor..

O técnico da Seleção Brasileira de Futebol, Mano Menezes, abre a entrevista concedida à revista Veja com uma constatação:

É preciso reconhecer que o Brasil não está mais jogando o melhor futebol do mundo. E não é de hoje. Na Copa de 2010, já estávamos atrás da Alemanha, que é, pra mim, o time mais completo – à frente até da atual campeã do mundo, a  Espanha (…) – afirma Menezes.

É uma constatação mundial.

Não há seleção de futebol no mundo tão perfeita quanto a da Alemanha. E não apenas na Copa de 2010, mas desde a década de 80.

Não por acaso, esteve na maioria das finais da Copa do Mundo e nunca na história ficou abaixo do quinto lugar na competição.

Menezes: exemplo de pé no chão

Expertise aprimorada agora, com a qualidade técnica de craques como Özil, Müller e Schweinsteiger.

Aliás, o técnico da seleção brasileira faz, na mesma resposta, uma análise sobre os jogadores alemães:

– (…) têm tudo para chegar à Copa do Brasil no auge da forma física – diz o treinador.

Constatações como a de Mano são recorrentes no mundo inteiro, o que dá uma certeza: A Alemanha será a campeã do mundo em 2014.

Infelizmente, sem a repetição do maracanaço.

Isto por que, mais uma vez, o Brasil nem chegará à final…